História Quando Te Olho -Grimmjow- - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach
Personagens Grimmjow Jaegerjaquez, Nnoitra Gilga, Tier Harribel
Tags Bleach, Bleach Romance, Grimmjow, Grimmjow Jaegerjaquez
Visualizações 44
Palavras 4.723
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Luta, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


~~Oie
não tem emoji hoje :(

Aconteceu uma droga! Estou sem o meu celular e não pude concluir a fic nele, muito menos estou postando pelo cel, tive que usar o not, e nossa... Como eu odeio escrever pelo not, mas mesmo assim, espero que o resultado tenha saído conforme o planejado.

Eu ia atualizar duas fics minhas, mas por eu estar sem celular no momento, não pude postar, mas essa eu tinha no gmail, por isso consegui pegar, as outras não :( Se não fosse por isso eu já teria postado há 1 semana! 1 SEMANA!
É triste.

Bom, mesmo assim, eu vou ver o que posso fazer aqui.

Capítulo 1 - Único


Quando Te Olho

"Quando eu te vejo, sinto que o tempo para.
Não sei quando comecei a me sentir assim."

Always- Yoon Mirae

Único

...

...

Posteriormente tanto tempo ter passado-se, nada mudou. Grimmjow ainda sente seu coração bater mais rápido por ela sempre que a vê, como se todos os dias fossem a primeira vez que colocara os olhos nela, na fraccion mais responsável de toda Las Noches, na perfeição que deslumbra a mulher toda a vez em que ela passa pelos corredores, como se cada passo deixasse sua marca registrada, seu sorriso puramente sincero e inocente.
Fraccions podem ser considerados como os mais fracos que existem, vivendo apenas para servir, e a bela fraccion é considerada pior do que fraca ela teoricamente não vale nada, ninguém a quis como fraccion, uns já possuiam demais, outros não queriam nenhum, então ela fora sendo deixada de lado aos poucos, até que lentamente percebeu do que era capaz ali, no que poderia fazer para que todos a olhassem de outra forma. Não como uma inútil e fracassada, mas como uma fraccion que ajudará a todos em tudo o que estiver ao seu alcance.
Sempre que Grimmjow ouvia o nome dela era como música, só de ouvir já sentia-se fascinado, algo dentro de si, de sua pantera, sentia ansiedade por esperar que ela estivesse por perto toda a vez que o nome era citado, seja por bem ou por mal.
No início, quando Aizen trouxe a nova ajudante para Las Noches, Grimmjow -assim como todos- não despertou qualquer interesse nela, muito menos demonstrou respeito ou afeição, ela só era mais uma no meio de tantos e tantos fracos que estão ali para serví-los, seus mestres Espadas, e por ser rejeitada por todos -ou a grande maioria- gradualmente fora tachada de nomes horríveis, sendo até humilhada constantemente por outros fraccions -não que estes fossem de grande oferta também-.
E pode parecer ridículo, o azulado mesmo nomeou assim seus sentimentos e pensamentos: ridículos. Não por serem fúteis, mas por não saber ou lembrar quando isso começou a acontecer.
De repente, dia e noite, uma ou outra hora tornava a pensar no rosto daquela que ele nunca deu atenção, porém, conforme a via algumas vezes, sempre ocupada com alguma tarefa ou simplesmente quieta em algum canto do castelo, isso tornou-se mais repetitivo, pouco a pouco, quando percebia, já estava a encarando demais, pensando demais ou até mesmo sonhando demais.
Isso sim foi o início dos absurdos momentos em que ele reparava que prestava demais atenção em quem não merecia. Hn... Na verdade, Grimmjow nunca realmente deu atenção a alguém, nem mesmo para suas parceiras em noites de sexo muito quente, nem mesmo Aizen conseguia qualquer respeito dele, então fora deixando de lado.
Há! Contudo, isso foi o que Grimmjow não conseguiu fazer, nunca conseguiu deixar de pensar na mulher encantadora que invadia seus pensamentos, e por causa disso, suas noites prazerosas somente foram mais aproveitadas, porque era o rosto dela que vinha a mente do homem. Imaginá-la estar no lugar das outras que meramente só o satisfaziam passou a ser constante. No entanto, este não era o verdadeiro Grimmjow, ele só não sabia ou conseguia demonstrar seus reais sentimentos e intenções com a fraccion, tanto por nunca ter falado com ela por muito tempo, quanto por... Nunca realmente ter tido um bom diálogo com ela.
Mas... Grimmjow não a quer deixar ir embora, não pode perdê-la, seria um grande erro, então o mais certo a se fazer é conhecê-la antes de tomar qualquer decisão, e só então, fazer e dizer o mais conveniente.

