1. Spirit Fanfics >
  2. Quando Escurecer >
  3. É chegada a hora!

História Quando Escurecer - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Olá ninos e ninas!
A vocês meu amor eterno! Muito obrigada pelos 39 favs e comentários! Vocês me fazem muito feliz mesmo!

Amores, estamos caminhando para o final da nossa história, talvez não haja um final feliz ou quem sabe algo aconteça? tcham tcham tcham tcham (música de suspense) srsrs

Este não é o último cap como irão perceber, devo concluir a história no cap 10, então, fiquem comigo mais um pouquinho sim?! O apoio de vocês me faz escrever e por isso só tenho a agradecer a gentileza de todos <3

Enfim, chega de blá blá blá né!

Capítulo 8 - É chegada a hora!


Fanfic / Fanfiction Quando Escurecer - Capítulo 8 - É chegada a hora!

Itachi estava em um local afastado o suficiente, não queria que Sakura o visse como um membro ativo da Akatsuki. Poderia parecer bobo, era óbvio que ela sabia que ele continuaria suas atividades como membro da organização, ele mesmo a tinha advertido com relação a isso, mas mesmo assim, alguma coisa o incomodava; só por pensar em qual seria o olhar que ela teria assim que o visse realmente atuando como um Akatsuki o deixava contrariado. Agora por esse motivo, estava sentado em baixo de uma grande árvore, preparando-se para falar com Pain, o que de fato não demorou a acontecer, pois, logo o justu de projeção foi ativado e ele se viu frente a frente com o líder daquela organização. 

Não tinha nada contra aquele homem, na verdade tinha até mesmo certa admiração, pois mais raro do que um sharingan, era um herdeiro do rinegan. E Pain, por mais lunático que fosse era determinado e muito constante com relação as suas ordens. Pain nunca interferiu nos objetivos de Itachi e nem mesmo perguntou o motivo de juntar-se a Akatsuki, então para Itachi estava tudo bem. Até que seu irmão o matasse e ele pudesse enfim descansar. 

– Itachi. 

–Hm. 

–Conseguiu alguém para tratar dos seus olhos? – Dentro da organização, somente o líder sabia o que se passava com os olhos do Uchiha e por isso tinha permitido que ele se ausentasse das missões por tempo indeterminado, até que conseguisse ao menos aliviar os sintomas da sua cegueira. 

– Sim. Mas não sei por quanto tempo terei de ficar ausente. 

– A organização está sendo alvo constante de investigações, por isso, estamos paralisando os planos de captura dos bijus que faltam. Os outros já foram avisados para manterem discrição e até que as coisas se acalmem devem se manter escondidos ou misturados entre os civis. Por esse motivo, não há razão para que apresse sua recuperação. 

–Sim. 

– É só, entrarei em contato caso precise de você. 

Pain não esperou que Itachi falasse alguma coisa, de certa forma aquilo veio de encontro as suas necessidades. Não era mentira que Sakura trataria de seus olhos, mas Pain também não precisava saber que ela era a dona do seu coração já tão cansado e gelado. E que aos poucos ela aquecia, com cada gesto, com cada palavra e com cada sorriso. 

Agora precisava falar com Sakura, sairiam daquele esconderijo e iriam para o país do raio. Ficariam lá por um tempo, e viveriam como civis. Uma vila isolada seria o melhor lugar para estar e não chamar a atenção. 

Itachi correu de volta para o esconderijo, quando ouviu o barulho da cachoeira sentiu-se aliviado, e por um momento estranhou o sentimento que ameaçava brotar em seu peito... Era quase como se voltasse para casa. E então ele a viu, ela estava sentada na beira do lago com os pés na água, o semblante parecia um tanto nostálgico, e ao se aproximar pode ver o leve rubor em seu rosto, enquanto o a brisa balançava seus cabelos. E então ele compreendeu que ela era o seu lar, o lugar para onde sempre poderia voltar. 

– Vejo que gosta do sol. – Ela não se assustou com a aproximação repentina, logo ele estava ao seu lado. 

– Sim, sai um pouco. Apesar daquela abertura no teto, não é a mesma coisa. – Ela levantou o rosto para olhá-lo. – Pensei que fosse demorar mais. 

– Não. 

–Está tudo bem? 

– Akatsuki irá paralisar suas ações por tempo indeterminado. Pain não gosta de chamar atenção. 

–Entendo. – Eles estavam tão próximos, Sakura adorava sentir o cheiro dele e adorava ainda mais ver como seus cabelos brilhavam quando olhados de perto. 

Nos dias que se passaram e nas noites, depois da primeira vez em que estiveram juntos de corpo e alma, muitas outras vezes eles se amaram. Itachi não se arrependeu nem por um momento do que tinha acontecido, mas sofria por pensar que um dia não a teria mais em seus braços. 

