História Purgatório - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bangtan Boys, Bts, Got7
Visualizações 20
Palavras 1.615
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiie! Sorry pela demora, estava com problemas, provas e tudo de ruim...

Capítulo 6 - Dia 3- Aquilo


Fanfic / Fanfiction Purgatório - Capítulo 6 - Dia 3- Aquilo

Só pra vocês criarem cenas na cabeça, o menino da capa é o Chan. Não é aquele Chan que alguns pensaram. É esse Chan.

"Uma brisa leve bateu em meu rosto, me fazendo abrir os olhos. Sentei na cama e me espreguicei. 

Peguei meu celular e desbloqueio a tela, de plano de fundo estava uma seta amarela virada para o lado esquerdo, olhei para o meu lado esquerdo e um papel caiu não sei da onde.

" Coloque uma roupa confortável e que seja para o frio. Eles estarão te esperando do lado de fora de sua casa

~G-Dragon"

Ok, bem estranho. Já não duvido nada que apareça pandas dentro das bolsas dos cangurus que estão pulando em vitórias régias. 

Levantei e fiz minhas higienes. Desci do jeito que estava para tomar café da manhã. Cheguei na cozinha, e lá estava ele.

Chan: estou te avisando, não se apegue muito a eles.

S/N: não preciso falar com você.

Chan: não importa, no final você vai se arrepender de não ter me escutado.

S/N: cala a boca e vaza.- apontei para a porta.

Chan: grossa.

S/N: VAZA!

Chan: ok...- disse em tom vitorioso, ele só queria me irritar, patife.

Tomei meu café tranquila e subi para trocar de roupa, optei por colocar uma calça moleton cinza, uma blusa de manga curta também cinza, um casaco azul e um tênis.

Sai da casa e olhei para os lados, logo encontro um aglomerado de pessoas mais a frente, corro até lá e cumprimento eles.

S/N: vocês sabem o que vamos fazer?

Jimin: não... Só disseram que era para ficar aqui e esperar você.

S/N: ah ok... Querem andar um pouco?

Jin: claro. 

Começamos a andar e minha visão estava começando a ficar turva, minhas pernas fracas. Antes de apagar só vi os corpos dos meninos no chão.

.

.

.

Acordei com alguém me chamando e me chacoalhando. Abri meus olhos devagar para eles de acustumarem com a luz e vi o rosto angelical do Jungkook.

Kookie: ah! Graças a G-Dragon você acordou... Estamos numa floresta, não sei por que. Deve ser uma prova, e parece que vamos ficar aqui alguns dias, acho que no máximo 3.

Jimin: ajuda ela a levantar.

Kookie: ah claro.- estendeu sua mão para mim e apeguei, conseguindo levantar.

Olhei em volta é a floresta é bem bonita. As árvores são grandes, com bastante folhas, quase não há luz, e muitas dessas árvores tinham frutas.

Jin: ACHO QUE VOCÊS VÃO QUERER VER ISSO...- Jin nos chamou, cheguei ao local e ele estava parado em frente a uma árvore, nela tinha algo escrito.

Nam: "S/N, qualquer coisa pode acontecer com eles, então não se apegue a nenhum deles porque depois que você voltar irá sofrer, ou melhor, se apegue sim, quero ver você sofrer, definhar em uma cama qualquer...

Chan."

Hope: quem é Chan? Como ele te conhece, S/N?

S/N: ele é um dos... Um dos caras que eu tive que servir...- falei de cabeça baixa, quase em um sussurro.

Jin: era ele que você estava falando?

S/N: sim...

Jimin: por que não conseguimos ver ele?

S/N: não sei...

Tae: o que ele quer dizer com "não se apegue muito a eles"?

S/N: ele já me disse isso uma vez... Ainda não entendi o que ele quiz dizer com isso. E vocês sabem para onde eu vou voltar?

Hope: sabemos mas não podemos te contar. Vamos voltar a procurar?

S/N: claro. 

Saímos andando em uma direção qualquer e achamos um rio. Era aquele mesmo rio que eles me trouxeram em meu primeiro dia, só que estamos em um lugar diferente.

Jin: vamos ficar por aqui mesmo. Amanhã continuamos a andar. Está ficando muito tarde. Eu, Namjoon e Taehyung vamos procurar alguma coisa pra comer. Vocês podem ir fazendo as cabanas.- depois disso, eles saíram de lá adentrando a mata.

Hope: cada um monta uma?

S/N: sim. 

Jimin: vamos ver quem monta mais rápido?

Nos olhamos e saímos correndo em direção a mata. Andei um pouco e lá estava ele, com um sorrisinho na cara e de braços cruzados.

Chan: olha S/N, você tem muito o que me agradecer.

S/N: você não fez nada de útil para que eu tenha que agradecer você.-disse pegando umas pedras do chão.

Chan: não agora, mais tarde. Você vai montar sua cabana com pedras?

S/N: não né oh embuste! Isso vai ser para apoiar os galhos maiores e... Por que eu tô te contando isso? Aish.

Chan: eu gosto de te ver nervosa. É engraçado.

S/N: cara, você mandou matar minha família, você MATOU a minha família, você destruiu minha vida, por que agora está tentando ser legal? Você me disse que veio para fazer daqui o próprio inferno...- disse a última parte sussurando.

Chan: eu não sei, só deu vontade.

S/N: vontade de ser legal? Me poupe!- peguei o resto das coisas que ia precisar e sai andando na direção que tinha vindo.

Não estava reconhecendo o caminho que estava tomando, e aquilo já estava me deixando desesperada.

