História P.S: Te Amo! - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias CNCO
Personagens Christopher Vélez, Erick Brian Colón, Joel Pimentel, Personagens Originais, Richard Camacho, Zabdiel De Jesús
Visualizações 27
Palavras 3.329
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Doeu escrever esse capítulo sem me emocionar e espero que vocês tenham vivido a história tão intensamente quanto eu.
Então fica aqui o ÚLTIMO CAPÍTULO da história ❤️
Sem mais delongas: perdoem os erros, peguem seus lencinhos, preparem os corações e boa leitura 😌
“Sabe por que eu tenho medo de te perder? Por que você é uma das poucas, senão a única pessoa que me faz sentir especial, que me faz acreditar que ainda existe amor verdadeiro, que me faz perceber que existe razões para eu não desistir de lutar. Você me faz sentir completo, você me faz sentir feliz, mesmo se eu tiver passando por um dos piores dias da minha vida.”

Capítulo 41 - P.S. Te amo!


Fanfic / Fanfiction P.S: Te Amo! - Capítulo 41 - P.S. Te amo!

* Manhã seguinte 

Christopher (POV) 

Acordo sentindo minha garganta seca. Preciso beber água. Levanto da cama, passo as mãos pelo rosto, mexo em meu cabelo e pego meu celular. São 4:50 da manhã. É muito cedo ainda. 

Pego uma garrafa de água no frigobar e tomo inteira num gole só. Me sinto um pouco melhor. Volto a deitar na cama porém não consigo dormir. Sinto algo estranho em meu peito, como se fosse uma pressão... estou com um pouco de medo porque eu nunca tive isso e não é a melhor sensação do mundo. Imediatamente T/N me vem à cabeça e resolvo mandar uma mensagem pra ela. 

“Sinto sua falta, não consigo dormir sem você. Não vejo a hora de te ver. Te amo ❤️”

Envio a mensagem e vejo que ela estava online até pouco tempo atrás. Deixo o celular em cima do criado mudo ao lado da minha cama. Mal deixo o aparelho e ele já vibra.

Fico todo contente pensando que é a T/N que está me ligando mas assim que o tomo em mãos meu cenho franze e vejo que é uma ligação de Renato.

- Christopher: Renato, tá tudo bem? Por que tá me ligando a essa hora? 

- Renato: Christopher; eu estou nos hospital com o Richard. Preciso que você venha aqui imediatamente! 

- Christopher: Estou a caminho. Ele tá bem? 

Pergunto me levantando da cama e procurando uma roupa na mala

- Renato: Ele tá bem. Estamos aqui porque a T/N foi atropelada! 

O celular cai das minhas mãos e eu simplesmente paro. Não consigo me mexer, respirar ou falar. Fico em choque por alguns minutos e não assimilo bem o que está acontecendo. Quando me dou conta, Joel está na minha frente segurando meu rosto e perguntando se eu estou bem. 

As lágrimas deslizam sem controle sobre minhas bochechas. Sinto a cabeça explodir e tenho os olhos inchados de tanto chorar. Ando de um lado pro outro nos corredores do hospital esperando alguma notícia.

Estão operando a cabeça da T/N. Mas meu peito está apertado porque faz horas que eles estão lá dentro. Minha única vontade no momento é quebrar alguma coisa. Preciso derrubar alguma coisa, jogar no chão.. não sei, só preciso me acalmar de alguma forma. Ela não iria querer me ver assim. 

Se nós não estivéssemos brigados, se eu tivesse pedido pra que ela ficasse comigo, ela não estaria andando sozinha pelas ruas de Los Angeles no meio da noite e não teria sido atropelada. Mas eu não pedi que ela ficasse comigo. Eu a deixei ir. Sozinha. É minha culpa ela estar dentro de um centro cirúrgico lutando para sobreviver.

Me sinto vazio, incapaz de pensar ou falar em algo que não seja ela. Nessa hora me passou um filme pela minha cabeça e relembrei nossa história. 

Nosso primeiro beijo; por mais curto, infelizmente, que tenha sido, foi num jogo idiota que eu fiz quando fui no quarto dela no meio de uma noite. Era verdade ou desafio e a desafiei a me beijar. Depois eu a beijei naquela festa e ela teve a iniciativa da nossa primeira vez. Não tem nada na nossa vida que eu tenha que me arrependido. Tudo aconteceu por um motivo e tinha que ser assim. É nessas horas que a gente vê quem ama de verdade e o quão a vida é curta e preciosa.

