História Purpose - Capítulo 8


Escrita por: e ElieneS-

Postado
Categorias Harry Styles, Katherine McNamara, One Direction
Personagens Harry Styles, Katherine McNamara, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, Romance
Visualizações 160
Palavras 3.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eaaaaaaaaaai, pessoal
tudo bom? Espero que sim
Tenho uma novidade pra quem vem acompanhando a fic,
A Els (ElieneS-) vai me ajudar a finalizar Purpose, então agora somos uma dupla, tipo hora do rush, tlg?
kkkkkkkjjkkk
Bom, de qualquer forma, esperamos conseguir agradar quem vêm lendo Purpose, ok?
Esse capítulo foi escrito por ela e corrigido por mim, então esse capítulo ta 100% misturado as escritas
Enfim,

Boa Leitura 📖

Capítulo 8 - Dusk till Dawn


Fanfic / Fanfiction Purpose - Capítulo 8 - Dusk till Dawn

— Talvez ele esteja fugindo de você. — Charlie acusou e eu suspirei observando Jully fazer as unhas no chão, eu estava de ponta cabeça no sofá, as pontas de meus cabelos varrendo o chão.

— Não acho que seja isso, você deveria ir até ele. — Jully aconselhou ainda concentrada — O que acha Alex? — ela perguntou e eu olhei para o outro lado do cômodo onde Alex fazia sua parte da documentação que precisava ser envidada para os nossos superiores.

— Eu acho que você quer transar e ele também, muito drama para pouco caso. Vai logo até ele, já chega tirando a camiseta e não vai precisar se preocupar com mais nada. — piscou para mim e eu mordi o lábio, eu tinha o endereço, o número de telefone e tudo, mas o fato dele recusar todas as minhas três ligações e não ter respondido minha mensagem dizia que ele não queria me ver como tinha dito.

Eu não tinha muito tempo, depois que enviássemos o relatório iriamos ter que ir para outro país e eu não teria outra chance de vê-lo. Era agora ou agora, não havia um meio termo.

— Ou você deveria esquecer esse cara, não vale o esforço. Ele nem é tão bonito assim. — Charlie bufou se levantando do meu lado.

— Não é tão bonito assim? Vem cá, você deu uma olhada nele? — Alex questionou indignada e eu sorri, era inegável o quão bonito ele era. — Quer saber, vou te fazer um favor. — ela se levantou e se sentou ao meu lado, eu me sentei direito sem saber o que ela iria fazer, minha cabeça chega doeu por estar muito tempo na posição anterior.

— O que vai fazer? — perguntei alarmada e ela riu concentrada em seu celular e na folha que segurava, a chamada iniciou e eu me senti como uma adolescente, ela colocou no viva voz.

Alô? — a voz do outro lado disse, mas fina do que eu esperava, não era Harry.

— Oi, eu hm... Vi um anuncio na internet. — falou e eu ri nasalado já entendendo o que ela iria fazer.

Hm, sim. Pode falar, me chamo Louis e você? — travei o maxilar, então era Louis quem não estava me atendendo e me ignorando? Sério?

— Savannah. — abafei minha risada com a mão — Queria saber se o mocinho, eu acho que é Harry, está livre para amanhã. — ela foi direta, mordi o lábio.

Infelizmente ele já tem compromisso... — Louis explicou e nós nos olhamos.

— Quando ele está livre? — Alex insistiu e eu neguei com a cabeça.

Somente semana que vêm, a partir de quinta-feira. — bufei tentando puxar o aparelho de sua mão e ela se levantou.

— E hoje?

— Não Alex! — praticamente gritei a empurrando e ela girou sobre mim subindo no sofá.

Hoje sim, mas o pagamento tem que ser feito antes do encontro. — informou e eu subi atrás dela, mas ela pulou para o outro lado do sofá.

— Ótimo! Estarei no... — ela olhou para Jully.

— Bells! — ela sussurrou e mordi o lábio me sentando no sofá.

— No The Ten Bells, ás oito horas. Pode ser? — fechei os olhos ao ouvir a voz de Alex.

Sim, trezentas libras duas horas. — me virei para a morena que sorria acenando com a cabeça.

— Fechado então. — sorriu.

