1. Spirit Fanfics >
  2. Quando Os Astros Se Colidem - Harry Styles Fanfic >
  3. Capítulo XIII

História Quando Os Astros Se Colidem - Harry Styles Fanfic - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


gente......... primeiro eu quero pedir mil perdõessssss, eu juro que fiquei todo dia tentando mas eu estava com um bloqueio criativo surreal! Nem eu sei me explicar, tentava, tentava, mas nada ficava bom pra mim.... me desculpem, seriao

Capítulo 13 - Capítulo XIII


Fanfic / Fanfiction Quando Os Astros Se Colidem - Harry Styles Fanfic - Capítulo 13 - Capítulo XIII

Na área da piscina da casa de Harry estava ocorrendo uma pool party, que todo o pessoal da banda tinha combinado de fazer para comemorarmos o final da turnê apenas com as pessoas que estiveram mais próximas a eles. Estavam Harry, Isabela, Kim a assessora, Mitch e Sarah, Claire, Adam, a mulher de Adam e os dois filhos dele.

Tudo estava perfeito para todos. Era um ambiente bom com pessoas boas, tinha bastante comida, bebida, risadas e sol.

O relógio marcava três hora da tarde quando Harry e Isabela estavam sentados em duas espreguiçadeiras, uma ao lado da outra, enquanto Isabela passava protetor nos braços e Harry conversava algo com Mitch e Adam que estavam na piscina.

- Você acha mesmo que toca guitarra melhor do que eu? – Adam perguntou rindo enquanto Mitch revirava os olhos, fazendo Harry gargalhar.

– Adam, irmão, você está pagando um mico na frente de toda a sua família... – Mitch falou rindo – O que você acha, Harry?

– Eu acho que o Adam toca muito bem guitarra – Harry respondeu rindo – Mas ele tem mais prática com o baixo, então... Toca melhor baixo do que guitarra.

– Isso é ridículo! – Adam falou rindo.

– Eu sou um monstro na guitarra! – Mitch falou rindo.

– Vocês estão de complô! – Adam falou rindo, dando um gole em sua cerveja.

– E aí, como estou? – Isabela perguntou para Harry, que logo direcionou seu olhar para ela, a vendo com o rosto todo branco de protetor.

Harry deu uma risadinha esperta, negando com a cabeça, sabendo que ela não poderia ficar mais bonita e simples do que naquele momento.

– Impossível ficar mais bonita! – ele respondeu rindo – Vem cá.

Enquanto falava a última frase, ele segurou o rosto dela com uma mão, começando a espalhar protetor pelo rosto da garota com a outra. No começo, ela manteve os olhos fechados, apenas sentindo a mão do rapaz a tocando com leveza. Ele passava o dedo pelo rosto dela com cuidado e espalhava o conteúdo para que o mesmo ficasse de maneira uniforme.

E então, sem avisar, Isabela abriu os olhos.

Imediatamente sentiu seu coração acelerar com a proximidade que seu rosto estava com o de Harry. Era sem sombra de dúvidas os olhos mais lindos que ela já havia visto em toda a sua vida, cheio de cores e sentimentos. Não houve desconforto algum naquela troca de olhares, muito pelo contrário, ambos sentiam que poderiam ficar ali pelo resto do dia.

Até que ele terminou e sorriu, voltando a se sentar direito na espreguiçadeira.

– Obrigada! – ela sorriu de canto, respirando fundo.

– Ei, vocês dois! – a voz de Kim, a assessora de Harry, chamou atenção – Entrem na piscina!

– Não quero entrar agora... – Harry falou enquanto dava um gole em sua long neck.

– Deixa de ser chato, chefinho! – Kim falou rindo, brincando com o rapaz.

– É uma festa na piscina e você não quer entrar na piscina? – Isabela perguntou enquanto virava seu rosto para Harry, que sorriu de canto, dando de ombros – Já que você não vai, eu vou! – falou por fim, se levantando e começando a desabotoar o short jeans que ela havia colocado assim que chegara da rua com Harry.

Assim que ela desabotoou o short que vestia, Harry respirou fundo, olhando para qualquer ponto longe na tentativa de não observar a garota enquanto ela tirava a peça de roupa, afinal de contas, ele não era um babaca para fazer tal ação. Mas foi difícil, difícil demais, porque para ele, Isabela estava arrebatadoramente linda com o biquini rosa que contrastava perfeitamente com a pele dela.

