1. Spirit Fanfics >
  2. Quando o amor acontece (Lukanette) >
  3. Trabalho amador

História Quando o amor acontece (Lukanette) - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meus amores!
Esse é o resultado do trabalho dessa madrugada.

Boa leitura!

✌ (>‿◠)

Capítulo 21 - Trabalho amador


Fanfic / Fanfiction Quando o amor acontece (Lukanette) - Capítulo 21 - Trabalho amador

A decoração do escritório era moderna, toda em preto e branco, tão bonita quanto intimidadora. A mesa de reuniões era de uma madeira escura, quase negra, brilhante ao ponto de refletir a iluminação pendente no teto. Seis pares de cadeiras separavam Marinette de sua interlocutora: Nathalie, a assistente pessoal de Gabriel Agreste.
 

- Você desperdiçou uma chance de ouro! – a mulher falou com desdém.
 

- Por favor, será que você pode pedir para ele reconsiderar? – Marinette suplicava com seus olhos azuis já marejados de lágrimas.
 

- Agora é tarde! Gabriel Agreste não tem tempo a perder ouvindo suas lamentações.
 

A secretária saiu do ambiente batendo a porta atrás de si e deixando a mestiça sozinha, ainda pasma com o andamento daquela conversa.
 

Marinette acabava de perder a melhor oportunidade de sua carreira.

 

A luz do luar que penetrava pela claraboia do ático era a única iluminação disponível para Tikki. Era madrugada quando ela acordou ao ouvir sons sem sentido que eram murmurados por sua guardiã.

- Acorda Marinette!!!  - Tikki fazia de tudo para despertar a garota.

A mestiça se sentou na cama assustada. Algumas gotículas de suor se formavam na testa, fazendo como que os fios de cabelo de sua franja espessa grudassem em seu rosto. 

- Tive um pesadelo Tikki, sonhei que não tinha conseguido apresentar o catálogo para o Gabriel Agreste.

A vermelhinha ficou muda por um momento: 

- Infelizmente você ainda não apresentou – falou com a voz quase sumindo.

A garota se jogou de costas no travesseiro com os olhos arregalados. Gabriel Agreste estava dando uma oportunidade para que a jovem designer fizesse alguns trabalhos para sua grife, mas primeiro precisava entender se o estilo das produções de Marinette eram compatíveis com a marca Gabriel, dessa forma, por intermédio de Nathalie ele solicitou que a estilista apresentasse um catálogo que expressasse as suas criações. 

Desde o início a garota definiu que os modelos seriam Luka e Juleika, mas os dias se tornaram semanas, e as semanas se transformaram em dois meses, e até o momento ela não conseguiu conciliar a agenda dela com a agenda dos irmãos Couffaine.

- Estou perdida Tikki! Se eu não entregar isso logo ele nunca mais vai me dar outra chance.

Tikki abriu a boca e fechou novamente, repensou as palavras tentando encontrar algo que encorajasse a garota. Há dias a kwami acompanhava a inquietação de sua mestre, o desejo obsessivo de apresentar um material perfeito, o decepção por não conseguir dar o ponta pé inicial.

- Calma! Não é o fim do mundo, tente reunir os seus amigos na sexta-feira. Você poderá editar as fotos no fim de semana e apresentar na segunda. É um bom plano para começar, não acha?

A garota olhou para sua pequena amiga com uma expressão agradecida. As palavras lhe deram um novo ânimo. Pelo menos já havia um plano!

- Obrigada por me ajudar a pensar! Não sei o que seria de mim sem você! – Marinette segurou o corpinho da kwami e o trouxe para perto do seu rosto. Tikki a abraçou e fez um afago na bochecha de sua guardiã com suas minúsculas mãozinhas. 

Marinette recostou a cabeça no travesseiro, Tikki se deitou ao seu lado na esperança de terminarem a noite de sono com um pouco mais de tranquilidade.

(...)

A sorte sorriu para Marinette naquela sexta-feira de feriado. Quando disparou a mensagem para o seu grupo de amigos, perguntando se estariam disponíveis para ajudá-la, recebeu imediatamente várias respostas curtas, emojis sorridentes e sinais positivos, confirmando que a mestiça poderia contar com todos. 

Já tinha sua equipe de apoio, agora poderia montar um bom planejamento:
1. Assistente de cenário: Nino e Alix
2. Maquiagem: Rose e Mylene
3. Fotógrafa: Alya
4. Modelos: Luka e Juleika

Seguindo com o combinado, todos se encontraram no parque central que ficava nas proximidades do colégio.