.

.

.

.

.

-[...] Me diga minha linda (S/n).- continuou Nnoitra passando a mão pelo cabelo de (S/n) enquanto tentava tirar algum proveito dela.- Você não sente mais vontade de servir algum Espada? Sabe... Acho que podem haver alguns que desejam sua pessoa por perto.
-Não, não tenho mais essa vontade.- (S/n) nunca sentiu-se confortável perto do homem alto, ele é assustador com aquele sorriso traiçoeiro.- Agora, com licença, preciso ir.- pediu passou por ele e Tesla, porém, sentiu uma mão agarrar-lhe o braço e escontá-la na parede mais próxima. Foi Nnoitra, ele pousou uma mão acima da cabeça dela e a outra insistiu em continuar passando os dedos longos pelos fios de cabelo da mulher.
-Ora deixe disso minha cara.- abaixou-se um pouco para estar mais próximo dela.- Sei que está bancando a difícil.
-Bancando a difícil? Pra você?- olhou-o enojada.- Olha, eu não tenho que bancar nada, apenas respondi a sua pergunta.- pensou.- Então...Creio que não era a resposta que quer, estou certa?- provocou.
-(S/n)... Não se esqueça que eu consigo tudo o que quero.- segurou-a pelas bochechas, fazendo-a manter o foco nele.- Se eu quisesse você seria minha. Então, não faça tudo parecer tão difícil.- soltou-a gentilmente.- Vamos Tesla. Vamos deixá-la ocupar-se sendo prestativa com todo mundo.- debochou. (S/n) não se deu ao trabalho de olhá-lo ir embora, ele não merece qualquer atenção, a deixava irritada e intimidada com a aproximação que ele costumava fazer, como se fossem íntimos, companheiros de batalha, colegas, o que na realidade não é verdade. Nnoitra não engana ninguém, só deseja usar para seus próprios benefícios e depois mata como se não houvesse um amanhã.
Suspirando aliviada de ter conseguido livrar-se de um egoísta assassino, ajeitou a roupa que consiste num vestido tomara que caia curto, sendo que o corte da roupa é distinto, o lado esquerdo da saia é menor que o direito, cortado na diagonal, branco, assim como o habitual uniforme dos Espadas e fraccions. Segurou entre os braços um grande pote de vidro que buscou numa sala usada por Szayel para guardar os materiais de pesquisa, para enfim levar até ele no laboratório. Seguiu o caminho pelo longo corredor cansativo sem perceber estar sendo observada por ninguém menos que Grimmjow.
O azulado estava andando pelo castelo sem ter muito o que fazer, e assim que cruzou o corredor viu (S/n) encostada na parede, pensativa, segurando o pote nos braços enquanto encarava a parede branca do corredor. Sua expressão era a mesma de sempre, parecia aflita, cansada, talvez insatisfeita. Ia começar a aproximar-se quando a viu desligar-se dos pensamentos e rumar sentido contrário o dele. Viu-a afastar-se aos poucos antes de perdê-la de vista completamente. Suspirou, ela fazia seus sentimentos reaparecerem. Quis matá-la no início, quando sentiu-se envolvido, por causa dela aquilo que ele diz não ter -sentimentos- estava acontecendo. Mas agora, deseja beijá-la, por ser aquela de quem ele precisa.