Levou seu olhar para ela enquanto ela andava até a borda da piscina e automaticamente sentiu seu corpo se arrepiar. Não sabia dizer o quanto observá-la ali, naquele momento tão natural, mexeu com sua cabeça. E Isabela, por sua vez, enquanto seguia até a piscina, se virou para ele, com um meio sorriso e o chamando com a cabeça, então Harry não pensou duas vezes: iria com ela até o outro lado do país, se fosse preciso. E por conta disso, levantou-se e saiu correndo na direção dela, a pegando de surpresa pelas pernas e pelo torso, pulando com ela na parte mais funda da piscina. Logo em seguida, quando ambos voltaram a tona, ela se levantou rindo, o sol refletindo no seu rosto e o sorriso fácil e lindo que ela tinha e que encantava Harry.

Jogou água nele, que jogou água nela de volta, até que Isabela jogou mais forte e Harry decidiu que ela não era o tipo de pessoa que cedia tão fácil. Mas ele também tinha o gênio forte.

– Entrou no meu olho... – ele colocou as mãos no olho, abaixando a cabeça, vendo a garota se aproximar dele de maneira preocupada – Merda. Tá ardendo.

– Sério? Merda... – Isabela se aproximou, segurando o pulso dele com uma mão e o rosto com a outra – Desculpa, eu juro que não foi...

E antes de terminar a frase, Harry tirou as mãos dos olhos, dando uma risada gostosa e triunfante, fazendo Isabela rir enquanto dava um tapa leve no braço do rapaz.

– Harry, não acredito que você fez isso! – ela falou rindo – Você é sujo.

– Não sou sujo – ele deu de ombros, rindo – Só sei jogar com as cartas que eu tenho...– falou por fim, enquanto se aproximavam do restante do pessoal que estava um pouco mais afastados na piscina.

– Vem, sobe na boia, Isabela! – Kim falou enquanto se sentava em um boia de flamingo – Vem tirar foto comigo, já que você não pode tirar com o Harry.

– Claro que ela pode! – Harry falou rindo, franzindo o cenho.

– Tudo bem, pode... – Kim revirou os olhos – Mas não pode postar... – falou por fim, fazendo os outros rirem – Vem logo, Isa. Toma Sarah, tira uma foto nossa, por favor.

***

As horas se passaram enquanto os amigos brincavam na piscina, conversavam e bebiam algumas bebi. O relógio já passava das cinco da tarde quando Harry estava sentado em uma espreguiçadeira, encarando o por do sol. Havia sido um ótimo dia e ele não se lembrava de um último dia que tinha se sentido tão bem consigo e com todos a sua volta daquele jeito.

Sua atenção saiu de seus pensamentos por conta de Isabela, que se aproximara do rapaz, e logo ele deu dois tapas na espreguiçadeira dele, chamando Isabela para se sentar ali, e ela logo o fizera.

– Está tudo bem? – ele perguntou, a vendo concordar com a cabeça e sorrindo de canto.

– Tudo ótimo! Eu estava com a mulher do Adam e com os filhos deles, são educados demais... E muito simpáticos.

– Também são apaixonados pelo Brasil – Harry falou, dando um gole em sua cerveja.

– Sério?

– Sério! No show do Rio teve uma fã que entregou duas camisetas do Brasil para o Adam levar para os filhos dele...

– Que legal! – Isabela falou sorrindo.

– Está pronta pra ir embora?

– Estou... – ela suspirou – Pronta pra deixar Malibu e voltar pra vida real.

– Mas essa é a vida real, Bela!  

– Essa é a sua vida real, não a minha... – ela sorriu de canto, reparando em algo atrás de Harry, que logo olhou para o local que a garota olhava e encontou Jenn.

Jenn era uma senhora de cerca de cinquenta anos, extremamente jovial e um amor de pessoa. Era a mãe de Kim e por sua vez, havia sido uma das primeiras funcionárias que Harry tivera naquela casa em Malibu.

– Vocês fazem uma festa e não me chamam, que história é essa? – a mulher falou animada, se aproximando de Harry, que ria animado para a mulher – Meu filho, parabéns pela turnê! – ela falou abraçando o rapaz, que logo a retribuiu, ainda sentado na espreguiçadeira – Soube que o show ontem foi incrível.

