História Pumped up kicks - Capítulo 13


Escrita por: e Zuri_Hudson

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Horror, Massacre, Morte, Originais, Psicopata, Rock, Sociopata, Survival, Terror, Violencia
Visualizações 45
Palavras 1.427
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiiiii galera
Boa leitura!

Capítulo 13 - Quem com ferro mexe, com ferro será ferido.


Fanfic / Fanfiction Pumped up kicks - Capítulo 13 - Quem com ferro mexe, com ferro será ferido.

-Flashback's Dylan-.

Eu sentia o medo me percorrer, eu havia assassinado alguém minutos atrás mas era pela minha própria defesa. Ninguém poderia saber daquilo, ninguém podia saber que ainda havia resíduos do sangue daquele infeliz em mim. Quando cheguei em minha casa, vi meu pai assistir um jogo na televisão, não nos falávamos, apenas o necessário mas estranhei quando seu olhar se voltou para mim.

- Dylan, tá tudo bem? Chegou mais tarde hoje. - Parecia que ele sabia de tudo que me ocorreu agora pouco. Como se soubesse que havia matado alguém. 

- Vou subir, tô meio cansado. - Me limito a responder apenas isso subindo até o meu quarto.

Comecei a tomar meu banho, mas com os pensamentos naquele crime cometido por mim a minutos atrás... Porquê não sentia remorso algum, isso seria normal?

Assim que terminei o banho me joguei na cama, ainda estava gelado, chocado por tudo. Segui até o criado mudo e onde estava minha pulseira? A pulseira que eu tanto usava? Será que...

Não! Eu me lembrei, estava comigo na hora do crime, será que ela havia ficado por lá? Não! Isso não pode está acontecendo! Como pude deixar uma prova dessas assim largada?

Pensa Dylan, essa pulseira tem o seu nome... Todos vão ligar os fatos. O que eu diria? Assalto! É isto, ele me assaltou minutos antes de ser morto por algum maluco e eu não tinha nada haver com aquilo.

Quem iria encontra-la, a polícia ou quem ver o cadáver dele primeiramente? 

-Flashback Dylan off-.

Eu sentia o quanto o fim estava próximo. O fim de toda essa jornada estúpida. Já era pela noite e os 3 conversavam com o garoto Andrew. Eu não era bobo para não perceber o quanto ele era parecido com todos os outros 3, e percebi o seu olhar principalmente com Julian, malicioso... Argh.

Esse garoto iria trazer muitos problemas, mas eu sabia que no final, tudo iria dá certo para mim novamente, como deu certo no meu crime do passado.

Eu me sentia irritado com todo aquele flerte para cima do Julian, afinal, esse garoto não tinha capacidade para ficar com alguém feito Julian, olhe para ele. Mas o quê eu estou falando?

Senti uma aproximação, estava na cozinha e me dei de cara com aquele psicopata teen.

- O que você quer? Pensei que estava super feliz conversando com o garotinho. - Disse ironicamente.

Julian deu uma gargalhada alta.

- Se eu não te conhecesse bem, acharia que está com ciúmes. - Ele voltou a sorrir.

- Só nos seus sonhos. - Digo dando de ombros, eu já havia jantado mesmo, só queria dormir e esquecer toda aquela palhaçada. Fui até o quarto


- O que está fazendo? - Digo irritado.

- Ue, você sabe que nós dormimos juntos, ou se esqueceu meu amor. - Ele diz com sua voz típica grossa e fria.

Gelei ao ouvir o "Meu amor" dele, quem em sã consciência gostaria de ouvir isso vindo da boca de um assassino feito ele?

Ele começou a retirar sua camisa, mostrando seu peitoral um pouco definido e costas com alguns ferimentos. Lembre-se Dylan, o plano...

Ao som de head over heels, Emily e Gregory provavelmente estavam bailando, na sala, já que os dois haviam aprendido essa "prática de casal" recentemente. Eu ainda não entendia aquele casal, e como se dão certo apesar de seus crimes.

Fui de encontro a frente de Julian, ele me encarou sem entender. E estava sentado na nossa cama.

- Estou precisando de uma companhia masculina. - Ensaiei as palavras que tinha em mente. De um jeito bem vulgar.

Ele não conseguiu entender de primeira. 

- Chega de jogos, eu vou dá o que você quer e o que eu quero também. - Sussurrei sentando no seu colo. Julian estava com os olhos arregalados e com uma expressão confusa. 

Comecei a beijar o seu pescoço e a cheira-lo, enquanto o mesmo continuava parado ali sem fazer nada, mas o que ele tinha? Ele não me queria?

- Eu não vou cair no seu jogo Dylan. Eu sempre achei que estava desesperado mas vim aqui me seduzir dessa forma, jamais. - Julian diz com a sobrancelha erguida.

