História Psycho(M.M) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Halloween
Personagens Personagens Originais
Tags Halloween
Visualizações 6
Palavras 1.341
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Especial de Halloween


Fanfic / Fanfiction Psycho(M.M) - Capítulo 5 - Especial de Halloween

~S/n~   * flashback *

hoje é Halloween, mal posso esperar pra coloca a Minha fantasia e ir pedir doces e fazer pegadinhas com as outras crianças, me sinto empolgada só de imaginar eu  fazendo isso.

Hoje é um feriado de sábado e eu tô ajudando a minha mãe a fazer alguns doces caseiros, eu digamos que sou boa nisso, eu amo cozinha, isso me trás paz.-S/n, querida. Me passa o açúcar por favor, meu anjo?-ouso minha mãe fala e saio dos meus devaneios.-Seu pedido é uma ordem chefia!-eu faço um sinal de quando um soldado comprimenta seu superior brincando e ouso risadas vindo de minha mãe e assim eu passo o açúcar pras mãos dela.-hehe, muito boa saldoda.-ela diz pondo um pouco do açúcar que eu lê entreguei na massa dos biscoitos que estamos fazendo.-e então, você nunca pensou em fazer nenhum amigo, querida? Faz tempo que moramos aqui na Califórnia e eu nunca vi ou soube de algum amigo seu, você se sentir bem ficando sozinha a maior parte do tempo?-ela me olha com um olhar de desânimo pois minha mãe sempre quis que eu interagisse com alguma pessoa da minha idade, mas simplesmente nunca conseguir sentir empátia ou me sentir confortável com mais ninguém, só com meus pais.-eu não ligo muito pra essas coisas, mamãe, tendo você e o papai já é o suficiente.-digo sincera e inocente, nessa época eu tinha 5 anos, mas eu era diferente das outras crianças, minha mãe sempre dizia isso.-mas meu amor, você sabe que mamãe e papai não vai estar aqui pra sempre pra você.- ela acaricia meus cabelos curtos  com seus perfeitos cachinhos me olhando gentil. 


Mal sabia eu que aquele dia seria o último que eu passaria com ela.

Quando mamãe fez todo o processo de preparo da massa, ela ajeita tudo direitinho e coloca a forma na geladeira.

Nós esperamos pacientemente até que tudo esteje pronto logo é hora de tira os biscoitos do forno e eu ajudo a minha mãe a confeita-los fazendo carinhas neles,minha mãe põe eles na geladeira e ouvimos o som da companhia tocando.-eu atendo!-falo já correndo pra atender, quando eu chego na porta e a destranco eu vejo homens de túnicas pretas na porta e eu de primeira os estranho.-Pois não, senhores. Oque os trazem aqui?-pergunto tentando ser educada.-Você é S/n, garotinha?-um cara careca bem alto de óculos escuros com uma tatuagem estranha no pescoço pergunta.-Sim, eu sou. Por que?-isso estava ficando estranho de mais.-poderia vim comigo?-ele pergunta me encarando, antes que eu possa responder eu ouso minha mãe grita atrás de mim.-SAIAM DE PERTO DELA! VOCÊS NUNCA IRAM CONSEGUIR TÊ-LA!-minha mãe rapidamente me puxa e fecha a porta com uma rapidez e tanto.-quem eram eles mamãe?-eu pergunto intrigada.-olha, meu amor, mamãe vai explicar tudo pra você, tá legal? Mas antes você tem que sai daqui.-ele pega minha mãe e saímos correndo chegando no quarto dela e mamãe faz um negócio que faz a parede mexe, abrindo uma entrada secreta.-mamãe precisa que meu anjo se esconda aqui dentro, tá me ouvindo? Eu não quero quê você saia, seja lá o que você chegar a escuta, você ficará bem se obedecer, mamãe ama você...-ela diz com lágrimas.-eu...-já chorando antes de eu dizer que a amava ouso um estrondo alto na porta da frente de casa e minha mãe me empurrou rapidamente pra dentro do esconderijo e o fecha.


