História Psychos And Suicides - Capítulo 8


Escrita por: e Hauk

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Assassinato, Drama, Morte, Policial, Psicopata, Psychos And Suicides, Romance, Sociopata, Suicida, Suícidio, Suspense
Visualizações 6
Palavras 1.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - VIII - Será Que Acabou?


Pov's Ethan

Eu e a Anny chegamos em casa, penso eu que o Thiago e a Letícia irão chegar logo, já que estavam vindo com o carro um pouco atrás de nós.

Abri o carro e carreguei a Anny, vê-la daquela forma me deu raiva, na verdade é um sentimento tão "estranho" que não acho que seja apenas a raiva em si envolvida.

A Levei até o quarto onde dormimos na noite passada, dentro dele havia um banheiro. Fui até lá e tirei o casaco que eu havia colocado na mesma, ela não estava mais desmaiada, estava ciente do que estava acontecendo mas ao mesmo tempo parecia estar em uma éspecie de "transe." 

Liguei o chuveiro e dei um banho nela, fui a limpando devagar para que ela não sentisse tanta dor com todos aqueles ferimentos ali. Eu realmente devo gostar dela, afinal eu nunca me imaginei fazendo algo assim por alguém. 

Terminando todo aquele processo, a enxuguei e a vesti, e coloquei-a na cama. Agora eu me sentia menos preocupado, ela estava perto de mim. "Agora irei tomar um banho". - Pensei.

Pov's Anny 

Finalmente me senti solta, solta daquele estado estranho, senti como se estivesse acordado depois de muito tempo dormindo. O cheiro de lavanda que vinha da cama me deixou mais calma, eu estava em casa agora. A roupa quentinha, o vento que vinha da Janela. 

Tentei me levantar mais doía muito, olhei para algumas partes do meu corpo e vi o quanto que eles haviam me machucado, o quanto que a Pâmela me machucou. Tentei ignorar apesar da dor, os momentos ali foram tão agonizantes e dolorosos que não quero lembrar. Afinal, ninguém gostaria de lembrar de algo assim, não é?

Tentei mais uma vez me levantar, comecei andando devagar pelo quarto até que resolvi descer.

Pov's Thiago

Comecei a dirigir, a Letícia voltou a cochilar, a dormir pra ser mais preciso. Preciso chegar em casa logo, tirar essa inhaca, a porra desse cheiro de sangue... É melhor eu acelerar, se quiser chegar antes de ficar um breu total. Estou indo a 85km por hora aqui nessa merda, parece, que eu estou quase voando, mas não estou.

Chego no bosque e vou em direção a casa. Paro o carro, abro minha porta e vou em direção a porta de trás onde está a Letícia, abro a porta, chego perto dela e pego ela no colo, vou em direção a casa. Ela estava aberta, acho que eles chegaram... Entro em casa, vou em direção ao quarto, deito a Letícia na cama.

Vou até o banheiro do quarto e preparo algumas coisas para dar um banho nela e depois fazer alguns curativos, terminando ali fui buscá-la e fiz todo o processo. Ela via tudo, devia estar sentido tudo, eu diria. Mas parecia estar "fora de si". 

Preparei alguns panos na cama, para que ela se sentisse mais confortável e melhor, a enxuguei e a vesti. Logo depois coloquei ela na cama.

Agora quem precisa desses cuidados sou eu. Quem diria que eu me preocuparia mais com uma garota do que com a minha própria arma.

Pov's Letícia

Vi Thiago ir até o banheiro tomar banho, mas eu realmente não consigo me mover ou falar demais, tudo em meu corpo dói... Fico tão feliz em sentir "segurança" novamente, e estar aqui de novo. Só de pensar nos minutos e horas que passei naquele lugar me dava ânsia de vômito.

Passaram-se alguns minutos e o Thiago saiu do banheiro, já arrumado e penteando os cabelos. Olhei pra ele, mas ele não viu, Preciso agradecê-lo. - Pensei. Então irei fazer um esforço.