- Você é um idiota mesmo! - Bati no seu peito irritado. O que bastava ele se deitar comigo? Ele não me amava?

Encene Dylan, as lágrimas brotaram em meu rosto falsamente, como se aquela atitude dele tivesse me abalado mas havia de certa forma.

- Pera, então você tá fazendo isso sério de verdade? Achei que estivesse brincando. - Ele deu um sorriso galanteador. Que ótimo, ele realmente acreditou.

De repente ele me puxou para um beijo intenso, não era do jeito selvagem que ele fazia mas era carinhoso. Passei a mão pelo seu peito desnudo, enquanto gemia baixo e ofegava, puxando o seu pescoço para mais um beijo dessa vez eu o dominei e enfiei minha língua em sua boca.

Senti seu membro endurecer entre sua bermuda, já que estava em seu colo. Decidi abrir seu zíper.

Enquanto beijava Julian forte, indo em direção com minha mão, ao seu pau já duro. Decidi me abaixar um pouco, enquanto ele se deitava na cama esperando pelo meu próximo passo.

Eu nunca havia feito um oral mas havia recebido e sabia como agradar um homem. Comecei chupando sua cabeça, e colocando seu pau pela metade em minha boca, enquanto o mesmo gemia baixo.

- Oh porra... Que quentinho. - Ele murmurou. 

- Ah Dylan, você é muito bom... Porra. - Ele gemeu novamente.

De repente senti meu corpo ser jogado para agora, deitado na cama. Enquanto Julian me encarava. Ele era tão... Não podia negar mais, ele era bonito de verdade, seus cabelos pretos e grandes, seu rosto tão bem delineado...

Senti suas mãos rodearem minha cintura, enquanto ele beijava meu peito e depositava beijos e mordidas pelo meu corpo.  Eu me arrepiava com aquilo, senti suas mãos por debaixo de minha cueca e ele começou a me masturbar fortemente mas não agressivo. 

- Annn... - Aquilo estava me dando prazer. Porra, eu acho que queria gozar de uma vez.

Julian sabia fazer muito bem, não era algo rápido mas bom o bastante pra mim fazer virar os olhos de prazer. De repente Julian começou a ser mais selvagem e bruto e aquilo era algo bom, pelo menos para mim. Ele me colocou sobre seu colo novamente. Sussurando coisas pesadas e picantes para mim. De repente, ele me deu uma palmada na minha bunda.

- Você gosta não é? - Ele puxa meu rosto, aceno que sim, mordendo os lábios.

De repente voltamos a mesma pegação de antes, desta vez eu começava a rebolar sobre o seu colo, o meu jogo havia virado contra mim, já que agora eu queria aquilo de verdade.

Senti as mãos de Julian me enforcarem suavemente forçando -me a beijá-lo novamente. Oh porra isso era excitando.

- Você quer que eu te foda bebê? - Ele murmurou. Ah não... Que humilhação era aquela que eu estava passando?

- Ande! Você quer dá para mim Dylan? - Ele passou a mão pelos lábios dele. Oh que golpe baixo.

Eu não podia negar, eu queria transar com ele sim, eu queria sentir o pau dele dentro de mim, queria vê-lo ser agressivo comigo, ele era uma tentação para mim, era um monstro mas era assim que me sentia perto dele. Submisso.

- Quero, quero que você me foda. - Resolvi falar a verdade abaixando o meu olhar envergonhado. 

Esperei que ele me jogasse na cama feito um louco e começasse a me foder mas ele apenas começou a gargalhar alto. Muito alto, mas o quê?

- Você achou mesmo que ia cair no seu plano baby? Você acha mesmo que pode vim, me animar, me seduzir só para conseguir algo de mim, lamento te informar mas quem saiu perdendo foi você. - Dito isso ele me largou na cama irritado.

Mas que filho da puta! Como ele pode ter feito isso comigo? Como ele pode?

- Eu não faço amor com alguém que age com pura falsidade amor. - Ele sorriu vitorioso.

Eu queria quebrar a cara dele naquela hora. Julian se vestia, como pude ter deixado esse ser ter me deixado seduzir dessa forma? Eu odeio!

- Eu odeio você! - Grito puto tentando conter minhas lágrimas.

- Não pareceu a segundos atrás enquanto você tentava dá para mim. - Ele revidou, dando seu sorriso sarcástico.

Não soube o que de melhor responder a ele a mais, do que isso:

-Seu pau é pequeno! - Grito. Ele me encarou arqueado. Era agora que receberia mais um tapa dele?

- Sei que não é e você sabe disso também. - Ele deu um outro sorriso de lado, idiota.

 Como eu odeio ele!


Notas Finais


Vcs já perceberam o quanto a relação deles mudou? Estão mais íntimos até.
Será que Dylan está criando sentimentos por Julian?
Sinto que perdi minhas leitoras haha
Eu demorei demais
Comentem e até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...