História Psycho || Jeon Jungkook - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jungkook, Psicótico, Você
Visualizações 174
Palavras 1.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Survival, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - Sorry, and kisses





Jeongguk estava feliz, me acompanhava em alguns exames sempre que podia, por conta do trabalho. Mamãe ficou feliz com a notícia, cheguei à pensar que ela largaria aquele homem, mamãe merece algo melhor.


Mas enfim,eu estava escovando os meus cabelos que eu tinha acabado de lavar, quando o Jungkook chegou, — o sujeito deu um “oi pra mim, e saiu. Achei estranho, mas deve ser o trabalho, ser empresário não é nada fácil.


— Tá tudo bem Kookie? — Questionei ao terminar de descer os últimos degraus daquela escada. O mesmo estava terminando uma ligação. — Quem era? — Perguntei curiosa.

— Vou ter que fazer uma viagem à negócios, e eu não queria deixá-la..

—  Eu posso ir junto Kookie, — sorri.

— Você tá grávida, tem seu trabalho.. Quero que fique, e cuide bem do nosso filho, ou filha.— Riu.

— Vai ser tão ruim ficar longe de tí..

— Eu sei meu amor, mas voltarei rápido. Tenho o restaurante para cuidar também, sabe que Hoseok é meio desastrado.

— Dê um voto de confiança no Hope.     

—  Darei sim. — Beijou minha testa.


Triste vê-lo partir, perceber que ele vai embora em algumas semanas.. Mas é necessário.


Estávamos assistindo um filme qualquer em uma sexta-feira, — Jungkook estava concentrado, enquanto eu pensava como eu ficaria sem ele.


De repente senti um enjôo, uma vontade imensa de votimar, não sei oque houve, certamente foi a pipoca que não me fez bem, ou o guaraná de laranja, é eu nem curto muito esse sabor. Jungkook colocou meus cabelos para o lado, para que eu votimasse sem a que deixasse rastros nó cabelo por exemplo, o mesmo estava preocupado com minha saúde. — Quando o enjôo passou e a vontade dê vomitar também, tomei um banho quentinho. Jungkook trouxe o jantar na cama, na verdade eu não havia comido mais cedo, por não está com fome naquele momento.


Está melhor? — Perguntou-me.

— Estou sim, obrigado. — sorri fraco.

— Então podemos dormir agarradihos? — Questionou sorrindo, selou nossos lábios e abraçou-me logo me seguida.

— Claro meu amor, — encostei meu rosto sobre seu peito, ouvindo sua respiração, seu perfume..

— Te amo, — Jeongguk disse enquanto acariava os meus cabelos.

— Te amo Kookie.

     (××××)

Sábado, 9:45 da manhã. 

— Bom dia meu amor, sabe que dia é hoje? — Questionei toda sorridente, estávamos comemorando 7 meses de namoro.
— Como não lembrar? — Sorriu,e até comprei seu presente, quero que use essa noite.
— Pode deixar,— beijei seus lábios e levantei, caminhei até o armário, pegando em seguida uma calça jeans azul cintura alta, e rasgada nos joelhos, tudo bem usar calça, até porque a barriga não apareceu, pois bem, peguei um cropped branco com manga, e fui diretamente ao banheiro, Jungkook me acompanhou, como de costume ele me dava um assusto ao entrar sem fazer barulho.


As panquecas estavam deliciosas, — quando terminei escovei meus dentes, coloquei meu salto preto, — deixei meus cabelos soltos, e cada um foi para o seu trabalho.


Na verdade, eu tive que passar em uma loja antes de vim trabalhar, me atrasei um pouco. Mas foi necessário, não podia deixar de comprar o presente do Kookie, não é que eu esqueci, só não tive tempo necessário para comprar, mas enfim, comprei um tênis, e mandei fazer uma blusa com as nossas inicias.


                    XXXXX


— Bom dia (S/A), — Disse Mark.

— Bom dia, — sorri fraco.

— Estou bem, e você?

— Sim, obrigado. Podemos conversar agora que estamos no intervalo?

— Sobre? — Falei, enquanto caminhávamos até a cantina do trabalho.

— Sobre nós dois.

— Não tem mais nós dois, você mesmo quis assim Mark.

— Mas eu preciso te dizer algo.