Ainda se repete em minha mente a cena que encontrei quando cheguei no local onde ela foi atropelada. Renato disse que iam levá-la para o hospital e que deveríamos esperar lá mas eu não quis, Joel ia me levar para o hospital mas eu sai do hotel sozinho e fui atrás dela.

T/N estava no chão, cheia de sangue e um paramédico, que estava ao seu lado, tirou a camisa e colocou em volta de sua cabeça pra tentar evitar uma maior perda de sangue. Naquele momento parece que o céu iria se abrir e cair em cima dos meus ombros. Eu não via nada além do corpo imóvel da minha namorada.

Depois, tudo o que se ouvia pelas escuras e solitárias ruas de Los Angeles eram meus gritos de desespero e a sirene da ambulância que tinha acabado de chegar. E desde que a levaram eu não a vi mais. Espero que, na próxima vez que vê-la, seja na sua cama de hospital com o sorriso mais lindo do mundo dizendo que está tudo bem e que não devo ficar me preocupando por besteiras. Juro como quero ouvir isso. 

- Joel: CHRISTOPHER!! 

Olho pra trás quando ouço Joel e vejo todos os garotos correndo em minha direção e me abraçando.

- Zabdiel: Como ela tá? 

Pergunta preocupado

- Christopher: Não sei Zab, eu não tive notícias ainda...

Digo frustrado

- Christopher: Ela está sendo operada mas... faz horas e...

Não termino minha frase porque o choro toma conta de mim novamente.

- Erick: Tudo vai ficar bem, você vai ver! 

Erick respondeu me dando um abraço reconfortante. 

- Zabdiel: Eu vou buscar uma água ou um suco, quer alguma coisa? 

- Christopher: Não, obrigado cara! 

- Joel: Você tá em jejum que eu sei! 

- Erick: Não é bom ficar em jejum nessas horas. Nós vamos até a cafeteria e vamos trazer algo pra você. Espera aqui com o Richard. 

Apenas concordo com a cabeça e me sento numa cadeira ao lado de Richard. 

- Richard: Tudo vai ficar bem! 

Ele diz passando as mãos nas minhas costas e eu apenas respiro fundo pra tentar parar de chorar. Isso é o que eu espero: que tudo fique bem. Eu juro que assim que sairmos desse hospital, eu largo a CNCO se for preciso, mas eu vou assumir ela como ela quer. Não quero mais ter que sofrer em silêncio por nós dois, olha onde isso nos levou. 

- Christopher: Sabe o que eu não entendo? 

Pergunto olhando pra Richard e ele desvia a atenção do celular: estava falando com a filha dele. 

- Christopher: O que ela estava fazendo na rua nesse horário? 

- Richard: Ontem, quando nos encontramos para pegar o celular da Paula, ela deixou algumas coisas comigo. Ela disse que queria entregar pra você...

- Christopher: Que coisas? 

- Richard: Eu não sei, estavam na bolsa dela

- Christopher: Ela não me entregou nada! 

- Richard: Ela me mandou mensagem pouco antes do horário do acidente dizendo que queria falar com você e pediu pra que eu checasse se você estava acordado porque ela precisava te contar aquilo. Não sei o que é. Mas só então me dei conta de que, ela foi embora sem levar a bolsa e sem querer acabei trazendo comigo pro hotel 

- Christopher: Ela tava andando sozinha na rua porque queria falar comigo? Ah meu Deus! 

Comecei a chorar tudo de novo e ele me deu um abraço 

- Richard: Ela estava a caminho do nosso hotel pra pegar a bolsa comigo e te entregar e conversar com você. Creio que seja isso porque as mensagens pararam de chegar e... você já sabe o que aconteceu. Eu não sei se foi boa ideia mas eu trouxe a bolsa. Se você quiser olhar...

- Christopher: Pode ser mas aqui não, vamos atrás dos meninos! 

Fomos até a cafeteira e eles comeram alguma coisa e eu só tomei uma água por muita insistência de Joel. A bolsa dela estava em minha frente e eu não tinha coragem de abrir

- Richard: Se você não abrir, nunca vai saber o que ela tinha de tão importante pra contar... 

Abro a bolsa dela encontrando duas coisas, dentre elas um teste de gravidez com um positivo. Meu coração se aperta ainda mais porque agora eu sei que não é só minha mulher que está naquele centro cirúrgico, mas sim meu filho. Começo a chorar e mostro pros meninos. Eles tentam me acalmar mas é em vão. 

