História Qto Vale a Promessa de um Mercenário Tagarela - Spideypool - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Peter Parker, Steve Rogers, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Deadpool, Homem Aranha, Peter Parker, Spideypool, Stony, Stucky, Vingadores, Wade Wilson
Visualizações 289
Palavras 2.845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente s2,

Tudo bem?

Tô muito feliz com as mensagens de Stucky que recebi no ultimo capitulo. Obrigada!
Stucky é vida.

Esse cap ficou maior do que normalmente, e dei uma revisada bem ruim, então perdoem os erros.

Obs Minha Facul volta essa semana, então vou postar só aos domingos mesmo.

Capítulo 6 - Um Dia Triste


Peter acordou no dia seguinte, abriu os olhos e deu de cara com o rosto de Deadpool somente alguns centímetros do seu analisando.

Ele tomou um susto enorme e indo pra trás o mais rápido que pode mas graças às suas habilidades não caiu da cama.

- Puta que pariu Wade quer me matar do coração! O que você tá fazendo aqui?

- Nossa Petey já esqueceu de ontem?

- Ontem o que Wade? Você não se aproveitou de mim enquanto eu estava dormindo não né?

Peter começou a dar leves tapas pelo corpo como se estivesse medindo se estava tudo no lugar.

Wade sentou na cama ao lado dele, apoiando as costas na cabeceira.

- Não, eu gosto de ouvir as pessoas gemendo, e o seu ronco Peter não é nem de perto esse tipo de atrativo

- Ótimo

Peter cruzou os braços no peito. Wade continuou falando

- Parece uma britadeira, acho que você devia usar isso contra os inimigos, tipo “ei pera ai, vou dar uma dormidinha” e de repente sangue ia começar a escorrer dos ouvidos deles.

Peter deu um soco no braço de Wade. E Wade riu.

- Gosto, um pouco de violência! Sempre apimenta a relação.

- Cala a boca Wade! Você sempre fala essas asneiras!

Peter disse levantando e indo para o banheiro, ele fez xixi, lavou as mãos, e começou a escovar os dentes, e viu pelo espelho do banheiro que Wade estava na porta, apoiado no batente assistindo a cena.

Ele deu um pulo de susto, se virou para Deadpool e falou com a boca cheia de pasta, cuspindo um pouco na máscara a sua frente.

- Porraa Wade, nem mijar eu posso o que você tá fazendo aqui meu Deus?

Wade passou a mão limpando os respingos de pasta do rosto.

- Tava pensando que preciso tomar pelo menos um banho e aqueles moletons poderiam me servir agora, sabe aonde eles estão?

- Eles estão hãn... lavando? - Peter parecia momentaneamente confuso

- Você tá me perguntando baby boy?

Peter voltou pra pia e terminou de escovar os dentes.

- Já falei pra parar de me chamar assim.

- Mas também disse que é meu baby boy - Wade fez uma vozinha imitando Peter- estou testando em qual eu devo acreditar.

Peter passou por ele, dando uma esbarrada bem grosseira e voltou pro quarto, pegando a calça de moletom dentro do armário e a blusa embaixo da cama.

- Toma a merda do moletom, e sai daqui Wade.

Ele jogou a roupa no maior.

- Eu sei aonde estava, fucei seu quarto inteiro enquanto dormia, só queria ver você sem graça por manter meu moletom próximo da cama. Você anda pensando em mim enquanto bate uma?

Peter não estremeceu nem por um segundo, imitá-lo zombando de suas inseguranças era mais do que ele poderia suportar.

- Wade você é muito babaca, se acha o maioral, escondido atrás dessa máscara, mas nem a cara tem coragem de mostrar, vem aqui, zomba dos meus medos em relação a você, zomba do estado de saúde do meu amigo, mas quando o caldo engrossa pra você, você prefere “dormir”, você tá acostumado a se esconder atrás dessas piadinhas

Peter começou a avançar sobre Wade, encurralando ele na parede enquanto continuava falando, aumentando a altura da voz descontroladamente

- Atrás das suas vozes, mas eu sei que você me deu moletom quando me viu em apuros, sei que esse urso rosa tá em frangalhos porque fez o inferno pra conseguir um do mesmo modelo de quando eu era pequeno, sei que velou meu sono preocupado porque eu chorei, sei que você se feriu, pra não me ferir naquele dia no carro, o que eu não sei, é porque se esconde tanto!

Wade olhou pra ele e passou mão pela máscara como se estivesse enxugando lágrimas no rosto.

- Comovente Peter Parker

E em seguida começou a aplaudir

Peter foi até a porta do quarto, abriu e manteve aberta.