Ele estará com uma camiseta social vermelha vinho, tudo bem?

— Ok, eu estarei de vestido preto. — sorriu e eu me levantei.

— Não estarei não! — ela sacudiu a mão no ar para que eu cala-se a boca, e eu não pude questionar mais nada, ela finalizou a conversa e desligou em seguida.

— Que fase hein... — ela murmurou quando desligou o aparelho, me encarou — Saindo com garotos de luxo. — eu joguei nela uma almofada o que a fez gargalhar.

— Isso! Começa a sair com o cara que você salvou! Vai ser ótimo quando ele se apaixonar e você ter que ir embora. — Charlie reclamou deixando o cômodo.

— Você precisa transar! — Alex gritou e Jully riu.

...

Suspirei batendo a ponta das unhas contra a mesa de madeira, olhei ao redor e me sentei checando o horário em meu celular, ainda faltavam dez minutos para o horário marcado, mas a ansiedade me dominava.

Eu preciso de uma bebida.

Levanto dois dedos para chamar a atenção do garçom, e quando consigo peço uma dose de tequila com sal e limão, ele se afasta para buscar meu pedido e eu olho em volta outra vez, antes que a dose chegasse até mim eu o vi atravessando a porta de entrada.

Em seu corpo estava uma camisa vinho, –como Louis disse que estaria– alguns botões estavam abertos, em suas pernas aquelas mesmas calças coladas pretas com um sapato, que eu creio que seja da Gucci em seus pés.

Seus olhos varreram todo o restaurante, com certeza ele procurava pela mulher de vestido preto. Olhei para meu corpo me sentindo ridícula naquele pequeno vestido de Jully e me arrependendo de ter vindo, e se ele realmente estivesse fugindo de mim? Ele poderia muito bem virar e ir embora, ninguém iria notar, mas eu saberia e isso já é o suficiente para me fazer beber todas as bebidas desse bar em uma única noite. Ergui a cabeça outra vez e o olhei novamente, encontrei seus olhos presos em mim.

Pude notar ele engolir a seco e desviar seu olhar para lugar nenhum e para todos os lugares ao mesmo tempo, apenas evitando de me olhar. Minhas mãos soavam, passei a morder o lado de dentro da boca. Mas que droga estou fazendo?

— Moça, — o homem do outro lado do balcão chamou minha atenção me fazendo dar um curto pulo na cadeira e o encarar — sua bebida. – o barman me chamou colocando o pequeno copo de bebida na minha frente.

Passei a língua no sal e vireo a dose de uma vez, mordi a língua de leve e encarei Harry outra vez, sua atenção estava em mim e eu mantive minha atenção nele enquanto chupei o limão, pude ver ele morder o lábio inferior e em seguida respirar fundo caminhando até mim sem pressa alguma.

— Senhorita... — sua voz rouca diz assim que está perto o suficiente, virei meu corpo no banquinho para o olhar melhor, pensei em fazer alguma piada com o fato de me chamar de ‘senhorita’, mas ele foi mais rápido e continuou a falar — Eu sou Harry Styles, serei seu acompanhante essa noite. Seu nome é? — ergueu uma das sobrancelhas, não havia nenhum sinal de que ele estava brincando, então eu respondi no mesmo tom.

— Katherine Jane. — estendi minha mão e ele a segurou, ao invés de apertá-la, ele a girou sobre suas mãos, a levou até os lábios e ali deixou um beijo.

— É um prazer finalmente conhecê-la. — me ajudou a levantar e eu ergui uma das sobrancelhas em plena confusão — Vamos até a nossa mesa? — sugeriu e eu permaneci o encarando sem saber como agir. O que esse filho da puta está fazendo? Se ele quer jogar, tudo bem! Irei entrar em seu jogo.

— O prazer é realmente todo meu, Sr. Styles. — sorri maliciosa carregando a nomeação culta de sarcasmo, ele me correspondeu com um breve sorriso malicioso, peguei minha comanda sobre o balcão e segui Harry até uma mesa vazia para duas pessoas. Ele puxou a cadeira para mim e assinalou para que eu me sentasse, sorri agradecida e me sentei. Suas mãos roçaram levemente em meus ombros descobertos me roubando um breve arrepio, ele deu a volta e se sentou em minha frente.

