História Purple - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Heechul, Kim Heechul, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Park Jungsu, Yesung
Tags 83line, Heeteuk, Mention!eunhae, Teukchul, View Em Lo Siento
Visualizações 37
Palavras 1.192
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu não sei mais o que fazer com a minha vida. Estava eu, fazendo umas edições pra uma capa que tinha que entregar quando me veio a brilhante ideia de testar a edição de cor de cabelo em uma foto do Jungsu... Eu realmente preciso parar de plotar em cima de qualquer coisa.
Teukchul é muito lindo T^T

Capítulo 1 - .cabelo roxo


Fanfic / Fanfiction Purple - Capítulo 1 - .cabelo roxo

Jungsu estava odiando aquele dia. Não só por ser uma segunda-feira, mas por ser vítima de mais uma brincadeira de Kyuhyun, o irmão mais novo que havia ganhado de brinde no casamento da mãe.

Não que fosse ruim ter um irmão mais novo, mesmo que não fosse de sangue, acontece que o bastardo era comunado com o tinhoso. O garoto de dezenove anos tinha uma mente maquiavélica que surpreendia o Park todo Santo dia.

Jungsu confessava, adorava rir das pegadinhas que Kyuhyun fazia com o vizinho da frente, mas odiava ser o alvo delas. Tinha vontade de matar Kyuhyun de todas as formas dolorosas. Até tentou, mas acabaram os dois rolando da escada e ouvindo um sermão de duas horas da mãe. Mas não bastasse isso, o garoto rechonchudo e de olhinhos redondos saiu como vítima da história — até porque Jungsu tinha vinte e cinco anos, brigar com o irmão caçula não era algo comum naquela idade —.

Mas naquela bendita segunda-feira, Kyuhyun havia passado dos limites.

Fora só quando saiu do banho, ainda sonolento que Jungsu viu a obra prima do irmão em seus cabelos. Desesperado, o Park esfregou as mãos no espelho embaçado pelo vapor do chuveiro, na esperança que fosse alucinação. Mas não. Jungsu estava oficialmente com o cabelo roxo! Na verdade, não só os cabelos, mas as mãos e Boa parte do pescoço e costas, também.

Depois de alguns minutos de choque e várias batidas descompensadas na porta, o Park chegou a conclusão que seu xampu havia sido sabotado com seja lá o que, que deixou seus lindos fios castanhos em um tom de roxo gritante. E o pior. Estava atrasado para a faculdade.

Chegou a cogitar a hipótese de faltar, comprar uma tinta de cabelo, salvar sua alma da vergonha causada pelo mais novo e manter sua — inexistente — reputação. Mas não, a vida adorava colocar obstáculos no caminho de Jungsu e fazê-lo tropeçar em todos eles. Tinha prova naquele dia, essa de suma importância.

Na ligação com Yesung, o colega de classe e melhor amigo, passou mais raiva ainda, quando este teve uma crise de riso quando Jungsu lhe contou do acontecido, enquanto vestia suas calças, bufando de raiva.

Queria ele que estivesse frio, poderia esconder os cabelos arroxeados em uma touca, mas novamente a vida lhe chutou, deixando aquela segunda-feira linda e com uma temperatura digna de quem abraça o diabo.

Jungsu estava ferrado.

O mais velho desceu as escadas pisando fundo, arriscando a quebrar o assoalho. Os olhos arregalados de cada um na mesa diziam sem usar palavras uma coisa diferente: sua mãe, em choque, estava claramente sentindo vergonha alheia do filho; o padrasto, segurava o riso com a situação e Kyuhyun. Ah Kyuhyun, trazia consigo um misto de tudo. Estava quase enfiado em baixo da mesa.

Mesmo que aprontasse, o mais novo tremelicava-se todo só de imaginar Jungsu com raiva.

Os dois trocaram um olhar fixo, com direito a raios vindos dos olhos do Park, mas nenhuma palavra foi dita. Jungsu apenas sentou-se para comer. Vez ou outra matando o pobre Kyuhyun de cinquenta maneiras diferentes com o olhar.

Ninguém se atreveu a perguntar sobre o cabelo de Jungsu, mesmo que piadas fossem claras entre os olhares. Então restou ao Park apenas terminar de comer e sair, preparando-se para o pior: Yesung e o restante da faculdade rindo da sua situação.