Aos poucos o grupo ia se reunindo. Chegavam com suas bochechas vermelhas, coradas pelo sol castigante daquela tarde e pela pequena caminhada do portão até os fundos do parque.

- Você lembrou de trazer água? – Alix nem cumprimentou. Ela sentia como se tivesse acabado de atravessar o Saara a pé, seus lábios desidratados chegavam a grudar um no outro.

- Não – respondeu Marinette ao constatar a primeira falha do dia.

- Suco, refrigerante? – insistiu Alix.

- Nada. – A mestiça sorriu amarelo.

A tarde estava muito quente, não havia como começar a trabalhar sem uma provisão de água para atender a todos. Nino correu até a lanchonete próxima e voltou com uma sacola de isotônicos.

- Deveríamos ter vindo mais cedo. – Dessa vez foi Alya quem reclamou, se abanando com a capa da câmera semiprofissional que pegou emprestada de uma amiga.

Aquela tarde ensolarada seria um problema. Por sorte rodaram até encontrar a sombra de uma grande árvore sobre um dos bancos de madeira, ali depositaram as peças de roupas e material de apoio. Usando os galhos e troncos como suporte, construíram um provador de roupas improvisado, assim os modelos poderiam se trocar com um pouquinho de privacidade.

Quando terminaram de montar o espaço da sessão fotográfica perceberam que já havia pelo menos o dobro de pessoas circulando pelo local. Todos sabiam que essa aglomeração era incomum, talvez o fluxo de pessoas tivesse aumentado devido ao avançar das horas, mas Marinette suspeitava de outro motivo: a presença dos membros da Kitty Section.

Ela tentou não se intimidar pela pequena plateia, olhou atentamente para Luka e Juleika: tons de pele e de cabelo, formato do corpo; e separou algumas peças que fariam combinações perfeitas e que dariam um bom resultado nas fotos.

Os irmãos entraram juntos no provador, mas logo começaram a se acotovelar e reclamar. Por mais boa vontade que tivessem, aquele espaço era pequeno demais para ambos se trocarem ao mesmo tempo. Mal colocou as roupas no corpo Luka foi expulso pela irmã.

Marinette olhou para o rapaz que saiu de trás das cortinas, com a camiseta toda torta e o cabelo bagunçado. Era evidente que dar uma de modelo não era a praia de Luka, mesmo assim ele estava incrível.  A jovem estilista se perguntou se o roqueiro tinha alguma noção do quanto era bonito. Mas se Luka sabia disso, simplesmente não se importava. 

Os irmãos começaram a posar para os flashs da máquina de Alya. Faziam suas séries de fotos e se revezavam com o provador. Os fãs começavam a se aglomerar ainda mais ao redor daquele espaço de trabalho, estavam assistindo e suspirando, mas Luka estava indiferente a tudo isso, como se aquela idolatria toda fosse destinada a outras pessoas que não os membros da banda.

Marinette, ao contrário, já estava bastante preocupada pois estavam muito atrasados. Ela tentava se concentrar para dizer aos seus modelos o que esperava da próxima sequência de fotos, mas ficava cada vez mais difícil se fazer ouvir diante do pequeno coro de garotas que chamava por Luka.

A jovem estilista respirou fundo, precisava de mais algumas combinações de peças caso quisesse editar um catálogo minimamente apresentável. Não sabia que horas eram, sabia apenas que o sol estava baixando rapidamente e se olhasse para o relógio entraria em pânico. 

Juleika tomou nas mãos a próxima combinação de roupas e entrou no provador. 

Marinette entregou à Luka uma camiseta e um colete.

- Ei! O que você tá fazendo? – ela perguntou ao namorado quando percebeu o movimento das mãos dele se cruzando em frente ao abdômen e alcançando as bordas da própria camiseta. Luka pretendia trocar de roupa ali mesmo, na frente de todo mundo.

- É só uma camiseta, não preciso ir ao provador – o roqueiro argumentou.

- Não senhor! Não vai tirar a camisa na frente dessas meninas. Elas vão pular em cima de você fizer isso – Marinette respondeu determinada.

