História Provocantes - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Big Bang, Cross Gene, EXO, K.A.R.D, Mamamoo, Monsta X, Red Velvet, Seventeen, Super Junior, TWICE, VIXX
Personagens B.M, Casper, Choi Siwon, D.O, G-Dragon, Hansol "Vernon" Chwe, Henry Lau, Hwasa, Irene, J.Seph, Jeon Wonwoo, Jiwoo, Kai, Ki Hyun, Kim Mingyu, Kris Wu, Lay, Lee Donghae, Lee Sungmin, Min Hyuk, Mina, Sangmin, Seungri, Suho, T.O.P, Tao, Won Ho, Zhou Mi
Tags Amor, Brigas, Casper, Chanbeak, Chen, Comedia, Coringa Brigas, Cross Gene, Drama, Fluffly, Gay, Henry Leeteuk, Hunhan, Intrigas, Irene, Jackson, Jongin, Junmeyon, Kai, Kaisoo, Kris, Kristao, Kyungsoo, Lay, Luhan, Mina, Minseok, Monsta X, Mortes, Red Velvet, Samgin, Sebeak, Sehun, Seveteen, Shownu, Shownu Chanhun A, Siwon, Suho, Sulay, Super Junior, Taoris, Twice Mono, Xiuchen, Yaio, Yifan, Zhang Yixing, Zitao Kihyun
Visualizações 58
Palavras 2.628
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Os meninos do Vixx como eles são na Fic

Capítulo 6 - Deja vu


Fanfic / Fanfiction Provocantes - Capítulo 6 - Deja vu

.................Kris..............................

Acorda na cama que não era minha, era algo surreal.

Era conhecido por ser pegador, mas não se lembrar de muita coisa, não era de meu fetil.

- Ei calma ai. Ainda esta em repouso. – A voz melodiosa que vinha do alto me fez foca mais a minha visa.

Respirei e senti a dor na garganta. Estava com sede, parecia que fiquei meses sem beber sangue.

- Tome aqui.  – senti o gosto de sangue na minha boca.

O pulso onde meus dentes começaram a se cravar, me fizeram puxa e sugar com mais vontade, aquele sangue doce. O sangue com gosto diferente, diferente de todos que já senti. Meus olhos se focaram, conseguia sentir os cheiros mais nítidos e a minha visão estava mais aberta. Olhei bem para o pulso e quase dou um pulo da pessoa que estava me dando para tomar.

- Seu filho da puta.

- Obrigado por salvar sua vida, Zitao, de nada Yifan. – resmungo Zitao colocando ataduras em seu pulso para estancar o sangue.

- Porque me deu seu sangue para tomar?

- Porque não tenho bolsas de sangue e já faz dois dias que esta aqui em casa, sendo curado por mim e pelos meus irmãos. – Disse Zitao sentando na cadeira a sua frente.

Eu não acredito que eu bebi sangue dele. Agora você me pergunta qual a diferença do sangue normal, para o sangue da maldição da nossa família? A bruxa imbecil quem amaldiçoou nosso clã, fez com que rejeitássemos o sangue alheio, ele entra e pode nos enfraquecer, apenas nosso parceiro de sangue pode nos ajudar a viver e poder sobreviver, umas gostas de sangue do nosso parceiro pode nos deixar mais forte e mais rápidos. E saciando nossa fome.

Agora eu provei o sangue de Huang e estava me sentido mais forte e mais rápido, sentia como se pudesse destruir um castelo, e minha mente mais clara e mais resistente a tudo.

- Como se sente?

- Bem. O que aconteceu? Porque não me lembro de nada ? – pergunto andando para a grande janela.

- Você estava preso no purgatório das almas. Uma certa "prisão", pelo que Top me falou...

- Top me salvou? O que ele fez comigo...

- Calma ai flor do dia. Apenas te ataque porque me atacou. - rebateu Top entendo no quarto.

- Cala a boca Top, Não quero um derramamento de sangue na minha casa.

- seu filho de uma...

- É você calado e se sente, Yifan. - Nem ao menos tentei protestar. Meu corpo subitamente acatou o que Tao me falou.

- Seu charme está ficando tão forte que falou com Kris, E meu corpo estava quase recebendo o comando.

Tao sorriu para Top, com aquele sorriso gentil. Eu queria gritar dizendo para ele não encostar no Huang. Ele era meu parceiro de sangue e não dele. Mas apenas emitia alguns sons estranhos pela boca.