— Seja breve, — sentamos na cardeira que havia no ambiente, suspirei abrindo o refrigerante de latinha.

— Eu me arrependi muito pelo que eu fiz, e no final percebi que errei, fiquei sem você, sem Akemi. E o pior é que você não vê, que o assasino está diante de você.

— O que você está querendo dizer? — Questionei.

— Jungkook não é quem você pensa. Aposto que o mesmo não comentou sobre seu pai, Jungseok, que namora sua mãe.

Ah, por favor, eu não quero ouvir o que você tem para me dizer. O que a gente acabou.. — Levantei. — Com licença Mark.


Respirei fundo, bebi uma água, e voltei para o meu trabalho. — Sinceramente Mark passou dos limites, Yoongi também. E se Jungseok for realmente pai do Jungkook, a história muda completamente.


Cheguei em casa e Jungkook já estava lá, abracei o mesmo, e beijei-o. — A campanhia tocou, e eu fui atender, era o moço que havia feito a camisa com nossas iniciais.

— Obrigado, — sorri fraco, e fechei a porta.

— Espero que você goste, — entreguei o presente, com eles os sapatos.

— Eu amei meu amor, — sorriu abertamente. — O mesmo me abraçou outra vez, e mandou-me ir até o nosso quarto vestir o tal presente que havia dito mais cedo.


Eu tenho que perguntar sobre essa história. — Abri o presente, dando de cara com um vestido vermelho solto, com decote V, — e realmente Jungkook tem bom gosto. Avistei o salto que veio junto, era branco, como se fosse um cristal.. — Calcei o mesmo, e fui diretamente para a sala, e lá ele estava, vestindo o seu terno vermelho, sorrindo abertamente. Era como se fosse um baile, porém tinha apenas eu e ele. — Ele selou minha mão, curvou-se diante de mim. Sua mão pousou sobre minha cintura, minhas mãos tocaram em seu ombro, e começamos a dançar no ritmo da música. Ele me girava, me fazia sorri, era tão encantador.


Now I'm a fat house cat
Cursing my sore blunt tongue
Watching the warm poison rats
Curl through the wide/white fence cracks
Pissing on magazine photos
Those fishing lures thrown in the cold and clean
Blood of Christ mountain stream

Have I found you?
Flightless bird, climbing, bleeding
Or lost you?
American mouth
Big bill, stuck going down


Ainda com o som tocando, fomos diretamente para a sala de jantar, dançando. Jungkook é realmente incrível, em todos os detalhes.


— Então, está gostando? Eu mesmo preparei o jantar.

Opa, está uma delícia Kookie, parabéns. O estrogonofe tá perfeito, vou até pôr mais um pouco. — Ri.

— Obrigado, mas cê tá estranha, ou é engano meu?

— Descobri algo ao seu respeito, é verdade que Jungseok é seu pai? — Franzi o cenho.

— Quem te disse isso (S/N)?

— Isso não importa, quero saber porque você não me disse sobre seu pai.

— Porque uma pessoa que foi abusado pelo seu próprio pai, obviamente não vai querer tocar na ferida, no passado. Está satisfeita?

— Oh meu amor, não fica chateado comigo. Eu não sabia que poderia ter sido isso, desculpa.

— Tudo bem, a verdade que meu pai é um monstro. E eu não posso fazer nada, eu era apenas uma criança, só tinha 8 anos. — Jungkook levantou, e deu de ombros. — Desculpa, eu preciso ficar sozinho.

— Desculpa Kookie, por favor.. — Fui em sua direção e abracei o sujeito por trás.


Vi Kookie virar, — nossos lábios se encontraram, suas mãos passeavam pelo meu corpo, logo em seguida puxou-me para si.


gosto de como nossos corpos se encaixam
de como teus olhos me devoram
de como nossas peles macias se tocam
e gosto do teu carinho
do teu suspiro
da tua risada
do teu jeitinho preguiçoso
de como me ama do começo ao fim
de como nossos pés são frios juntos
de como qualquer canto vira nosso canto
gosto quando você vem
gosto quando fica
e quando me olha
e diz que ama estar aqui.


— Você sabe o que seu quero fazer com você agora não é? — Beijou meu pescoço.

— E você sabe o que eu mais quero, é ser fodida por você.



Notas Finais


Espero que tenham gostado, cometem sobre, e até a próxima ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...