1. Spirit Fanfics >
  2. Quando meu tempo voltou a ter sentido(Gu family book) >
  3. Capítulo 8-Medo de quem sou

História Quando meu tempo voltou a ter sentido(Gu family book) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Agora uma mudança dos pontos de vista,nesse capítulo vocês vão conhecer mais do Jin Wook e suas questões. Ok ok todos nessa história estão cheio de questões a serem resolvidas hihi


Boa leitura!

Capítulo 9 - Capítulo 8-Medo de quem sou


Fanfic / Fanfiction Quando meu tempo voltou a ter sentido(Gu family book) - Capítulo 9 - Capítulo 8-Medo de quem sou

🅙🅘🅝 🅦🅞🅞🅚

-Aló Ye Jin. Oi, eu queria pedir desculpas por não ter ido.-desculpei-me diminuindo a sonoridade da voz enquanto falava no telefone

-O que  houve?Você parece mais pra baixo que o normal.

Foi isso mesmo que minha voz levou a interprtar?
Contudo o entendimento dela acertou em cheio.

-Eu fui para casa do pai e da mâe naquela noite.-Expirei pesadamente.- me arrependi de ter ido.

-Ué por que?

-É... sobre aquele assunto.-mencionei meio que me arrependendo um pouco,eu deveria ter formulado uma desculpa,mas a vontade decdesabafar impedia de ir na contra-mão

-Quer dizer sua sexualidade?Por que fica trando-a como se fosse um crime?Não estamos na era Joseon.

Engraçado que ela discute  tais temas com tanta naturalidade,se nossa sociedade seguisse o exemplo de Ye Jin,abolisse os tabus e resolvesse escutar seres humanos de fato...

-Não  tem nada a ver com isso. Eu tô no meio da rua e não curto ficar falando da minha vida pessoa tão abertamente,ok?

-Uhum certo.-assentiu dando uma irritabilidade amena nas falas

-Eu não aguento mais esconder!-Confesso com franqueza

-Não esconda ué. Você é adulto não tem que ficar dando satisfação a ninguém!

-Ah é fácil falar!-retruquei indignado-A verdade é,não sei como falar sobre mim dessa forma.

-Além de mim. Quem mais sabe?-Quis saber ela.

-Ninguém. Só você.

-Nem o Kang Chi?

-Não.-neguei quase segredando.

Ás vezes eu só gostaria de viver minha vida sem precisar ter forças me impulsionando a ser alguém que nunca fui ou me colocando numa barra em que eu estivesse numa posição de assumir, detestava o termo,construia uma imagem mental de um individuo que cometera atrocidades terríveis e pecados dignos de morte.

-Não confia nele?

Confiança?Não era bem a questão.No fundo eu acredito que Choi jamais reagiria mal ao segredo,gostava de pensar que tudo seria mais simples se eu abandonasse o medo,mas esse mesmo medo está me protegendo das dores e quaisquer abalos.

-Eu preciso ir.-Informo tratando de encerrar a chamada.

Provavelmente em uma nova oportunidade,minha querida prima vai se vingar por eu praticamente ter desligado o telefone na sua cara.

🄼🄸-🄶🅁🄰🅈

Ye Jin ,
a única pessoa que sabia ,mas se dependesse de mim nunca teria descoberto.
Desde o meu entendimento da Bissexualidade passei a guardar isso a todo custo.

иα̃ο ѕєι ροяգυє, мαѕ ∂є αℓgυмα ƒοямα єυ αϐяι οѕ мєυѕ οℓнοѕ нοנє ϲє∂ο

Porém eu estava me cansando de tantas mentiras que me obrigava a contar desde então,queria contar para o meu amigo.

єυ ѕєиτι νοиτα∂є ∂є ∂αя υм ραѕѕєιο
∂єνο υѕαя գυαℓգυєя ϲοιѕα є ѕαιя ροя υм ѕєgυи∂ο?
иαн, α мιϲяο ροєιяα τά υмα ℓουϲυяα

A parte mais assustadora é que ele já sacava as pistas abandonadas pela minha pessoa ora intencionalmente ora não.