Enquanto essa pequena discussão acontecia, Juleika saiu do provador, resolvendo o problema do irmão. A modelo precisava apenas retocar a maquiagem leve que tinha feito, mas Rose era a maquiadora hoje e estava ocupada demais tirando algumas fotos com um grupo de fãs. A demora foi ainda maior quando a primeira garota pediu um autógrafo na camiseta que usava.

Enquanto isso Luka voltou do provador devidamente vestido. Marinette já estava com os nervos à flor da pele.

- Mais isso agora! – ela falou com desânimo.

A camiseta que ele usava ficou ajustada, mas com um caimento estranho. Seu modelo favorito tinha quase 18 anos era inevitável dar adeus ao biotipo de garoto. Luka já era um homem, os contornos do seu corpo e o volume muscular não deixavam dúvidas disso, mas Marinette precisava desesperadamente daquela combinação de trajes que estavam em perfeita sintonia com o macacão jeans usado por Juleika.

Decidiu usar um artificio de fotógrafo. Iria cortar a camiseta na parte de trás e cobrir com o colete, escolher o melhor ângulo das fotos para disfarçar o truque. 

- Eu vou sair vivo depois disso? – Ele brincou ao notar a namorada se aproximando com a tesoura na mão.

- Não sei, vai depender de você. Promete que vai ser um bom garoto e vai fazer tudo o que eu pedir? – ela respondeu com uma voz doce mesmo assim os pensamentos dele não foram tão puros quanto à voz dela.

Ela começou o corte da base da camiseta, bem próxima a cintura dele. Conforme subia, ia deslizando a mão sobre a coluna do rapaz, a fim de proteger a pele da lâmina gelada. Quando chegou à nuca, as costas largas do namorado já estavam completamente expostas. Ela ficou imaginando se ele praticou natação ou algo assim, ou se apenas foi abençoado com o DNA perfeito. Ela terminou o que fazia e apoiou as mãos em seus ombros, pensando em como como ele estava mais lindo a cada dia. Suspirou em querer.

Luka entendeu a expressão dela como um tom de lamento e perguntou: - Tão ruim assim?

- Não! Você está incrível! – ela respondeu dando um beijinho nas costas nuas, sem nenhum constrangimento.

O rapaz sentiu o toque suave das mãos e a respiração quente da garota quando os lábios dela tocaram de forma rápida o meio das suas costas, um arrepio percorreu sua espinha. A mestiça apenas saiu como se nada tivesse acontecido e voltou com o colete em mãos. Aquilo era muito injusto com o roqueiro e ele não deixaria barato.

- Ei! Você sabe que isso não se faz, não na frente de todo mundo quando eu não posso reagir! – ele sussurrou no ouvido dela quando se aproximou.

- E o que você pretende fazer quanto a isso? – perguntou com um sorrisinho insinuante.

A resposta dele foi imediata, puxou o corpo dela para perto e deu um beijo naquela boca que tanto o provocou durante aquela tarde. Obviamente tudo isso foi registrado por vários celulares dos fãs, os membros da Kitty Section agora eram pessoas públicas e não tinham mais vida particular, aos poucos eles iam entendendo o impacto disso.

Mas aquela foi a última combinação de looks que conseguiram fotografar, logo o sol se pôs tirando o brilho das fotos e dando fim àquela tarde. Marinette se arrependeu por não ter realizado o ensaio fotográfico pela manhã. Um erro tão amador! Pensou, completamente frustrada com o trabalho que realizou. Devido à sua inexperiência não conseguiu fazer a metade das combinações de peças que queria.

Mas todos os seus amigos deram o melhor de si e, ao final, todos estavam jogados no gramado.

Ela não queria demonstrar o seu desânimo, fez escolhas erradas e precisava arcar com isso. Luka a convidou para assistir ao ensaio da banda no dia seguinte, sábado, mas ela avisou que precisava editar as fotos e montar o material para apresentar à Gabriel Agreste.

 (...)

No dia seguinte...

Os irmãos Couffaine davam os toques finais na preparação para o ensaio. No convés, a fiação do equipamento de som já estava devidamente conectada e protegida de acidentes. Luka sentou-se na cadeira dobrável e se concentrou na guitarra, as cordas começavam a ficar desgastadas, mas nos últimos dias não teve tempo de comprar o material para a substituição. Por hora, o que poderia fazer era, apenas, caprichar na afinação do instrumento. Estava, justamente, se dedicando a isso quando uma sombra robusta bloqueou a luz sol a sua frente.

