1. Spirit Fanfics >
  2. Pulsante (jjk-pjm) >
  3. A chegada

História Pulsante (jjk-pjm) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - A chegada


Fanfic / Fanfiction Pulsante (jjk-pjm) - Capítulo 1 - A chegada

Jimin


Por que ninguém me disse que a vida era uma merda? Talvez essa fosse uma informação que não precisasse ser dita com palavras, por que você já vê e sente diariamente.


Mas mesmo assim temos que seguir em frente, mesmo que em alguns momentos tudo seja uma eterna merda, mas essa merda um dia pode melhorar né? Não sei, sinceramente não sei responder, mas se um dia eu achar uma resposta eu direi.


Só queria que meus dias nessa vila acabassem logo, um lugar tão sufocante e tóxico, pessoas que se tratam com ódio e só querem saber de suas próprias vidas, nunca se preocupam com o sentimento alheio, e o que mais me irrita é ver que essas merdas de cavalheiros não fazem nada quando vêem dois camponeses se matando por um mísero pão! Mas não é como se eu, Park Jimin, fosse capaz de ajudar em algo construtivo, a única coisa que posso fazer é separar a briga mesmo que eu saia mais machucado que os próprios causadores da briga. 


O sol entrava pela pequena janela de minha casinha humilde, e não era o mesmo sol de ontem, pois assim como nós, o sol também tem seus dias bons e ruins e várias faces, hoje ele está calmo, não está queimando a pele das pessoas como se fosse um pedaço de carne na brasa, ele está numa temperatura agradável, somente iluminando nosso dia que vai ser difícil assim como todos os outros, além do mais… servir seres tão poderosos como vampiros e bruxas nunca foi fácil né? Mas isso não importa, eu só quero poder chegar na casa de Yoongi logo para podermos ir ver como está nossa mãe.


Andar por essas ruas cheias de terra e barro era horrível, ainda mais com meu uniforme super apertado de dançarino. Dançar era minha paixão desde que me entendo por gente, mas hoje era um dia "especial" pois iria me apresentar com um dos meus amigos para o primeiro transformado de Kim Namjoon. Namjoon era o vampiro mais poderoso da Coréia, e mesmo que ele seja tudo isso… ele nunca transformou ninguém, mas o grande dia chegou, ele é casado com Kim Seokjin, um bruxo mediano que servia a um imperador qualquer do Brasil, e juntos eles tomaram essa decisão, agora tenho que passar na casa de minha mãe para pegar minhas novas sapatilhas já que as antigas rasgaram, o que não me surpreende levando em conta o tanto que as usava.


Chamo ela duas vezes no portão mas sou recebido por seu novo marido, Jaebum, eu não curto muito ele, mas quem dorme com ele é minha mãe, então ela que lute. Entrar e ver o ambiente iluminado por velas e cheio de tecidos da melhor costureira da vila me fez lembrar de minha infância, onde eu vivia a correr e me esconder por entre as tantas variedades de tecidos dispostos nas prateleiras e ao redor da mesa onde minha mãe costurava e bordava.


— Jiminnie! Que bom que chegou, acabei de terminar suas novas sapatilhas — Ver a empolgação na expressão da mais velha enchia meu peito de amor, ela amava o que fazia, e eu amava vê-la feliz. Pego as sapatilhas em tons negros com bordados dourados nas laterais fazendo o desenho lindo de flores, minha mãe sempre colocava amor e detalhes em tudo que fazia, e isso sempre tornava tudo ainda mais significativo.


— Obrigado Omma, eu senti muito sua falta, não tenho vindo com frequência deviado as apresentações, Yoongi já chegou? Esqueci de passar na casa dele — penso em me justificar mas sei que não é necessário, ela sabe o filho que tem, sabe o quão distraído eu sou quando começo a pensar ou lembrar de coisas que me fazem sorrir nostálgico.