– Sakura... – Itachi sentou-se mais próximo dela, abraçou-a e a trouxe para perto. Afundou o rosto na curva de seu pescoço e cheirou profundamente seus cabelos. A princípio ela se sentiu surpresa, Itachi nestes dias sempre foi carinhoso nos momentos em que estavam na cama, mas poucas eram as vezes que ele se aproximava subitamente, para dar-lhe um beijo ou um simples afago na cabeça. Então ela se lembrou da noite passada. 

ON MiniFlash-Back 

Na noite passada, quando estavam na sala conversando depois de Sakura cuidar dos seus quase cicatrizados ferimentos, ele tinha colocado a cabeça no colo dela e ficado ali por algumas horas, enquanto ela mexia em seu cabelo e lhe acariciando tranquilamente. A mão dela era tão gentil e quente, ele estava tão relaxado; quase sonolento... E Sakura por sua vez observava atentamente as expressões do jovem, há tanto tempo não as via. 

– Te amo Sakura. – Foi o que sussurrou antes de adormecer, por alguns minutos em seu colo. 

Ela sorriu para ele de forma leve, antes de abaixar-se e dar-lhe um beijo casto nos lábios do já adormecido homem. 

– Eu te amo querido. - Ela continuou acariciando-o até que o sono finalmente a embalasse enquanto ela ainda lhe acariciava os longos fios negros. 

OFF MiniFlash-Back 

– Itachi... Tu-tudo bem? – sentiu-se ansiosa com a ação dele – Algo aconteceu? 

–Sakura... – ele a soltou levemente, só para poder olhá-la nos olhos antes de continuar a falar – Não posso deixar de cumprir meu destino, mas também não posso deixar você. Não posso e também já não quero mais ficar longe de você. É tão importante pra mim, mas sou tão egoísta e mesmo dizendo que não o faria, arrastei-te para esse ódio que envolve Sasuke e eu. 

– Itachi eu não... 

– Não posso ficar contigo pra sempre e nem posso oferecer-te uma vida longa e feliz Sakura. – Céus! Estava tão angustiado! – Tudo que posso fazer é retardar o meu destino, e prometer que cada dia que os deuses me concederem viverei para te fazer feliz. Até que, até que eu precise partir. 

– Itachi... – Sakura tinha os olhos vermelhos e lágrimas corriam livremente por suas bochechas. Tinha as mãos no rosto dele. Como poderia viver feliz sabendo que um dia ela iria acordar e ele não estaria mais lá? 

– Preciso tanto te fazer feliz Sakura! – ele sussurrou olhando-a bem no fundo dos seus olhos. – Por menor que seja essa felicidade. 

– Não será pequena! – Agora ela tinha certeza, nenhuma felicidade ao lado dele seria pequena, por menor que fossem os dias, por menor que fosse o tempo que tinham para estar juntos. – Ficarei junto de você até o fim! Farei você sorrir todos os dias Itachi. E quando o momento chegar, estarei com você. Sempre estarei. - Ela lhe sorriu, enquanto suas lágrimas volumosas escorriam pelas bochechas coradas e encontravam seus lábios avermelhados. 

– Perdoe por ser tão egoísta. – ele virou o rosto para beijar-lhe os dedos da mão esquerda. 

– Não há o que perdoar só me prometa que quando chegar a hora irá se despedir de mim, não quero acordar e não te ver ao meu lado. Mas mais importante que isso, você precisa me prometer que não irá levar minhas preciosas lembranças!  As lembranças que iremos construir juntos a partir de hoje! 

– Eu prometo... 

 

Pouco mais de 2 anos depois... 

 

– Itachi até que horas vai treinar, hm? – Sakura perguntou parada na varanda da casa. Estava escurecendo quando ela o chamou, ele estava na parte de trás da casa em um pequeno campo de treino que haviam construído. 

– Se quer tanto que eu entre, você sabe que é só pedir Sakura. – ele falou parando de treinar e a olhou profundamente. Gostava de observá-la e de ver como ela tinha mudado; os cabelos muito além da cintura caiam-lhe sobre as costas, as curvas acentuadas do quadril e os seios feitos para suas mãos. Mas a maior mudança estava em seu rosto, Sakura agora exibia um semblante calmo e controlado, talvez fosse uma consequência de viver com ele. 

Mas havia algo que não tinha mudado, o amor que preenchia seu coração a cada momento em que estava com ela, como a amava! Amava cada detalhe, cada qualidade e também cada defeito dela. Amava vê-la com cara de brava e ainda mais vê-la com o rosto cheio de prazer enquanto faziam amor. 

