História Psycho - Fillie - Capítulo 42


Escrita por: e angelsadie

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Dustin Henderson, Eleven (Onze), Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Steve Harrington, Will Byers
Tags Fillie, Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown, Stranger Things
Visualizações 254
Palavras 1.362
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura amoresss ❤

Capítulo 42 - Quem você escolheria?



Finn..


— Eu vim falar sobre o Miguel, acho que tenho direito de ver meu filho. — Kamille disse como se fosse a melhor mãe do mundo.



Que hipócrita.


— Natália, você pode ficar com o Miguel um pouco por favor? — perguntei estreitando meu olhar para o lado onde ela estava parada feito estátua.



Claro que o silêncio dela significava que estava negando o meu pedido, coisa que ela e nem ninguém devia fazer hoje em dia.


— Você tá surda? — perguntei calmamente.



— Vem Naty, o menino tá sozinho lá emcima. — Noah disse ficando próximo a ela e forçou um sorriso.



Mais uma vez , o Schnapp sabendo contornar uma situação.



— Finn, qualquer coisa sabe que pode chamar né? — Jack trocou um olhar comigo quando disse isso e eu o entendi perfeitamente.



— Claro que sei, mas podem ir.. Ninguém vai matar ninguém aqui.. Eu acho. — disse e voltei minha atenção para Kamille.



Ela estava do jeito que eu havia imaginado, se roendo de medo dos pés a cabeça e não sendo hipócrita.. É muito bom vê-la assim.



Esperei meus amigos saírem dali para enfim talvez acertar minhas contas com essa desgraça.



— Eu já sei de tudo Kamille.. Que você se aproveitou do meu estado há 4 anos atrás,para matar a Sophia e fazer eu acreditar que fui eu. — eu disse enfático e Kamille arregalou os olhos.


— Do que você tá falando Finn? Acho que está surtado mesmo.. O que acha de voltar para o hospital psiquiátrico? — ela me perguntou em tom sarcástico , claro tentando virar o jogo.


— Sua prima não mentiria pra mim, Millie mesmo me contou hoje.. E vejo que ela fez muito bem.



Dessa vez não tem como ela mentir, ela estava totalmente encurralada.


— O que você vai fazer Wolfhard?? Me matar? A mãe do seu filho?


Não me contive e acabei rindo dessa tentativa dela de me comover.


— A única coisa boa que vem de você foi essa criança, sem dúvidas.


— Sabe que a Millie me lembra um pouquinho da Sophia, quem me garante que você não vai fazer a mesma coisa com ela ? Já que você é um psicopata.

— Você é louca, garota ? A única psicopata aquí e você.. Você matou a Sophia! Por inveja porque você nunca vai ser igual ela.. E muito menos igual a Millie.

— Psicopata eu ? Foi eu quem matei várias de pessoas sem dó nem piedade, foi eu quem bateu na mulher que supostamente "ama" por achar que o filho não é seu ? Foi eu quem estava em um hospício ? Eu que comando um gangue de assassinos ? — Vejo uma lágrima sair de seus olhos. - Eu posso ter milhares de defeitos, Finn, mas o psicopata dessa história continua sendo você.

— Cala a sua maldita boca.— Disse com os punhos cerrados.


Kamille já estava me tirando do sério com isso.. Está errada e ainda quer ficar como certa.

— Por que ? Você vai fazer o que ? Vai me bater ? Vai me estuprar ? Ou melhor, vai me matar e botar a culpa em outra pessoa ? — Ela da dois passos em minha direção. — Cadê a sua coragem, Finn ? Vai, me bate, me espanca, seu filho da puta desgraçado!



Juro que me controlei o máximo que pude.. Mas ela já está testando meus limites.

— É isso o que você quer ? Quer apanhar ? pois eu vou lhe mostrar como o psicopata aqui. — Bato em meu peito. — Bate em uma mulher.

Fiquei mais próximo , a ela e dei vários tapas seguidos em seu rosto.



— Seu filho da puta, seu covarde eu te odeio !— Kamille disse gritando e chorando enquanto tentava se defender. Não, eu não estou com pena dela ela merece a morte.. E eu faria muito mais se o interfone não tivesse começado a tocar desesperadamente.



— QUE INFERNO. — Berrei com raiva empurrando Kamille contra o sofá e logo depois ouvi passos vindo correndo da cozinha.


— Finn! É a Millie cara eu vi pelas câmeras lá na cozinha. — Gaten disse afobado por ter corrido.



