1. Spirit Fanfics >
  2. Quando a gente acontece >
  3. Não acredito que estava ouvindo

História Quando a gente acontece - Capítulo 36


Escrita por:


Notas do Autor


Porque sou cachorra mesmo, vou postar mais um.

Capítulo 36 - Não acredito que estava ouvindo


Fanfic / Fanfiction Quando a gente acontece - Capítulo 36 - Não acredito que estava ouvindo

MANUELA

- Finalmente eles dormiram. Pensei que isso não ia acontecer nessa vida.

- Não acredito que o fim de semana acabou. - Tae reclama vindo do banheiro com o roupão aberto mostrando seu corpo magro e bonito

- Também não, foi tão bom e passou tão rápido.

- Podemos ter mais como este se quiser.

- Vamos dar um passo de cada vez ok?

- Eu faço um preço baratinho pra você e pode pagar em suaves prestações pela vida toda - ele brinca sorrindo para mim se jogando na cama.

- Você estava ouvindo nossa conversa?

- Talvez eu tenha ouvido só um pouquinho.

- Não acredito em você Tae.

- Mas querida, você não está ficando mais nova também.

- Você está dizendo que estou ficando velha?

- Mais nova é que não está ficando.

- É? Se eu ficar velha e enrugada você não vai me querer?

- Eu quero você de qualquer jeito, nova, velha e enrugada, magra, buchuda…

- Sei.

- Estou lhe falando a verdade, não acredita em mim?

- Acredito…

- Mas…

- Não tem mas.

- Você quer me perguntar alguma coisa Manu? Vamos pergunte, você está exitando desde ontem.

- Ok, só não vá ficar se achando, não é ciumes, é só curiosidade.

- Vá diga.

- Quem era a garota que veio aqui ontem?

- Você ouviu a conversa - ele pergunta ficando rígido debaixo de mim.

- Não, eu cheguei ela já estava indo embora.

- Ela é só uma amiga.

- Uma amiga… muito próxima?

- Já foi próxima sim, agora é só uma amiga. Era isso que estava preocupando você?

- Sinto muito, não sou assim, é só que…

- Só que você gosta de mim - ele diz todo satisfeito nos virando na cama, trocando nossa posição, ficando por cima de mim. - Sabe, pensando bem você nunca disse que gosta de mim.

- E você precisa que eu diga?

- Não preciso, mas, gostaria.

- Você não precisa!

- Manu?

- Sim?

- Vou ter que arrancar uma confissão sua?

- O que? - pergunto mas ele me ataca beijando meus lábios e prendendo minhas mãos acima da cabeça com força. Os beijos do Tae dificilmente são carinhosos e devagar, e eu adoro isso. Ele rouba seu ar desde o começo e me deixa toda mole de desejo no seus braços. Ele desce o rosto pelo meu pescoço, arranhando a pele com seus dentes até chegar ao decote da minha camisola e morde o bico do meu peito por cima da roupa me fazendo arquear em baixo dele. Estou ofegante, porém não tem como eu me mexer muito, as mãos estão firmes acima da cabeça, e ele está sentado em cima do meu quadril. - Tae…

- Diga! - ele exige continuando a maltratar meus seios com a boca sem me dar nenhuma folga. - Diga que gosta de mim e eu faço você chegar às estrelas.

- Isso é coerção

- Não ligo. Diga - ele exige novamente me olhando de forma feroz enquanto segura minhas mãos apenas com uma das sua e desce a outra para a barra da camisola entre nós e enfia dois dedos de uma vez só e sem nenhuma preparação, não que eu precise, estou molhada, sempre estou molhada pra ele. - Diga!

- Tae eu vou…

- Não vai não! Diga!

- Tae- eu rosno quando ele tira os dedos do mesmo jeito que os colocou, sem aviso e bem no meio do meu quase orgasmo - merda! Continue.

- Não vou continuar, você sabe o que tem que fazer.

- Porque preciso dizer? - finalmente pergunto olhando pra ele.

- Porque eu amo você. - ele responde e vejo a sinceridade nos seus olhos e isso me faz ceder o restinho de dúvida que eu tinha.

- Eu amo você Taehyung - digo com toda sinceridade que posso dizer - eu amo você desde a primeira perseguição.

- Finalmente - ele diz e me beija, agora soltando minhas mãos que desço até seu rosto bonito e o seguro ali. Ele puxa minhas pernas abertas embaixo dele e se encaixa ali. Se esfregando gosto e vagarosamente, enquanto sobe minha roupa pelo corpo. 

Arqueio meio desajeitada, ajudando ele tirar a peça do caminho. Ele sobe apenas o suficiente para deixar meus seios a mostra, ele tira a cueca que está usando e se posiciona entre meus lábios maiores, esfregando gostoso, arrancando suspiros meus e dele. Eu levanto meu quadril o fazendo escorregar até a entrada e ele enfia seu pau todo o caminho para dentro. Se seus dedos estavam gostosos, seu pau é melhor ainda, e infelizmente não leva muito tempo até que eu me desmanche de prazer em seus braços e ele nos meus.

- Venha, me deixe te limpar.

- Estou com preguiça.

- Quer que eu te carregue?

- Umhum

- Depois reclama que estou mimando a filha, a mãe é tão mimada quanto.

- Tae!

- Venha - ele diz e me pega no colo indo para o banheiro.

playlist: Stigma - Taehyung



Notas Finais


Pronto. Cai até segunda.
Agora é sério.
E já aviso o trem vai começar e descarrilhar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...