мєυ мєиυ ∂є ϲαƒє́ ∂α мαинα є́ ονοѕ ƒяιτοѕ, ϲєяєαιѕ є τοяяα∂αѕ


É o privilégio de possuir sentidos sobrehumanos dificultava ainda mais minha tarefa.

єυ ∂єιτο иο ѕοƒά иοναмєиτє
αѕѕιѕτιи∂ο иєτƒℓιϰ
գυαℓ ѕє́яιє єυ ∂єνєяια αѕѕιѕτιя?

Kang Chi formara suas suspeitas e direto como era não demorou muito para nos confrontarmos.

єυ ϲοѕτυмανα  ѕαιя το∂αѕ αѕ иοιτєѕ ( иόѕ ƒєѕτєנαмοѕ)
мαѕ єυ ∂ιƒιϲιℓмєиτє ѕαιο нοנє єм ∂ια
є́ ρєяιgοѕο ℓά ƒοяα, є́ ρєяιgοѕο ƒοяα ∂ο мєυ ϲοϐєяτοя

A ligação de minha prima  que idealmente era para estar em sigílo foi escutada por Choi a metros,certamente as dúvidas dele solidificaram em fato após a conversa.

мυιταѕ τєиταϲ̧ο̃єѕ є ρєѕѕοαѕ мє ∂єιϰαм єϰαυѕτο
єυ ƒιϲο υм ρουϲο єѕτяєѕѕα∂ο ϲοм α мιинα ρєяѕοиαℓι∂α∂є
ο գυє ταмϐє́м мє ƒαz ѕοℓιτάяιο

(...)

Um pré-adolescente nos anos 2000 daqui a alguns anos adolescente ,um jovem perdido.  Olhando para garotas  me sentia atraido , olhando para garotos também me sentido atraido,gênero apartir da ótica dos meus desejos físicos e emocionais não se limitava,era abrangente.
Um detalhe que hoje em dia há quem considera libertador.
Não sabia defenir,teria uma nomenclatura sofisticada?
Com certeza eu não era gay.
Com certeza eu  não era hétero.
E como se as duas condições andassem de mãos dadas no meu coração.
A os 10 anos pensava: talvez quando a puberdade nos desse as boas vindas  esse interesse germinava e desaparecia no momento em que tudo se encontrasse no seu devido lugar .
Assim que observava meus amigos e colegas de classe estranhava a convicção dos mesmos,me levando a derrubar minhas própias teorias que por sinal eram logo revestidas de uma nova verddade criada por mim mesmo afim de não ser encarado como estrangeiro no meu meio juvenil.
Os preconceitos!
Só pode ser por isso!
Ocultam a natureza homossexual por ser vergonhoso socialmente!
Nossa que menino criativo,hein?
Talvez fosse somente uma fase,afinal esse tipo de manifestação não era afirmado,portanto inexistente
Uma fase muito duradoura ,sendo parte de quase o total de anos equivalentes a minha existência no mundo.

Na adolescência, quando os interesses eram voltados para mulheres,
sentia um  alivio, a final eu não precisaria percorrer aquela enxurrada de discriminações e violências.
Na hora da mídia nos der um soco no meio do estômago transmitindo visões deturbadas do grupo desviante da héteronormatividade ou na hora que as pessoas brincassem com isso no modo pejorativo ,eu não me sentiria mal.
Eu era hétero!
Havia me decidido!
Meus pais nao se entristeceriam em um almoço de domingo.

Porém a atração e o desejo não morreram.
Os atores das novelas assistidas pela minha  mâe  despertavam um interesse que ultrapassava os limites da héterossexualidade.Nunca fui de invejá-los, eu Sik Wook fantasiava constrindo relacionamentos junto deles,me perguntava como seria beijar os galãs que as mulheres caiam em cima?Eu compreendia bem o interesse feminino neles.

Não demorou muito para começar  me apaixonar platônicamente  por conhecidos a volta.
Se declarar?
Sem chance!
E ser humilhado?
As vivências de Jin Wook viajavam contradotórias as atuações dramáticas da época.
Eu guardava isso para mim.
Doia muito por nunca poder concretizar.
Queria ter tido alguém nesses momentos para dialogar e retirar a rocha caida sobre meu peito, masnpor outro ângulo preferia não ter.
Se fosse para me  invalidar preferia guardar
, esperar passar.
Afinal era uma paixão,paiões são passageiras.

