História Quando o AMOR acontece. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Visualizações 349
Palavras 1.135
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora meninas!
Mais um capitulo quentinho pra vocês! ❤
Indico vocês a escutarem a música
Fake Plastic Trees
Da banda Radiohead pra deixar o capítulo c mais emoção! 🔥

Capítulo 7 - Revelação!


Fanfic / Fanfiction Quando o AMOR acontece. - Capítulo 7 - Revelação!

- Henrique? Digo olhando surpresa.

- Da pra soltar a moça aí, seu verme ? Ele diz se aproximando. 

- Melhor ir embora playboy, eu e Paola somos namorados. Você tá sobrando aqui. 

- Parem, pelo amor de Deus, vocês querem causar confusão na frente do meu restaurante? Digo ficando entre os dois. 

- Marcos vai embora! O único que está sobrando aqui é você, e a gente não namora mais. 

- Você ouviu a moça? Vaza! Diz Henrique fazendo movimentos com a mão. 

- Beleza, eu vou. Mas temos uma conversa pendente Paola! Uma hora você vai ter que me escutar. 


(...)

- Você tá legal? Henrique diz se aproximando de mim. 

- Sí estou, foi só um susto. 

- Quem é esse cara Paola? Por que não me falou dele ? 

- Vamos ao café que tem aqui do lado, lá te explico. 

Chegamos ao café próximo ao meu restaurante. Pedi somente uma água, e Henrique um café. 

O café estava praticamente vazio, e ao fundo tocava uma das músicas que eu mais gostava;

 Fake Plastic Trees da banda Radiohead

- Pronto, estamos aqui, agora me conta quem é esse Marcos? Diz Henrique tomando um gole de café.

- Henrique, eu ia te contar quando eu achasse que fosse necessário. Marcos é meu ex namorado, ficamos juntos por 4 anos, os piores 4 anos da minha vida. Eu estava em um relacionamento abusivo, e não conseguia me libertar. Todas as noites eu chorava por não conseguir me separar dele, eu o amava, pelo menos eu pensava assim, até que um determinado dia, tivemos uma briga e ele veio pra cima de mim, por pouco ele não me bateu. Mas graças a essa atitude dele, eu acordei pra vida e vi que nós não dávamos certo. 

Digo limpando as lágrimas que caiam, ao lembrar de todos os momentos ruins que tive ao lado de marcos. 


That she bought from a rubber man

In a town full of rubber plans

To get rid of itself

It wears her out

It wears her out

It wears her out

It wears her out

A música de fundo só ajudava a colocar pra fora tudo o que eu guardava comigo, todos os medos, a insegurança. 

Henrique se aproxima de mim, e me abraça bem forte, um abraço acolhedor, um abraço reconfortante. Era daquele abraço que eu precisava, era do Henrique que eu precisava. 

- Henrique, foi ele, ele que tentou me levar a força aquela noite que você apareceu no meu restaurante. Digo ainda abraçada com ele. 

- Como é que é? Henrique diz se separando e me olhando. 

- Sí Henrique, era ele, você não notou que ele estava com uma marca roxa no rosto? 

Ele disse que teve que da uma grana pros teus amigos pra poder deixar ele livre. 

- Que porra é essa? Ah mais eles vão se ver comigo. 

- No Henrique, deixa isso pra la, já passou. Digo pegando em sua mão. 

- Mas paola, se aquele verme vier atrás de você de novo? Vai que eu não dou sorte de aparecer na hora? E ai?

- Calma Henrique, eu sei me cuidar. A única saída pro Marcos me deixar em paz, é conversar com ele, e saber o que ele tem pra me falar. 

- Não concordo com isso, mas já que você acha que é melhor assim, então tá. 

Henrique diz tomando o último gole de café. 

- Você sempre aparece quando eu preciso né? É coincidência, ou você anda me vigiando? 

- Estava indo no seu restaurante falar com você, já que você não me ligou. E eu já estou morrendo de saudades. 

- Eu disse que ia ligar, mas tô confusa, cheia de problemas, ainda aparece mais um, e ainda tenho que da a resposta pro patrício sobre a proposta do programa. Enfim! Tô lotada. 

- Eu imagino, mas pra facilitar a sua vida, vim te ver. 

- E mais uma vez me livrando do perigo né? 

- Sim, sempre! 

- Ok, agora eu preciso ir. 

- Posso ir com você ? 

- Tá louco? Eu vou pra minha casa. 

- Qual o problema ? Não posso ir pra te fazer companhia? 

Coincidentemente naquele dia Fran ia dormir na casa do Pai dela, e eu havia dado folga pra Bebel. 

Olhei pra Henrique por alguns minutos, E pensei que aquilo seria loucura, mas eu precisava de um pouco de loucura na minha vida. 

- Posso ir com você? Diz que sim. 

Pergunta Henrique me fazendo voltar pra realidade.

- Tá, você pode ir, mas tem que se comportar. Hoje não vai acontecer o que aconteceu na noite passada. 

- Tá bom senhorita, vou só fazer companhia mesmo. 

Pagamos a conta e fomos em direção ao meu carro.. 



(...)

Chegando na minha casa, peço pra Henrique esperar na sala, enquanto eu iria tomar banho. 

- Vê se não inventa nenhuma gracinha!! 

- Claro que não, vou ficar quietinho aqui. Você que manda! 

- Acho bom! 

Enquanto eu tomava banho, sentia que tinha alguém me olhando, mas não dei importância e continuei de olhos fechados deixando a água percorrer por todo o meu corpo. 

Até que escuto o box abrindo! 

Abro os olhos assustada! 

- Eu disse pra você esperar na sala, Henrique. Não quero que aconteça o que aconteceu ontem.

- Você acha mesmo que eu ia te obedecer? 

Henrique estava somente de cueca, entrou fechando a porta do box. 

- Que saudade que eu tava desse corpo, dessa pele, desse cheiro. 

Sem nem pensar Henrique me agarra e me da aquele beijo que só ele sabia dar, aquele beijo que só de sentir, já era o suficiente pra me deixar molhada, massageio seu membro por cima da cueca e percebo que já está muito duro, o que me excita mais ainda. 

Henrique me encosta na parede, E diz: 

- Banho relaxa a gente né? 

Então vou fazer você relaxar mais ainda! 

Henrique começa beijando meu pescoço, enquanto aperta os meus seios. Em seguida suga com toda vontade o meu seio esquerdo, enquanto massageia o direito, depois alterna entre os dois. 

- Ohhhhhhh!! Gemia alto a cada chupada que Henrique dava. 

Henrique me vira contra a parede e pergunta : 

- Quer sentir ele todinho dentro de você?

- Sí Henrique, não aguento mais esperar. 

Henrique me penetrou forte e com movimentos precisos gozei primeiro, 

- Carajo, ohhhhhhhhh!! 

Ao perceber que eu estava gozando, Henrique goza junto comigo. 

Nossa respiração estava ofegante, abracei Henrique e deixei a água cair sobre nossos corpos, causando aquela sensação de relaxamento. 

- Você é bom nisso! 

- Você que é, e eu nunca duvidei disso. 

Henrique me beija, e pude perceber, que o que eu estava sentindo não era somente uma atração física. 

- Paola eu preciso te dizer uma coisa, Que eu já devia ter dito a muito tempo! 

- Pode falar! 

- Eu amo você! 










Notas Finais


Amanhã talvez não dê pra atualizar por que vou passar o dia fora. Mas vou fazer de tudo pra atualizar! Beijo amores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...