- Sai daqui Wade.

Wade fez menção de sair e Peter segurou seu braço, ele olhou para o garoto curioso.

- Você disse que me deve uma, certo?

- Petey, não faz isso!

Wade sabia o que viria a seguir, já estava acostumando a ser rejeitado por mostrar o rosto, mas rejeitado por ser um cara legal, essa era nova.

- E que sempre você paga…

- Petey...- Wade parecia ligeiramente irritado, já deixando claro que não precisava ouvir o resto, pra saber que não gostaria daquilo.

- Eu quero que você fique longe de mim.

Wade respirou fundo.

- Tem certeza?

- Sim, eu tenho.

- Ok, então, fica com o moletom, se um dia você me devolver eu vou entender que você está quebrando essa palhaçada de quero você longe de mim.

Ele deixou o moletom na mão de Peter, virou as costas e saiu.

Wanda entrou no quarto em sequência, quase esbarrando em um Deadpool bem focado em sair o mais rápido possível do caminho em direção a porta de saída, e ela sentou na cama de Peter.

- O que foi Petey?

- Wanda como você tá? - Peter correu até ela preocupado.

- Eu tô bem, e essa testa? Parece feio!

- Alguns pontos só, tô bem também, você tá acordada faz tempo?

- Tô, fui lá ver Bucky, que triste né? O Steve não saiu sala de treinamento até agora, ele não para treinar um só segundo. - Wanda suspirou profundamente tentando conter as lágrimas.

- E o Tony?

- Lá em cima resolvendo a papelada como sempre, falando com o governo sobre o que aconteceu, prestando conta do que quebramos ou salvamos, mantendo nossos alter egos vivos, como ele sempre faz.

- Wanda você acha que o Bucky vai….

- Acordar? Claro Peter, já passamos por outras barras assim! Escuta, Clint e Natasha vieram vê-lo. Talvez você queira ir lá e dizer um olá!

- Claro!

O resto da tarde foi bem vazia, Natasha e Clint conversaram um pouco mas logo ela foi para o escritório apoiar Tony, e o arqueiro foi para sala de treinamento apoiar Steve.

E por fim Wanda e Peter pegaram alguns sacos de pipoca, uma coca e decidiram ir assistir algum filme juntos, eles assistiram 500 dias com ela, o que só aumentou ainda mais o sentimento angustiante. Wanda foi a primeira a falar.

- O amor é uma merda! - Ela cruzou os braços no peito com raiva.

- Wanda, você e o Visão ainda estão brigados?

- Esse não é o ponto aqui, Peter

- E qual é o ponto aqui, Wanda? - Peter não entendia o que Wanda queria dizer

- Você já se apaixonou Peter?

- Sim, uma vez! Por uma garota da escola, a Mary Jane!

- E ela foi legal com você?

- Até foi, mas no fim ela ficou com meu melhor amigo!

- Viu? É patético! Agora olha só! Eu com o Visão, você com o Wade….

- Pera ai, eu não tenho nada com o Wade.

Peter interrompeu.

- Mas gostaria, me deixa terminar o raciocínio. - Ela disse estendendo a mão em sinal de pare, para que ele ficasse em silêncio.

Wanda quase tremia de excitação enquanto continuava a falar.

- Tudo destinado a dar errado, Steve e Bucky, Tony e Steve, Natasha e Bruce. - Ela fazia questão de contar os casais nos dedos, pra ilustrar o que estava dizendo. E no fim perguntou a Peter

- Me diz um casal feliz que você conhece?

Peter pensou, Bragelina já era, Ozzy e Sharon tinham acabado de voltar ainda não dava pra arriscar. No fim respondeu

- Jamie Lee Curtis, eu vi uma matéria sobre ela ser casada por vários anos e tal.

- Ok, toda regra tem uma exceção, e se fosse pra chegarmos na idade dela com alguém, já teríamos que estar com esse alguém agora! Ou seja, nos somos a regra Peter - Wanda estava quase gritando, os olhos estavam arregalados e ela parecia frustrada e cansada. Então Peter tentou apaziguar um pouco a situação.

- Você não acha que tá levando tudo isso meio a sério demais Wanda, você e o Visão se gostam, e podem voltar a qualquer momento.

Wanda juntou os joelhos em cima do sofá e começou a chorar, Peter abraçou a amiga acariciando o cabelo enorme que caia pelos ombros.

- Petey, a gente não consegue nem ficar do mesmo lado, quando existe uma guerra de super-humanos, como podemos gerenciar qualquer outra coisa?

