História Pure Poison-imagine Jungkook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook)
Visualizações 51
Palavras 2.143
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obrigada por ler; boa leitura.

Capítulo 2 - Douchebag


Fanfic / Fanfiction Pure Poison-imagine Jungkook - Capítulo 2 - Douchebag

  Hoje começava a caça à possível traição de Jungkook. Ele é o típico homem que você pega para investigar já sabendo que é culpado. Sua carinha não engana ninguém.


 Saí da cama indo até meu closet escolher uma roupa. O dia estava quente,como Jeon primeiro ia para o trabalho eu teria que ir para o mesmo lugar que ele,e não vou ficar sei lá quantas horas com roupas quentes nesse forno. Optei por um vestido de alcinha,ele vestia bem e me mantia bem refrescada. Optei também por uma rasteirinha e peguei minhas peças íntimas indo para o banheiro.


 Jeon de acordo com os horários que sua esposa me deu já estava prestes à sair de casa,e eu não poderia demorar tanto tempo no banho,mesmo sendo o que eu mais queria.



 Rodei a chave pela segunda vez,me assegurando de que a porta estava bem fechada. Destravei meu carro e entrei no mesmo indo para a casa de Lisa,esperar a saída de Jeon.


 Fiquei na esquina esperando o mesmo aparecer. Demorou uns 15 minutos para que visse seu carro sair—Um Porsche branco. Esperei um pouco para que não ficasse óbvio que o seguia. Acelerei um pouco o carro ficando próximo ao seu. O sinal fechou e eu parei bem ao seu lado. Olhei por meu vidro escuro vendo que o vidro de seu carro estava abaixado,ele olhou em minha direção,mas como não poderia ver nada,voltou sua atenção ao sinal. Continuei lhe observando. Ele levou seu celular até seu ouvido e começou a falar com alguém. Ele sorria e mordia seu lábio inferior deixando claro que o assunto era bem interessante. Escutei buzinas atrás de mim e vi que o sinal já havia aberto. Olhei para Jeon que desligou o celular e saiu com o carro e eu fiz o mesmo.



 Desci do carro após ver Jeon entrar em sua empresa. Olhei para trás vendo que estava em frente ao café onde sua esposa disse que ele costumava vir para fazer suas refeições. Decido entrar na mesma e esperar pelo mesmo,ou quem sabe tirar alguma informação,já que não é muito difícil saber coisas de homens bonitos,ainda mais quando as garçonetes são apenas Junior.


 Encarei o local e de cara vi que Jeon tinha bom gosto. Claro,só ver a mulher que o idiota tem ao seu lado. O café era fofo,mas não infantil. As paredes era em um tom rosa pastel,combinando com as cobertas da mesa que eram da mesma cor. O teto era de madeira,assim como o chão e a maioria das coisas que tinham aqui. Tinha alguns quadros decorativos nas paredes e as luzes eram num tom amarelado. Fui até os banquinhos giratórios e me sentei no mesmo.


—Bom dia,posso ajudar?—uma moça de no máximo 16 anos veio até mim sorrindo simpática. Era bem padrãozinho das coreanas mesmo. Cabelo escuro,pele clara. O que já estamos acostumados,porém,muito bonita.

—Claro!—sorri—vou querer um café e uma torta de morango.—Sorri e ela assentiu se distanciando.


—Lua,será que o bonitão vai vir hoje aqui?—uma menina ao meu lado falou caindo por cima do balcão encarando a menina que fazia meus pedidos.


—Com certeza,ele vem aqui todo dia.—Será que elas estão falando do Jeon? Prestei atenção nas mesmas.


—Que horas ele vem?—outra perguntou eufórica fazendo a menina Lua,fazer uma careta por seu barulho. Ela veio com meus pedidos e me deu, agradeci e comecei a comer sem tirar a atenção das meninas.


—Olha,quando ele está sozinho ele chega umas 10:00 a.m para tomar café,quando está acompanhando,ele só vem às 14:00 que é a hora que ele sai do trabalho.—falou se aproximando das meninas.


—Mas isso é muito tarde,daqui a pouco gente tem que ir para o curso,não vai dar para esperá-lo.—uma suspirou e outras concordaram.


—Ya! Vocês tem que parar com isso, primeiro que o Jeon já é um homem e nunca vai olhar para umas crianças como vocês,e outra,ele é casado.—a outra rosnou fazendo as amigas erguerem os ombros e relaxarem sem dar importância.


—E daí? Ele não é tão velho e nós não somos tão jovens. Fora que ele sempre sorri para gente. Tenho certeza de que idade não é um empecilho para ficarmos.—falou simplista.


—É? Mas e a esposa dele?—falou encarando as meninas sério.


