1. Spirit Fanfics >
  2. Puteir... tá diferente >
  3. Brilho de seus olhos

História Puteir... tá diferente - Capítulo 46


Escrita por:


Notas do Autor


Depois de um tempo de espera, enfim, vamos voltar a programação normal! Uiiippp! 🎉🎉
A fanfic passou pela revisão com sucesso e, agora, à continuação vai seguir tranquilamente. Muito obrigado pela paciência e compreensão! 🤍



🦋Boa leitura🦋

Capítulo 46 - Brilho de seus olhos



Mantinha o olhar preso no prato de comida à sua frente, sentindo o estômago revirar, somente por levar em questão o fato de comer. Havia chego em um ponto, que apenas vomitava a água que bebia, que mesmo assim, não era cessada.

Shimizu: Você precisa comer alguma coisa. Está com a barriga vazia, e isso só vai fazer você piorar. - Insiste, vendo a feição de desagrado da namorada, que remexia na comida escolhida, sem sequer provar.

Yachi: Se eu comer isso, vou vomitar novamente! - Respondeu-lhe em um fio de voz, sentindo a garganta áspera e ardente; deixou os talheres no prato, empurrando o mesmo de perto de si.

Shimizu: Nem pense nisso. Vai, só um pouquinho, sim? - Sorriu docemente, puxando o prato novamente, vendo-a concordar, levando um pouco da salada posta até os lábios.

Boa parte do grupo havia entrado no estabelecimento para comer algo, aproveitando para descansar naqueles instantes. Akaashi suspirava pela quinta vez consecutiva, tentando fazer o namorado parar de chorar, graças ao infelizmente incidente no banheiro.

Akaashi: Amor, não há mais motivos para chorar. - Sussurou calmo, acariciando a mão alheia do bicolor, sentado inquieto à sua frente.

Haviam sentado em uma mesa mais distante, em especial, a dos fundos, escolhida a dedo por Bokuto, para que ninguém desconhecido lhe visse chorar, sendo acompanhados com a presença de Kuroo e Kenma.

Bokuto: M-Mas...a-aquele jacaré me assustou! - Respondeu dentre um fungar, secando as lágrimas com a manga do moletom do namorado, ignorando o olhar incrédulo de Kenma.

Kuroo: É uma largatixa, burro. - Corrigiu, segurando a risada com toda aquela situação.

Bokuto: São a mesma coisa! Ele é rapetio também, né? - Cruzou os braços, formando um biquinho em seus lábios. Arqueando uma sombrancelha, Keiji tentava entender o que ele queria dizer, olhando para Kenma em busca de ajuda.

Kenma: Réptil? Você quis dizer réptil? - Franziu o cenho, erguendo o olhar para o platinado.

Bokuto: Hã? É! Isso aí mesmo. - Os olhos do loiro se encontravam com os de Akaashi, não compreendendo a dificuldade da palavra, para que fosse ditada tão erradamente.

Kuroo: 'Cê é muito burro! - Balançou a cabeça em negação, rindo abertamente, sem se importar com os olhares para si.

Bokuto: Cala a boca! Você não sabia nem diferenciar os banheiros.

Kuroo: Porque as placas estavam muito iguais! - Se defendeu ansiosamente, remexendo a língua contra o céu da boca.

Bokuto: Broo, uma tinha um bonequinho em azul, e o outro uma bonequinha de VESTIDO rosa! - Fizera questão de ressaltar o "vestido", indignado do próprio erro do melhor amigo.

Kuroo: Mas homem também pode usar vestido e gostar de rosa, logicamente, aquela placa também poderia ser pro banheiro masculino. Seu preconceituoso! - Apontou acusador para o garoto ao seu lado, vendo-o entreabrir os lábios perplexo, franzindo o cenho.

Kenma: Meu Deus, Kuroo! Vai se fuder. - Murmurou descontente, moldando uma expressão rigorosa em sua face, levantando-se da mesa apressadamente.

Bokuto: Kaashii! Eu tô sendo preconceituoso? - Questionou para o namorado, olhando-o choroso, sinalizando que logo começaria um novo choro.

Akaashi: Não. Claro que não! Além que, seria um pouco estranho você ser preconceituoso, sendo que namora uma pessoa do mesmo sexo. - Respondeu humorado, sorrindo divertido com a pergunta feita à si.

Bokuto: Viu só? Filho da puta.

Kuroo: Sei não, hein. - Ergueu os braços em rendimento, rumando o olhar para a saída do estabelecimento, vendo kenma sair pelo mesmo. - Onde ele tá indo? Ôh porra!

Levantou-se com dificuldade, indo atrás do loiro, deixando o casal a sós. Negou diante daquele acontecimento, sinceramente, Akaashi julgava a relação que aqueles dois tinham. Não sabia como ainda não namoravam, já que aparentemente, os sentimentos eram mútuos.

Em passos lentos, kenma aproximava-se de um banco solitário presente, optando por se sentar ali, até que fossem embora. Não estava com fome, e preferia por esperar o restante dos amigos lá. Avistou alguns dos amigos em uma conversa agradável, não muito longe de onde estava, preferindo pôr não interromper.

