1. Spirit Fanfics >
  2. Quando o Sol se Põe >
  3. Você é familiar...

História Quando o Sol se Põe - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


— Pode haver erros ortográficos
— relevem ao espaço que eu dou para os parágrafos smksksk
— sorry pelo cap. pequeno

Capítulo 1 - Você é familiar...


~ meu nome é S/n, tenho 17 anos, moro com a minha mãe, que é alcoólatra e na maior parte do tempo está saindo com algum cara, e todo dia é um cara diferente e no dia seguinte ele vai embora.Eu sempre tive um vida de merda e vivo fazendo coisas erradas pra esquecer os problemas dentro de casa.Você deve estar se perguntando pelo meu pai, provavelmente... Bem, meu pai nos abandonou quando eu tinha 4 anos porque ele era agredido todos os dias pela minha mãe e nunca mais deu sinal de vida.Eu nem sei como ele está hoje... Mas dane-se!

Eu meio que tenho um grupo de amigos q estão perto de mim sempre (mas só pra infringir as leis mesmo pq eu acho q eles nem sequer gostam de mim).Nas horas vagas eu sou garota de programa, já que a minha mãe só bebe, bebe e bebe o tempo todo e sempre perde o emprego, e ela nem procura saber de onde surgiu o dinheiro q eu tenho pra comprar as coisas de casa...~

~Sáb. 13/05, 5:00 PM.Fim do meu turno~

— Você só conseguiu isso?
S/N — Foi...
— Você deve ser só um rostinho bonito e péssima no serviço já que muitos clientes não te querem.

~Bem... Esse podre é o dono do bordel, o nome dele é Julios~

S/N — *permaneci em silêncio*
— já que você tem uma péssima experiência, deixe eu te mostrar como se faz do jeitinho que os clientes irão gostar...

*ele começou a me apalpar e beijar meu pescoço.Eu já sabia o que ele pretendia fazer*

S/N — ME SOLTA SEU VELHO NOJENTO! *Eu o empurrei fazendo-o se afastar de mim*
— Ora, sua vadia, aprenda que você é uma adolescente e deve me respeitar aqui dentro! *revidou com um tapa em meu rosto*

~no mesmo instante alguém o chama e ele se retira, o que me faz ter chance de ir embora de lá~

Quebra de tempo ON
Assim que saí de lá eu fui para casa dormir, pois daqui 3 horas eu tinha que ir para a escola, e sim, eu trabalhava a noite até as 5:00 é ia para a escola as 8:00.
Assim que entrei em casa, vi um homem descendo as escadas.Era mais um homem que havia dormido com a minha mãe, eu o encarei e ele me olhou de cima a baixo (típico de um homem tarado).
Quebra de tempo OFF

— Quem é você e o que faz chegando em casa uma hora dessas? *ele disse como se fosse o dono da casa e meu pai*
S/N — Sou a filha da mulher com quem você acabou de dormir e não interessa o que eu estava fazendo, você é só mais um dos vários homens que ela traz aqui.Agora se me der o favor... vaza daqui.
*ele colocou os sapatos e logo saiu*
— Ei, volta aqui, eu quero mais! *minha mãe disse descendo as escadas, bêbada e vestida com a camiseta do homem que estava com ela*
S/N — Ele já se foi, mãe... Volte pra cama e dê um tempo dessas bebidas.*disse tirando a garrafa de vodka da mão dela*

Quebra de tempo ON
Levei minha mãe para o quarto dela e em seguida fui dormir.
Acordei 7:30 e eu precisava me arrumar o mais rápido possível para a aula.
Depois de ter me arrumado, entrei no quarto da minha mãe.
Quebra de tempo OFF

S/N — Mãe?Eu já estou indo.*sussurro*
— Ok, vá.
S/N — Por favor, evite ao máximo beber, ok?Isso faz mal pra você.
— Tá bem, vou tentar, mas não lhe garanto nada.*disse sonolenta*
S/N — Eu quero chegar em casa e ver você sóbria ok?Até mais tarde.*disse fechando a porta do quarto*

~ eu saí de casa e assim que me virei para o jardim da frente, senti a presença de alguém, como se eu tivesse sendo observada, mas ignorei e continuei meu caminho ~

S/n OFF

— Você está a vendo?
— Sim eu estou.
— Sabe para onde ela está indo?
— Provavelmente para a escola, só achei estranho ela ter chegado em casa às 5:00 da manhã.
— Ok, a observe mais e quando estiver tudo pronto eu lhe dou segundas ordens...
— Pode deixar.

S/n ON

~ Cheguei na escola, depois de uns 3 minutos a pé, vim sozinha, e a rua estava deserta.Confesso que eu estava com medo, pois eu senti aquela sensação estranha mais cedo ~

RN — E aí, S/n.*disse estendendo a mão para um cumprimento*

~ Esse é o Ryan, o único que eu acredito que seja de verdade o meu amigo.Ele sabe de tudo sobre mim e ficamos grudados o tempo todo na escola. ~

S/N — Oi, Ryan!Onde estão os outros?
RN — Não chegaram ainda.Vamos pra sala, deixe que eu levo sua mochila.
S/N — Ryan, você não é assim... O que deu em você?Ficou todo clichê e cavalheiro do nada.*digo rindo*
RN — Eu só quero carregar a sua mochilha, sua ingrata.*ri*

Chegando na sala...

CS— Oi, S/n... o que você planeja que nós façamos hoje?*disse na intenção de fazer algo errado*
~ Esse é o Chris, é um idiota mulherengo que infelizmente anda com a gente E vive enchendo meu saco ~
S/N — Tô cansada hoje, quem sabe amanhã.
CS — Se você está cansada eu posso te animar.*diz passando a mão na minha coxa*
S/N — Chris, tira essa mão daí agora!*ele me ignora e vai subindo sua mão cada vez mais*
RN — Chris, ela disse pra você parar.
~ Chris continuou e não deu ouvidos e eu, com raiva, acabei dando um soco no seu rosto o fazendo sair de perto de mim ~
CS — VOCÊ TÁ LOUCA?*Se aproxima de mim ameaçando me bater*
RN — Chris, já chega, você passou dos limites.
CS — Isso não tem nada a ver com você, Ryan.*o empurra*
~ Ryan tem o pavio curto e acabou se alterando e revidando o empurrão com um soco, o que gerou uma briga. ~

S/N — ALGUÉM PARA ESSES DOIS.

~ Um garoto que eu nunca vi antes segurou o Ryan, enquanto o filho do Julios segurou o Chris, e por mais que eu nunca tenha visto aquele aluno, parecia que eu já o conhecia de algum lugar...~

Notas Finais


Essa é minha primeira fanfic, então se estiver ruim não me cancelem pfvr 👉🏻👈🏻😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...