1. Spirit Fanfics >
  2. Qing Liu Wei: A Guerreira Da China >
  3. Antes Da Doença

História Qing Liu Wei: A Guerreira Da China - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 1 - Antes Da Doença


Fanfic / Fanfiction Qing Liu Wei: A Guerreira Da China - Capítulo 1 - Antes Da Doença

O aniversário de Wei iria acontecer. O salão particular estava enfeitado com sua cor favorita, o vermelho sangue. Seu pai estava tão nervoso que suas mãos e pés tremiam e congelavam, e sua mãe se divertia com ele se dedicando ao máximo para o aniversário de 18 anos da filha. O amor dele era "Artístico", segundo Qing Liu Akame, a mãe da aniversariante.

Wei acordou, e as janelas do quarto estavam abertas, com a brisa suave e com cheiro de...Chá? Bem, era o que parecia; parecia chá verde, ou chá preto. Ela se levantou e foi ver a paisagem. Aquilo era inexplicável para ela: aquelas pessoas, as mulheres se arrumando para comprar um doce, para serem elogiadas; os marrentos, que se achavam os mais poderosos e faziam suas apostas nas ruas; os anciões, sempre bem cuidados e atenciosos; as crianças, ah, as crianças! Elas fariam o futuro! Depois de contemplar a vista, foi banhar-se. Wei era umas das jovens mais belas de toda região: tinha a pele reluzida, olhos cintilantes e castanho-claros, lábios e bochechas corados, um corpo invejável, com curvas e volumes bem-feitos, seu cabelo longo, fino e castanho que escorregava pelo corpo. Colocou seu vestido vermelho de seda feito especialmente para aquela ocasião. Estava saindo do quarto, quando viu em cima da bancada um cartão. Ela o abriu, e nele dizia:

"Minha querida Wei,

Hoje te dou meus parabéns pelos seus dezoito anos. Você se tornou um ser tão incrível. Eu não consigo descrever tamanha beldade tens. Eu...Não tenho palavras, meu amor. Eu te amo, sempre amei e sempre vou amar, independente das tuas decisões, e isso é uma promessa. Vamos ficar juntos agora e depois da morte, pois nada acabará. Eu te amo, minha filha. Eu te amo!

Minha amada Wei,

Você se tornou a mulher de nossas vidas. Saiba que eu te amo, sempre amei e sempre vou amar, independente das tuas decisões, e isso é uma promessa. Te amo até o infinito! Tamanha inteligência e destreza que tens, minha filha! Orgulho-me de tê-la aqui comigo. Te amo, minha querida! Te amo!"

Wei deixou que lágrimas preguiçosas escorressem pela sua face. Seus pais, como os amava! Eram tão dedicados e...Não há palavras para descrever aquele sentimento. Ela foi até o salão, e lá estavam eles: os criados, seus pais, amigos, minha nossa! Correu para os braços maternos. Eles se abraçavam em meio a lágrimas e vários "Te amo! Eu te amo! Eu te amo!". E então a cerimônia ocorreu. Mas bem, vamos a parte boa: dançar, claro! Wei dançou com seu pai, todo desajeitado, e sua mãe dançava com o irmão, que dava-lhe abraços e dizia "Você me dá orgulho, minha caçula! Meus parabéns pela tua filha!". A festa foi até a noite, na qual todos se encontravam exaustos e bêbados. Uns foram para seus cantos, outros à viagens.

—          —          —

Wei estava na biblioteca lendo um conto e bebericando um vinho. Seu pai chegou e sentou ao lado da pequena.

"Ora essa! Minha Wei agora bebe vinho! Terei de acostumar-me"

"Pai, esses vinhos são deliciosos! Agora que posso bebê-los, não vou evitar"

"Ah, querida, crescestes tão rapidamente" Ele passa a mão suavemente pelo rosto da filha. "Você foi meu maior presente"

"O senhor também és um presente para mim" Ela o abraçou. "Mas tenho medo de te perder..."

"Calma! Viverei muito e verei o que minha princesa vai fazer! Mas o que importa agora é o presente. Lembre-se, não há com o que se preocupar, fazemos o futuro, então ele não está pronto. Minha Qing, você lidará com essas coisas quando for a hora certa" Ele beija a testa dela "A morte não será o fim"

"Papai, sempre tão sábio!"

"A vida nos ensina a ser sábios. A vida."

—          —          —

Noutro dia, uns negociantes estranhos vieram falar com o Sr.Qing Liu Chang. Como negociantes vivem de forma tão ruim? Nem os camponeses se encontravam naquele estado: maltrapilhos e sujos; levamos como consequência da viajem. Eles tocaram algumas vezes no senhor, era incomum, mas nada preocupante. Pareciam querer vender pó preto(pólvora), e a proposta foi aceita.

Dias se passaram e Liu Chang estava vomitando tudo que comia, tinha febres altas, e perdeu toda a sua vontade de levantar da cama. Isso apavorava Wei, que as vezes bisbilhotava sua mãe cuidando dele. Ela corria para o quarto e chorava até adormecer com a ideia de que seu pai fosse morrer. E as semanas restantes passaram-se nesse estado.


Notas Finais


Obrigado Por Ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...