História Psychopath in Love - Kim NamJoon BTS - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXID, EXO
Personagens Chanyeol, Chen, Hani, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Solji, Xiumin
Tags Amor, Bts, Drama, Exid, Exo, Romance, Sadomasoquista, Tortura, Violencia
Visualizações 67
Palavras 1.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii :3

perdão pela demora! queria muito fazer fanfics em temas diferentes, mas não tenho idéias tão boas. mas, vamos lá!

será que ela vai se render?

boa leitura😍

Capítulo 17 - Paixão?


Fanfic / Fanfiction Psychopath in Love - Kim NamJoon BTS - Capítulo 17 - Paixão?

Eles novamente? O que querem comigo agora?

Entrei em seu carro, TaeHyung saiu cantando pneu.

Um longo tempo depois chegamos, a um barraco, longe de tudo.

— Onde estamos?

— Esconderijo, ninguém nem faz ideia desse lugar. E, (s/n) precisamos conversar..

— E-Eu não vou entrar aí, nem fodendo.

TaeHyung me pegou pelo braço, me arrastando para dentro.

— Senta e colabora.

— Ninguém manda em mim, TaeHyung.

— Senta aí porra.-diz XiuMin.

Me sentei na cadeira.

A casa era escura, os móveis eram velhos.

— Esse NamJoon é uma pedra no seu sapato. E que porra foi aquela de matar 4 pessoas?

— Primeiramente NamJoon é um conhecido. Segundo, não gosto de pessoas infiel.

— Certo. Mas, você tem noção da gravidade que se meteu, sua maluca? .-diz XiuMin.

Me levantei, fiquei de frente a ele.

— Maluca? Você não faz ideia da merda, que está fazendo, seu bostinha.-digo, séria e fervendo por dentro.

— Vai me machucar? Arrancar minhas bolas? Não tenho medo de você.

Coloquei minha mão em seu saco, esmagando com força, o máximo que eu conseguia.

— Arrancaria.. Mas, não vale apena, encostar minhas mãos nesse seu pau nojento.-digo e solto.

— Você está fodida!

— Quer que eu aperte de novo?

— Chega vocês dois! Parecem crianças.

— Me poupe, TaeHyung!

— (S/n)! Preciso que você se afaste de NamJoon.. Outros sociopatas podem acabar machucando ele, para lhe pegar e isso é perigoso para qualquer um, que possa lhe ajudar.

— Tá, e daí?

— Não entendeu? Se pegarem NamJoon você morre.

Dei de ombros.

— Posso voltar para a minha casa?

Ele segurou meu rosto, olhando em meus olhos.

— Presta atenção porra. Eu! Eu sou seu irmão, e não vou deixar ninguém machuca-lá.

Soltei suas mãos de meu rosto.

— Já me machucaram, TaeHyung, e você não estava lá, para me ajudar.

Saí, peguei a estrada andando.

...

Uma longa caminhada depois, cheguei em casa a noite. 

Subi para o meu quarto, tomei um banho.

Uma Semana Depois

Se passou uma semana.. As vezes penso, o que eu fiz da minha vida? Será que vale apena arriscar um novo amor?

Hani não vai desistir de me prender.. Parece que ela está obcecada!

Mensagem

— Ei, mocinha.. Podemos sair para conversar?

— Mocinha é o caralho! Quem é você?

— Respondendo com outra pergunta.. Aish.. Por que me apaixonei por uma garota tão marrenta? Não consegue nem adivinhar?

— Hmm.. Não! Não quero mais saber também, e se continuar a perturbar, vai ser ruim para você.

— Não seria capaz de machucar alguém que te ame de verdade.

— Ah, claro, você me ama? Que pena! Está amando, alguém que não sabe, o verdadeiro significado de ser amada.

— Me de uma chance, eu lhe prometo, te mostrar que o amor não é esse bicho de sete cabeça..

— Beleza NamJoon! Me encontra daqui 15 minutos, na praça aqui perto, tem uma sorveteria, estarei lá.

— Não irei lhe decepcionar.

Off

— Ele não desiste? Quem iria amar alguém como eu? 

Subi para meu quarto, me sentei na cama, fiquei observando a riqueza, a vida que alcancei.

Sempre fui sozinha.. Nunca fui amada de verdade.. Fui traída pelos meus próprios pais.. Eu realmente não tenho ninguém para confiar.. Nem mesmo em TaeHyung.

...

Vesti um shorts e um cropped, saí normal de casa e fui encontrar com NamJoon. Chegando na praça lá estava ele..

Não posso negar.. Ele é.. lindo.

— Ei! .-me aproximei.

Ele parecia tímido.

— (S/n) achei que não veria.-ele sorri.

— Não tenho motivos para não vir.-digo sorrindo.

— Espero que esse sorriso lindo, eu possa ver sempre que lhe ver.-ele diz.

— Quem sabe.-digo mais séria.

NamJoon se aproximou e segurou minha mão.