— Ele passou aqui mais cedo, disse que iria ver uma amiga que estava com problemas de saúde — De repente o olhar dela se tornou ainda mais iluminado e eu me perdi nele, me perdi naquele olhar repleto de amor que sempre me acolheu nos piores momentos da minha vida, eu tenho uma visão horrível sobre o mundo, mas quando estou com ela… uma estranha esperança se aloja em meu peito, e isso me tira o fôlego, mas jamais quero ver ela perdendo esse brilho — Vocês dois só me dão orgulho - um sorriso lindo surgiu em seus lábios gordinhos - tenho um filho dançarino e um médico, ambos que continuam crescendo e sendo as pessoas que criei para serem, felizes e sempre com essa pureza em cada detalhe de suas ações… — Sempre que ela começa a falar dessa forma eu e ela acabamos chorando, mas hoje eu não posso chorar, simplesmente a abraço e deixo que ela derrame todas suas lágrimas de felicidade, quando nos separamos eu beijo sua testa com delicadeza e carinho. — 

Eu amo vocês filho… - mais uma lágrima - agora vá logo ou vai se atrasar para sua apresentação! — Ela praticamente me expulsa de casa sorrindo boba e me deixando ainda mais bobo, nossa família sempre foi assim… banhada em amor.


Ao chegar de frente para os grandes portões do castelo eu paraliso, é sempre assim, mas é por que sempre me dá uma grande emoção, dançarinos não são bem vistos em outros países, mas aqui… aqui somos respeitados, e jamais somos tocados de forma indevida, ninguém se atreveria, pois temos leis rígidas para várias coisas, e tocar ou abusar de dançarinos ou qualquer um que tenha uma função parecida é devidamente castigado, o castigo vai de prisão a morte, Kim Namjoon nunca brincou em serviço. Me encaminho para o local onde iria me trocar, lá encontro o meu amigo e dançarino Jung Hoseok, mas ainda prefiro chamar ele de Hope, ele ilumina toda nossa dança, e juntos… parece que torna tudo ainda mais perfeito, o cumprimento com um abraço, mas sei que ele não vai querer conversar, ele fica muito ansioso para as apresentações, por isso ele sempre fica em silêncio e tentando manter a calma, mas depois da apresentação não consegue parar de demonstrar sua empolgação e isso só me faz ficar animado também e parecemos dois loucos comemorando. 


Tiro minha vestimenta e pego meu figurino que consistia numa calça de tecido fino e solto, arrisco dizer que era semelhante as roupas dos dançarinos indianos, a calça era preta assim como minhas sapatilhas, os detalhes da calça eram num prateado e muito brilho, levei horas pra fazer essa roupa, mas tive ajuda, então… estava perfeito. Quando estou devidamente vestido consigo ver melhor as flores que subiam da barra da calça até a cintura, os detalhes iriam chamar atenção, coloco o cinto que continha pequenas moedinhas de ouro que combinavam perfeitamente com as sapatilhas, a princípio não eram para ser moedas de ouro de verdade, mas o Rei Kim insistiu, pois queria tudo perfeito para hoje. Hoseok se aproxima de mim e põe em minha cabeça a coroa de flores vermelhas e douradas que faziam um ótimo contraste com meu cabelo negro, ele a prendeu em alguns fios de meu cabelo  para que ela não caísse no meio da apresentação, o véu negro estava caindo sobre meu rosto impedindo que vissem meu rosto, ajudo Hoseok com a sua coroa, toda sua roupa era contrária a minha, as calças eram prateadas com detalhes negros e a sapatilha era dourada com detalhes negros, mas o que mais chamava atenção era o desenho de flor negra em seu abdômen, não era uma tatuagem de verdade, porém ele com a ajuda de um dos servos do castelo a desenhou para a apresentação, eu teria um desenho também, mas o meu era uma flor despedaçando… Hoseok era a esperança, e eu a destruição, as cores intercalando representavam que mesmo com o pior acontecimento deveríamos ter esperança, e expressariamos isso com nossa dança. 


Já devidamente arrumados fomos nos posicionar atrás das cortinas que ficavam atrás dos dois tronos grandes e poderosos, o trono de Kim Namjoon e o trono de seu marido Kim Seokjin, e ambos estavam entrando, logo eles se sentaram e nos posicionamos ao lado de ambos, até que o Rei disse sem cerimônias — Entre, meu primeiro transformado, Jeon Jungkook! — foi como se todos parassem ao ver o garoto entrar.


Os cabelos negros como os meus e os olhos assustados olhando todas aquelas pessoas o admirando como se fosse a maior fonte de rinqueza do mundo, mas o que me chamou a atenção foi o jeito que a pele pálida fazia contraste com os lábios finos e pintados de vermelho, ele era lindo, admito, mas ver o garoto encolhido como um coelhinho assustado não era agradável a meu ver, tomei uma atitude totalmente fora de meu controle, quando percebi já estava do lado garoto o levando até o Rei Kim, o Rei pareceu me agradecer com o olhar, o garoto permanecia de cabeça baixa, logo a música foi ouvida e eu sabia que estava na hora. 













Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...