1. Spirit Fanfics >
  2. Qual dos Quatro eu Gosto? >
  3. Kai Kamal Hueningkai

História Qual dos Quatro eu Gosto? - Capítulo 3


Escrita por: Smile_Sun

Notas do Autor


Boa leitura🍑

Capítulo 3 - Kai Kamal Hueningkai


Fanfic / Fanfiction Qual dos Quatro eu Gosto? - Capítulo 3 - Kai Kamal Hueningkai


2012| Kai Kamal Hueningkai

Beomgyu conheceu Hueningkai quando tinha onze anos.

O estrangeiro era um menino lindo de rosto angelical, seus cabelos eram donos de ondas negras que davam contraste a pele branquinha.

Hueningkai tinha 10 anos, era mestiço vindo do Brasil por causa das inúmeras brigas paternas, e tocava piano no cursinho que Beomgyu havia começado a frequentar na época.

Hueningkai era muito tímido e se embolava bastante na língua coreana, mas foi gentil quando Beomgyu puxou conversa e em pouco tempo demonstrou gostar da presença do mais velho.

Os dois passaram a conversar muito e tocavam e brincavam juntos pelo curso de música. Os pais do estrangeiro não o deixavam ir na casa de ninguém como vice-versa, então o prédio do curso era seus próprio mundinho secreto, sem que os pais de Hueningkai pudesse os impedir de ficarem próximos e até, dos sentimentos de Beomgyu aflorarem mais sem medo do amanhã.

-Ningkai. -Beomgyu lhe chamou sorrindo certa vez, após uma partida de pic-esconde agitada e de se jogarem no chão liso nos pés da escadaria, de rostos vermelhos e os óculos de Beomgyu embaçados pela correria, e o mais novo dos dois ruborizou mais com as próximas palavras do acastanhado. -Eu amo você.

-Hn-Hnhum.. -Hueningkai abriu um sorriso envergonhado olhando de relance o mais velho. -Eu te amo também hyung! -riu nervoso encolhendo os ombros finos.

-Tá mas, você me ama como amigo? -Beomgyu idagou sério, se ageitando para ver o outro que fazia força para continuar no contato visual.

-Sim, claro! -o estrangeiro começou a ter leves espasmos da risada nervosa. Beomgyu torceu o rosto para a resposta.

-Mas eu te amo como casal Ningkai, tipo mamãe e papai. -o mais velho explicou. -Eu quero que você seja meu namorado! -Hueningkai arregalou os olhos em tamanho de ovos cozidos e corou ainda mais.

-EeEeu-u também amo você Bamgyu-hyung.. ! Mas a gente não pode namora de verdade! Os nossos pais nos matam! -disse desesperado diminuido o tom conforme o desabafo saia da sua boca, Beomgyu fechou o sorriso que continha no rosto e soltou um biquinho triste com os rabinhos dos olhos caidos. -Bamgyun~... -Hueningkai choramingou ficando triste também.

-Vamos namorar escondido Ningkai. -Beomgyu opinou baixo, fungando em seguida para voltar os olhos ao do mais novo. -Eu não quero ser só seu amigoooo! Ningkai!

-Hyung~..! -os dois bateram os pés no chão fazendo birra.

-Só existe o Ningkai pra mim! Eu vou ser bonzinho com você! -Beomgyu voltou a insistir, tocando no braço do estrangeiro com uma leve massagem em apelo, Hueningkai apenas fez bico o olhando, aos poucos sendo derrotado pelo acastanhado. -Por favor~!

-Tá bom! Tá bom! Eu vou ser seu namorado hyung!!

-EBAAAAAAAA

-Shiiiiiii! -Hueningkai levou um dedo a frente dos lábios fazendo o mais velho se aquietar na hora.

-Desculpe! -Beomgyu pediu de sorriso radiante, Hueningkai sorriu também. -Então somos namorados agora! E aqui, é a nossa casa de casal!

-Tá bom -Hueningkai riu, Beomgyu tombou a cabeça.

-Tá bom marido?

-Tá bom! -os dois riram.

E seguiram alguns dias do namorinho escondido pelo curso. Quando não havia ninguém olhando, feito criminosos, eles andavam de mãos dadas e se davam abraços apertados. Brincavam que a escada do predio era suas casa, e eu mentiria se dissesse que não rolou um selinho na boca.

Aconteceu na semana seguinte, quando Beomgyu decidiu fazer uma carta de declaração para o estrangeiro que fazia seu pequeno coração palpitar. Hueningkai leu escondido depois de sua pratica com o piano, Beomgyu depois apareceu para saber se ele já tinha lido.