– Foi! E você não foi me prestigiar...

– Eu não pude – ela sorriu de canto – O Joshua está na cidade de férias, então tive que dar uma atenção especial para ele.

– Está certa! – Harry falou sorrindo, olhando para Isabela – Jenn, essa aqui é minha colega, Isabela! – e logo a mulher olhou para Isabela, sorrindo simpática.

– Oi, Isabela! – a mulher falou com uma certa dificuldade ao pronunciar o nome da brasileira – Nome diferente!

– Ela é brasileira, Jenn.

– Uau! Sério? – a mulher pergunto animada, estendendo uma mão para Isabela, que logo a apertou.

– É... – Isabela sorriu – É um prazer conhecer a senhora!

– Senhora não, por favor! – a mulher respondeu rindo – Pode me chamar de Jenn.

– Tudo bem, Jenn – Isabela falou sorrindo.

– Cadê minha filha? Não vejo a Kim tem quase duas semanas, tive que vir aqui pra encontrar essa filha desajustada.

– Kim está curtindo a festa, Jenn – Harry falou rindo – Vai curtir também.

– Ótimo! Vou fazer aqueles drinks de pêssego que eu sempre fazia... – ela falou animada, seguindo na direção da piscina e falando com todos que ali estavam.

Harry acompanhou a mulher com os olhos, voltando a olhar para Isabela, que o encarava.

– Ela é mãe da Kim, sua assessora? – Isabela perguntou surpresa, vendo Harry confirmar com a cabeça, dando um gole em sua cerveja.

– É uma história longa... A Jenn era quase que a anfitriã dessa casa. Ela que cuidava da ordem na casa, das contas, dos funcionários, ela fazia o que a Gillian faz, basicamente – o rapaz começou a falar, dando um gole em sua cerveja em seguida – Ela me ajudou em muitas coisas difíceis e foi por meio dela que eu conheci a Kim.

– Que legal!

– A Jenn é incrível, uma mãezona quando eu não estou com a minha mãe por perto.

– Vocês parecem se dar muito bem.

– Nos damos! – ele falou prontamente.

– E por que ela não trabalha mais com você?

– Ela se casou com um empresário do ramo de transportes... O cara é rico e bem ou mal, atualmente ela descansa mais e trabalha com o que quer, então...  

– Entendi – Isabela sorriu de canto enquanto reparava em cada detalhe de Harry, desde os olhos mais verdes por conta do sol que refletia luz nos mesmos, até o rosto corado por conta do sol – Chega a ser inexplicável a forma que você fica bonito com o cabelo para trás e o rosto vermelho do sol... – ela falou de repente, dando uma mordida em uma pedaço de melancia que tinha em sua mão.

Harry riu de forma gostosa ao ouví-la.

– Eu fico bonito?

– Um pouco bonitinho...

– Bonitinho a ponto de parecer com alguém que você apresentaria para os seus pais?

Isabela sorriu de canto, respirando fundo.

Isso é maldade, ela pensou consigo. Harry não podia criar esperanças em outro ser humano daquele jeito. Como se tudo fosse simples e fácil na vida real.

– Talvez... – ela respondeu – Mas você não tem que se preocupar com isso, já que você nunca vai conhece-los.

– Aí... – ele falou rindo, colocando uma de suas mãos no peito, fingindo uma pontada de dor no local – Não sei se fico feliz ou triste com essa resposta.

– Feliz, Harry – Isabela falou rindo – Fique feliz.

– Então tá... – ele sorriu de canto, dando um gole em sua cerveja – Mas bonitinho foi você se preocupando com o meu olho quando a gente pulou na água – ele falou enquanto olhava para o rosto da mulher a sua frente, com os cabelos naturais e cacheados.

– Eu não sei se você sabe, mas eu me preocupo com as pessoas. Inclusive com você!

– Hm... Isso é bom de saber.

– Minha irmã que me ensinou esse lado de me preocupar com o próximo – ela continuou falando, de modo pensativo – Ela sempre teve isso de querer cuidar do próximo, então se formou em enfermagem e hoje em dia tem um cuidado extremo comigo! – ela riu nostálgica, Harry amava ouví-la – Graças a Deus agora está vindo um bebê e ela vai deixar esse cuidado extremo apenas para ele! – falou rindo, fazendo Harry se interessar na história.