Levantou o olhar, encontrando os olhos gelados de Bob Roth.

- A que devo a honra? – perguntou com certa indiferença, sem levantar para cumprimentá-lo, tampouco deixar de lado o que fazia. Ultimamente o empresário vinha pegando pesado com a banda, todos aturavam porque sabiam que a parceria com ele não duraria muitos meses.

Mas por esse mesmo motivo que Bob estava cada vez mais exigente. O sucesso da Kitty Section era a última cartada do homem que agora estava desesperado, totalmente falido e atolado em empréstimos. O banco já ameaçava tomar o imóvel da gravadora que estava hipotecado. Se não saldasse sua dívida a única alternativa seria a venda da produtora.

- Apenas gostaria que você me explicasse o que significa isso? - Bob estava lá com o celular na mão e sangue no olhar, levantou a tela do aparelho para mostrar a imagem de Luka dando um beijo ardente em Marinette, bem em frente aos fãs, no parque central.

O roqueiro não se abalou, a foto já circulava desde o dia anterior e ele sabia que essa conversa desagradável aconteceria mais cedo ou mais tarde. 

Ficou em pé para melhor encarar o homem à sua frente:

- Eu apenas encontrei minha namorada no parque, ela precisava de um favor com algumas fotos. 

- Essa palavra não pode ser mencionada aqui! – Essa resposta foi praticamente cuspida sobre o rapaz. Uma pequena veia latejava na testa do empresário, que agora estava vermelho de cólera.

- Qual palavra: “favor”? – Luka sabia o quanto Bob era ganancioso e imaginou que o motivo da reclamação seria o trabalho que fez sem remuneração.

- Não: “namorada”!.

Luka largou as mãos ruidosamente ao lado do corpo, revirando o olhar em sinal de incredulidade: 

- Não estou entendendo mais nada – disse o rapaz.

Bob começou a andar em círculos pelo convés do Liberdade. Encostou os dedos nas têmporas e começou de despejar o seu discurso que, provavelmente, já estava ensaiado:

- O que vocês não entendem é que imagem é tudo! Precisamos trabalhar a imagem de vocês pra ontem! No show biz existe algo que nós chamamos de sex appeal e você meu jovem - apontou o dedo no peito de Luka - você tem isso! Você naturalmente exerce um poder de sedução sobre os seus fãs. Os garotos querem ser iguais a você! As garotas, e até alguns garotos, pensam que algum dia poderão namorar com você e nós precisamos aproveitar isso! 

“Eu tenho um contrato que me diz que eu posso fazer o que for necessário para conduzir essa banda e vou interferir na vida pessoal de vocês se for preciso! Agora me diga? Como vou vender a ideia de um líder de banda sedutor e disponível se você aparece em todos os cantos carregando a namorada à tira-colo?”

Anarka e Juleika estavam ouvindo a uma certa distância mas resolveram se aproximar quando notaram o tom de ameaça do produtor.

Bob aproveitou a presença das mulheres da família para dar mais um aviso:

- Lembrem-se que, assim como posso criar uma imagem de destaque, também posso acabar com a carreira de vocês. Se isso não importa para você Luka, talvez seja importante para os seus amigos.

- Você já deu o teu recado Bob, agora peço que se retire da minha casa! – Anarka encarou ou homem, seu desejo era jogá-lo para fora do barco apenas com o poder do seu olhar enfurecido. A mulher sabia melhor do que ninguém o que significava ser colocada contra a parede e escolher entre carreira e vida pessoal. Ela não queria ver seus filhos pressionados da mesma forma.

- Ainda não, vou esperar aqueles dois – Bob respondeu apontando para Ivan e Rose que chegavam para o ensaio. – Decidi que faremos uma reunião de trabalho, imediatamente.
 


Notas Finais


O que tivemos hoje:
Os membros da banda começam a perder a privacidade ao sair em público.
Bob mostrando as garras, o que será que ele exigirá dos músicos?
Marinette frustrada com o resultado do seu trabalho fazendo um contraponto ao sucesso do Luka. Será que isso vai interferir no relacionamento?
Pequena Dama! Vi que esses dias vc escreveu um one-shot sobre um ensaio fotográfico. Nossas ideias infelizmente coincidiram, mas esse capítulo já estava programado há muito tempo no esqueleto da Fic e é muito importante para a trama. Só quero que vc saiba que não copiei tua ideia ksksks.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...