— Sei muito bem, que será difícil conquistar, que será sofrido para mim.. Mas, desde que lhe vi, não parei de pensar, Ignorei todas as garotas que querem ficar comigo. Sei que é clichê dizer tudo isso, mas é sincero! Eu gosto de você (S/n).

Sorrio sínica.

— Vamos com calma, ok? Eu sou uma psicopata, mas não significa que não tenha sentimentos ou coração.

Ele me olhava, seus olhos brilhavam.

— Eu não quero machuca-lo. NamJoon você parece ser uma ótima pessoa, por que, quer tanto se envolver com alguém como eu? Olha só para os noticiários.. Por toda parte, as pessoas falaram de mim, as pessoas tem medo.. Tem medo como se eu fosse um monstro, no qual realmente me tornei..

— Não me importo com o que você faz ou deixa de fazer.. Sinto que aí no fundo, tem alguém divertida, que apenas precisa de ajuda para ser alguém melhor, que apenas precisa de alguém em quem confiar.. Não sou um psicopata, mas sei a dor que sente.

— Não NamJoon.. Você não faz ideia. O que fizeram comigo foi desumano.. Foi algo além de uma tortura psicológica, algo que nenhum ser humano, seria capaz de ter uma consciência limpa.

— Então, me conte, confie em mim.

FLASHBACK

Manicômio

Esse lugar é imenso, impossível fugir, impossível mais ainda sair com um psicológico intacto.

...

Estava caminhando pelo jardim enorme. Escutava gritos desesperador das janelas dos quartos.

— Esse lugar está me deixando.. Completamente insana.

Vi dois médicos vir em minha direção.

— O que foi, que eu fiz?

— Tratamento de choque.

— O que? Não.. Não, por favor..

Os dois médicos me arrastaram para dentro, me amarraram em uma cadeira de todas. Eles me levaram por aquele enorme corredor, os outros médicos nem olhava, os pacientes, me olham assustados.

— Por favor.. Não façam isso..-eu dizia chorando e desesperada.

Chegando em uma das pernas, eles me ergueram e descemos uma escada não muito longa.

Me tiraram da cadeira, tentei fugir, mas seguraram. Novamente fui amarrada, porém em uma maca.

— Não.. Por favor! Por favor!!

Um dos médicos colocou aquele negócio em minha cabeça, senti o primeiro choque. O segundo. No terceiro estava forte, desmaiei.

...

Acordei em meu quarto.

— Eu preciso sair desse lugar.. Isso não é normal, é totalmente desumano. Sem total piedade.

Iria levantar, uma médica entra, me força a tomar o remédio, não engulo, logo ela saí. Cuspi o remédio no vaso e dou descarga.

Off

— E-Eu sinto muito..-ele diz assustado.

— Tudo bem.. Já passou..

...

Depois de conversarmos, fomos ao parquinho, brincavamos feito criança.

Nunca me senti tão feliz na vida.

Estava em um balanço.

— NamJoon! .-digo, rindo.

Ele empurrava rápido. NamJoon se sentou em outro, ao meu lado.

Balançavamos e riamos. Como se fôssemos crianças.

Depois de brincar, me sentei no banco, ele tinha saído dali, logo voltou com dois sorvetes.

— Chocolate e leite condensado.

— Meu favorito!

Estou me apaixonando novamente?

— Obrigada!

Ele sorri, suas covinhas aparecem.

Nos levantamos, enquanto tomamos sorvete, fomos caminhar.

— Então, (s/n)..

— Hm?

— Terei essa chance?

Não consigo responder.

Ele parou, me olhava nos olhos.

O sorvete acaba, eu estava toda lambuzada, NamJoon pegou o papel, passando em meu rosto.

Ele se aproximava.. Nos beijamos.

Coloquei minhas mãos em seu rosto, correspondendo.

Ah, NamJoon.. O que você está fazendo comigo? Não posso me entregar.. Mas.. Ele está sendo tão atencioso, tão amoroso..

Paramos o beijo, o abracei.

NamJoon me colocou em seu ombro, me pegando de surpresa.

— Kim NamJoon! Perdeu o juízo?

Ele ri.

Voltamos para minha casa.

Chegando, ele me colocou no chão, bati em seu peito, ele me dá um selinho inesperado.

Vai até a minha cozinha, pede algo para comermos, me puxa até o sofá, nos sentamos, ele colocou em um filme de suspense.

Me abraçou, apoiei minha cabeça em se peito.

Obrigada.. Fazia anos que não me sentia.. Feliz.

Ele beija o lado de minha cabeça. Segura minha mão acariciando.

Se você deixar, nunca mais se sentirá na escuridão novamente, estarei sempre ao seu lado.

Será? Tenho medo..

A campainha toca, ele levanta, atendendo a porta. Paga o moço, trás a pizza até mim, comemos enquanto víamos o resto do filme.

Que esse momento não acabe.. Minha cede de sangue não sinto mais. Pelo menos com ele ao meu lado.


Notas Finais


será que NamJoon consegue muda-lá?

até a próxima :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...