1. Spirit Fanfics >
  2. PULSE >
  3. Capítulo Sete

História PULSE - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura e Views em Everglow e Loona ...༎ຶ‿༎ຶ

Capítulo 7 - Capítulo Sete


Sana: se eu mudar de ideia e concordar com a cirurgia, você será a única a me operar?

Tzu: hm?... -- ela estava pedindo uma troca? -- não seja boba. Essa decisão não é minha, eu não sou a responsável por seu caso. Bem, tecnicamente você até poderia pedir um médico diferente, mas não vejo razão alguma para que isso seja necessário.

Sana: ah... Que pena, isso é realmente ruim, porque eu estava pensando em reconsiderar também -- falou com uma cara falsamente triste -- eu soube, que os médicos ficam constantemente ansiosos para fazer uma operação. Não é?

Tzu: alguns médicos sem dúvidas são loucos e obcecados por isso. -- mas eu não me encaixava nesse padrão

Sana: e quanto a você? Não quer ser minha cirurgiã cardíaca?

 tantos outros cirurgiões pelo hospital e ela escolheu logo a mim?

Tzu: bem... Você acertou na parte que eu gosto de operar, mas eu não iria tão baixo a ponto de roubar casos de outros doutores bem debaixo de seus narizes. Eu não sou tão viciada em cortar pessoas.

Sana: ok, certo... Eu entendi -- suspirou abrindo a janela de seu quarto -- doutor E'Dawn me disse que  poderei sair depois de amanhã.

Tzu: isto é bom, então. Não deixe de se cuidar mesmo estando em casa.

Sana: quando eu estiver fora daqui e você não estiver tão ocupada... -- ela se aproximou colocando as mãos para trás do corpo enquanto balançava o mesmo para frente e para trás -- não quer sair para ter um encontro comigo?

     Um encontro? Com Sana?

Tzu: não. Não vou em encontros. -- ela pareceu decepcionada

Sana: oh? Mas o que há com você? Você não tem nenhuma vontade para relacionamentos doutora? -- perguntou com uma voz manhosa fazendo biquinho -- bom, tanto faz, não tem que ser um encontro. Nós sempre podemos ter um dia só para meninas, comer fora ou qualquer coisa.

Tzu: certo, certo, tudo bem... -- forcei um sorriso simpático -- eu com certeza te ligarei quando tiver um dia de folga.

   Sana balançou a cabeça em negação.

Sana: doutora, você poderia me emprestar seu telefone?

Tzu: tá, mas... O que você vai fazer com ele?

   Entreguei o aparelho para ela que começou a mexer. Ouvir a música perfect, do Ed Sheeran soar no quarto. Sana tinha acabado de ligar para ela mesma.

Sana: pronto! Agora, mesmo que você se esqueça, eu posso apenas ligar pra você.

Tzu: ah.... Certo...

    Sai do quarto e encarei a tela de meu celular, onde tinha o nome dela. Sorri inconscientemente. Um encontro. Faz muito tempo desde minha última experiência... E eu decidi que nunca mais iria fazer novamente...

________________/

   Sai da sala de cirurgias exausta. Era sempre a mesma coisa. Longas e cansativas. Estava com fome.

Enfermeira: doutora, aqui está o prontuário do paciente que você me pediu. -- a enfermeira me entregou os papéis com um sorriso gentil no rosto, retribuir do mesmo modo a ela.

Tzu: muito obrigada -- olhei por sobre os ombros da enfermeira e perdi totalmente o foco do pequeno diálogo quando vi sana caminhando em minha direção. Ela já não usava mais as roupas hospitalar, sana estava com um vestido branco, e um laço vermelho em seus cabelos.

Sana: vejo que você está sempre ocupada. Meu irmão está aqui para me pegar... Eu estou indo pra casa. Então eu pensei em vir aqui vê-la antes de ir embora! -- ela sorriu largo -- obrigada por cuidar de mim. E pelos sanduíches também!

     Pude sentir minhas bochechas esquentarem. Eu estava corando? Ela me fez corar?

Tzu: ah... Claro -- sério? Porque eu não consegui formular uma frase melhorzinha?

Sana: você está bem doutora? Eu vim em má hora ? -- ela parecia preocupada comigo

Tzu: Não, não! Eu só não estou acostumada em vê-la assim, sinceramente... Você geralmente veste roupas hospitalar.