...

...

Algumas vezes os Espadas não tinham uma missão para cumprir e para não ficar tão entediante tentavam realizar alguma atividade diferenciada -como por exemplo tomar chá num salão somente deles- e por incrível que isso possa ser, geralmente estavam todos reunidos ou a maioria, como o caso de agora. Alguns fraccions perambulam por ali também, como Stark com sua fraccion, ou Nnoitra que preferia ter Tesla sempre por perto. (S/n) não é distinta deles nesses breves momentos, aliás, era um dos poucos momentos que ficava sozinha, realmente. Todos os dias eram repletos de serviços, e como uma boa lutadora, a mulher aprecia muito lutas, então, algumas vezes por dia ou por semana costuma treinar sozinha.
Porém, momentos como este, em que os pensamentos estavam muitas vezes desorganizados ou organizados, ela prefere sentar e relaxar como os outros.
Mas o que tanto pensa?
Bom, sabe lá tudo o que a fraccion pensa, uma ou outra vez pensava em lutar, melhorar, talvez realmente servir a um dos Espadas seria bom, quem sabe... Estivesse pensando num deles? Ulquiorra parece perfeito, aliás, ele está mais recebendo ordens também, seria de grande ajuda.
Stark é um preguiçoso, já possuía sua fraccion tão preguiçosa quanto ele, não daria certo.
Nnoitra então... Nem se fala. Os dois são horríveis, Tesla pode acabar obedecendo o mestre, mas... Não significa que ele seja tão nobre assim. (S/n) garante que no mínimo, Tesla iria matá-lo sem pensar duas vezes assim que o moreno alto virasse as costas.
Não havia muito o que se pensar acerca dos presentes ali, apesar da maioria ter um temperamento difícil, todos -sem exceção- preferem ficar "na sua", quietos uns com os outros.
(S/n) não percebera a presença de alguém que cruzou a porta de entrada a pouco tempo, além de estar numa mesa afastada, prestava mais atenção na janela, no escuro do lado de fora, que pode ser enlouquecedor muitas das vezes.
-Er... Oi.- ouviu uma voz grossa e potente perto si. Desviou o olhar aos poucos da janela para a pessoa em questão. Ficou muito surpresa, afinal, por que ele estaria falando com ela?
-Olá.- mesmo sem entender, respondeu somente para ser educada com ele. Educação. Chega a soar de forma hilária perto de assassinos.
Esperou por alguma resposta vindo dele, porém, o azulado perdeu a fala quando ela passou a olhá-lo. Ficou perdido nos olhos brilhantes e no jeito calmo dela, tão diferente de si.
-Precisa de alguma coisa?- foi a primeira coisa que imaginou. Afinal, a fraccion é uma faz tudo e como Grimmjow não possui nenhum, pensou ser procurada por isso. Afinal, não há outro motivo para ele aproximar-se assim dela.
-É... Eu...- desviou o olhar pensando. Grimmjow sequer pensou no que fazer, nem mesmo analisou a situação antes de sentar de frente para ela naquela mesa pequena e redonda.- Não, eu só...
-Tem certeza?- entreitou os olhos.- Seja lá o que for...
-Quero que seja minha fraccion.- o homem soltou de repente, deixando os dois surpresos. Ele só tinha pensado como seria se ela fosse dele nesse sentido, contudo, não controlou o próprio pensamento. (S/n) mesmo ficou irritada após a súbita surpresa.
-Está querendo tirar uma comigo?- questionou ainda calma.
-Não eu...- enrolou-se todo.
-Você não tem o porquê de estar falando assim comigo, muito menos me propor algo assim.
-Eu não queria ofendê-la. Eu só queria-
-Com licença.- levantou-se da cadeira. Entretanto, antes que pudesse sair o azulado segurou-a pelo braço.- Não quero continuar essa... Conversa.
-Eu realmente não quis dizer isso.
-Então o que quer comigo?- ela esperou por uma resposta convincente, que não veio. Portanto, apenas soltou-se dele e apressou o passo para sair do cômodo.
Grimmjow ficou estático por alguns instantes antes de perceber a merda que havia feito. Logo saiu da sala também.

