1. Spirit Fanfics >
  2. Quando Plutão e Cobtália se encontram >
  3. Ascensão Reta 0h 42m 44s, Declinação mais 41 graus 16' 9"

História Quando Plutão e Cobtália se encontram - Capítulo 2


Escrita por: e TUBATU


Notas do Autor


🐻

Capítulo 2 - Ascensão Reta 0h 42m 44s, Declinação mais 41 graus 16' 9"


Fanfic / Fanfiction Quando Plutão e Cobtália se encontram - Capítulo 2 - Ascensão Reta 0h 42m 44s, Declinação mais 41 graus 16' 9"

–Deixa eu ver se entendi, você se chama Choi Yeonjun e você veio da Galáxia de Andrômeda, é de um sistema chamado Cévikat, você mora em um planeta chamado Cobtália, caiu aqui por acidente e agora quer minha ajuda para sair daqui?

–E eu vim da Ascensão Reta de 0 horas 42 minutos e 44 segundos com a declinação mais 41 graus 16 elevado por 9. –respondeu o tal Cobtáliano sorrindo, Hueningkai parecia confuso com toda aquela informação, mas resolveu ignorar.

–E você ainda quer ajuda, você tem noção em qual planeta você caiu? Aqui é um grande deserto repleto de nada, você nunca vai conseguir sair daqui. –Yeonjun o encarou com os olhos apertados pela testa franzida.

–Achei que você fosse pedir ajuda para uma galera do controle universal do seu sistema ou sei lá.

–Claro que não, e mesmo se eu pedisse por ajuda eles não atenderiam meu pedido, meu planeta foi expulso do Sistema Solar então é imensamente proíbido passar da área de Netuno e vir até meu planeta…

–Que triste. –comentou sem um pingo de tristeza na fala, os dois encaravam a grande estrela no centro do sistema solar ainda sentados no chão de Plutão, que dalí parecia só um pontinho branco brilhante. Hueningkai com a mão direita coçou sua cabeça, Yeonjun o encarou no ato vendo seu pulso, lhe chamando a atenção– Qual é a dessa marca?

–Marca? –olhou para seu pulso– Oh, eu já lhe expliquei sobre ela.

–Eu não prestei atenção. –Hueningkai revirou os olhos.

–Está bem... Eu explico de novo. –limpou a garganta, Yeonjun o encarava com tédio– Aqui no nosso sistema, quando um ser nasce em um planeta, esse ser nasce com a marca do planeta no pulso direito, por exemplo, eu nasci em Plutão por isso tem um pequeno Plutão estampado aqui, meu amigo Soobin nasceu em Júpiter então ele tem um pequeno Júpiter no pulso, assim como o Beomgyu tem Netuno e o Taehyun tem Saturno.

–E tem como arrancar isso do braço? –perguntou curioso, Hueningkai pareceu horrorizado.

–Não… Quem iria querer isso? E também, essas marcas fazem as personalidades dos seres, cada planeta tem um tipo de personalidade específica, por exemplo… –encarou Yeonjun que parecia estar quase pegando no sono deixando seu pescoço cair para frente enquanto mantinha os olhos fechados– Ei! Você está dormindo por que?!

–O quê?! –se espantou acordando melhor– Ah sim, isso, marcas… Pode voltar a falar…

–Argh… –resmungou– Bem, essas marcas fazem as personalidades dos seres, por exemplo, os Mercúrianos são seres agitados e completamente ansiosos, sem falar que falam muito rápido e às vezes se embolam nas próprias palavras, os Júpiterianos são muito gentis, sentimentais e são extremamente altos, geralmente a maioria tem mais de cento e oita centímetros e além, meu amigo Soobin tem cento e oita e cinco centímetros! –por mais impressionado que Hueningkai contasse, Yeonjun não via aquilo como grande coisa.

–Sensacional, isso realmente modifica muitas coisas na minha vida, uma curiosidade imensamente inútil e que vai ocupar espaço no meu cérebro o bastante de onde poderia muito bem caber de repente até qual idade que um Jouquin vive. –Hueningkai perguntou o que era um Já ou quinto– Jouquins não são importante, continue seu relatório sobre os seus amigos de outros planetas.

–Bem… Os netunianos, como o meu amigo Beomgyu, são seres energéticos e simpáticos, mas se você conseguir irritar um netuniano vai ser como encarar um demônio terrestre… Já os Saturnianos, como meu amigo Taehyun, na visão dos outros são seres esnobes, com narizes empinados e que só se importam com sua riqueza, já que Saturno é o planeta mais rico do Sistema Solar, mas na verdade são seres muito amáveis com seus amigos, mas com desconhecidos são um pouco mais frios. –sorriu orgulhoso por saber aquilo tudo, leu sobre isso tudo em um de seus poucos livros salvos na guerra: “Sistema Solar, Planetas e Seres”– Seu sistema tem algo assim?

–Quem sabe, não sei, não conheço direito meu planeta para ser sincero, eu sempre gostei de ficar rondando por outras galáxias, uma vez eu fui para a Galáxia de Cartwheel, se você for lá um dia eu recomendo não dar em cima das Bebixianas… Elas ameaçam comer seu cérebro. –ditou enquanto encarava o sol, mas aos poucos foi voltando seu olhar a Hueningkai.