Sana: agora que você viu quão bonita eu realmente sou, é o suficiente para me qualificar para um encontro? -- se aproximou de mim

Tzu: bem... A proposta é realmente tentadora.

Yuta: Sana, vamos indo. O tio está esperando por nós -- seu irmão acaba nos interrompendo, sana se afastou bruscamente de mim ao escutar a voz do irmão.

Sana: bem... Parece que vou indo. Vejo você depois! Tenta não trabalha demais, doutora! Tchau. -- sana começou a andar até a saída, com um sorriso enorme no rosto

   A felicidade dela podia ser vista a quilômetros de distância. E eu me sentia igualmente feliz, ver ela sorrir é um máximo. Sana é uma menina especial, espero que ela encontre uma pessoa tão especial quanto ela. Saio de meus pensamentos com o meu celular vibrando no bolso de meu jaleco. Sorri ao ver de quem era a mensagem. Era ela, era Sana.

  S= certifique-se de me ligar no seu dia de folga. Hehehe (≧▽≦)

       MINATOZAKI POV:

   Fazia cerca de quinze minutos que estávamos a caminho da casa dos meus tios. Quando soube que poderia voltar para casa, um grande alívio me tomou, eu gostei de conhecer a doutora, mas eu já não suportava mais hospitais. Meu tio estacionou o carro e desceu abrindo a porta pra mim, yuta se encarregou de levar minha mochila para o meu quarto.

Yuta: já arrumei metade das suas coisas, acho que você vai gostar daqui. Descanse agora, eu vou preparar um lanche pra você.

  
    Yuta saiu, me deixando sozinha e frustada no quarto.

Sana: não importa onde eu vá, é tudo a mesma coisa -- Sentei na cama bufando -- mamã... Papa, vocês sabem né?... Não importa o que eles façam, eu ainda não me sinto como se pertencesse aqui, de qualquer maneira.

  Deitei minha cabeça no travesseiro e suspirei triste

______________/

   CHOU POV:

 
  A manhã em Seul estava fria, apesar do sol lá fora, a vista do hotel em que estava era linda. O céu estava completamente azul limpo. Soprei a xícara de café que eu estou tomando, e continuei observando a paisagem da cidade.

Solar: tomar banho para começar o dia é tudo que eu precisava. Você devia ter ido comigo, Tzu. Eu tenho algumas horas antes de meu vôo, o que acha de fazermos algo para comer? -- ela disse vestindo o sutiã preto, que contrastava perfeitamente com sua pele clara e seu cabelo loiro.

Tzu: Estou bem

Solar: hum... Tem algo passando por essa sexy mente de cirurgiã? -- suas mãos rodearam minha cintura -- não me diga... você está preocupada com o trabalho? Não é sempre que você tem um tempo para si... Porque não esquece isso e relaxa esse seu contente coração?

Tzu: aquelas coisas que fizemos ontem, solar. Já são o que eu chamaria de " uma boa noite de descanso". -- puxei sua cintura contra mim, estávamos com os nossos rostos muito próximos um do outro

Solar: wow. Não me derreta com esse doce jeito de falar, chou. Eu sei que não sou a única recebendo esse tipo de tratamento. -- a puxei para um beijo cheio de luxúria -- mas mesmo assim, eu continuo querendo me aprofundar nessas suas palavras vazias.

    Sorri para ela, que se soltou de meus braços e pegou seu casaco

Solar: em cerca de duas semanas eu estarei de volta a cidade. Eu espero que você não se esqueça de mim antes disso. -- ela caminhou até a porta -- e sinta-se livre para me ligar se mudar de ideia quanto ao almoço. Te vejo mais tarde, tchau.

Tzu: tchau.

   Ela saiu fechando a porta. Me joguei na cama e fiquei encarando o teto. Bom... todos que tem estado comigo entendem bem. Nada se obrigações... Sexo sem compromisso... Tudo resumido a uma única coisa: sexo. Mas não importa quantas vezes eu me abasteça com isso, eu ainda sinto um vazio....

   Olhei para meu celular que estava do meu lado em cima da cama e pego mesmo, entrando na área de contatos, fico uns dez minutos encarando o número de Sana. Não queria ligar, mas...

    Alô? É a Sana

    Oi... 


Notas Finais


É isso.... Vlw (ノ◕ヮ◕)ノ*.✧

***Capítulo não revisado***


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...