— Suas orelhas estão roxas. — Yesung ria alto enquanto cruzavam o corredor.

— Eu sei. — Jungsu respondeu sem olhar para o outro, emburrado.

— Suas mãos… — riu mais um pouco. — Meu Deus!

— Eu sei, tá bom? — bufou, mas como a vida adorava foder Jungsu, lá no fim do corredor, estava ninguém mais, ninguém menos que Kim Heechul, mais conhecido como o abismo em que Jungsu se jogava todo dia.

Jungsu era louco naquele homem e Heechul, bom, haviam boatos de que ele achava Jungsu bonito. Mas sinceramente, o Park nunca tivera nem coragem de sair do tradicional "bom dia" que trocavam quando se cruzavam pelo corredor. Ele mesmo dizia que Heechul era areia de mais pro seu caminhãozinho. Pobre Jungsu. Mal sabia que Heechul não se importaria se ele fizesse mais de uma viagem.

— Vou voltar pra casa. — Jungsu disse, puxando Yesung pela camiseta, fazendo-o ficar na sua frente.

— Que? Não! Tem prova hoje. Vai dizer o que?

— Mando um email pro professor dizendo que 'Tô com diarreia. — Jungsu desviou o olhar desesperado, rezando para que Heechul continuasse parado lá longe.

Yesung piscou lentamente, virando de forma nada discreta, procurando o ponto que desesperava Jungsu.

— Ah. Tudo isso por causa do Heechul? Você nem se quer tem coragem de falar com ele. Que diferença vai fazer se ele te achar um idiota por estar com um cabelo roxo e todo manchado? — O mais baixo riu com o fim e frase.

— Muito obrigado por ser meu melhor amigo e deixar meu dia muito mais alegre.

— De nada. Agora vamos.

E lá estava Yesung, puxando o pobre Jungsu pelo corredor como um animalzinho para o abate.

Eles quase passariam despercebidos por Heechul se a famosa dupla de dois que vivia com ele, mas EunHae eram conhecidos por serem precursores da vergonha alheia — se não fossem a própria —, não tivessem notado a anomalia no cabelo do mais velho.

— Cabelo bonito hein, Jungsu! — Eunhyuk disse risonho, fazendo o Park virar o centro das atenções.

Isso significava um Heechul olhando para sí de forma curiosa e surpresa ao se deparar com aquela obra arroxeada.

— Oh. — Heechul piscou algumas vezes, antes de descer o olhar para os olhos do Park. — Bom dia, Jungsu.

— Bom dia, Heechul. — disse um tanto derrotado por ser visto daquele jeito.

— Gostei da cor. — Os olhos do Park dobraram de tamanho. Era a primeira vez que passavam de uma única frase. — Roxo combina com você.

— Ah. Obrigado. — lá estava Jungsu, com um cabelo roxo, bochechas vermelhinhas e um coração a ponto de explodir. — Eu tenho que ir… — murmurou nervoso, esbarrando na lata de lixo a sua frente. Por pouco não caiu no chão.

Mas fora quando conseguiu se recompor e lembrar como caminhava, que a voz do Kim acabara com toda sua sanidade mais uma vez.

— Jungsu…— Chamou, fazendo o Park virar de súbito. — 'tá manchado… aqui… — apontou para o próprio pescoço, fazendo Jungsu levar a mão ao seu.

— É... eu sei. Foi um acidente.

— Olha. Eu estou acostumado a pintar meu cabelo… se quiser ajuda pra tirar essas manchas. Eu posso ajudar.

Jungsu explodiu por dentro. Seu cérebro deu tela azul e seu coração acelerou umas mil vezes. O mais velho apenas assentiu, com um sorriso bobo na cara, acabando por no fim da tarde, estar na casa de Heechul, com o mais novo todo atencioso, rindo da história de como havia acabado daquele jeito, enquanto todas aquelas manchas deixavam o corpo de Jungsu.

Mas sinceramente, não foram só as manchas que deixaram o corpo do Park, as roupas também…

Jungsu nunca assumiria. Mas agradeceu mentalmente Kyuhyun por ter aprontado consigo e tornado roxo sua cor preferida. 


Notas Finais


View em Lo Siento!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...