História Psycho Love - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Imagine Jikook, Imagine Kookmin, Jikook, Kookmin, Yaoi, Yaoi Bts
Visualizações 30
Palavras 1.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amasolhasóquemvoltou,nauémeixmu?
Ksksksks
Desculpem pelo sumiço... Não posso prometer voltar a postar frequentemente, porque minha criatividade ainda tá uma bosta, e continua travada. Apenas peço que tenham paciência comigo, não quero desistir dessa história, então... Não desistam de mim, pufavôzinho!!

É isso, fiquem com esse cap, que eu não sei se tá legal...

Capítulo 15 - Cap. 12


Cookie's Day.

 

P.O.V's Jimin

 

Depois de toda aquela loucura da semana passada, ficamos mais próximos. Jeon e eu sempre estávamos trocando olhares escondidos, mesmo que por pouco tempo. Adivinhem? A BITCH agora tá dando em cima do MEU - futuro - HOMEM! Vontade só de matar essas putas...

Quê? Não venham me julgar... Eu estaria fazendo um favor para a humanidade, me livrando daquele lixo humano. Sou uma alma bondosa, não vêem? 

 

Agora estou me arrumando para mais um dia maravilhoso naquele zoológico na qual chamam de escola.

Já estava pronto, então apenas peguei a mochila, meu celular e fones de ouvido, saindo do quarto após.

 

Essa semana, minha tia teve que viajar para fora do país a negócios. Se estou lidando bem com dormir sozinho naquela casa enoooorme? Claro que sim!

Não, não estou. Tanto que, hoje mesmo, estou partindo pra casa do Hobi hyung, que aceitou de bom grado. 
Melhor pra ele, me poupou de arrancar ovinhos.

 

Tranquei a casa, já que a mesma ficaria vazia. Por falta de moradores na casa, demos folga para os empregados, exceto para o motorista, que ganharia sua folga assim que me deixasse na escola.

 

Entro no carro e ele faz o mesmo, o ligando.

 

Deixo a mochila no meu colo e encosto a cabeça no vidro da janela, olhando minhas redes sociais no celular. 

Tantas fotos de pessoas sorridentes, parecem felizes. Será que essa felicidade é mesmo real, ou é só mais uma encenação?

Olha... Parabéns, sociedade! São grandes atores!

 

Decido ignorar o pensamento, e ponho os fones nos ouvidos. Coloco o aleatório pra tocar e fechos os olhos. " Fool - Winner ", a primeira música da playlist.

 

Gosto de músicas calmas... Nos fazem refletir sobre as coisas, sabe?

Todo dia, me esforço para ser o melhor " eu " que posso, e eu não me considero uma pessoa ruim, mas eu ainda fiz algo imperdoável no passado. Uma coisa, na qual nem eu mesmo vou me perdoar. Matei a única pessoa que me amou nesse mundo.

Omma, perdão.

Uma lágrima escorre.

Lembro do dia em que o cara que contribuiu para o meu nascimento contratou uma empregada, e ela era uma velha amiga da omma. 

Lembro, também, que aquele foi um dos únicos dias em que pude conhecer esse tal sentimento que chamam de " felicidade ". Eu pensei que ela fosse me maltratar, ou algo do tipo, mas... Não! Ela cuidou de mim, e me contou histórias de quando ela e omma eram pequenas. E, minha parte preferida do dia, quando ela me disse que eu parecia muito com a omma. Tanto na personalidade, quanto na aparência.

Foi como se a presença dessa moça, trouxe-se a da omma junto.

Sei que pode ser loucura, mas foi isso que senti. 

Quando ela foi embora, e o homem mau chegou, ele acabou capotando de tão bêbado que estava, no sofá. E eu aproveitei para olhar o quarto dele, ver se tinha algo da omma lá. Acabou que encontrei uma espécie de quarto escondido, onde tinham várias fotos, e coisas dela.

Outra lágrima.

Um quadro em especial, me chamou a atenção naquele quarto... Ela vestia uma vestido longo, na cor azul celeste, que destacava o barrigão que ela acariciava, olhando-o sorridente. 

Mal sabia ela que daria a luz a um monstro que a mataria... Um lixo que faz tudo errado.

E, quando me dou conta, várias lágrimas já escorrem por meu rosto...

 

**************-**************

 

Já no pátio da escola, esperando liberarem a entrada para as salas, me sento em um dos bancos dali e me encosto na pilastra perto dele.

Hoseok hyung ainda não tinha chegado, pelo menos eu não o vi.

Tiro o celular do bolso e mudo de música. Agora tocava " Lies - BIGBANG "

— I'm so sorry, but I love you da geojitmal... – Canto baixinho, olhando o celular até sentir mãos cobrirem meus olhos.