Quanto a meus pais seria exagero  rotulá-los como um casal conservador,contra as diversas liberdades, todavia também passavam longe de individuos liberais, quer dizer, eles são meio exigentes quando consideravam  necessário,mas na maioria das ocasiões,abertos,especialmente meu pai,por incrível que tenha parecido para você.

Já que o diz respeito a sexualidade ai sim iniciavam as críticas. Deixando de se mostravam interessados a entender.
Cabeças duras.
Sua geração nesse lado e quem preservava os "verdadeiros valores".

No dia antes de Ye Jin ligar e comentar sobre o convite do jantar em sua casa, minha mãe já havia me chamado para ir lvisitá-los , passar um tempo com os dois.
Realmente fazia uns meses que eu não os via pessoalmente devido a rotina agitada, então deveriam estar com saudades assim como eu estava pelos meus pais.
Mas isso me deixou  relutante ,pois sabia que poderia ouvir algo que mexesse com as estruturas frágeis do meu eu secreto sem a intenção de machucar realmente  e que fizesse eu me sentir desconfortável.
Com os meus amigos eu não me sentia mal tantas vezes , eles pouco se importavam com esse assunto de relacionamento,embora fossem curiosos de vez em quando,o que acontece normalmente.

Para os pais, ao menos a maioria vocé precisa de alguns requisitos para se considerar  uma pessoa feliz

Adquirir notas boas e adentrar numa ótima Universidade.

Ter uma Profissão Excelênte.

Uma estrutura financeira estável

E ter uma familia tradicionalmente formada por uma mulher e no máximo dois filhos.

Ou seja era quase perfeito. Na visão deles Park Jin Wook chegava pertinho do filho ideal.

Mas meu relacionamento atual não seguiria isso

Eu estava conhecendo um garoto gay universitário chamado Soo Hyun de 24 anos. não afirmo dizer que se tratava de algo sério, ainda  conheciamos e analisavamos se aquilo viria a evoluir futuramente para um namoro.
Soo Hyun assim como eu nos mantiamos moderados até mesmo nesse contexto.
Assim como eu ,não ousava contar abertamente a seus familiares.
Mas diferente de mim mão tinha uma total indepêndecia na vida em olhar geral e diferente de mim possuia uma medida adicional de coragem junto de aceitação.

...
Eu e Kang Chi nos achavamos na cozinha pertencente a minha residência.
De costas para ele um milhão de pensamentos rodiavam minha cabeção,um trilhão de possibilidades das mais severas.
O de de moletom vermelho resolveu caminhar precisamente três passos passos mais próximo a mim enquanto eu segurava meu antibraço fortemente como se esperasse uma bomba explodir a residência inteira me levando junto a os destroços.

-Por que nunca me contou?-questionou.
-Não enxerga a face do meu amigo naquela posição,não conseguia associar as micro expressões juntamente com as macros,mas apenas pela sua voz compreendia.
-Frustração.

-Por vegonha...medo...por acreditar que nossa amizade terminaria aqui.

Injusto da minha parte achar que  Kang Chi por ser ainda mais velho que meus pais significaria que seria ainda mais intolerânte.
O preconceituoso dessa vez foi eu mesmo.

-Park Jin Wook,olhe nos meus olhos.-pediu mansamente,sem deixar fugir o ar determinado e firme,típicos dele.

-Não consigo.-Sussurrei retraido,o temor continua censurando meus músculos.

-Consegue.-Afirma.
Em segundos noto o deslocamento radical comporando a posição inicial com a presente.
Estando a um braço de me alcançar.-Não sou um Juiz,sou seu amigo. Por que tem vergonha de me olhar?

Tocando em meus ombros sinto um pequeno susto pela surpresa, girei meu corpo lentamente  a dificuldade de encará-lo permanecia intancta.

-Respire fundo e fale com todas as forças que você tem. Diga sem medo eu sou gay.-gesticulou inspiradoramento como se discurssassem em um impotânte debate

-Eu sou Bissexual Kang Chi.-corrigi um tanto debochado.