Peter enrolou uma mecha do cabelo dela, no dedo carinhosamente enquanto respondia

- Você desconfiaria do amor de Tony pelo Steve por algum segundo? Quer dizer ele tá fazendo tudo pra salvar o Bucky, e fez tudo lá na missão também, não pode existir maior amor, e eles iniciaram a guerra Wanda, amor não é sobre estar sempre do mesmo lado.

Peter e Wanda ouviram passos entrando na sala e se viraram assustados encarando um Steve, completamente suado de tanto treinar, caminhando para dentro da sala. Peter ficou roxo imaginando que ele tinha ouvido o que estavam falando antes, e sua cabeça começou a matutar uma forma de tentar arrumar aquilo ali, antes de qualquer coisa Steve falou:

- Desculpa se eu ouvi a conversa de vocês, mas Peter tem razão Wanda, amor é sobre estar perto quando você ainda tem oportunidade.

Seus olhos se encheram de lágrimas e Wanda correu para abraçá-lo. Peter não sabia se tinha intimidade suficiente para abraçá-lo então ficou encarando os pés durante esse momento. Porque seu sentido aranha estava tão descompassado? Funcionava quando ele não queria, não funcionava quando ele precisava, essa merda ainda ia colocá-lo numa confusão.

Steve se soltou cuidadosamente de Wanda, e terminou seu caminho passando por Peter e bagunçando seu cabelo de forma paternal.

Peter olhou pra Wanda

- Wd eu sei que você ficou chateada com o Visão, porque ele desconfiou de você, mas por quê você simplesmente não conversa com ele. Dentro do que fazemos não dá pra saber quando seremos nós naquela enfermaria.

Peter levantou com a intenção de deixar Wanda sozinha pra pensar um pouco, ele mesmo precisava pensar também, mas não era hoje que ele ia fazer sua saída triunfal tão facilmente, e antes de alcançar a porta ouviu Wanda.

- E você Peter, hoje de manhã eu vi como Wade saiu do seu quarto, seu conselho não serve pra você também?

Peter sentiu a bochecha corar, e o sangue subir até o rosto.

- Wd não vira isso pra mim, não é justo, eu não tenho nada com o Wade, e você conhece ele tanto quanto eu, ele faz piadas das coisas, não leva nada a sério, não dá pra ter uma conversa com ele, é diferente, muito diferente, eu nunca vi nem o rosto dele.

Peter mexia as mãos enquanto dizia, contando nos dedos a quantidade de coisas que Wade fazia que tinham o dom de irritá-lo.

Wanda levantou também, bateu as migalhas de pipoca da roupa, secou o rosto e olhou para Peter.

- Chega disso Peter, eu quero te mostrar uma coisa sobre o Wade.

Peter arregalou os olhos em curiosidade

- O que?

- A casa dele.

Eles trocaram de roupa rápido, e Peter se sentiu um pouco assustado com essa perspectiva, tinha acabado de dizer que não queria ver o cara nunca mais e agora ia até a casa dele, que tipo de maluquice ele tava pensando?

Independente disto, ele decidiu ir. Ele queria era irritar e provocar, assim como ele constantemente era provocado pelo cara.

Deu uma última olhada para o conjunto de moletom em cima da cama e saiu para encontrar a Wanda do lado de fora.

Wanda dirigiu por alguns minutos entrando em algumas partes que Peter lembrava de vir chutar bundas de bandidos, era um bairro bem perigoso, e ela parou numa esquina, na frente de uma casa simples.

- É aqui!

Era um dia frio e Wanda colocou as mãos na frente do aquecedor do carro, se esquentando!

- Ahh! Que legal- Peter disse ironicamente, ele parecia entediado.

- Vamos Peter, vamos lá!

Peter se virou com um susto, encarando Wanda.

- O que? Tá louca? Se ele pegar a gente aqui, vai matar a gente.

- Viemos aqui pra que então? Deixa de ser covarde, vai, desce daí e vamos resolver isso logo.

Peter saiu do carro com cara de choro, que ideia idiota espiar Wade.

Eles caminharam até a porta e Wanda tocou a campainha.

- O que você tá fazendo Wd?

Antes que ela respondesse uma senhora abriu apenas um pouco da porta.

- Olá? Quem é?

- Al é a Wanda!

- Oi Wanda, entra aí, fiz uns biscoitos, e escondi do Wade, então ainda tem.

- Eu trouxe um amigo!

Peter se apressou em dizer.

- Eu sou Peter Parker

Al abriu a porta pra eles entrarem, e apoiando em sua bengala foi até a cozinha pegar os biscoitos.