- Agora, O que eu quero mesmo saber é sobre aquela profecia. E do porque, ela está vindo atrás de voce! - Tao se virou para Top que apenas demonstrou um sorrisão cafajeste para o mesmo.

Mas eu o conhecia, bem melhor do que meus irmaos, bem melhor do que meus pais, Top estava preocupado e começando a ficar desesperado, seus olhos negros estavam emitindo uma melancolia que apenas quem o conhecia, saberia.

Ainda não poderia falar. O que era irritante demais. Eu, Um vampiro de alto nivel, ser pego por um charme de quinta categoria de um bruxo, que eu achava a coisa mais atraente do mundo.

Como eu queria que Yixing fosse meu parceiro de sangue a essa altura.

- Eu não sei, deve ser apenas mais uma garota louca o bastante atrás do papai aqui. - Top acendeu o cigarro e tragou.

- Aqui não, respeite a casa dos Conjuradores, ainda mais nessa parte onde estamos. - Huang se concentrou e estalou os dedos, o cigarro e a fumaça sumiram da mão de Top, e o vampiro soltando um suspiro de protesto.

- Agora vamos para sua recuperação. - Tao me encarou, sua orelhas debaixo dos olhos eram amostras, mas elas estavam mais fundas, como se não tivesse dormido direito a dias. - Agora sim, pode falar e fazer o que quiser, só não matar Top ou fugir.

Meu corpo relaxou. Poderia sentir o auto controle voltando a minha mão. Para testar se aquele bruxo era realmente poderoso, tentei mandar comandos para avançar contra Top ou correr dali o mais depressa de todos. O cara era bom, Meu corpo estava tão relaxado que não queria sair dali, queria ficar sentado e aproveitando o que veria por vim.

- Olha o que encontramos aqui. - Nem ao menos percebi quando aquele outro entrou no quarto.

A porta que estava fechada, por de trás de Top, nem ao menos abriu e ele estava ali dentro. O quarto parecia que foi pintado novamente recentemente, com um turquesa gritante, amuletos, máscaras e até mesmo algumas estátuas estavam postas pelas paredes em torno do quarto. Em cima tinha uma grande cilada do demonio (Eu gosto de Supernatural) pintada acima de mim.

O garoto era alto, os cabelos eram negros como a noite, de seus olhos emanava uma ar de brincalhão, ele estava de roupa tradicional da China antiga, todo de preto, em sua mão direita ele trazia um bastão pequeno em sua mao, mas ao abri- lo, era um leque, um leque negro, com um símbolo em chinês pintado de azul, simbolizando a palavra, Cura.

- Yifan, esse é seu médico e meu primo, Davi.

O garoto que deveria ser da mesma idade de Tao, deu alguns pulinhos, ao ser apresentado.

- Vamos ver. Seu nome é Wu Yifan, mas a grande maioria lhe chama de Kris, você foi transformado em vampiro, deixa me ver... - Ele apenas me olhava e balançava aquele leque para produzir vento para si - quando tinha 18 anos, a cento e quarenta anos atras? Ou menos? Bem não importa. Você teve sua alma presa no purgatório, E conseguiu sair. Um caso meio raro para um vampiro fazer isso sozinho. - Ele olhou para Zitao que apenas se acochegou na cadeira sem o encarar e para Top que apenas revirou os olhos.

Ele me encarou e uma pequena brisa de ar, balançou meus cabelos loiros azulados. Seu rosto era triangular e aqueles olhos, aqueles benditos olhos, pareciam me conhecer muito bem, como se lê-se minha alma.

- O que ele está fazendo, Zitao? - Meus olhos encontraram de meu anfitrião, que apenas sorriu.

- Meu primo é um conjurador exepcional. Ele, Seu namorado e seus 4 amigos, foram abençoados pela própria deusa Hecate, para receber 6 relíquias de magia. Os seis leques de pandora. - Como uma afirmação Davi abriu seu leque e balançou, poeira saiu de suas rajadas, que brilhavam como pequenos vagalumes pelo ar.

- Meu dom de Conjurador, floresceram quando muito novo, nada perto de mim pode morrer e isso era uma coisa que desafiava a lei da vida e da morte. Então, Quando mais velho, Hecate juntou eu e meus amigos, que sofriam de certos distúrbios e que nao conseguiriam completar a missa deles nessa vida. Para Assim nos dar os leques e meu poder ficar mais controlado, então meu poder os curou, e por causa dessa relíquia, o controle entre a vida e a morte volta.