–Mesmo se eu saísse da minha galáxia, eu não daria em cima de garotas… Eu acho que gosto… De garotos, sabe?

–Ah.

Ouve-se um silêncio, era sufocante.

–Mas então… Como você planeja sair daqui? Eu acho que fita adesiva não vai resolver o problema da sua nave. –ditou, viu Yeonjun soltar uma risada.

–Realmente, não vai, mas eu acho que eu tenho uma solução.

–Tem? Qual? É um tipo de teletransporte? –houve um brilhinho nos olhos do Huening, Yeonjun soltou um 'tss' de sua boca em um pequeno sopro.

–Se eu tivesse teletransporte você já estaria sozinho a muito tempo. –se levantou dalí batendo em sua calça preta, agora marrom pela matéria da crosta de Plutão, Hueningkai o observou.

–Você teria coragem de me deixar sozinho? –se pôs de pé.

–Claro. –caminhou em direção a sua nave quebrada, Hueningkai foi atrás de si a passos largos, Yeonjun adentrou sua grande espaçonave com o Plutoniano atrás de si, foi em direção a dispensa do local, onde estava toda desorganizada pelo impacto. O Choi revirou o local até achar um pequeno cubinho de metal– Bem, vejamos… É, é isso aqui.

–O que é isso?

–Uma nave reserva que atinge o raio de 19,75 luas de distância, tem combustível o bastante para ir até Júpiter e voltar, o que daria 39,5 luas no total, felizmente ela se encolhe o bastante para caber no meu bolso e fica do formato de um cubinho, mas se apertar no local certo ela cresce e podemos viajar nela tão rápido quanto a velocidade da luz. –sorriu para o Kamal.

–Não é disso que eu estou perguntando, é daquilo. –apontou para um pequeno saquinho de cor roxa, escrito algo em letras Cobtálianas alí. Yeonjun encarou para onde o Huening apontou, seu ego pareceu ter sido ferido.

–Ah, é só um Açúcar de Poeira Cósmica, é sabor uva, ele estoura na língua e dizem é bem gostoso, mas eu odeio. –ditou, Hueningkai teve um universo inteiro em seus olhos indo até o saquinho. Yeonjun estava com seu orgulho ferido, pensava: “Esse idiora não dá a mínima para coisas de extremo valor”.

–Se não gosta então por que trouxe? –perguntou, Yeonjun procurou as palavras certas para responder, mas Hueningkai já pegara o pequeno pacotinho com um sorrisinho– Posso comer?

–Tanto faz, eu não gosto mesmo. –falou e foi em direção para o lado de fora, clicou em uma das laterais do cubinho e o jogou no chão, fazendo com que começasse a se montar alí uma nave do tamanho de um carro voador marciano de quatro metros de largura com espaço para dois, Yeonjun logo entrou na pequena nave e ligou os botões e pequenas alavancas, achou que Hueningkai se impressionaria, mas o garoto estava mais interessado em comer aquele açúcar sabor uva marciana do que uma nave nova– Então Kaizinho, meu plano é o seguinte, eu vou sair daqui, ir até Júpiter, pegar recursos para minha nave e voltar, quando eu voltar você me ajuda a sair daqui, está de acordo?

–Não. –Yeonjun suspirou.

–Como assim não?

–Se você me prometer uma coisa, eu ajudo. –o garoto de cabelos cor rosa-algodão-doce-com-respingos-uranianos revirou os olhos.

–Que Plutoniano chato… Tá, o que você quer?

–Quero que me leve até Júpiter e não me traga de volta. –sorriu, Yeonjun fez careta ficando um tempo pensativo. Olhou para o Plutoniano, fazendo um sinal para o fazer entrar na pequena espaçonave– Entra.

Hueningkai sorriu entrando desajeitadamente na cosmonave, virou de uma vez o saquinho com açúcar sentindo pequenas explosões na língua como Yeonjun havia dito.

–Toma cuidado para não vomitar, como é sua primeira vez viajando mais rápido que a velocidade da luz pode acabar gerando efeitos colaterais. –ditou o Cobtáliano calculando rota até Júpiter, contando as 19,75 luas– Se vomitar na minha nave eu faço você beber seu próprio suco gástrico.

–Argh... Nem deve ser tão ruim.

–Está bem, se segura bem porque no banco de trás não tem cinto. –e puxou a alanvanca para frente, como um tiro saíram disparados dalí de Plutão.

Hueningkai sentiu toda sua vida passando diante de seus olhos, sentiu o açúcar sabor uva querer voltar. Sentiu sua morte chegar perto, achou que seria impossível chegar em Júpiter vivo. Sua visão ficou turva, o estômago revirava dentro de si. De repente Yeonjun tocou sua cabeça de forma indelicada.

–Ei, a gente chegou, você quase desmaiou logo na primeira viagem. –e Yeonjun saiu da nave, Hueningkai esticou o pescoço para fora por um momento. Estava em um espaço-porto, haviam seres de diversos planetas usando roupas exageradas, provavelmente seriam os estrangeiros de Vênus e suas roupas brilhantes e exageradamente chamativas, e outros seres usando roupas normais, a maioria dos seres alí eram extremamente altos. Não tinha dúvida...

Finalmente estava em Júpiter.


Notas Finais


agora sim a história começa de verdade.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...