— O-obrig-ada... - Sussurrei.

Ele virou rapidamente pra mim, e sua expressão parecia assustadoramente feliz.

— Que susto do caralho que você me deu. - Ele bufou, e logo depois se aproximou sorrindo. - Fico feliz que esteja bem.

— Fico feliz pela sua aju-uda.- Sorri.

— Achas que consegue se mover? - Ele se sentou na beira da cama.

— Acho que se eu fizer um esforço, sim. - Tentei me levantar mas cai de novo na cama.

— Você é meio bestinha. - Ele riu alto.- Deixe eu te ajudar.

— Cala boca. - Falei e ele riu de novo.

Thiago me ajudou a levantar e consegui andar uns três passos de princípio, apesar da dor consegui andar um pouco melhor depois.

— Agora que consegue andar um pouco melhor, quer descer pra comer algo? - Ele perguntou.

Apenas assenti e descemos.

Pov's Thiago

Eu e a Letícia descemos, ela conseguiu andar alguns passos e me agradeceu por ter feito o que fiz. Senti satisfação por isso, certo que não sou um cara do bem, mas acho que por essas situações que vem acontecendo posso me esforçar.

E ter pensamentos de um cara do bem, com atos de um cara do mal, ou seria ao contrário?

Fomos até a cozinha e preparei um café e tinha alguns biscoitos ali. Amanhã teríamos que dar um jeito de fazer as compras de novo, agora iria todo mundo pra ver se nada disso se repetia, e se viesse alguém, daríamos um jeito.

Logo após eu terminar de fazer o café o Ethan apareceu na cozinha.

— Wow. - Ele olhou pra Letícia. - Já se sente melhor Lety? 

— Um pouco. - Ela sorriu. - E a Anny? Ela já está melhor?

— Eu a deixei descansando. Ela vai ficar bem. - Ele falou enquanto puxava uma cadeira pra se sentar.


Pov's Anny

Desci e vi todo mundo na cozinha, fui devagar até lá e toquei no ombro do Ethan.

— PUTA QUE PARIU. - Ele se assustou e eu ri, logo depois comecei a tossir e todo mundo riu. - Ah não, que susto Anny. Hey mas o que você está fazendo aqui? Era pra estar descansando.

Ele me puxou e me colocou no colo dele, Letícia sorriu e me deu uma xícara de café.

— Fui eu que fiz. Espero que esteja bom. - Thiago disse.

— Tá uma merda. - Ethan riu.

— Falou o cara que tomou 4 xícaras. - Thiago retrucou e eu e Letícia começamos a rir.

— Como se sente, Anny? - Letícia perguntou.

— Um pouco melhor. - Respondi. - E você?

— Dolorida, porém bem.


Conversamos um pouco e levantei pra ir lavar a louça. Mesmo com o Ethan falando que eu não deveria. Letícia foi deitar um pouco, já que ainda sentia dor e fui fazer o mesmo. Enquanto isso, Thiago e Ethan foram pra frente da casa.


Pov's Ethan 

Vim pra frente da casa e o Thiago me seguiu, ficamos um tempo em silêncio apenas olhando ao redor.

— Thiago.- Falei.

— Fala. - Ele olhou pra mim.

— O que acha que vai ser de nós agora? - Perguntei.

— O que sempre foi, a diferença é que tem mais gente envolvida.

— Aí que está. - Suspirei. - Eu não queria que elas estivessem envolvidas.

— Mas estão, o que nos resta é protegê-las. - Ele respondeu sério.

— Quem diria que um dia haveria algo mais importante do que nossas armas? - Falei e ele riu.

— Pois é... - Ele abaixou a cabeça por uns segundos, depois a levantou. - Já prendi a Pâmela.

— Depois verifique de novo. - Falei sério. - Foi no porão, certo?

— Sim. - Ele pareceu pensar por alguns minutos. - Mas até agora fico me perguntando.

— O quê? 

— Depois que ela morrer, Será que tudo acabou? - Questionou.

— Penso eu que esta seria a última alternativa.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...