— A senhorita gostaria de pedir alguma coisa? — questionou passando a língua sobre o lábio inferior e eu subi meu olhar para o verde intenso de seus olhos. O ar estava pesado ao nosso redor, será que ele também sentia isso?

— Claro, eu gosto de saber o que exatamente entra na minha boca. — mordi meu lábio inferior e desviei meu olhar dele para o cardápio que estava no centro da mesa, com ele em mãos eu analisei as bebidas e as porções. Ele apenas assentiu e permaneceu me observando enquanto eu escolhia algo. Eu não estava com um pingo de fome, a ansiedade em meu corpo não me deixava senti-la.

Um garçom passou por nós para levar algo para a mesa do lado, Harry faz questão de chama-lo alegando que já havíamos escolhido. Faço o pedido por nós dois e ele faz uma careta quando percebe o que foi que eu pedi me fazendo sorrir.

Ele não disse nada, apenas cruzou os braços e se encostou na cadeira, seus olhos se prenderam nos meus, eu apoiei os braços sobre a mesa e sustentei seu olhar. Não conversamos, não desviamos o olhar, apenas nos desafiamos por longos minutos. Ele levou o dedo indicador e o dedão até os lábios e começou a belisca-los. Mordi o lábio inferior me perguntando como foi que não percebi como isso era sexy naqueles dias que estávamos presos naquele maldito navio?!

 

Meus olhos desceram até seu peitoral e observei as tatuagens de andorinha logo a baixo de sua clavícula. Percebo seus olhares descendo até meu decote e ele morde o lábio inferior antes de suspirar e se levantar, olhou para ambos os lados antes de simplesmente arrastar sua cadeira para o lado da minha e se sentar, olhou diretamente para minhas pernas que estavam amostra e limpou a garganta antes de passar um dos braços por cima de meus ombros. Ele roçou a ponta de seu nariz em meu pescoço e respirou fundo, me deixando toda arrepiada.

— Senhorita Jane, se me permite dizer, o seu cheiro me excita. — colocou sua mão sobre minha coxa descoberta e apertou sem nenhum pudor, ergo uma das sobrancelhas e levo o dedo indicador até seu queixo, o levantei fazendo nossos olhos se encontrarem.

— Senhor Styles, posso saber quem te deu permissão para se aproximar ou me tocar? — perguntei baixo soprando contra seus lábios, vejo seus olhos se escurecendo enquanto dividem sua atenção entre meus lábios e meus olhos. Com a outra mão livre tento tirar sua mão de minha coxa, mas ele me impede.

— Seus olhos dizem o que a sua boca não tem coragem, Senhorita Jane. — raspou seus lábios contra os meus, me fez ofegar quando senti sua mão apertar minha coxa.

— Sinto muito incomodar, senhores. — o garçom volta a mesa com nossos pratos. A forma como Harry se afasta lentamente, molha os lábios e encara o garçom, faz com que ele se apresse em servir a mesa e recolher a bandeja. — D-desejariam beber algo? — ele está tão assustado que me fez rir e desviar a atenção para o prato servido.

— Água para mim, por favor. — me adianto em responder vendo que Harry não diria nada e ele se afasta.

Harry respira fundo e se senta corretamente em sua cadeira. Ele encara o prato pegando o garfo sem saber por onde começar, quando ele finalmente se decido eu sigo apenas o observando levar o garfo até sua boca antes de murmurar algo, como se aquela comida estivesse maravilhosa.

Hmmm – sua voz rouca —praticamente gemendo— faz com que minha calcinha se molhe mais do que eu achava possível acontecer. Tenho que cruzar minhas pernas para conter a excitação no meio delas, seus olhos desceram até elas pelo gesto e ele sorriu como o canalha que ele é quando percebeu o quanto aquilo havia me afetado. Voltou o garfo ao seu prato e pegou mais um pouco de caviar levando até minha boca.

— Experimente, Senhorita. — seu tom baixo e profissional mexe com minha mente e eu acabo por abrir a boca e deixar com que ele me alimente. A forma como ele me serve, se expressa e me encara me faz esquecer como aquilo se parece com geleia salgada com ostra, oficialmente não é dos melhores, mas o simples gesto de passar a língua por seus lábios me faz esquecer completamente de tudo o que está acontecendo ao nosso redor.