Cheguei a um lugar onde tinha um portão, ele era de formato oval no topo, de ferro e um pouco enferrujado.

Algo me dizia que não era para eu estar lá, mas a minha curiosidade tomou conta de meu corpo. 

Continuei a andar, um cheiro ruim entrou em meu nariz e logo pisei em algo que se quebrou. Olhei para baixo e era o colar... O colar com a foto da minha família...

S/N: mas o que? O que isso está fazendo aqui?- abaixei e peguei. Passei a mão no rosto da minha mãe, do meu pai e da minha irmã Lisa... Ela estava com um sorriso tão bonito nessa foto. Eu e ela fomos em uma joalheria fazer este colar, um para mim e um para ela, um dia antes de acontecer o que aconteceu.

Apertei o objeto com força em meu peito e lágrimas se formaram em meu rosto.

Continuei a andar, e o clima foi ficando mais frio. O lugar onde andava não tinha nenhuma árvore ou grama, e lá era mais escuro.

Admito que estava ficando com medo. Olhei para o chão e tinha partes de esqueletos espalhados por todos os lados. Corpos ensanguentados no chão, comecei a correr de lá indo em direção ao portão que a cada passo que eu dava parecia mais longe.

Chutei algo no chão, e olhei um livro, um livro que me puxava até ele. Abaixei meu corpo para pegar e quando me levantei, Lisa estava lá, de cabeça baixa, na frente do portão.

Aqueles cabelos descoloridos não me enganavam. Corri até lá pouco me importando o por que dela estar lá, só fui correr me preparando para a abraçar.

S/N: LISA!

Lisa levantou a cabeça e olhou para mim, seu olhar estava tão profundo. Sorriu e olhou para o céu.

Seus cabelos foram ficando pretos da raiz às pontas. Parei de correr e dei dois passos para trás com o cenho franzido.

Ela começou a gargalhar, era uma gargalhada arrepiante. Um de seus braços caiu, e abaixou a cabeça voltando a olhar para mim. Ela ainda sorria, mas seus dentes já não eram os mesmos. Estavam pontudos e desregulares.

A medida que ela se aproximava eu me afastava. Senti algo agarrar meus tornozelos, olhei para baixo e eram braços, braços com mãos me agarrando. Comecei a gritar desesperadamente. Olhei para Lisa de novo e suas pernas estavam se unindo virando uma gosma preta, seu rosto estava derretendo mas o sorriso continuava presente.

Aquela coisa, que antes achava que era Lisa, começou a se rastejar em minha direção e eu tentei correr mas aqueles braços não deixavam. 

Aquilo estava se aproximando de mim e eu não sabia o que fazer. Gritava cada vez mais alto e aquilo me alcançou."

Tudo ficou escuro e eu senti um peso sobre mim. 

Meu corpo estava sendo chacoalhado com força e alguém me chamava.

Abri meus olhos ainda gritando e olhei para esse alguém que machacoalhava.

Era Jimin, não pensei duas vezes em o abraçar. 

Um gosto salgado invadiu a minha boca, e aí percebi que estava chorando.

Jimin: já passou, foi só um pesadelo.- desatei o abraço e sentei de volta na cama.

Senti algo duro em meu bumbum e me levantei para pegar.

Peguei e olhei o que era. Era o livro e colar.

Paralisei, não foi só um sonho... Não foi.

Jimin: S/N, você está bem? Está pálida demais... O que é isso?

Eu não conseguia responder... Cinco palavras ecoavam pela minha cabeça: "  Aquilo não foi um sonho"

Jin entrou no quarto com a pele mais pálida que a do Yoongi.

Jimin: o que aconteceu?

Jin: aquilo-o ali fora.

S/N: o que?

Jimin se levantou e foi para frente de Jin, pegando em seus ombros e chacoalhando ele.

Jimin: explica direito!- Jin respirou fundo e começou a falar.

Jin: tem uma coisa lá fora... Deve ser o desafio de hoje.

Me levantei num pulo e olhei para a janela. E aquilo estava lá. Como? 

O resto dos meninos estavam lá, em volta daquela coisa.

Jimin saiu correndo e Jin foi junto.

Me troquei rapidamente e lavei meu rosto, descendo da escada num pulo.

Alguém estava de pé em frente da televisão. Aquelas costas.

S/N: Lisa.- disse em um sussurro. Ela se virou devagar e sorriu para mim.- Lisa...

Lisa: S/N!- aumentou seu sorriso. Andei rapidamente até ela e quando estava a um metro dela, a porta foi aberta bruscamente e Taehyung passou por ela.

Tae: NÃO É ELA S/N!

S/N: como?...

Voltei a olhar para minha irmã e aquilo aconteceu de novo, só que agora mais medonho.

Ela olhava fundo em meus olhos enquanto seu rosto derretia, ela esticou seu braço para me tocar e antes de conseguir, ele caiu.

Gritei, gritei muito alto. Ela continuava olhando nos meus olhos, e sorriu mais. 

Ela se jogou no chão e começou a se rastejar em minha direção, assim como no sonho.

Kook: S/N, CORRE!- mesmo eu querendo correr, minha cabeça ainda via Lisa ali, na minha frente, se rastejando, como um pedido de socorro.

Aquilo começou a se rastejar mais alto e gritar, fazendo com que acordasse de meu transe e corresse para atrás do sofá.

Estava chorando, pela segunda ez naquela manhã, pela mesma coisa.





Notas Finais


Esse dia vai ser dividido em dois ok? Senão o cap fica muito longo. Não quero deixar vcs cansados.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...