– Itachi, venha. Precisa tomar a infusão. – Sakura fingiu que não o tinha ouvido e que não tinha percebido a forma que ele a olhava enquanto se aproximava dela. Ele sempre foi assim, por baixo das palavras muitas vezes frias sempre havia um elogio ou um afago. 

Sentiu o perfume dela quando finalmente a alcançou, deliciosamente doce. Abraçou-a. Itachi estava sem camisa, calças largas e os pés descalças devido ao treinamento, mas nem por isso estava menos atraente aos olhos dela. 

– Preciso de você. – Ele sussurrou em seu ouvido e deixou um leve sorriso escapar dos lábios quando a sentiu tremer em seus braços. – Já faz mais de 2 anos e você ainda reage assim a mim, isso é realmente. - Sussurrou enquanto lhe distribuía beijos e mordidas pelo pescoço e ombro – excitante. 

– Itachi... – Sakura não pode evitar pronunciar seu nome, deixou que suas mãos percorressem toda as costas dele, usando os dedos para desenhar cada músculo. 

– Hm? – ele não se deu ao trabalho de parar as carícias, na verdade nem queria! 

–Sua... Você precisa... – Sakura deixou um grito rouco escapar quando sentiu uma mordida mais forte no pescoço. – Ah! 

– Já tenho tudo que preciso Sakura! – Oh céus! Ela o deixava cego de desejo, não conseguia parar, queria ouvir ela gemer, ver os olhos verdes escurecidos pela luxúria e ainda mais senti-la apertar o seu membro enquanto a possuía uma vez. 

– Não! Precisa tomar a infusão ou voltará a ter dores de cabeça! – ela finalmente conseguiu falar, era difícil não se deixar levar por ele. 

Itachi suspirou cansado, era verdade que precisava tomar aquela infusão, tinha um gosto horrível, mas lhe permitia viver sem ter que sentir as dores consequentes do uso do sharingan. E Sakura tinha pesquisado muito antes de conseguir chegar a este resultado, era fruto do trabalho dela. Pesquisou várias ervas e tipos de flores raras, até conseguir diminuir o inchaço em seus canais oculares, devolvendo-lhe mesmo que um pouco da visão, e livrando-o das dores. A única parte ruim era que se ficasse sem tomá-la por mais de dois dias, as dores voltariam ainda piores. 

– Are... Are... Irei tomar! – ele afastou-se um pouco para poder olhá-la nos olhos. – Vou tomar um banho e depois jantaremos, certo!? 

– Sim. Não demore querido. – Ela mais uma vez lhe ofereceu um sorriso doce antes de dar-lhe um beijo estalado na bochecha. 

Itachi sorriu inconsciente diante da atitude dela, agradecia aos deuses todos os momentos por permitir que ela estivesse ao seu lado por mais um dia. 

Ele não demorou no banho, jantaram em silêncio antes de ir para o quarto. Na manhã seguinte Sakura iria para o vilarejo ajudar no pronto-socorro, mesmo que não pudesse mais usar ninjutsus ela ainda era muito hábil, e com o tempo os moradores da pequena vila aprenderam a confiar na estranha médica de cabelos rosas. 

Vila Oculta da Folha – Sala da Hokage 

– Tem certeza? – Tsunade estava sentada atrás de sua mesa, onde incontáveis papeis estavam empilhados. Odiava aquele trabalho burocrático, mas era sua função assim como proteger os moradores da vila. 

– Sim! Hokage-sama... Temos informações de que no país do raio há uma médica muito habilidosa, com longos cabelos rosas. O espião nos disse que ela vai até o pequeno vilarejo pelo menos duas vezes na semana, mas que ninguém sabe onde ela mora. – O ANBU com estava abaixado em sinal de respeito para com a superior. 

– Vovó Tsunade, deve ser a Sakura-chan!!! – Naruto estava perto da janela, os anos que passaram lhe fizeram bem a aparência, agora os cabelos mais cumpridos e as expressões mais suaves, mostravam o quanto tinha aprendido; e que seu cargo como Hokage ao lado de Tsunade era muito mais do que merecido. – Irei ver isso agora mesmo! – ele já se preparava para saltar, quando Tsunade o impediu. 

– Não! Naruto, você agora é um kage não deve ficar saindo da vila! – Não sabemos se é realmente a Sakura, além do que agora ela é uma ninja perdida da folha, você entende, não é? 

– Mas vovó e a Sakura!!! 

– Você!– Tsunade ignorou Naruto por um tempo. – Avise ao capitão da 6ª divisão ANBU, que eles devem partir imediatamente para esse vilarejo no país do raio. Devem ser discretos e precisam de confirmação visual antes de agir. Se Haruno Sakura estiver naquela vila, ela deve ser trazida viva para ser interrogada! 

– sim Hokage-sama! – e então o ANBU desapareceu. 