Piscou lentamente, bocejando longamente, sentindo os cílios humidecerem por conta das pequenas lágrimas, que haviam se formado instantemente. Às vezes, passar madrugadas jogando tinham suas consequências, nada que não tivera se acostumado. Coçando suas pálpebras, relaxou o corpo no banco, sentindo o ar frio da manhã lhe atingir, se pondo a fechar os olhos e aproveitar à brisa.

Sentiu uma movimentação ao seu lado, já sabendo de quem se tratava, graças ao marcante perfume que tão bem conhecia e, particularmente, amava incondicionalmente aquele aroma, podendo definir como um de seus prediletos.

Kenma: Por que me seguiu, gato pulguento? - Sem abrir os olhos, iniciou a conversa, escutando a rouca risada de Kuroo, que fazia seu corpo se arrepiar completamente.

Kuroo: Oya, Oya, gatinho! Não seja cruel comigo. - Escorando o braço acima dos ombros do meio loiro, apreciou a feição serena que o mesmo carregava, acompanhando a respiração ritmada e calma do mesmo.

Kenma: Hum...o que foi? Não deveria estar em alguma discussão inútil com Bokuto?

Kuroo: Inútil é um termo muito forte, eu diria interessante e avançada para seu raciocínio! - Riu da própria frase, pondo um sorriso nos lábios. - Vi você vindo aqui forá, e achei que quisesse companhia.

Sussurando um breve "entendi", sentiu o sono invadir seu corpo, deixando-se levar lentamente. Os afiados olhos de Kuroo, mantinham focados no menor, visualizando cada detalhe que, naquele momento, pareciam ser a coisa mais linda do mundo.

Kenma: Kuroo... - Com um fio de voz, chamou pelo moreno, abrindo os olhos lentamente.

Kuroo: Hum? - Resmungou em resposta, olhando-o gentilmente, em iniciativa para que continuasse à falar.

O nó que se formava em sua garganta, impedia que falasse o que queria em palavras claras; o formigamento na barriga, entregava descaradamente o nervosismo que começara a percorrer pelo seu corpo. Desviando o olhar para os próprios pés, mordiscou o lábio inferior, recuperando a coragem para falar.

Kenma: O que você acha de mim? - Pausou brevemente, tentando formular uma frase mais clara para se expressar. - Digo, da minha aparência. O que você acha?

Certamente, aquele era um questionamento estranho e surpreendente, principalmente pôr vir de Kenma. Em todos os anos que conhecia o loiro, sequer o vira ligar para aparência, muito menos para o que diriam. Mas, porquê pedira justamente sua opinião?

Kuroo: Oh?...bem, você me pegou desprevenido, gatinho. - Afastando seu braço dos ombros do menor, coçou a bochecha envergonhado, sentindo o olhar do mesmo sobre si. - Por que disto?

Kenma: Curiosidade. Agora, responda. - Sem desfazer a feição serena, continuou a lhe olhar inexpressivo. Sabia que aquela calmaria toda, não passava de uma grande farsa.

Se não soubesse que era impossível, juraria que seu coração explodiria à qualquer segundo, dê quão acelerado estava. Nunca se importara com a opinião das pessoas sobre sua personalidade, ou para como se vestia, mas Kuroo...era diferente. A opinião dele importava, e muito! Mesmo que não demonstrasse.

Talvez, quando se começara à gostar de alguém, a necessidade de impressioná-la era automática. O instinto de sempre querer sua atenção e saber que estaria lhe agradando, era mais do que suficiente. Mesmo que quisesse que Tetsurō gostasse de si, não por sua aparência e sim por sua personalidade, ainda desejava saber de suas preferências.

Entretanto, julgava-se intensamente todos os dias. Como Kuroo gostaria de sua personalidade, sendo que a mesma era tão intrigante.

Kuroo: Em minha humilde opinião, você é o garoto mais lindo que já vi. - Aproximou a mão da bochecha, agora, corada do loiro, iniciando movimentos circulares de carícia. Sorriu docemente, rumando seu olhar por toda a face do menor. - Seu corpo é adorável; seus lábios avermelhados chamam muita atenção e, entre nós, é muito atrativo; quando toco nos seus cabelos, parece que estou mechendo em algodão, de tão macios que são; e seus olhos, são um poço de encanto...cada vez que lhes vejo, me perco na imensidão do brilho de seus olhos.

Instantemente, encarou o moreno ao seu lado, arregalando os olhos surpreso pelas palavras. Virou o rosto para o lado oposto do mesmo, não permitindo que visse o avermelhar em sua face. Seu coração transbordava alegria, não conseguindo conter o sorriso em seus lábios.

Kenma: H-Hum... - Rindo baixinho, Kuroo puxou o loiro para seus braços, lhe abraçando fortemente. Esfregou seu nariz no topo da cabeça de Kozume, sentindo o refrescante cheiro adocicado de seus fios, graças ao shampoo que usava.

Franzindo o cenho, kenma murmurou palavras desconexas, irritado pela atitude inesperada que, não admitiria em voz alta, mas amara. Deixando-se levar pela atitude, relaxou o corpo no aconchegante abraço, afundando o rosto no peito do moreno, sentindo o sono lhe possuir lentamente.




Notas Finais


Eu ouvi um "Aleluia, Kuroken!" ????
😳🙌




--Sorry se houver algum erro :3

☕Espero que tenham gostado, e se divertido☕
Bjs da Tia Myna 😘
Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...