.

.

.

.

.

Idiota! Idiota! Era tudo o que Grimmjow dizia há horas em pensamentos por ter agido feito um... Idiota perante (S/n).
Como ele pôde chegar até ela e simplesmente proferir asneiras, sem nem mesmo conhecê-la? Quer dizer... Ele a conhece bem, sabe o que ela gosta ou desgosta, conhece as manias que ela tem -sendo estranhas ou não- mesmo assim, ela não o conhece, então deve ter sido horrível vê-lo de repente e ouví-lo falar coisas desconexas.
Está trancado há horas no quarto. Primeiro andando de um lado para outro xingando-se em pensamentos, depois deitou-se -jogou-se- na cama de qualquer modo, com braços e pernas abertas olhando para o teto, por último colocou as mãos no cabelo sem saber o que pensar.
Havia pensado demais, depois pensou numa solução, por fim pensou em nada relevante, que fosse ajudá-lo.
(S/n) é simplesmente perfeita e competente, uma pena ele estar percebendo isso só agora. E na realidade, há um pouco de verdade no pedido que fez à ela: "Quer ser minha fraccion?" Ora, no começo, quando notou seus sentimentos, pensou que pudesse ser somente esse motivo, querê-la tê-la como fraccion, contudo, conforme o tempo fora passando, conhecendo-a mais, compreendendo melhor, percebeu que a queria como fraccion unicamente para ter mais pretextos para ficar ao lado dela.
Oh, mas isso é terrível! Ele nem ao menos comseguiu começar bem um diálogo. Não por vergonha ou medo, longe disso. Ele é Grimmjow Jaegerjaquez, nunca que irá ter medo de falar com uma mulher. Porém, ela não é simplesmente uma mulher/arrancar. Ela é aquela de quem ele gosta, não poderia tratá-la da mesma forma como trata as outras com quem já teve várias noite, não. Seria um crime contra ela.
E foi por esta razão que não soubesse o que dizer.
Após muito tempo arrancando os cabelos, o azulado decidiu ir até a cozinha do castelo alimentar-se um pouco. Fazia tanto tempo que estivera trancado nos aposentos, que não percebeu as horas passarem, e só foi dar conta disso quando o estômago começou a dar sinais de falta de nutrientes -nutrientes especialmente para eles, tendo em conta que não são humanos-.
Ao adentrar o local pensou que estaria vazio, mas pelo contrário, até que há um número considerado de presentes, tanto arrancas de baixa classe como os Espadas. Ignorou todos eles e seguiu para uma mesa, não estava com cabeça para olhar os rostos já conhecidos por ele por muito tempo. É como se a paciência tivesse ficado pior ao quebrar a cabeça pensando na bela fraccion sem Mestre.
E por falar nela. Está no refeitório já tem um tempo, junto de Halibel e Starrk, os três tem uma boa relação, nada comparada a uma amizade inseparável, mas são os mais discretos dali o suficiente para manterem uma relação amistosa.