Esse babaca joga bem.

Respiro fundo e volto a atenção para o garçom que coloca a taça servida com água sobre a mesa. A peguei assim que ele saiu e tomei um gole antes de começar a comer o macarrão que estava em meu prato, tentando despistar o gosto esquisito de nossa mistura.

— Onde a senhorita gostaria de ir depois do jantar? — Harry volta a falar de maneira culta, a forma como ele fala soa como se ele realmente não soubesse exatamente o que eu gostaria de fazer. Suspirei soltando o garfo sobre o prato e o encarando.

— Onde o senhor quer ir após o jantar, Styles? — lhe devolvo a pergunta de maneira provocativa e quase que entediada, estava me cansando desses joguinhos.

— Com sinceridade, Senhorita Jane? — perguntou e eu concordei com a cabeça voltando a tomar mais um gole de água. Ele se aproximou de meu ouvido e sussurrou lentamente — Eu quero ir para qualquer lugar que tiver uma cama, onde eu possa te foder como a senhorita desejar. Quero lhe fazer gozar e te ajudar a aliviar essa pressão que está sentindo entre as pernas.

Puta que pariu.

Eu não sou a única cansada desses joguinhos, não é mesmo?

Quando ele se afasta eu tenho que levar um minuto para me recompor. Exatamente tudo dentro de mim se contorceu, minha excitação se tornou maior, me fez ter que apertar mais minhas coxas, passei as mãos por meu pescoço antes de o encarar com todo o controle que me restava.

— Não muito diferente do senhor. — apontei para suas calças onde sua ereção marcava o jeans e era realmente notável, ele me deu um sorriso torto e deu de ombros antes de voltar sua atenção ao seu prato. Levei minha mão direita para abaixo da mesa e observei as pessoas ao nosso redor, todas inertes em seus próprios mundos. Levo minha mão até seu joelho e subo meus dedos lentamente até conseguir sentir sua ereção sobre eles, vejo sua mão se apertar em punho sobre a mesa e seus olhos se fecharem. Ele respirou fundo antes de voltar a abri-los.

— Com uma mulher como a senhorita ao meu lado, é impossível que eu não esteja assim. — voltou seus olhos verdes para mim. Seu perfume me envolveu, seus lábios rosados me atraíram ainda mais, sua sobrancelha arqueada estava me desafiando.

Que merda está acontecendo com meu corpo?

Consigo sentir-me em chamas só de imaginar as grandes mãos de Harry sobre mim, esses belos lábios por toda a minha pele. Estou parecendo uma idiota aqui, ao seu lado.

Levo minha mão para cima da mesa outra vez, limpo a garganta e foco apenas em comer, ignorando sua presença ao meu lado. Me xingo mentalmente por essa burrice. Vê-lo novamente? O que eu tenho na cabeça? Devia ter escutado o conselho de Charlie e esquecido esse cara. Ele me acompanha, comendo com calma ao meu lado, sinto seus olhos sobre mim em alguns momentos, mas continuo o ignorando até que ele respirou fundo e largou seus talheres se virando de frente para mim.

— O que você realmente quer comigo, Katherina? — questiona ríspido e eu reviro os olhos.

— Ne. Meu nome é Katherine, achei que tivéssemos passados dessa fase, Hony. — empurrei o prato com uma das mãos.

— Eu estou falando sério, o que você está fazendo? — eu o olhei e encontrei sua expressão séria, quase irritada.

— Eu não sei. — digo sincera e ele permanece me encarando. Ficamos por segundos que mais se pareceram com minutos até que eu arrastei a cadeira. — Isso foi um erro. — acrescentei tentando me levantar para sair logo dali. Uma coisa que eu aprendi com os meus treinamentos é que, nós não podemos errar, mas quando erramos devemos conserta-los o mais rápido possível. Mas, ele me impediu ao segurar meu braço.

— Não, você não vai fugir. — respirei fundo e olhei para sua mão, pensando se deveria ou não lhe dar um belo soco em seu queixo perfeito por estar me tocando daquele jeito, mas antes que eu pudesse fazer algo ele se levantou. Seu corpo praticamente se colou ao meu e olhou dentro dos meus olhos, falou com total controle e autoridade. — Eu sei exatamente o que você que comigo, Katherine.