E junto com o teste tem uma cartinha que ela escreveu.

”Chris, amor, eu sei que não estávamos planejando (não estávamos mesmo) e que talvez somos jovens demais pra isso mas eu estou grávida. E também sei que a melhor maneira de contar isso seria frente à frente mas eu tenho um pouco de medo e é por isso que estou escrevendo essa carta. 

Estou grávida de quase quatro meses e acho que você vai ficar feliz quando descobrir que vamos ter uma princesinha. Sei que seu sonho era ser pai de menina e que já tínhamos conversado sobre isso algumas vezes. Eu só quero te dizer que, apesar do medo e da insegurança, eu te amo e eu estou muito feliz de formar uma família com você. Você foi o único homem que me cuidou, me amou e sempre esteve ao meu lado. Você me defendeu e me apoiou. Eu jamais me arrependeria da família que estamos formando. 

Espero que na próxima vez que conversarmos, consigamos chegar em um acordo para decidir o nome da nossa filha. Muito obrigada por esse presente. Sei que será o melhor pai do mundo. P. S: Te amo! ❤️

T/N ”

Eu ia ser pai. Eu já era pai. Eu ia ter uma filha. Uma princesinha. A nossa princesinha... é muito pra assimilar.

...

Olho um ponto qualquer em minha frente. O mesmo ponto que estou olhando há pouco mais de uma hora. Continuo sem receber notícia alguma e confesso que já estou ficando louco. Mexo minhas pernas freneticamente, mais nervoso do que nunca.

- Erick: Christopher, relaxa cara! 

- Zabdiel: Logo alguém vem avisar alguma coisa!

Balanço a cabeça descordando. Faz horas que estão me dizendo isso e continuo sem saber nada. Passam alguns minutos e olho para o fim do corredor e vejo um médico falando com uma enfermeira e ela aponta em nossa direção. Meu coração quase salta pela boca e, imediatamente, me levanto da cadeira e corro em sua direção.

- Christopher: Doutor, por favor, me diga algo! Qualquer coisa! 

Os meninos vem correndo atrás de mim e pergunto desesperado 

- Christopher: Como ela tá??

O médico me olha de cima a baixo e não sei interpretar sua expressão 

- Médico: Vocês são os familiares da T/N?

Concordo imediatamente com a cabeça, mesmo que não seja totalmente verdade. Para mim, a T/N é sim minha família, meu todo mas tecnicamente não temos nenhum vínculo familiar. Mas agora não importa... só quero saber como ela está. 

Calma ai, porra, é lógico que temos um vínculo familiar: temos uma princesa pra cuidar. Eu vou pai. Antes que ele respondesse algo, cortei ele e Zabdiel segurou meus braços achando que eu ia partir pra cima do médico. 

- Christopher: Doutor, minha filha! Como tá minha filha? Minha mulher tá grávida! Tá tudo bem com a bebê? 

Ele tira os óculos e guarda no bolso do jaleco e isso já me dá um desespero enorme 

- Médico: Quando sua mulher chegou aqui, estava com uma hemorragia inteira e precisamos fazer a cirurgia pra tirar a bebê. Eu sinto muito mas ela nasceu morta e não tinha mais nada que poderíamos fazer. Meus sentimentos! 

Comecei a chorar tudo de novo. Não é possível que essas coisas estejam acontecendo comigo. Eu estava acabado por conta do acidente e do nada eu descubro que vou pai e crio esperanças para que um cara a destrua minutos depois. 

- Christopher: Mas a T/N tá bem?? Por favor, diz que sim! 

- Médico: Eu quero dizer que ocorreram imprevistos e complicações durante a cirurgia e eu fiz tudo o que pude!

O que ele tá tentando me dizer?

- Médico: No início a cirurgia estava saindo perfeita mas...

Ele suspira 

- Médico: Depois de algum tempo seu coração não aguentou mais e parou! 

Fico olhando estaticamente para o homem de branco a minha frente. Não. Não é possível. Não pode estar acontecendo o que estou pensando... sinto a mão de alguém em minhas costas, acariciando lentamente.

- Richard: Sinto muito irmão...

Richard diz e o encaro atônito. Não. O que ele está dizendo? Me afasto de golpe dos meninos e me aproximo do médico.

- Christopher: Que diabos você está tentando me dizer?

