História Quando o passado retorna - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Reign, The Vampire Diaries
Personagens Francis II of France, Katherine Pierce, Mary, Queen of Scots
Tags Francis, Mary, Reign
Visualizações 21
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Noite de amor


Fanfic / Fanfiction Quando o passado retorna - Capítulo 4 - Noite de amor

Fiquei parada ali no meio da rua um bom tempo e estava meio sem ação. Como aquilo tinha acontecido? Para onde ela tinha ido?

Tantas perguntas inexplicadas que acabaram me atormentando. Como aquilo era possível?

Fui caminhando pelas calçadas pensando até que chego ao meu apartamento. Tudo estava exatamente como eu deixei. Tudo organizado.

Francis ainda não tinha chegado, então liguei para um restaurante chinês que tem a duas quadras daqui e pedi um especial do dia.

Em vinte minutos o porteiro me interfonou e eu pedi para que o entregador subisse. Recebi e paguei. Depois entrei no chuveiro para um banho rápido e acabei demorando mais que o necessário.

Me troquei e sequei meu cabelo. Ele estava curto então foi rápido.

Fui até a sala e me sentei no sofá para assistir. Tragédias e mais tragédias. E por incrível que pareça a minha vida estava como o jornal: uma tragédia.

Até que ouço a porta abrindo e aquele lindo sorriso para mim me mostrando que valia a pena lutar por aquele homem.

Sempre foi assim.

Nós moramos juntos no orfanato desde que éramos bebes, mas com seis anos eu fui adotada por uma família que cuidou de mim, até que eles morreram porque eles eram um casal de idosos que sonhavam em ter uma filha.

Francis continuou lá até os dezoito e depois foi liberado. Depois disso ele teve que se esforçar para não morrer e tentar uma boa vida.

Ele trabalhava como ferreiro na área rural de Londres e foi onde ele conseguiu dinheiro para o curso de especialização para corretores. Depois passou na prova final e o mais importante: isso dava a ele o direito de exercer a sua função. Vender novos lares as pessoas que o requisitavam.

E foi assim que eu o reencontrei. Fui atrás de um apartamento no centro de Londres.

Nos apaixonamos mais uma vez e nos casamos há dois anos atrás, e não tem um dia se quer que ele não entra por aquela porta sorrindo.

E não tem um dia em que eu não me apaixone por ele novamente.

Eu sorrio e vou até ele. Eu o beijo.

- Tudo bem? – ele pergunta

- Mais ou menos, mas vou ficar. – falo

- Eu disse que você ia ficar paranóica com isso. – ele ri

Eu sorrio e digo:

- Acho melhor você ir tomar um banho.

- Jantar especial? – ele pergunta

- Isso ai – eu respondo e o beijo de novo

Depois do banho, ele sai com uma bermuda cor de vinho e uma camiseta branca cheia de estampas de rock. Eu já tinha preparado a mesa com os pratos e ele se senta.

Na mesa, além dos pratos tinham os talheres, as taças, guardanapos, velas e um pequeno arranjo de rosas vermelhas.

- Se você me trazer comida chinesa eu vou ser o homem mais feliz do mundo – ele diz sorrindo e olhando para mim

Então eu o sirvo e ele sorri.

Ele sempre amou comida asiática. Japonesa, coreana... Mas a chinesa era sua preferida. Eu sabia.

Então começamos a comer e conversar.

- Estive com Greer e Leith hoje. – ele diz enquanto come

- Aonde?  - falo um tanto surpresa

- Eles vão se casar em quatro meses, e estavam procurando um apartamento por aqui. – ele continua

- Nossa que ótimo – eu fico muito feliz

- Se prepara, porque seremos padrinhos. – ele diz e ri

- Sério? – pergunto

- Ela que me disse.

- Ela te falou onde vai ser? – questiono

- O que? – ele pergunta um tanto quanto distraído

- O casamento. – respondo sorrindo

- Será numa fazenda perto daqui. Pelo o que ela falou, deve ser bem bonito – ele diz já terminando de comer.

Então eu me levanto e retiro os pratos. Ele ia se levantando quando eu seguro sentado à mesa

- O que foi? – ele pergunta

Eu então vou até a geladeira e trago para ele um prato cheio de morangos cobertos com chocolate. E então vejo os seus olhinhos brilhando.

É incrível como depois de tanto tempo juntos ele ainda fica feliz com as pequenas coisas que acabam me inspirando também.

E come um e fecha os olhos enquanto mastiga como se estivesse adorando a sensação daquilo em sua boca. Quando ele abre os olhos, eu estou frente a frente com ele e acabo sentando em seu colo.

 – Você me deu todas as minhas comidas preferidas. O que você quer, Mary? – ele sorri e ironiza

- Você - respondo e olho apaixonada para ele, e ele olha no fundo dos meus olhos.

Ele então me beija e põe a sua mão na minha nuca levantando um pouco os meus cabelos. Ele faz uma leve força me segurando perto dele. Eu entrelaço meus braços no seu pescoço e continuo o beijando.

Ele coloca a outra mão sobre a minha coxa e vai deslizando e me trazendo arrepios. Eu então me levanto e sento em seu colo de frente para ele e ele se levanta e me leva pro quarto em seu colo.

Ele me coloca delicadamente na cama e tira a sua camiseta. E logo desabotoa a minha camisa fazendo com que minha barriga ficasse a mostra.

Francis me olha admirando como a primeira vez. A nossa primeira vez.

Ele parece ter a mesma paixão e o mesmo amor que o começo. Nada mudou.

Sua mão desliza pela minha cintura e então para e fica me olhando. Lentamente se aproxima da minha boca e a beija.

Depois de algum tempo, já estamos despidos e num ato de amor esplêndido. Sinto cada vez mais prazer e consigo sentir que ele também está assim.

Enquanto ele beija meu pescoço sinto o amor dele, o desejo.

Passaram-se muito tempo após isso e enfim paramos. Ele se deita ao meu lado e eu deito sobre seu peito com uma das pernas sobre as dele.

Estávamos nus, sem lençóis ou qualquer coisa que nos cobrissem, mas ainda sim estávamos no sentindo o mais confortável possível.

Então Francis olha para mim, beija minha testa e me abraça forte.

- O que foi? – ele pergunta vendo o meu sorriso

- O que acha de termos um filho? – pergunto olhando pro nada

Ele se levanta depressa e pergunta assustado:

- Você quer? – ele pergunta sorrindo

- Sim, eu quero. – respondo sorrindo

Então Francis olha para o teto, como se fosse para o céu e diz:

- Obrigado destino, hoje é o dia mais feliz da minha vida. – e sorri

Eu dou um leve sorriso, mas ele logo cai quando me lembro do que a Katherine havia me falado.

Eu espero mesmo que o destino não se cumpra, que eu tenha um filho com ele e consiga acabar com essa maldição. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...