Wanda correu sentando em um dos sofás, e Peter sentou ao seu lado. Wanda cochichou no seu ouvido.

- Wade dorme neste sofá aqui, estamos sentados na cama dele.

Peter olhou pra ela de soslaio. E respondeu baixinho

- Você podia ter me dito que conhecia a mulher que mora com ele, aonde será que ele tá?

Sem qualquer cerimônia, Wanda gritou para Al que vinha da cozinha com a bengala numa mão e uma bandeja na outra.

- Wade não vai voltar logo não, né?

Peter queria enfiar a cabeça no chão, mas se contentou em levantar e ajudar Al a colocar os biscoitos na mesa no centro da sala.

- Claro que não né? Ele fica esperando eu dormir pra entrar, um tremendo salafrário, escapando de pagar o aluguel, até sermos despejados, esse irresponsável.

Al dizia isso com um sorriso no rosto, como uma mãe que conta as peripécias do filho para as amigas.

Wanda deu risada, e Peter riu em seguida.

Eles continuaram conversando até que um Deadpool bastante arrebentado abriu a porta.

Bastante arrebentado era elogio, para a grande fratura exposta do braço direto, bem como um corte longo e profundo na vertical e começava no ombro e terminava no lábio inferior, a parte esquerda da sua vestimenta estava nitidamente destruída, ele certamente tinha passado por alguma explosão. Mancava de uma das pernas, e se sorrisse mostraria os 3 dentes faltantes.

Assim que ele entrou Al levantou a bengala em direção à porta berrando.

- Tô sentindo esse cheiro de sangue Wade Wilson, você vai limpar essa merda toda

Ele mostrou o dedo do meio ensanguentado pra ela.

E olhou diretamente para Peter e Wanda.

- Cuspam meus biscoitos, e caiam fora da minha cama.

Peter olhou pra ele assustado com sua condição.

- Você tá...tá bem? - Peter teve raiva de si por gaguejar.

Deadpool olhou pra ele e desviou o olhar rapidamente para Wanda sorrindo, aquela metade do seu rosto a mostra começava a se curar agora, mas tinha muito sangue seco e o sorriso ficou muito sombrio, com o sangue craquelado por todo o rosto.

- Garota full house, avisa pro garoto aí do seu lado que não é da conta dele.- Wade parecia divertido

Peter levantou, erguendo as mãos com irritação, e indo em direção ao mascarado

- Wade não é hora disso, você perdeu muito sangue, tá com o braço quebrado, você deve estar sentindo dor, o que aconteceu?

Wade voltou a caminhar sem nem olhar para Peter, mas cantava provocativamente, fazendo com que o ferimento do lábio inferior abrisse novamente, e ele engasgasse com o sangue.

- A dona aranha subiu pela parede, veio a chuva forte e a derrubou, mas ela é teimosa e desobediente sobe sobe sobe...

Quando ele chegou na porta do banheiro apoiou no batente da porta deixando seu cansaço evidente.

- Acho bom saírem da minha cama, eu vou querer dormir assim que sair desse banheiro.

Deadpool entrou no banheiro arrancando a roupa e batendo a porta, deixou seu corpo todo escoriado, marcado e nu descer pela porta com cansaço.

- Puta que pariu, quer descrever o tamanho do meu pinto também?

Wade sempre tinha um péssimo linguajar.

- Oh princesa da Disney, você me descreve todo ferrado e depois vem com esse papinho de linguajar, o aranha pelado na minha cama ninguém quer escrever né?

Wade, percebeu que seus ferimentos estavam demorando um pouco mais que o normal pra cicatrizar.

- Vadia! Aí!!!

E um shampoo cheio, coincidentemente caiu em cima do seu braço ferido.

...

Sendo assim, depois de tantas desventuras decidiu segurar a língua e esperar um pouco, ninguém quer uma onda de azar né... mas claro, ele não ficou quieto por muito tempo. E logo ele já estava resmungando enquanto levantava, ligava o chuveiro e começava um banho, sincronizando a lavagem aos lugares já cicatrizados.

- Fic de spideypool aonde? Isso aqui tá mais Wade e a vida, tô só me fodendo, e acabando todo dia na mão, que aliás agora tá quebrada, será que quem lê isso aqui tá feliz, não tem nem um lemon se quer nessa história.

 


Notas Finais


- Invadi aqui no lugar da autora, vcs que leem, me ajuda ai, quero me dar bem nessa fic.

Ok Deadpool, vou fazer vc sofrer menos nos próximos capítulos.

- E me dar bem com o Spidey?

Calma, o final feliz, só vem no final.

- Vadia!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...