1. Spirit Fanfics >
  2. Psiquê >
  3. Capítulo VI

História Psiquê - Capítulo 6



Capítulo 6 - Capítulo VI


"Quando ele entra, eu desmorono

Quero que ele mergulhe no meu oceano (mergulhe, mergulhe, mergulhe)

Tiramos nossos rótulos na mesa de café (ei, ei)

São 2 da manhã e acabamos de começar"

– Motivate


Não demorou para as bebidas chegarem. O garçom posicionou cada copo – junto de um abridor para a garrafa – na frente de seus respectivos donos, incluindo a dose de vodka de Tenten.


Líquido o qual não durou nada, pois assim que o garçom se retirou, a Mitsashi virou a bebida.


Ainda espantados, os dois homens na mesa a olhavam fixamente. Também observaram-na pegar a cerveja e abrir, utilizando o anel em seu dedo.


Opala? É você? Perguntou Lee, assustado.


Por que você não usou o abridor? Estava literalmente do lado da garrafa. Foi a vez de Neji perguntar.


Na minha família a gente sempre deu um jeito de abrir. Uma vez meu primo chegou abrir um litrão desses com uma vassoura. O olhar dos dois se arregalaram mais. Mas enfim, né? Vamos beber que ganhamos mais.


A Mitsashi rapidamente serviu os amigos, começando a beber e a conversar sobre o trabalho.



As horas foram passando que nem sequer perceberam. Já estavam no quinto litrão e todos estavam levemente embriagados.


Quem estava pior era a morena, que dos cinco litros, se calculava que dois foram inteiros dela.


Melhor irmos para casa Sugeriu Neji. Daqui a pouco o opala aqui tá morrendo. Aponta para Tenten.


Lee riu e concordou. Tenten concordou logo em seguida, com isso racharam a conta e saíram do bar.


Assim que Lee saiu, indo para a esquerda. A morena segurou no braço do amigo.


Sabe Neji, eu nunca fui na sua casa. Começou falando distraidamente. Eu poderia ir lá hoje, né? Amanhã é sábado e não atrapalharia nenhum dos dois, se você quiser, é claro.


O Hyuuga logo se empolgou, estava louco para apresentar sua casa para a morena, pois isso significava que estavam avançando mais um passo sobre a relação deles.


Claro que sim, sem problema algum, mas não prefere passar em casa para pegar roupas?


Não precisa, não vou precisar delas. Sorriu sacana, o que fez o Hyuuga corar.


Não sabia se aquela ação era efeito do álcool ou se estava ficando louco, porém, o que queria acreditar naquele momento era que a Mitsashi realmente estava querendo transar com ele e puta que pariu, o Hyuuga não poderia estar mais contente com isso.


Rapidamente chamou um uber, que também não demorou para chegar.


Durante o percurso, Tenten se segurou no braço do Hyuuga e descansou a cabeça no ombro do mesmo. Neji queria gritar de felicidade, estava se segurando para não ter um treco dentro do carro.


Chegando na residência dele, ele fez um breve resumo de onde ficava tudo na casa – banheiro, cozinha e afins. 


Eu só quero saber onde fica uma coisa mesmo. O Hyuuga a olhou esperando que terminasse a frase. Seu quarto.


"Puta que pariu!" berrou em seus pensamentos, com essa frase ficou mais nervoso ainda. As pernas chegaram a fraquejar.


Guiou a morena até seu quarto, onde assim que se virou para ela, foi surpreendido com um beijo caloroso.


A surpresa foi tanta que levou alguns segundos para corresponder.


Usando o pé, Tenten fechou a porta do quarto. Neji a segurou pela cintura, e a morena deu um pulo cruzando suas pernas na cintura do maior.


Para não desequilibrar e muito menos parar o beijo, o Hyuuga apoiou a parceira na porta. Levou as duas mãos até a bunda da morena, onde as apertou e desceu as carícias até a coxa.


As mentes dos dois estavam nubladas pelo desejo. Neji perdeu a conta dos dias em que se imaginou naquela exata situação com a morena, já havia aceitado seus sentimentos por ela e no exato momento, era sua chance de demonstrar isso.


Não querendo enrolar mais, o Hyuuga levou a morena até a cama, onde a despiu lentamente, fazendo questão de beijar cada parte do corpo dela.


Em determinados momentos a médica soltava suspiros, que não passavam despercebidos pelos ouvidos treinados do maior.


Quando enfim retirou toda a roupa da parceira, a admirou por um breve momento. se perfeição fosse uma pessoa, seria ela, seus olhos nunca viram uma pessoa tão bela quanto a mulher a sua frente.


Voltou a realidade com um beijo. Em poucos segundos a morena inverteu as posições, ficando por cima da barriga do Hyuuga.


Não é só você que pode brincar. Em seu rosto brotou um sorriso travesso.


Repetindo os atos do parceiro, Tenten começou a despi-lo lentamente, beijando, lambendo e mordendo.


Quando chegou na melhor parte, deu um tratamento especial ao pau do amigo – quase amante –, o chupando com vontade.


O Hyuuga já não sabia mais em que plano estava, mas não queria que aquilo acabasse. A cada levantada de cabeça da morena, era um gemido ou suspiro.


Não aguentando mais aquela prazerosa tortura, Neji puxou a parceira de volta para baixo de si. Se esticou um pouco até sua mesinha de cabeceira, de onde tirou uma camisinha.


A retirou da embalagem e colocou o mais rápido que pôde para não resultar em gravidez futuramente.


Assim que terminou de colocar, o Hyuuga a beijou e enfiou lentamente seu sexo dentro dela.


Tenten gemeu juntamente de Neji.


Caralho. O Hyuuga gemeu arrastado, se deliciando com o quão apertada ela era.


Começou devagar, apenas aproveitando o apertado incrível daquela buceta encharcada. Não demorou muito para acelerar, desejando cada vez mais.


Minutos depois já havia perdido a noção do tempo, sua mente só conseguia focar no prazer e na mulher perfeita à sua frente, fora isso, o mundo não importava mais.


Os gemidos de Tenten ecoavam no quarto junto do som dos corpos de batendo, o que os excitava mais. O Hyuuga já sentia seu orgasmo chegando.


Quando atingiu o ápice, gozou soltando todo o ar que havia em seus pulmões, caindo exausto logo em seguida.


Retirou a camisinha, deu um nó e colocou no chão, jogaria no lixo na manhã seguinte.


Nenhum dos dois acreditava no que havia acabado de acontecer, mas estavam felizes, e isso é o que mais importava no momento.


O silêncio estava começando a se tornar constrangedor para os dois, então Tenten tomou a iniciativa de falar.


Agora estamos oficialmente saindo? Brincou um pouco, o que arrancou uma risada do Hyuuga.


Saindo já estávamos, por mim eu considerava você oficialmente minha namorada. Arriscou um pouco, uma hora teria que tentar.


Isso é um pedido? Se virou na direção dele.


Depende, você aceitaria? Virou o rosto para encara-lá.


Claro que aceitaria, porém, não ouvi pedido.


Isso não é um problema. Aceita namorar comigo? A puxou para um abraço.


Deixa eu pensar. Fingiu estar em dúvida da resposta. Claro que aceito. Deu um selinho no amante. Precisamos comemorar, amanhã vamos sair para beber!


Meu Deus, eu amo um opala. Brincou.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...