E como Park Jimin não é nada escandaloso...

— AH, PORRA! ME SOLTA! SOCORRO, SEQUESTRADOR!! – Gritei, me debatendo contra o corpo da pessoa atrás de mim. – Pera, que cheiro bom é esse? – Falei parando de me debater e corando ao perceber o que tinha dito e ao escutar o possível sequestrador rir da minha frase.

JK: Quanto drama... Sou só eu, Minnie. – Disse, se sentando ao meu lado depois de me devolver a visão.

— Seu idiota! Quase me mata do coração! – Digo emburrado, fazendo bico, o que o fez rir mais. — DO QUE TÁ RINDO, SEU BABACA?! 

JK: É que... Eu posso fazer isso de outra forma, que eu tenho certeza que você iria gostar. – Piscou sorrindo, e adivinha? Eu corei, como sempre.

— Idiota! Aish... Seu... Seu... Sequestrador babaca! – Digo, disferindo socos contra seu peitoral, machucando minhas mãos, o que só o fez rir mais. – ALÉM DE SEQUESTRADOR, AINDA É AGRESSOR! EU VOU TE DENUNCIAR, JEON JUNGKOOK! 

Me levanto, tentando ir embora,

Mas só tentando mesmo.

JK: Ei, espera aí! – Disse, me segurando e puxando de volta, fazendo com que eu me sentasse novamente.

— Ai! Jeon, não quero papo contigo. – Revirei os olhos, me virando de costas para ele e cruzando os braços.

JK: Aish, Minnie... Estou tão entediado...

— Tá, e eu com isso? 

JK: Ah, é assim? Então, já que não se importa, vou fazer companhia a sua irmã... Ela parece tão sozinha... 

Quando morre... Não sabe o porquê.

— O que você quer, Jeon Jungkook? – Respiro fundo, me virando de frente para ele de novo.

JK: Mata aula comigo? – Sorriu, se levantando.

Sabe aquele momento que te dá um ataque de riso, na qual você parece uma gazela com fogo no cu? Então.

— KKKKKKKKKKKKKKKK. QUÊ? – Falei, depois de respirar e parar de rir aos poucos.

JK: Mata aula comigo, ué. – Deu de ombros, me estendendo a mão.

— Tá bom. – Disse, simplista, pegando a mão dele, ainda rindo um pouco.

 

-----------------,------------------

 

Jungkook me levou para a terraço da escola. Era vazio, um pouco sujo, e triste. 

— Por que me trouxe aqui? – Perguntei, me aproximando da beirada, olhando a vista. 

Tá, até que não é tão ruim aqui em cima.

JK: Já disse... Vamos matar aula. – Disse óbvio, se aproximando de mim com um pacote com cookies. — Quer? –Estendeu na minha direção e eu dei de ombros, pegando um.

— Tá... Mas o que vamos fazer aqui? – Falei, me sentando encostado na mine parede que delimitava o " chão ", com uma queda que tiraria a vida de qualquer um que pulasse dali.

JK: Conversar. – Se sentou ao meu lado, pegando um dos cookies e começando a comer. — Então... Eu quero saber mais de você. 

— Não tem muita coisa interessante pra saber... – Digo, fazendo um biquinho pensativo. — Meu nome é Park Jimin, como já sabe... Tenho 17 anos, e sou uma pessoa deveras desinteressante. – Sorri, por fim, comendo o cookie. — Sua vez. 

JK: Ah, mas disso eu já sabia! – O olhei indignado com a audácia, logo dando um soquinho no ombro dele, que riu. — Desculpa, mas quero fatos que eu já não saiba. 

— Tá me investigando, seu gangster? – Semi cerro os olhos para ele.

JK: Você fica fofo assim, sabia? – Sorriu, dando um beijo na minha bochecha.

— Ya! – Corei um pouco, abaixando a cabeça, acabando por sorrir, mas desfazendo meu sorriso assim que percebi que ele não tinha respondido minha pergunta. — Você não me respondeu! – Digo, emburrado. 

JK: Por que quer saber disso? – Perguntou com a sobrancelha arqueada.

— Vai que você manda alguém pra me matar? – Dei de ombros.

Ele riu.

JK: Hm... Bem, talvez, só talvez, eu esteja interessado em você. -- Sorriu.

 


??: Senhor Park? Senhor Park, acorde!!

 

Abri os olhos, vendo a escola pela janela do carro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo não passou de um sonho?


Notas Finais


Bem... Desculpem pelo cap ruim, prometo tentar melhorar...
Se quiserem me dar alguma dica pra fic, podem opinar... Estou aceitando.
Sorry pelos erros, concerto depois.
É isso, até o próximo... me digam se estão gostando, é importante pra mim...

~~Chu!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...