Viu quando Grimmjow entrou, parecia um furacão, o semblante no rosto dele não negava o quanto ele está atordoado e irritado consigo mesmo, talvez até descontasse em alguém que fosse enchê-lo.
Desviou o olhar ao vê-lo sentar-se numa mesa longe, porém virado de frente para ela, sendo assim, acabaria trocando olhares, e antes que isso fosse acontecer -melhor prevenir- desviou novamente o olhar para a mesa na qual apoiava ambos os braços.
Não havia pensado a respeito desde quando o vira outra vez, no entanto, sentiu-se estranha ao recordar-se do episódio ocorrido pela tarde. Nunca na vida que Grimmjow comportava-se daquela forma, ele nunca conversou com ela -só o suficiente- e jamais irá esquecer que logo nessa primeira vez, o início dela fora "Quer ser minha fraccion?"
É como se tivesse sido de propósito, afinal, no começo, quando Aizen apresentou-lhe todos os companheiros, Grimmjow foi um dos quais que olharam-na indiferente, às vezes, sequer olhava para ela, portanto, lembrar do acontecimento de horas atrás era pedir para rir.
Limitou-se apenas ao que tinha pensado antes.
Fora para tirar uma de espertinho com a cara dela.
Nada mudaria isso, mas mesmo assim, quereria ter a oportunidade de tirar suas próprias dúvidas com ele.
-Está tudo bem (S/n)? - perguntou o Espada número um.
-Ah, sim, por quê?- questiounou desviando o olhar do azulado.
-Hn, de repente ficou queita e começou a olhar para baixo e ficou toda paralítica.
-Estou muito bem Starrk.- reforçou e soltou um singelo e breve sorriso.- Não é como se estivéssemos conversando grande coisa também. Aliás, eu estava só pensando.
-Ah! Nossa.- espreguiçou na cadeira.- Só de pensar nisso já me dá desânimo.
-Isso porque você não pensa.- respondeu Halibel sem qualquer intenção de ser irônica ou sarcástica, porém, arrancou um riso da outra.
-É o quê?!- fez careta ao gritar.- É assim que me trata número três?!
-Eu só falei a verdade.- deu ombros. A loira nunca fora para piadas, então é normal que alguns até se afetam um pouco com o que ela diz.
-Você não pensa isso de mim, não é (S/n)?- correu para os braços da colega buscando auxílio. Ouviu-a rir, enquanto levantava-se da mesa.
-Por que não pensa um segundo, depois pode nos dizer o que achou do feito.- Halibel sorriu de canto, até que gostava do jeito engraçado, porém verdadeiro de como a fraccion falava de vez em quando.
-Vocês duas vão me pagar caro.- choramingou batendo a testa contra o móvel começando a ignorá-las. Halibel continuou ali, (S/n) por outro lado estava de saída.
Olhou na direção que o Espada número seis está sentado, e não pôde deixar de sorrir discretamente.