E após momentos de timidez, ambos sentados no chão atrás do piano de cauda, Beomgyu arriscou pedir um "beijo", corado Hueningkai aceitou sem hesitação fechando os olhos com um sorriso fechado e Beomgyu juntou suas bocas com um pequeno encosto de um segundo em um selinho simples.

Mas, a felicidade não durou tanto... Os pais de Hueningkai realmente eram um problema e Beomgyu passou a ver seu pequeno Ningkai chorando com mais frequência, até que uma dessas ocasiões realmente assustou Beomgyu:

-O que a gente vai fazer...!! -Hueningkai chorava alto aos soluços a frente de Beomgyu.

-Ma-Mas isso não vai acontecer! -o acastanhado afirmou balançando as mãos no ar. -Se acalma, tá tudo bem, seus pais não vão separar de novo! -puxou o estrangeiro choroso para um abraço. -Isso não vai acontecer...

-Se a mamãe e o papai se separarem o papai disse que vai me levar de volta para o Maranhão Beomgyu! -Hueningkai chorou alto no ombro de Beomgyu. -Eu nunca mais vou ver você de novo!! O que eu faço..!

-Isso não vai acontecer! Não vai, os seus pais vão continuar aqui, em Seul com você, e você aqui comigo, para sempre!

-Eu nem quero im-imaginar como seria lá sem você hyung...!

-Eu também não sei o que eu vou fazer sem você aqui Ningkai...

Não havia como afirmar uma coisa dessas, Beomgyu não sabia como era a familia Kai, ele ainda vivia em um mundo onde seus pais o amavam e já até sabiam de seu gosto sexual e aprovavam sem preconceito. Mas a realidade de Hueningkai era diferente.

Diferente... Diferente...

-Beomgyu! -Junhui, seu professor, apareceu na porta da sala que Beomgyu estava usando para treinar. -Vem, temos visita! -falou chamando com a mão, Beomgyu soltou seu violão apressado e correu ligeiro até o professor, sendo escoltado pelo homem alto até a sala de Hueningkai.

Na hora o acastanhado se animou que poderia ver Hueningkai lá, porém o estrangeiro não estava, o piano se encontrava vazio, e do seu lado esperava um homem americano e a balconista simpática do andar de baixo que era encarregada de fazer copias de partituras.

-Esse aqui é o Beomgyu amigo do Hueningkai. -Junhui falou para o americano indo para atrás de Beomgyu lhe encinuando com certo orgulho de professor. -Beomgyu, esse é o senhor Kai, o pai do Hueningkai. -Beomgyu gelou e deu um sorriso torto.

-Prrrrazer. -falou tremulo, o americano riu achando fofo, então Junhui prosseguiu ao pupilo.

-O Senhor Kai veio tirar uma foto nossa para o Hueningkai, Beomgyu. -explicou, Beomgyu assentiu para ele e foi para o lado da balconista perto do piano, mas então escutou a conversa do Senhor Kai com o professor Junhui:

-É que o Huening é tímido, ele não quis vir de jeito nem um para se despedir. -disse o Kai.

-Tadinho. -Junhui respondeu com empatia. -Mas ele é jovem e vai superar a mudança logo. Vocês já moravam no Brasil antes, não é? Maranhão.

-É, não vendemos a casa.

-Ah, então ele vai ficar bem logo! Talvez com um pouco de falta da mãe. -os dois sorriram como bons adultos.

Os olhos de Beomgyu lacrimejaram na hora, e seus lábios tremeram. Tirar a foto com o sorriso que Junhui pedia ao seu lado foi impossivel, o Senhor Kai bateu as duas fotos com a câmera e nas duas Beomgyu demonstrou claramente que queria chorar litros, mas ele se segurou para não fazer isso na frente dos mais velhos.

Em casa Somin e Woojin se preocuparam ao ver o filho único pedindo consolo assim que chegou em casa, aos prantos, Beomgyu não teve coragem de dizer sobre o namoro, mas se derramou contando da partida de seu querido NingKai.

Chorou por mais dois meses, ir ao curso o fazia lembrar seu Ningkai, ver o banco do piano vazio o pertubava, e as escadas pareciam sentir falta também das brincadeiras de casinha dos pombinhos.

Parou de chorar cedo, mas esquecer Hueningkai e fazer parar de doer precisou do resto do ano...


Notas Finais


Quem será o próximo a aparecer?🍇🍇
Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...