Naruto não gostou nem um pouco dessa decisão, mas Tsunade tinha razão. Mas pensar que era Sasuke estava indo até Sakura e ele não o incomodava profundamente, alguma coisa muito ruim iria acontecer. 

– Sabe que é muito provável que Itachi esteja com ela não é vovó! – Ele olhava pensativo pela janela. 

– Sim, é por isso que enviei Sasuke. – Naruto sabia que Sasuke ainda não tinha desistido de matar o irmão, apenas tinha dado um tempo. Desde que voltou a vila e que Sakura tinha ajudado Itachi, ele tinha mudado novamente. Sasuke de certa forma sempre foi sombrio, e nunca tinha deixado alguém chegar até ele além de Sakura e o próprio Naruto, então a idéia de perder Sakura para seu irmão a quem ele tanto odiava, havia trazido uma nova camada de ódio para o seu já tão escuro coração Uchiha. 

– Estou preocupado. 

– Eu também Naruto... vamos esperar sim. 

– Sim, é o que podemos fazer por hora. 

Vila Civil - País do Raio 

– Ahhhhh... Hoje está mesmo quente! – Sakura andava tranquilamente pela estrada de terra que levava até o pequeno vilarejo onde atendia os doentes. Não se sentia muito bem há alguns dias e aquele calor só fazia piorar o seu mal estar. 

Não demoraria muito tempo para chegar até seu destino, mas mesmo assim era o tempo suficiente para deixar-se cair em pensamentos e reviver cada segundo dessa vida que levava ao lado de Itachi. Nem por um momento tinha se arrependido de deixar a Vila da Folha e seguir com ele, mas o que muito lhe incomodava era que Itachi mesmo que não lhe falasse mais sobre o assunto, lhe magoava pensar que ela não era o suficiente para fazê-lo querer viver, estar com ela até que ficassem velhinhos e seguissem para a próxima vida, onde ela tinha certeza, se encontrariam novamente. 

– O que será que estão fazendo agora? – Sempre teve saudade dos amigos e de sua querida mestra. – Aposto que Naruto se casou com a Hinata-chan. – Era um costume que não podia deixar, sempre falava sozinha. 

O dia passou bem rápido, mas Sakura não tinha pressa para voltar para casa. Itachi tinha saído para cumprir alguma missão para a Akatsuki, nada de assassinatos, apenas rastreamentos e obtenção de informações privilegiadas. Se fosse por ela ele nunca mais voltaria a colocar aquela roupa, mas se não o fizesse seria novamente considerado traidor e com certeza caçado até que o matassem. 

Estava voltando mais tarde do que o normal, só a luz da lua iluminava o caminho a sua frente. Gostava de se perder em lembranças enquanto caminhava, mas quando sentiu os pêlos da nuca eriçarem, imediatamente tomou a postura de taijutsu que há tanto tempo não usava. 

– Saia logo! Sei que está ai! – sua voz era fria, enquanto segurava firmemente uma de suas kunais. 

– Já faz algum tempo Sakura. – Sentiu o frio subir-lhe pela espinha ao ouvir aquela voz, jamais esqueceria. O viu surgir caminhando tranquilamente por entre as árvores, apesar da máscara ANBU, tinha certeza de quem era. 

– Sasuke? Como? – Sasuke não continuou, atrás dele havia mais 3 ou 4 ANBUS, talvez fossem de seu esquadrão. 

– Como? Você sabe, cabelos assim não são comuns Sakura. – Mesmo que ele tivesse voltado para a vila, a escuridão em seus olhos parecia querer lhe tragar para o abismo dentro deles. – Tenho que levá-la de volta, se bem que gostaria de matar você agora mesmo, porém, tenho ordens do hokage para capturá-la e levá-la viva até a vila. Mas ante disso nukenin Haruno-san, onde ele está? – Sakura viu o momento em que Sasuke iria lhe atacar com sua katana de relâmpago, não haveria tempo de desviar. 

Esperou pelo golpe que não veio, e então quando finalmente a poeira baixou, ela o viu em sua frente, bloqueando o ataque de Sasuke com duas kunais. – Itachi! 

– Itachi! Resolveu aparecer?! Maldito, hoje irei resgatar a honra do clã! Vou matá-lo e terei minha vingança! – Era impressionante a quantidade de chakra que ambos emanavam. A face de Sasuke estava desfigurada pelo ódio que sentia, mas em contrapartida Itachi parecia tranquilo, apesar de desviar os olhos para Sakura que estava atrás de si de forma preocupada. 

– Sakura, se afaste. 

– Não! Itachi... 

– SAIA AGORA SAKURA! 


Notas Finais


Aguardo vcs no próximo capítulo,
Bjo bjo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...