...

...

Alguns dias haviam passado-se, mas nenhum tempo longe de Grimmjow foi o suficiente para que (S/n) parasse de pensar no homem alto de cabelos azuis, ao contrário, ele deixou-a tão desconcertada quando propôs aquilo, tanto que até pensou em falar com ele dias antes, contudo, Nnoitra estragou a chance que ela teve de conversar com Grimmjow, tendo em vista que eles não acabam se encontrando tantas vezes pelo castelo -já que ele é enorme- mas parece que só por que ela estava atrás dele, não o achava em lugar algum, por isso decidiu ir até o quarto dele.
Não foi algo lá fácil de se fazer, considerando que não é comum dela frequentar os dormitórios alheios, muito menos daqueles de quem ela não tem contato nenhum. Porém, só de cruzar o corredor dos quartos de alguns deles deu de cara com o número cinco caminhando em direção à saída. Aparentava a ser carma.

#FLASHBACK

-Ora, ora, o que acabo de encontrar aqui?- pôde ouvir o moreno debochar parando aos poucos de caminhar, unicamente para ter uma desculpa e conversar com a arrancar.- A que devo sua ilustre caminhada perto do corredor do meu quarto? Por acaso estava indo me fazer uma visita?- sorriu malicioso tentando tocá-la nos cabelos (c/c), contudo, ela desviou.- Podemos retornar agora.
-Guarde o seu sarcasmo e suas... Tentativas de seduções para outra pessoa.- respondeu rude tentando passar por ele, que só bastou colocar uma mão na parede para bloqueá-la.
-Minha cara (S/n), não seja tão dura comigo.- aproximou-se.- Depois do que acontecer você será minha pet, a única.- viu-a rir.- Está reconsiderando? Pois bem, sabia que estava aqui para isso.
-Continue dizendo asneiras e não respondo por mim. Pode até ser um Espada, ranking cinco, uma boa média, mas mesmo assim eu sugiro que segure a sua enorme língua ou então irei arrancá-la.- ameaçou já sem qualquer paciência. Estava tão envolvida na discussão para se livrar do moreno, que não prestou atenção numa figura que os assistia não muito longe.- E cá entre nós...- sussurrou.- ... Não é da sua conta o que faço andando pelos corredores.
-Ora sua-
-Já chega Nnoitra.- o moreno virou-se para encontrar Grimmjow vindo até eles, despreocupadamente com as mãos no bolso da calça.- Não vê que você está incomodando?- (S/n) teve que se esquivar para vê-lo, já que Nnoitra é bem alto. Ficou aliviada ao encontrá-lo, não necessitaria mais de procurar.
-Fique na sua maldito.- esbravejou.- Não se meta aonde não é chamado, o assunto é entre eu e minha doce (S/n).- ouviram uma risada.
-Doce?- debochou.- Sabe, não sei qual sua definição de doce, mas acho que se alguém me ameaçasse não seria tão doce assim.
-Seu... Ninguém pediu sua opinião.
-Pelo menos ele leva a sério o que eu digo.- proferiu (S/n) pela primeira vez desde a chegada de Grimmjow.- Ele pode até não me conhecer bem, mas entende que comigo não se brinca, ainda mais você Nnoitra.
-Não vá defender esse fracote (S/n).- encarou-a friamente.- Pode até não gostar, mas tem que admitir que eu sou o único que merece tê-la como fraccion, e como prova de que falo sério.- baixou até estar rente ao ouvido dela para sussurrar.- Irei transformá-la em algo muito melhor do que minha fraccion.- (S/n) sorriu. Ironicamente, mas sorriu.
-Eu prefiro morrer.- Nnoitra ficou abismado ao escutá-la proferir tais palavras. Ele é muito grosso e severo com todos mesmo, mas ele a queria, então não iria adiantar tê-la a força, mas odiou cada palavra que ela dissera. Sentiu-se ser empurrado para o lado.- Agora, se me der licença, preciso cuidar da minha vida. Você bem que podia tentar isso Nnoitra, vai te fazer bem.- Grimmjow só pôde rir ao vê-la sair vitoriosa e o pedaço de poste não ter onde esconder sua raiva e surpresa.

#FLASHBACK

Por fim, se não fosse pelo moreno ambulante cruzando o caminho dela, ou deles talvez, teria conseguido concluir sua meta de dias atrás. Contudo, se fizesse isso na frente dele, iria gerar mais dor de cabeça e confusão. Uma hora ou outra iria conseguir falar com Grimmjow.

Por fim, se não fosse pelo moreno ambulante cruzando o caminho dela, ou deles talvez, teria conseguido concluir sua meta de dias atrás. Contudo, se fizesse isso na frente dele, iria gerar mais dor de cabeça e confusão. Uma hora ou outra iria conseguir falar com Grimmjow.

Por isso decidiu que o melhor a se fazer é dar um tempo no tempo, ou seja, não ficará mais a procura pelo Espada, quando tiver de encontrá-lo o fará.