Pergunto com raiva, prestes a explodir! Esse louco estava insinuando que a T/N morreu, que a minha T/N morreu. Isso é impossível! 

- Médico: Sinto muito. A T/N não aguentou a dor. Ela perdeu muito sangue e a ferida deixada em sua cabeça era muito profunda. Se tivesse algo que eu pudesse fazer, juro que eu teria feito!

Disse me encarando com pena 

- Christopher: Está dizendo que... a T/N... o meu amor morreu?

Pergunto confuso e sinto meu peito se acalmar. O médico apenas confirma com a cabeça e depois disso eu não sinto nada. Tudo fica preto a minha volta, não ouço sons e não vejo nada além do último sorriso que ela me deu. Realmente era uma despedida. O meu amor foi embora. Sinto um vazio tomar conta de mim e meus joelhos cedem violentamente e, já em contato com o chão, as lágrimas e a saudade tomam conta do meu ser.

Isso não pode ser realidade. Ela não ia me deixar dessa maneira. Ela foi e levou minha bebê. E agora? O que vai ser de mim? Agarro minhas pernas no chão e grito desesperado mas logo meus gritos se transformam em lágrimas. Se eu soubesse que ontem seria a última vez que eu a veria....

Talvez eu teria apertado ainda mais nosso abraço... talvez eu a tivesse beijado por muito mais tempo... eu a teria feito minha. Se eu soubesse que ia ser pai, jamais teria deixado ela ir embora do hotel sem mais nem menos de noite. 

Mas eu não sabia... não sabia que ia ser a última vez. Não sabia que ia ser um adeus... 

* Dez anos depois 

Caminho lentamente pelo cemitério, olhando entre a multidão de rumbas, procurando uma em particular. 

Apenas a vejo, me aproximo lentamente a ela, trazendo comigo minha filhinha. Ela foi um presente que Deus me deu depois de anos de sofrimento. 

Há oito anos atrás conheci uma moça chamada Sarah, minha esposa, e não sei como mas me apaixonei por ela. Depois da T/N, pensei que nunca ia encontrar outra pessoa. Pensei que minha vida tinha terminado quando o coração dela parou de bater mas não foi bem assim.

Talvez, quero dizer, eu tenho certeza de que foi a própria T/N que, desde lá de cima, me guiou e me ajudou a encontrar minha atual esposa. Provavelmente ela quis me dar de volta a felicidade que a morte dela e da nossa filha me tiraram. E tenho certeza também que foi ela quem me mandou o pequeno anjinho que, agora,  aperta minha mão forte.

Minha filha, a coisa mais linda do universo, obviamente não poderia ter outro nome. Não pude evitar chamá-la de Luce. É uma palavra em italiano que significa “luz”. E luz era o que T/N significava pra mim.

Ela era minha luz, e por isso em honra a T/N, pus esse nome em minha filha. Porque ela trouxe de novo a luz na minha vida, a luz que a morte da T/N havia apagado.

- Luce: Papai, chegamos?

Pergunta curiosa olhando ao seu redor.

Sei que provavelmente trazer uma menininha de seis anos a um cemitério não é algo bom mas eu quero que ela conheça a pessoa que mais amei na vida.

- Christopher: Sim, meu amor, já chegamos! 

Digo me ajoelhando em frente ao túmulo de T/N. Olho sua fotografia e algumas lágrimas se formam em meus olhos. Seu lindo sorriso ainda não se apagou da minha mente. É a última coisa que vejo todos os dias antes de dormir e a primeira que me faz acordar. 

- Christopher: Essa é a T/N!

Digo e minha menina me olha curiosa 

- Luce: Que nome bonito! 

Diz olhando pro túmulo 

- Christopher: É verdade minha princesa. É um nome tão bonito quanto o seu! Deixa o papai te contar uma história... eu escolhi seu nome em honra da memória dessa pessoa que foi muito especial pra mim!

Ela me olha com grandes olhinhos e volta a encarar a foto de T/N

- Luce: Ela era muito bonita...

Disse tocando o rosto de T/N na foto 

- Luce: Era sua amiga? 

Mordo meus lábios tentando não chorar.

- Christopher: Na verdade, ela era mais do que uma amiga... era minha namorada! 

Luce me encara com os olhos arregalados 

- Luce: Namorada? E a mamãe? Você era namorado dela e também estava com a mamãe?

Me pergunta atônita e eu ri 

- Christopher: Não meu amor, sua mamãe eu conheci depois! 