As mãos que seguravam meus ombros soltam um pouco revelando um Kang Chi boquiaberto.

-Tipo você pode tanto gostar de homens como de mulheres?-perguntou esperando minha confirmação.

-Exatamente.-assegurei
internamente grato por não precisar dar uma aula.

-Entendi. De qualquer forma não esconda mais nada de mim,certo?

-Que tranquilidade. Não me acha estranho?

-Acho. Pra mim é difícil de imaginar. Já é complicado você gostar de um sexo imagina os dois. Parece cansativo!

-Tem seu lado bom.

Choi pega a garrafa de Soju e nos serve ,nesse momento eu parei para prestar mais atenção no outr e relembrei da vez em que descobri sobre seu segredo,naquela época acabei sendo muito injusto e hoje o mesmo está me recebendo de braços abertos. Quase não comenta sobre sua juventude,acredito que tenha tido muitos obstáculos,imagino qye sofrera inumeras rejeições quando descobriam as origens místicas de Kang Chi me entristecia ao me colocar em seu lugar. Vê-lo plenamente demonstrando um considerável nível de amor própio e autoconfiança...isso me inspirava.
Isso fica entre nós,tá?

-Nem posso ficar bêbado parece que tô tomando suco de uva,dá raiva!

-Para quê estar bêbado se você  é ranzinza e super autoastral todo santo dia?

-Nossa morri de rir agora.

O sarcasmo de Choi caminhava para o progresso.
Senti orgulho,acho que uma lágrima escorreu.

-Ei,Kang Chi.-Chamei a atenção do de moletom vermelho,movimentando o copinho de vinho com uma cara de paisagem. Percebeu o chamado mostrando que permanecia estava na Terra com um murmurio positivo.

-Me desculpa tâ legal?Por eu ter fugido de você no momento em que descobri seu segredo.

-Até que foi engraçado.-sorriu lembrando da história.

-Aquilo foi péssimo Kang Chi!Deve ter ficado chateado,sinto muito.

-Faz tanto tempo que eu não ligo mais para como os outros me enxergam.
Minha vida foi cercada de preconceitos,primeiro orfão depois ser híbrido,foi difícil. As pessoas te olharem e não verem um ser humano e sim uma aberração,uma afronta a "ordem natural das coisas".-formou aspas nos dedos em a ordem natural das coisas.-fazendo eu me odiar cada vez mais e ter raiva de tudo e todos por estarem sendo injustos com você. As pessoas tem medo do diferente por isso o repudiam,essa realidade se perpetua nos dias de hoje.A diferença é que atualmente há mais conhecimentos disponíveis a respeito do desconhecido,só não que não quer.

Concordo pegando a garrafa de Soju e dessa vez sou eu quem preenche nossos copos com o liquido incolor.

-Quando percebi que você se sentia desconfortável em sua sexualidade eu relembrei da minha juventide caótica,veio o sentimento de compaixão. Tem um amigo que está passando pelo mesmo que eu passei,preciso apoiá-lo!

-Que fofo. Mas desde quando você suspeitava?

-Faz umas semanas. Na real eu sempre suspeitava que vocêescondia algo. Para mim você é uma espécie de agente duplo.
Teve a vez que achei umas fotos suas com outras pessoas,cada um com uma blusa de cores diferentes,formando um arco-íris, num bairro bem animado,parecia o bairro de Itaweon,pensa que eu não entendo as referências?. E outra vez foi quando vi umas mensagens trocadas entre você e um outro cara tendo uma conversa bem...interessante se é que me entende.-Fitou me maliciosamente.

-Você andou vasculhando o meu Kakao?

-Em minha defesa,vocêesqueceu de bloquear seu celular,eu queria ver a hora.-balançou as mãos indicando ausência de culpa.E por último a ligação de agora pouco. As peças se encaixaram.-Sorriu vitorioso

-Bravo Sherlock Holmes!-Bati palmas lentas em brincadeira.-Resolveu um grande mistério.

-Tá,tá me passa essa asinha de frango!Não aguento mais conversar!Quero comer. Vai comer a sua?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...