Não é tão fácil encontrar alguém em Las Noches, levando em consideração a extensão do local, fora que pode-se dizer que os aliados de Aizen não são muito sociáveis, então tendem a passar seu tempo sozinhos, assim como (S/n) nesse momento, a biblioteca sempre foi um cômodo muito interessante, desde livros de pesquisas à livros que descrevem o Mundo dos Vivos -um dos favoritos da arrancar-. Contudo, nessa semana a biblioteca não estava lá tão empolgante quanto costumava ser. O dia está entediante para ela, que há tempos não fazia algo mais empolgante. Sendo assim, estabeleceu algo a si mesma. Um dia de treino parece ser uma boa atividade para não ficar sem ter o que fazer, ainda mais que Aizen não designa missões há meses para ela, logo, poderia estar mais apta caso treinasse mais vezes.

Caminhando pelos corredores do grande castelo, notou que o lugar está mais vazio e silencioso do que nunca -não que encontrasse muitas pessoas andando de um canto para outro- logo, a sensação de estar sozinha para treinar sem interrupções fora o bastante para fazê-la andar mais rápido até a ala de treino.

No entanto, assim que pisou dentro do local sentiu euforia, mas ainda sim, um certo desconforto por encontrar um certo Espada número Seis treinando sozinho e arduamente. Notou que este não trajava suas vestes da cintura para cima, isso fez com que a atenção fosse pega para olhar o corpo másculo do homem, os ombros largos, e os braços... Tão fortes... Tão chamativos...

Não poderia negar, Grimmjow está dentre os mais bonitos que já virá, fora seu temperamento, que costuma cativar as mulheres que estão em Las Noches também. (S/n) não pode se colocar no lugar destas, que tem a oportunidade de ter a atenção dele as noites ou sempre que quisessem para assuntos análogos -se é que entendem- Entretanto, ela entende bem a fascinação que tem com ele, afinal, após o dia em que Grimmjow veio tentar conversar com ela, passou a analisá-lo bem, e foi quando percebeu que ele chama-lhe muito a atenção. Não só por atração.

Preferiu ir embora e retornar em outro momento para o treino, afinal de contas, do mesmo modo como queria estar sozinha, imagina que ele deseja o mesmo. Fora que ele poderia ficar irritado caso fosse interrompido. (S/n) ficaria.

-Vai embora sem fazer o que queria? - parou de súbito ao ouvi-lo falar, mesmo assim, respondeu sem virar-se.

-Eu voltarei em outro momento. Sinto por tê-lo interrompido. - Por estar de costas, não pôde ver o sorriso que ele dera assim que se virou de frente para ela.

-Pode treinar comigo se quiser. - Ofereceu vendo-a virar, olhando-o interrogativa. -Que foi? Não é sempre que tenho companhia, imagino que o mesmo cabe a você. - Iria negar a oferta, contudo, treinar com um oponente deve ser mais eficaz do que sozinho.

Retirou sua zanpakutou da bainha, junto com as sandálias, ficando como ele, para em seguida caminhar para frente, assumindo uma posição de luta.

Em poucos segundos, ambos correram para se atacar, sendo que (S/n) começou com o punho fechado, mas o oponente a segurou, logo com a mão livre desferiu nela um soco forte o suficiente para que fosse jogada poucos metros.

Gemeu de dor pelo impacto nas costas quando entrou em contato com o chão duro, e foi ali, naquele instante que percebeu estar pior do que imaginava.

Sem esperar muito tempo, avançou novamente na direção dele, dessa vez procurando ameaça-lo, para fazê-lo atacar, assim, usaria algum tempo para defender-se, inclusive para estudar os movimentos dos golpes, seguidamente contra-atacar.

Todavia, como nunca lutou contra ele, não esperava que fosse ser insaciável. Os golpes dos inúmeros socos que ele tentava acertar eram muitos, os braços dela começavam a doer pelos efeitos dos socos. Então, numa tentativa defensiva e de ataque -mesmo que pudesse ser acertada mais uma vez- abaixou-se novamente dando uma rasteira nele, que caiu com a surpresa da investida de (S/n).