—Bem,não seríamos as primeiras com quem ele trai ela,certo? Ele fica vindo aqui com aquela magricela sem sal… que diferença faz? E outra,nem conhecemos essa tal esposa dele,não damos a mínima.—sorri fraco negando e olhei para a garçonete que negava olhando as meninas sério.


—Eu não tenho tempo para escutar bobagens,me deixem em paz.—Falou e se distanciou.


—Claro,chegou alguém bem mais interessante.—ela falou sorrindo e eu olhei para trás vendo o Jeon entrar. Me virei rapidamente para frente encarando o mesmo pelo reflexo do balcão de inox. Espero que ele não me reconheça.


 As meninas foram até o mesmo e eu fiquei lhe observando. Elas faziam um monte de perguntas e ele apenas sorria com o interesse das meninas.


—Olha,vamos fazer assim.—me virei minimamente olhando o mesmo de lado,ele pôs os braços ao redor dos ombros das meninas esguias, conseguindo tocar todas as quatro perfeitamente.


—Quando vocês completarem 18 anos,vocês me chamam e quem sabe eu saia com uma de vocês?—Que canalha. Sorri negando.


—Mas oppa,vai demorar muito. Por que não sai com a gente agora?—uma questionou e ele sorriu soltando as meninas. Elas cruzaram os braços e ele puxou delicadamente a que lhe fez a pergunta.


—Porque o que quero vocês ainda não podem me dar. E também,não quero que sejam tão precoces assim. Não quero machucá-las.—ele proferiu baixo,mas escutei cada palavra sua. Como ele podia ser tão cafajeste? É muito canalha.


—Não vai machucar.—uma disse maliciosa e ele tocou em sua cintura trazendo-a para mais perto de seu corpo. Peguei meu celular e discretamente tirei fotos da situação.


—Eu não teria certeza,e também,eu gosto de mulheres,não de meninas. Sinto muito gatinhas. Agora vão para a escola.—elas suspiraram cansadas e saíram do estabelecimento. Ele caminhou em passos lentos até mim, sentando-se no banquinho ao meu lado.


—Lua,meu anjo. O de sempre.—ele disse sorrindo e a menina bateu continência sorrindo. Ele me olhou me fitando por inteira,apenas continuei bebendo meu café como se ele não estivesse ali.


—Que saúde,hein!—ele sorriu e eu revirei os olhos ainda sem olhá-lo.


—O que preciso lhe dá para saber seu nome meu amor?—sorri sem humor com seu descaramento. Olhei em sua direção encontrando seus olhos negros. Ele sorriu de forma sacana e umedeceu os lábios. Me levantei e ele ficou me observando. Coloquei o dinheiro dentro de um pequeno cardápio e agradeci a moça saindo do estabelecimento.

 


 Pensei em investigar Jeon de longe,dentro do meu carro era uma boa opção. Fui até meu carro,mas quando ia abrir a porta uma mão segurou meu pulso me impedindo. Virei para encarar a pessoa. Jeon me olhava sorrindo. Respirei fundo e me encostei no carro com os braços cruzados.


—O que quer?—ele encostou o braço esquerdo em cima do carro,apoiando sua cabeça no mesmo e encostou a lateral de seu corpo me encarando sorrindo.


—Você.—falou e eu revirei os olhos.


—Nossa,mais antigo que as pirâmides do Egito. Sabe quantas vezes já ouvi isso?—ele sorriu olhando para o lado e logo me olhou.


—Imagino que muitas. Mas, quantas vezes um cara como eu te disse isso?—agora foi minha vez de sorrir.


—Daqueles que se acham o melhor...—neguei lhe olhando. Ele sorriu novamente e veio para minha frente puxando minha cintura lentamente. Sua mão esquerda ficou em cima do carro me mantendo presa.


—Amor,eu sou o melhor.—ele falou passando a língua em seus lábios logo em seguida.


—Sabe,eu tenho todas as garotas que quero,sem exceção. Todas!—arqueei minhas sobrancelhas e tirei sua mão de minha cintura.


—Eu não teria tanta certeza.—ele soltou o ar sorrindo e pôs a mão em minha nuca entrando seus dedos em meus fios.


—Por que vocês ficam tão difíceis no começo,sendo que no final da noite é na minha cama que vocês estão?—Ele ficou com seu olhar fixo no meu e eu permaneci calada por alguns segundos, o que fez o mesmo sorrir.


—Era esse silêncio que eu queria.—ele sorriu sacana e puxou minha cintura com sua mão vaga grudando-me em seu corpo,sua mão que estava em minha nuca,segurou mais forte meus fios e o mesmo desceu lentamente até minha boca,porém,pus minha mão direita em seus lábios o afastando. Ele sorriu e abriu os olhos me encarando.


—Voltamos a estaca zero!—suspirou cansado.—Não me faça gastar tanto tempo,amor. Não fique de joguinhos,não comigo. Eu me canso rápido,não vá querer perder tempo com essas brincadeirinhas.—Ri lhe encarando.


