História Quand tu aimes quelqu'un. - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags Bangchan, Changbin, Changlix, Felix, Han, Hyunjin, Jeongin, Jeongmin, Jisung, Lee Know, Minho, Minsung, Seungin, Seungmin, Stray Kids, Woojin
Visualizações 132
Palavras 992
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fluffy, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa, becleusa?

Voltei e o capítulo de hoje será uma narração feita pelo nosso anjinho, Jeongin.

Espero que gostem.

Capítulo 23 - Desabafo ;


Não entendo o porquê das coisas parecerem tão complicadas. 

O porque de pessoas insistirem em fazer tempestade dentro de um copo de água.

Mas o que mais me intriga é a confusão que vive dentro mim até nos momentos mais felizes da minha vida.

Minha intenção há muito tempo era dar um jeito de me aproximar daquele garoto qual eu me sentia atraído, mas não esperava que aquilo fosse realmente acontecer e que Seungmin um dia iria gostar de mim.

Há muito eu não me sentia tão completo como venho me sentindo, me sinto uma pessoa de verdade, em carne e osso. Criei novos objetivos, tive novas oportunidades, fiz amizades, mesmo que poucas. E, percebi que ao meu lado tem alguém que está disposto a me ver sorrir, me aceitando do jeito que sou.

Sei que agora deve estar doendo nele, tanto quanto dói em mim. Estamos mantendo uma relação tem algum tempo, mas nunca encarei isso como algo sério, não que eu não me importe com o que ambos sentimos, mas não posso aceitar que ele goste de alguém como eu, que só o farei sofrer. Entendo que ele goste de mim e que eu gosto dele, mas para chegar a essa intimidade com alguém, antes de tudo, devemos nos amar, e isso é algo um tanto quanto difícil para mim que mesmo depois de tanto tempo ainda não superei meus medos e erros.

Aquele dia no fliperama, há exatos 3 dias, eu disse não para Seungmin. Eu disse não para as suas alianças, os planos, a dedicação, a esperança, e sobre tudo, eu neguei seus sentimentos, e os meus também. Ele saiu sem esperar uma explicação, a qual eu não consegui dar na hora, pois a confusão se fez em mim e tornou meu corpo em lágrimas quais eu deixava escorrer pelo meu rosto enquanto via a pessoa que amo sofrer, por minha culpa. Eu amo ele. Eu não me amo. 

- Jeongin, e o Seungmin? Brigaram que ele não venho mais aqui? – minha mãe aparece no quarto rindo, provavelmente não sabe de nada, e eu não terei coragem de contar para ela o que aconteceu. Talvez, mamãe foi uma das únicas pessoas que perceberam o quanto mudei após a chegada desse garoto na minha vida, e ela faz questão de agradecê-lo toda vez que se encontram, eu sei que ela faz isso. Não contarei para ela que por insegurança minha tudo pode se perder, afinal, ela confiou a Seungmin um papel importante: de me fazer feliz. Foi exatamente o que ele fez, mas tem coisas que não consigo superar, e ela não pode achar que estou triste novamente.

- Ah não –forço um sorriso como se tudo estivesse bem -Ele está ocupado com coisas da escola

- Tudo bem. Ele é um garoto ocupado – ri –Você não vai no curso de pintura hoje?

- Não estou me sentindo muito bem, acho que a pressão caiu

- Já tomou remédio?

- Sim. Daqui a pouco passa.

Admiro a minha mãe, ela superou tudo. Na verdade, ela entende que a vida segue. Jisung na saída do fliperama me abraçou e disse que independente da situação, ela passa. Fiquei pensativo, e sei que tudo não passa de poeira que voa com o primeiro vento, e é isso que me deixa irritado: Por que eu não sigo o que penso?

Estou suando e tremendo já tem alguns minutos, e tudo está quente, e tudo gira e eu não sei o que está acontecendo. Queria gritar, mas nem isso consigo. Queria correr para o colo da minha mãe porém não consigo me levantar. Queria poder ir até ele, por que não posso?

- MÃE! – consigo gritar, que alívio. Parei de tremer e as coisas pareciam mais claras quando a minha mãe entra no quarto desesperada perguntado pelo o que houve –Eu...Acho que tive um pesadelo – suspiro, e me jogo de novo na cama, ela iria me levar ao médico se eu contasse a verdade e não estou com vontade de sair de casa.

Essa hora ele deve estar no curso, pintando algo e tendo que aturar o Changbin sozinho. Confesso, sorri só de imaginar ele convivendo com o Seo sem mim por perto para falar mal do mesmo, ele deve estar se segurando para não sair gritando, ou riscando uma folha de seu diário.

Isso!

Eu também deveria criar um diário, seria uma boa forma de desabafar tudo o que sinto.

- Acho que tenho um caderno velho por aqui... achei!

“Querido diário,

Hoje é o primeiro dia em que lhe uso. Posso dizer que me sinto um pouco incomodado, mas sei que com o tempo acabo me acostumando, assim espero.

Conheci um garoto alguns meses atrás, que se chama Kim Seungmin. Ele era minha paixão secreta do ônibus escolar, e do nada, nos beijamos. Não foi do nada, mas foi quase assim, mais rápido do que eu esperava. E, eu gostei.

Gosto de sentir sua mão me acariciando, gosto da sua voz, suas preocupações. Gosto de suas loucuras, paranoias e do jeito que quer tudo perfeito. Gosto de sentir seus lábios nos meus, dos arrepios que sinto quando isso acontece, e cada batida que meu coração dá pensando nele. Gosto de sorrir por ele, sorrir com ele. Gosto como planeja tudo e se irrita quando dá errado. Gosto de o ver bancando o pai de seus amigos, e também como pinta com delicadeza. Eu gosto de tudo nele, não por ele ser perfeito, mas por ele ser simplesmente ele.

Queria poder falar isso diretamente a ele, aceitar aquele pedido, por aquela aliança no dedo e gritar para o mundo todo que eu namoro com o Kim Seungmin, mas minha insegurança não me permite tais atitudes”

 Não é fácil escrever em um diário, mas alivia. 

Senti que basta por hoje, já chorei demais. E não quero sofrer, porque se ele imaginar que eu estou assim quem irá sofrer é ele, e isso é tudo o que mais temo.


Notas Finais


A
A
A
A
A
A


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...