- E eles têm até um nome, vixx, e eles no Conselho de magia, aparecem quando algo está errado. - Completou Zitao.

- Sim. E algo está errado, não? Vamos um vampiro que voltou do purgatório, E ficamos sabendo que recentemente um Temporario, esteve no mesmo local. Concidencia? - os olhos de Davi se estreitaram e olharam de relance para Tao. - Enfim. Estou aqui para lhe dar a última lufada de cura.

O olhei estranho, e Davi recitou algumas palavras colocando seu leque em sua testa, ao abrir seu corpo emanava energia, uma energia que nem eu poderia imaginar. Ela me deixava alegre, estava ficando pilhado, Como se pudesse fazer 20 vezes uma maratona Olimpica. Ele abriu seu leque e abanou três vezes.

O ar rodopio em minha volta. Me levantando alguns centímetros do chão, a corrente de ar entrou pelo meu nariz e por minha boca.

Eu comecei a me debater. Meu corpo por dentro queimava. Como se tivesse bebido um suco de magma.

Meu corpo entravam em curto, tudo se Acelerava. De longe ouvia a voz de Davi.

- aguente firme, filho da morte. Você mais do que qualquer um tem que aguenta esse processo de cura. E o único que pode passar por ele. - Davi parou de falar e fechou seu leque - Aguente.

Senti alguém pegando minha mão, a sensação quente e pulsante de sangue que vinha dela, era a mão de meu Zitao, De meu garoto. Ele estava ali.

- Calma Yifan. Não morra agora. Nao te tirei do purgatório para você cair agora.

Comecei a parar de me debater e meu corpo começou a lutar contra. E aceitar que aquele mago me curase. Depois de mais ou menos 2o minutos estava novo em folha. Depois que Davi se despidiu. Zitao me explicou que ele precisava selar minha alma ao meu corpo novamente. Que precisava do último processo de cura.

- Está bem meu irmão? - Top me pegou pelo braço é me colocou sentado na cadeira. - Sem ressentimentos?

- Tudo bem. Eu estou bem sim. Agora me tire daqui. Quero minha casa. Esse ar de conjurador eu já estou ficando farto.

- Obrigado também Yifan. - ouço o murmúrio de Zitao ao meu lado.

- Obrigado Zitao. De verdade.

Ele ficou vermelho a ouvir o que eu disse.

- Precisam ir. E Top, cuida dele. Por favor. Eu ainda preciso de vocês dois.

- Ele estará em segurança. - Afirmou Top. Me colocando pelos ombros e me levando dali.

.................. Zitao.....................

- Você só pode está ficando louco. - Mina foi a primeira a querer me estrangular. - Desculpa meu amor, mas meu irmão surta as vezes.

- Tudo bem, meus irmãos também tem problemas, só não tem poderes, mas tem problemas. - Momo, a garota de cabelos loiros estava sentada na cozinha junto conosco.

Momo era a namorada mortal de minha irma, E vai por mim, Essa foi a melhor de todas, Já que as outras eram irritantes.

Momo prometeu segredo e caso ela contasse ou maltratace Mina, eu iria fazer pior do que o tsukuiome do Itachi. Mas seria mais por causa de minha irma, do que por conta o segredo.

SuHo comentava com Mina, que achou Yixing um cara interessante e até mesmo apontou coisas que nem eu sabia do garoto.

Kris passou 3 dias em nosso porão sem nem ao menos meus pais descobrirem que ele estava ali. O que foi preciso de muita magia, e até mesmo tentar para a discussão dos dois me cansava.

- Para com isso. Não vai me dizer que ele agora virou seu namorado. - Mina andava de um lado para o outro, quando Momo apenas comia seu sorvete.

- Não virou meu namorado. Apenas conversarmos sobre muitas coisas. E gostamos de muitas coisas por igual. Isso não diz que somos amigos. - retrucou SuHo.

- Se misturando com aquela espécie nojenta. Você realmente precisa crescer SuHo. Está virando refeição para ele. - Mina odiava os vampiros, já que presenciou um ataque quando mais nova de alguns vampiros loucos, que atacaram certo local onde ela estava, se não fosse por nossa mãe.