Revirei os olhos.


— Ela bem que podia ter vindo depois que eu acabasse com a Kamille.. Mas tudo bem.


— O que você vai fazer comigo? — ela perguntou com a voz falha.


— Gaten leva ela pro porão.. Deixa sem água e sem comida.. Até eu decidir o que fazer definitivamente.



[…]


Millie..



Não saber onde minha prima está é terrívelmente angustiante. Preciso saber se o Finn fez alguma coisa com ela, ou se planeja fazer.. Nesse exato momento estou frente aos enormes portões da casa dele.. Casa não, isso aqui parece uma fortaleza de tão grande. Alguns minutos se passaram e finalmente abriram.. E claro que entrei em passos rápidos até a porta principal que por acaso ou por sorte estava entreaberta.


Assim que entrei, vi Finn parado ali com os braços cruzados e aparência tranquila. Como ele consegue ficar assim depois do que eu contei?


— Linda , porque você não me avisou que vinha? Já estava pronto pro meu sono da beleza. — ele disse brincalhão e isso me fez rir.


— Eu decidi de última hora. — falei e andei em sua direção passando meus braços pelo seu pescoço. — Você tá bem?



Finn franziu a testa me olhando confuso.


— Não pareço bem?


Eu ri sem graça.

— Não é isso, é que depois do que eu te contei.. Você reagiu tão desnorteado é estranho te ver assim.



O Wolfhard aproximou seus lábios quentes dos meus e deixa um selinho.



— Sua presença me faz ficar melhor.


Respirei aliviada deixando nossos corpos próximos.


— Que bom meu amor, por um momento eu pensei que a...— travei na hora de falar e Finn se afasta um pouco de mim me encarando novamente confuso.


— Que a?


— Que a Kamille.. Sei lá estivesse por aqui. — soltei e sei lá porque motivo Finn riu.


— Não Mills.. Não estive com ela.




Por um lado isso é ótimo, por enquanto ela está segura.. Eu acho.

— Entendo.


— Bom..vamos mudar o assunto.. Quer dormir aqui hoje?


Querer eu quero e muito.. Mas não posso deixar o Michael por conta da minha mãe o tempo todo.


— Não da amor, eu deixei o Michael com a minha mãe.


— Só essa noite.. Por favor. — ele disse me encarando com aquela cara de anjo.


Finn sabe como me convencer .

— Tudo bem , vamos lá.


Sorri de canto pegando em sua mão enquanto íamos subindo as escadas até o quarto dele.

Ao chegar lá, tirei minha sandália e me joguei na cama enorme e confortável que Finn tem em seu quarto.


— Me faz uma massagem? Meu pé tá doendo . — Pedi e Finn fez uma careta engraçada e logo dobrou os joelhos na beirada da cama. — Você é uma folgada Millie.


Eu ri enquanto ele pegou um dos meus pés e começou a massagear lentamente.


— Só estou aproveitando seu lado fofo.



Depois de massagear meu pé, Finn se deita por cima de mim sem colocar muito peso e começa distribuir beijos ardentes por todo o meu pescoço.. Sinceramente se eu não tivesse de resguardo eu pediria para ele me foder agora mesmo. Com essas simples carícias , Finn consegue fazer meu corpo queimar.




— Quanto tempo mais vai durar esse resguardo? — o Wolfhard me perguntou ainda com os lábios no meu pescoço.



— 25 dias. — respondi e mordi meu lábio logo em seguida .



— Não sei se vou aguentar até lá. — ele disse e logo em seguida colocou sua mão grande por dentro da minha blusa, e vai subindo até meus seios e os apertando com certa força.


— Para com isso Finn.. — sussurrei baixinho com a respiração abafada.


Ele sorri maliciosamente.


— Isso que da ficar tão perto de você assim.



Eu o encarei seriamente e nós dois rimos.


— Você é extremamente ninfomaníaco Finn Wolfhard.



O moreno aproximou sua boca da minha orelha e começou a morder levemente e depois retirou a boca.


— Imagina..


Derepente, Finn começou a me observar como se quisesse me perguntar algo.


— Quer perguntar algo ou falar meu amor? — perguntei enquanto acariciava o rosto dele lentamente.


Finn sorriu travesso e isso confirma minha teoria. — Pode falar .



— Caso acontecesse algo de ruim comigo e com a Kamille, e você tivesse que escolher um lado.. Qual você escolheria? Eu ou ela?

 


Notas Finais


Eita eita.

Beijos 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...