Ela continua me encarando sem entender nada 

- Luce: Depois quando?

- Christopher: Depois que... a T/N morreu...

Digo com um pouco de dificuldade mas uma pequena lágrima escorre dos meus olhos. A limpo imediatamente antes que minha filha veja. Não quero que ela me veja chorar. Infelizmente já é tarde porque quando Luce se dá conta de que estou chorando, se joga em meus braços e me dá o que ela chama de “abraço de urso”.

- Luce: Não chora papai!

Diz me apertando com força enquanto minhas lágrimas caem sem controle.

- Luce: Você sempre diz que as pessoas grandes não choram, então você não pode chorar porque você é uma pessoa grande!

Dou um risinho enquanto seco as lágrimas, tentando controlar meu estado emocional. Mesmo depois de tantos anos, a T/N ainda mexe comigo. Luce se afasta e me encara triste.

- Luce: Você gostava muito dessa moça? 

E antes que eu responda ela faz outra pergunta 

- Luce: Fica tranquilo, pode me contar... eu não vou dizer nada pra mamãe!

Sorrio perante a sua inocência.

É o ser humano mais puro e lindo que encontrei em toda a minha vida e estou muito feliz e orgulhoso de poder dizer que é minha filha. Acomodo uma mecha de cabelo atrás de sua orelha.

- Christopher: Vou te contar um segredo mas você não pode contar pra ninguém! 

Ela concorda com a cabeça e presta muita atenção em minhas palavras 

- Christopher: Amei muito essa mulher e ainda amo!

Luce sorri e volta a olhar para T/N 

- Luce: Deve ter sido uma pessoa muito especial pra você se ainda ama ela papai. Queria ter conhecido essa moça!

Suspiro olhando com tristeza para a foto dela 

- Christopher: Eu queria que ela estivesse aqui comigo nesse momento mas sabe? Às vezes a vida te faz passar por coisas muito tristes e você chega a pensar que nunca vai conseguir seguir em frente. Mas lembre-se de uma coisa filha: nestes momentos, você precisa tentar se levantar, colocar seu melhor sorriso no rosto e enfrentar a realidade. Nunca deixe que alguma coisa te impeça de seguir em frente, apesar de tudo!

Ela assente

- Christopher: Pode acontecer de você perder alguém que ame muito mas o importante é que nunca se coloque muito triste e deixe que isso tome conta da sua vida! Não é fácil seguir em frente, mas você deve tentar. Olha pro papai: se eu não tivesse seguido em frente, você não estaria comigo agora. Por isso é importante lutar, porque as coisas mudam, eu te dou certeza... mas depois de um tempo, lentamente a dor vai se transformando em felicidade de novo...

Digo pegando em suas pequenas mãozinhas 

- Luce: Você tem razão papai, mas você promete que nunca vai embora? Eu não quero perder você!

A encaro com um sorriso enorme

- Christopher: Claro princesa, eu prometo! O papai nunca vai te deixar!

A abraço enquanto meus olhos se fixam no túmulo de T/N. De repente, um único raio de sol ilumina sua fotografia. Um sorriso se apodera de meu rosto. Ela sabe de tudo. Ela tá me vendo.

E tenho certeza de que, ao me ver daqui, com minha filinha e finalmente feliz, ela está sorrindo desde lá de cima e sei que continuará me guiando desde lá por toda a minha vida... 

T/N, P.S: Te amo! ❤️


Notas Finais


MUITO OBRIGADA a todos que leram, curtiram e comentaram e até mesmo aqueles que só liam por fora. Se não fosse vocês, essa história nunca teria saído.
Sei que demorei a postar a capítulo e peço desculpa por isso mas eu estava tentando deixar a história marcante para o final. Por falar em final, ele não existe, nós colocamos um ponto onde tem vírgulas e enxergamos apenas o que queremos ver e não o que querem nos mostrar.
Chris achou que tudo tinha acabado mas mesmo depois de sua morte, T/N continuou com ele e o ajudou a ser feliz.
Não desejo que isso passe com ninguém mas quero deixar aqui o meu recado: NUNCA DESISTAM DOS SEUS SONHOS POR MAIS SIMPLES QUE ELES SEJAM! ❤️
Obrigada por tudo! Amo vocês demais! Espero que tenham gostado dessa história! É uma das minhas favoritas e que, com certeza, ficará para sempre em minha memória! 😭❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...