– Está animada para ser titia?

– Muito! – ela confirmou com a cabeça, mordendo outro pedaço da melancia – Eu espero que seja uma ótima novidade na vida deles, porque minha irmã e o noivo dela se amam, são ótimos um com o outro, tem muito respeito na relação e enfim... Acho que todos estamos animados e felizes com essa novidade.

– E você? Pretende ter filhos também? – ele perguntou interessado.

– Não! – ela respondeu pensativa – Quer dizer... Talvez! Eu sei que ter um filho não está nos meus planos atuais e nem futuros, mas ideias mudam todos os dias, então, quem sabe... – ela respondeu, vendo Harry assentir com a cabeça, entendendo – E você?

Harry riu de forma irônica, por ter se lembrado de uma passagem em sua vida, e logo negou com a cabeça.

– No momento, também não! – falou ainda rindo – Mas minha mãe ficaria, no mínimo, animada com a notícia.

– Sua mãe quer ser avó?

– Quer! – ele falou prontamente, arregalando os olhos – Ela joga umas indiretas para a Gemma, minha irmã.

– E você? Ficaria animado com a notícia de ser pai?

Harry franziu o cenho, sorrindo de canto e pensando no que a garota havia falado.

– É uma vida! Não tem como ficar triste com uma vida chegando ao mundo... – ele falou sincero, ainda pensativo – Mas definitivamente não é algo que eu queira ter, pelo menos agora.

– Entendi... – ela sorriu de canto, dando mais uma mordida na melancia.

– Você tem contato com seu pai? – Harry perguntou interessado – Você tinha dito que sua mãe havia falecido, não é?

– É... – ela respirou fundo – Eu mal tenho família, Harry. Meu pai largou a família por causa de vícios com drogas, depois se mudou para o Rio de Janeiro. Minha irmã se mudou porque conheceu um cara e noivou com ele e minha mãe morreu há alguns anos. Eu não tenho avós maternos e os avós paternos que eu tenho, mal tenho contato. Então, basicamente, só tenho minha irmã e agora, um sobrinho ou sobrinha.

– Tem notícias do seu pai?

– Tem um ano que eu não sei nada sobre ele – ela confessou, de forma pensativa – Não faço ideia de onde ele esteja ou de como ele está.

– Que merda, Bela. Sinto muito – ele falou compreensivo, se aproximando da garota.

– Não sinta, eu estou bem... – ela sorriu de canto, mentindo claramente.

Mas Harry não iria tocar mais no assunto.

– Você e sua irmã vão ficar bem. Tudo o que vocês passaram, demonstra o quão fortes vocês são.

– Eu tento pensar dessa forma também – Isabela falou sorrindo de forma triste – Mas e você, como é sua relação com a família nesse mundo louco que você vive?

– Minha família sempre foi incrível, eu não tenho nada que reclamar porque eu tive muita sorte com isso – ele confessou – Hoje em dia eu ajudo em tudo o que posso, graças ao meu trabalho. Sempre que posso ou viajo para Londres, ou minha mãe e minha irmã estão aqui... É tudo ótimo.

– E seu pai?

– Meu pai é ótimo também – ele riu, dando de ombros – Claro que o meu contato com a minha mãe é muito melhor, mas eu não tenho nada que reclamar da criação que ambos me deram...

– E você não pode reclamar mesmo não, porque você é uma ótima pessoa! – Isabela falou mordendo mais um pedaço de melancia, enquanto Harry dava um gole em sua cerveja – Você pode ter seus defeitos, mas você tem caráter forte. Você trabalha com prazer, gera empregos formalmente e informalmente para um monte de pessoas incríveis, você trabalha com prazer, não mede esforços para fazer o que é certo e até se doa mais do que o necessário, então... Seus pais devem ter muito orgulho de você.

Harry sorriu de canto, respirando fundo. Sabia que estava de frente com uma pessoa que iria mudar completamente a sua vida, só não sabia se essa certeza era boa ou ruim.

– Isabela, Isabela... – o rapaz sorriu de canto, negando seus pensamentos – Vem cá – ele falou e num gesto rápido a segurou pela nuca, a puxando para si e beijando-a com toda a delicadeza que o momento pedia.