- Para com esse pensamento. - SuHo era cabeça dura quando queria. - Eu vou sair com ele. Quero descobri o que de tão impressionante aquele vampiro tem de interresante.

- Encontro?

- Não vem com graça nao, que quem tem dois vampiros lutando por si e voce.

Mina se enfureceu de vez e saiu batendo o pé no chao.

- Deixem ela. Ela não está gostando disso, sabem como ela gosta das coisas do jeito certo e de seguir as regras.

Momo era inteligente e isso eu gostava dela. Ela sabia falar com sabedoria. E teria que ter muito saco para aguentar minha irma, Porque até eu não aguentaria aquele jeito perfeccionista dela. E qualquer pessoa que consegue dominar minha irmã, tem meu respeito.

- É voce, como anda, com o esquetadinho e o tarado?

Ela engoliu um pedaço enorme de sorvete sem fazer careta.

Quando ia responder minha visão fica nebulosa e sou jogado numa viagem temporal. Desde dos meus 13 anos tenho essa viagem temporal. Voltar ao passado e presenciar certo tipos de vida que já tive. Já que minha mãe uma vez me disse.

(Zitao, você vem de vidas passadas, vidas que estão numa missão continua e seu jeito de viver e de ser não tem nada a ver comigo e seu pai - Ela me dá um beijo na testa - É você vai fechar o círculo que foi aberto lá tras, você e a chave de toda a raça de conjurador).

E lá estava eu tendo um dos meus desvaneios, passando por essa visão de minha mãe me falando isso, E logo o cenário muda. Estava numa colina, a noite estava silenciosa, mesmo para a floresta, na luz da lua vermelha, ouvi um barulho de tambor batendo não muito longe.

Odiava esses pulos temporal, porque quando começou eu não tinha controle. Poderia está andando ou fazendo certa atividade, que meu corpo automaticamente parava. E eu caia em uma lembrança de alguma vida passada, ou visão do passado ou futuro.

Andei entre as árvores e parei numa elevação de terra, logo abaixo, tinha um pequeno ritual acontecendo. Alguns Conjuradores estavam ali, magia forte sai daquele ritual, e sentia que cada um emanava uma energia diferente.

A mulher que recitava os bordões no meio do pentagrama desenhado na terra, estava vestindo um vestido negro grande e rodado, seus cabelos negros é lisos, estavam soltos e seus olhos olhavam diretamente para a lua vermelha. Os Conjuradores que estavam com ela, começaram a dançar em volta da mulher no meio. E a cada palavra que eles falavam, eram uma onda de energia que saia de cada um, envolvendo num vortex a garota que estava no meio.

Tochas estavam acessa ao redor deles. Dando mais vida ào ritual. Cada um estava encapuzado, até que a garota de pele morena, fechou seus olhos e ficou em silencio, sua feições eram lindas. Do rosto redondo e de olhos bem puxados. Ela ficou calada e apenas abriu os braços.

As pessoas começaram a dançar e levitaram para o ar. O fogo das tochas aumentaram de tamanho e então, Cada um deles que estava encapuzado foi deixado no chão.

A garota do meio do circulo, começou a roda e gritar.

- Está na hora meus seguidores, está na hora de matar todas essas pragas, desses vampiros imundos. Começando por voce.

Ela me olhou e abriu a sua mão. Ela gritou me jogo, caindo para o lado. Como ela pode me ver? Ninguém pode me ver!

E assim que me despertou dos desvaneios, lá estava Top, ou parecia ele, a dois metros de distância de mim.

- Top. Ei, O que está fazendo aqui?

Ouço um sorriso vindo atrás de mim. Do meio da escuridão eu não conseguia distinguir o que via.

Ouço a voz da garota lá de baixo avisando para os seus seguidores correrem atrás de top que tinha fugido.

- Quem é voce?

- Você vai descobri quem sou. Garoto, na hora certa vai descobrir quem eu sou. Fique mais forte e me traga de volta. Só assim saber a quem eu sou.

A voz que vinha da floresta parecia que estava alegre de ter encontrado alguém para comemorar.

Ouço um estalo dedos e volto para onde estava.

- É entao, vai nos contar?

- Contar o que? - Pergunto de novo. - Eu tenho... tenho que sair. Até depois

O que era aquilo? Eu não sei de nada. Preciso falar com Top. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...