~mãe de S/n on~ 

Eu consegui escondê-la deles, eles são malditos adoradores de Zalgo, um Demônio que me relacionei.. eles a querem, porque assim como Zalgo, S/n é bem mais poderosa do que ela mesma se dê conta, eu não irei permitir que eles a peguem, ném que eu morra pra isso. Não demora e ouso a porta daqui do quarto ser arrombada com um chute, eles me olham.-Cadê a garota, Margarety?- space, uns dos principais admiradores pergunta já se aproximando em minha direção me olhando bravo.-Me mate... Porque nela vocês não vão chegar perto!-digo.- tcs! Vadia arrogante!- Space me dá um soco no rosto fazendo meu nariz sangra, ele chuta meu estomago diversas vezes e eu cuspo sangue em seus sapatos, ele chuta meu rosto por isso e eu gemo de dor.- porque você faz que as coisas sejam difíceis ein? Oque vai te custar dizer onde ela tá? De qualquer forma a garota não morre, por ela ser uma semidemônio... Você é egoísta, com um ser com tanto poder você preferir o escondê-lo.-ele agarra meu coro cabeludo com tanta força que eu solto um gritinho.-ugh! Querer proteger alguém que você ame mais que tudo nesse maldito mundo é um crime? É egoísmo querer isso, que a pessoa esteje segura e bem, longe de pessoa aproveitadores feito vocês!-praticamente cuspo cada frase.-Já chega, vadia, o nosso chefe doutor Loomis não aguenta espera pra a garotinha ser pega e não quer realmente colabora... Ok, sua morte será agora!-dizendo isso ele quebra meu pescoço sem se importar e meu corpo cai sem vida alguma no chão.

~Space on~ 


Já que a vadia não falava logo de uma vez onde tava a pirralha encapetada, eu a matei, assim não perderíamos tempo com ela, eu e meus colegas começamos a procura por outros lugares que talvez a ratinha mirim estivesse, mas nada dela aparecer, de tanto procura nos desistimos por enquanto, a gente tinha revirado esse maldito lugar até demais.- droga!! Ok, vamos deixa quieto por agora, ela não deve tá mais nessa casa, vamos caça-la em outra hora.-e com oque eu disse eles concordam e nós saímos daquele lugazinho de quinta.

~S/n on~


Como as vozes tinha sumido eu decido sai do meu esconderijo.


Pra que eu fui fazer isso Meu Deus?


Quando eu saí ... Eu vi algo que me deixou em choque.


Minha mãe estava caída no chão cheia de hematomas...eu corri pra ela e desabei chorando mais do que já chorei na minha vida.


Tava chorando tanto que ném notei que vários objetos flutuavam em volta de mim.


~flashback off~

-eu gosto muito de você também, S/n!-Dizia Michael sorrindo com um sorriso lindo verdadeiro me dando um forte abraço de urso mas ao mesmo bem carioso, eu do nada por ter lembrado do dia terrível que minha mãe foi morta passo até lágrimas nos meus olhos.-H-hey? Que foi? Foi algo que eu disse?-Michael sentiu uma lágrima minha que caiu em seu ombro.- Não.. eu só.. sinto falta da minha mãe.. sabe? tiraram ela de mim, Michael... Prometa pra mim que sempre estaremos juntos pra oque dê e vier?-eu pergunto meio emotiva.- lógico! Eu não vou te largar por nada nesse mundo!- ele beija a minha testa e limpa minhas lágrimas com o dedão gentilmente.-hehe, eu ando muito frágil ultimamente, bem, você quer ir pra casa?-eu tento dá um sorriso.- claro, tá ficando tarde.-ele diz.


E assim fomos, chegando na rua de nossas casas eu corro pra dentro e vou diretamente pra o meu quarto pegando a mochila de Michael que estava no meu quarto e o entrego.- Você vai fica bem? -ele pergunta preocupado.- vou sim, fique tranquilo.-eu beijo o canto de sua bochecha e ele cora.- Ooow fofo, hehe..-eu brinco vendo isso dele.- aaaa, não sou nada sua chata!-ele me dá um peteleco na testa- Aiiii caralho kkkk pra que essa agressividade toda?-eu rio em frustração.- pra para de mim chama de fofo.-ele me mostra a língua.-uuuh, se amostra a língua assim isso tá me cheirando  convite pra beijar.-eu brinco de novo e ele cora mais ainda, como nunca ele tinha corado antes...-aaa não dá pra brinca contigo! Já vou indo tchau..-ele diz se apressando e beija minha testa novamente e sai correndo disparado pra sua casa, "uê? Que tímido ele..." Eu entro na minha casa e subo pra o meu quarto e me jogo na cama e desmaio de cansaso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...