Era mais claro que aquele por do sol que Isabela retribuiria, estava tremendamente abalada por um furacão chamado Harry Styles, e a única reação que teve foi se aproximar ainda mais dele, se entregando ao beijo calmo e carinhoso que ele estava lhe dando. E Harry já não escondia dos amigos nada que tinha com Isabela, só queria beijá-la e sentir o doce gosto de melancia que tinha na língua da garota.

– ORA, ORA, ORA – a voz de Adam se fez presente, implicando com Harry – Temos criança no ambiente.

Harry sorriu entre o beijo enquanto fazia o sinal de dedo do meio para Adam, que gargalhou, e logo Harry deu um selinho demorado em Isabela.

– É só um beijo, gente... Até parece que ninguém sabia depois de ontem – Kim revirou os olhos, fazendo todos rirem.

– Não sabia que amigos hoje em dia se beijavam... – Jenn falou enquanto entregava alguns drinks para o pessoal que estava na piscina.

– Hoje em dia está na moda, Jenn... – Mitch falou rindo, enquanto estava sentado na borda da piscina – Foi assim que eu comecei meu relacionamento com a Sarah.

– Mentira! – Harry falou – Você é fechado, ela também... Deu tudo certo.

– Mas começamos nos pegando como amigos que estão se conhecendo – Mitch continuou, revirando os olhos e implicando com Harry – Tudo começa assim hoje em dia.

– Verdade! – Kim falou dando um gole em seu drink.

– Você já ficou com algum amigo, Kim? – Isabela perguntou, fazendo Jenn gargalhar de forma forçada e suspeita.

– Ela só ficava com as pessoas que eu achava que eram amigos dela – Jenn falou, antes mesmo de Kim começar a falar.

– Não acredite na minha mãe, ela é muito exagerada! – Kim arregalou os olhos, dando de ombros – Mas de vez em quando acontecia mesmo...  

– Desculpa por isso... – Harry falou num tom baixo, chamando atenção de Isabela para ele.

– Pelo quê?

– Interromperam nosso momento e não é sempre que temos momentos... – ele sorriu de canto, fazendo Isabela negar com a cabeça.

– Não peça desculpas por isso! Seus amigos são fantásticos.

– Eu sei escolher bem... – ele falou se encostando na espreguiçadeira, abrindo as pernas e puxando Isabela para o meio das mesmas, a encaixando ali.

Isabela, por sua vez, apoiou suas costas no peito dele e a cabeça no ombro do rapaz, enquanto reparavam na vista que a casa de Harry tinha. Tinha um por do sol incrível, as praias de Malibu, árvores, natureza e o som maravilhoso do mar batendo na areia. Era uma sensação incrível que aquele lugar proporcionava.

– É como um sonho, não é?

– É... – ele sorriu de canto – O verão aqui é diferente de todos os lugares do mundo.

– Eu estou vendo – ela sorriu consigo, ainda olhando para a vista a sua frente – Definitivamente, você teve um ótimo gosto quando escolheu essa casa.

– Modéstia parte, eu sou ótimo em muitas coisas, Isabela – ele falou rindo de canto, brincando – Você deveria experimentar cada uma dessas coisas para ter certeza se pode confiar nos meus ótimos gostos.

Isabela engoliu em seco e logo se virou para o rapaz, que ria de forma sapeca. Definitivamente a mente de Isabela havia voado para pensamentos nada puros. E por conta disso, levou alguns segundos para conseguir responder algo a altura.

Harry estava jogando pesado e ela estava disposta a brincar um pouquinho.

– Talvez eu prove alguma vez...

– Mas você já provou uma vez – ele falou com um ar malvado – Tinha que provar mais, pra ter certeza, afinal de contas, provar não mata, não é?

– É... – ela sorriu de canto, confirmando com a cabeça – É bom saber que talvez eu só esteja falando isso porque estou um pouco mais alegre do que o normal.

– Tudo bem – ele sorriu de canto – Dizem que bêbados falam a verdade.

– Será? – ela sorriu consigo, dando um selinho demorado no rapaz enquanto ele afirmava com a cabeça, sorrindo sapeca – Vai ter que esperar pra ver.

– Ah, não.... – ele falou rindo de forma manhosa ao ver a garota se levantar e seguir na direção do bar. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...