— O quê? — soprei com a voz baixa encarando seus olhos. Ele desviou seu olhar para a franja que caia sobre meus olhos e a afastou do meu rosto, a escondendo atrás de minha orelha.

— Você quer que eu te foda. — garantiu com simplicidade, voltando a encarar meus olhos — Quer transar comigo. — seu indicador deslizou por meu ombro criando uma trilha de fogo por onde passava — Porque eu consigo te deixar louca... — sua voz rouca me fez engolir a seco, ele tocou meu queixo — E sei que você não conseguiu tirar aquele nosso beijo da sua cabeça, assim como eu. — encaixou sua mão em meu maxilar e acariciou minha bochecha com o polegar — Você quer meu corpo e eu quero o seu. E somente esse seu maldito orgulho anda nos impedindo de terminar soados e deitados em uma cama.

— Você não sabe o que está falando... — murmurei quase sem voz.

— Ao contrário, eu sei exatamente o que estou dizendo! Você não iria me contratar se não quisesse. — eu ri nasalado tombando a cabeça para o lado.

— Você é tão arrogante que não é capaz de enxergar que não foi eu quem te ligou, eu não preciso contratar alguém para ter sexo. — sua feição confiante se transformou em uma feição canalha, pude sentir o gélido de seus anéis rasparem em meu queixo, seus olhos focados nos meus lábios antes dele os subir com calma para prende-los nos meus.

— Se não me quisesse, não estaria aqui, Senhorita Jane. — meu sobrenome soou sujo em seus lábios.

— Minhas duas horas acabaram. — lembrei em um sussurro sentindo minha intimidade latejar.

— Parece que a tal da Savannah me deu um bolo, então tenho toda a noite livre. — levou seus lábios para meu ouvido — e eu conheço muitas formas diferentes para que você possa me pagar. — suspirei pesadamente e o empurrei pelo peito.

— Eu espero que você faça direito, porque falar você sabe. — tirei do sutiã algumas notas e joguei sobre a mesa antes de o olhar e em seguida passar por ele.

— Para onde vamos? — questionou e eu me virei, seu corpo bateu contra o meu por ele está me acompanhando de perto. Ele me manteve no lugar me segurando pela cintura, bati a mão contra seu peito e sem perder o contato visual desci as mãos por seu peitoral até sua cintura, procurei sua mão onde deixei as chaves do meu carro.

— Para onde você me levar. — sorri torto me afastando dele e caminhando em direção a saída da pub, eu espero que ele seja inteligente e me leve para o lugar mais próximo possível, ou se não, vou atacar ele dentro do carro mesmo. Esse homem me enlouquece, e eu devo destacar que enlouquecida eu não respondo por mim mesma.

O que eu aprendi sobre erros em meus treinos me foi muito útil em diversas missões, mas hoje eu não estava em uma missão e definitivamente não estava me importando se eu estava ou não cometendo um erro.


 Não estou tentando ser diferente, não estou tentando ser descolado, só estou tentando me entregar a isso. Diga-me, você também está? Porque eu quero te tocar, amor. E quero te sentir também... Eu quero ver o Sol nascer sobre seus pecados, só eu e você. Esquente as coisas, estamos em fuga. Vamos fazer amor esta noite, nos aproximar, nos apaixonar, vamos tentar.

Dusk till Dawn - Zayn ft Sia


Notas Finais


Desculpem qualquer erro, nem sei se tem alguém acompanhando Purpose ainda, mas gosto demais dessa fic pra desistir saojsok


" Hey, Elie (Els) aqui. Só quero me apresentar rapidinho.
Eu sou Eliene Silva, tenho 23 anos, sou dona de casa mãe e escrevo como uma rota de fuga para a loucura que minha vida é.
Quando a Bia me fez o convite fiquei super animada porque sou super fã da escrita e fics dela. Acompanho todas. Até mesmo Purpose.
Enfim, espero que essa nossa parceria de muito certo nenê. E eu vou continuar lendo e comentando aqui sim, então não se assusteee.
Beijos Elie 😙"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...