—Olha,apenas tire as mãos de mim. Não tenho interesse.—afastei suas mãos de mim e ele me encarou um pouco sério.


—Sabe o que dizem? Que mulheres como você nunca vão ter uma boa foda.—ele falou sorrindo ladino. Sorri largamente mordendo o lábio inferior.


—Sabe o que dizem? Que homens como você,não dão conta nem de uma,quem dirá todas.—Sorri e abri a porta do carro entrando no mesmo. Respirei fundo com o que acabara de acontecer. Olhei para Jeon que sorria passando a língua no canto interno de sua bochecha. Parece que deixei o mesmo com raivinha.


 Saí com o carro indo para o outro lado da rua. Pelo que parece,Jungkook não tem um pingo de decência. Ele é um completo cafajeste,que flerta com você e com todas ao mesmo tempo,sem ao menos se importar se estão vendo seu joguinho. Pelo que parece também,não vai ser nem um pouco difícil pegar Jungkook em flagrante,tendo em vista que ele não faz nada escondido. É tão descarado que nem se importa se estão olhando ou não. Simplesmente faz. Não sei se eu sinto mais nojo ou pena de uma pessoa assim. Meu celular tocou. Parei o carro na esquina e atendi o mesmo,era Lisa.


—Oi,Lisa!

—Oi,S/n! Olha,eu sei que é muito cedo,mas queria saber como anda sua investigação.—encarei o nada por alguns instantes me lembrando de Jeon me puxando pela cintura quase me beijando.


—Lisa,seu marido é um cafajeste.—falei e ela sorriu alto.

—Não me conta nada de novo. O que houve? Ele ficou com alguém,foi isso?—perguntou um pouco eufórica.

—Não,ele apenas falou com algumas estudantes,uma delas falou que ele ia no café com uma mulher,mas isso é muito vago. Mas sinceramente,eu só preciso pegá-lo,porque, infelizmente é bem mais que óbvio que ele sai com outras mulheres.—Falei calma e escutei o suspiro da loira do outro lado da linha.


—Só espero as fotos! Não conto com sua fala de que Jeon não me trai. Eu só preciso das malditas fotos. Eu sei que ele me trai,e não vai ser sequer um choque.—Fiquei em silêncio por alguns segundos.


—S/n,falou com ele?—ela perguntou e estranhamente um frio percorreu meu ventre todo. Eu meio que fiquei muda por alguns segundos ao me lembrar do sorriso descarado de Jeon e seu quase beijo.

—Sim.—Disse tentando ficar calma.

—Ele deu em cima de você?—eu não sabia se deveria dizer se sim ou não,essa situação nunca aconteceu antes e dizer para a mulher que seu marido deu em cima de mim,é desconfortável.

—Nem precisa dizer nada,eu já sei que sim. Olha,não se sinta culpada,Jeon é um cafajeste e você muito bonita. Eu acho que estou tendo uma maravilhosa ideia.—Franzi o cenho.

—S/n,não tenho certeza de que vá querer. Mas a foto que eu quero não é para pôr em jornais,em revista de fofocas ou coisas do tipo. Eu sei que Jeon me trai como eu falei,e sinceramente com quem não me importa. Eu só preciso de uma foto para que ele não tenha como negar. Então,está disposta a entrar nos joguinhos de Jeon e ser a “amante” dele? Eu prometo que não vou te expor,afinal,eu estou te pagando para isso. Eu só preciso ter algo para tê-lo em minhas mãos. Jeon é um homem bem difícil de ter acesso,ele está sempre em festas vips e por mais que você possa entrar,se aproximar do mesmo não será nem um pouco fácil. Então,se você pudesse fazer isso.—Após ela terminar de falar eu tentei processar tudo que ela havia me dito. Como que ela pede para que eu fique com seu marido só para ter uma prova em mãos? Certo que ele a trai e ela sabe disso,mas fazer isso me parece bem desesperado.


—Lisa,eu não sei! Não me parece uma boa ideia. Olha,eu vou continuar tentando o pegar,caso eu não consiga,eu farei como pede. Mas olha só,eu não vou deixar ele encostar sequer em mim.—Disse firme.

—Não se preocupe,isso também é o que eu menos quero. Você só precisa sair com o mesmo e tirar algumas fotos de vocês juntos. Será o suficiente para que eu possa o desmascarar.—Respirei fundo e concordei.


—Tudo bem. Se em um mês eu não conseguir a foto que você quer, começamos com isso.—escutei sua risada feliz e pude escutar palmas,deduzindo que a mesma estava como uma criança batendo palmas. Como eu havia dito,quando se trata de Jeon Jungkook,Lisa é apenas uma menina.

  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...