Antes que ele pudesse se levantar, (S/n) ficou sobre ele, onde desferiu um cero contra o peito, contudo, era somente para retardá-lo, tendo em vista que um cero de um arrancar comum não é forte e efetivo como de um Espada.

Assim que conseguiu sair do alcance do ataque dela, Grimmjow reverteu as posições, segurando ambas mãos acima da cabeça. Viu-a tentar debater-se com as pernas, porém, antes que ela conseguisse tal feito, sentou-se em cima do quadril, deixando-a totalmente imobilizada.

-Pelo tempo que ficou parada na entrada, talvez teria me estudado mais... Se não ficasse me secando. – Sussurrou perigosamente próximo ao ouvido dela, vendo o modo como ela se arrepia. (S/n) sempre parece ter ou pelo menos procura ter uma resposta na ponta da língua, no entanto, a surpresa foi tanta por saber que ele havia notado, que não soube o que responder, muito menos onde esconder o rosto. - Não pense que é a única. – Desceu os olhos pelo busto.

-... – pensou muito antes de responder, afinal, um dia terá de esclarecer. – E você devia ter vergonha na cara e confessar o que sente por mim. – Sorriu um tanto vitoriosa, com a feição de espanto que ele deixou transparecer. Foi assim que (S/n) descobriu que Grimmjow gosta dela, muito antes dela começar a corresponder. Pelo fato de que ele costuma deixar transparecer algumas emoções, e mesmo que não, houve momentos que bastou examinar o modo como ele a olhava ou talvez como tentou dialogar, que não foi difícil chegar à essa conclusão.

-Se sabe o que sinto, então sabe como estou te desejando agora. – provocou-a. Ainda perto o bastante do rosto alheio, distribuiu leves selares no pescoço fino da arrancar, entre mordidas e chupões.

(S/n) permitiu que um gemido fosse ouvido ao receber uma mordida mais forte do que a primeira, sentindo-o parar com os estímulos para deixar os lábios roçarem com os delas, continuando a provocação, onde ele mesmo não se conteve.

-Que se foda- proferiu antes de avançar num beijo ardente e bruto.

As mãos de ambos percorriam os corpos esperando gravar cada curva e detalhe um do outro, sendo Grimmjow o mais ousado nos afagos, passando as mãos grandes e firmes pelas coxas desnudas -por causa do vestido curto- trazendo-a para perto, pondo ambas entrelaçadas no quadril.

Mesmo sendo um ato repentino, (S/n) não conseguia e nem queria se afastar dos beijos e carícias. Por isso, tão envolvida quanto Grimmjow, aproveitando que este vestia nada da cintura para cima, arranhou de leve desde a nuca até o final da coluna, causando arrepios no azulado.

Os lábios tiveram que ser separados pela buscar pelo ar, levando em consideração o beijo intenso que tiveram. Os olhos azuis viam com satisfação a feição corada e respiração acelerada da mulher abaixo de si. Por outro lado, ele não estava diferente dela – exceto por estar corado- Aproximou-se novamente, mordendo o lóbulo da orelha, ouvindo os gemidos e sentindo as unhas fincarem com um pouco mais forte em seus braços.

Para o ego dele, aquilo foi como musica para os ouvidos, sendo uma sensação tão prazerosa como lutar. E por pensar nisso, percebeu que ainda estavam na sala de treino.

- O que acha de terminar isso em outro lugar? – perguntou baixo, como se soubesse que a voz rouca e grossa que tem é o bastante para conquista-la.

- O que acha de dizer alto e em bom som o quanto gosta de mim? – mais uma vez pegou-o de surpresa. Um dos aspectos que ele não desvendou nela, foi essa facilidade que ela tem em ler as pessoas. -Você não esconde tão bem assim.- debochou.

-Bom, já que sabe o quanto te quero... Acha que consegue me ajudar com isso?- respondeu movimentando o quadril intencionalmente, para fazê-la sentir o quão excitado ele está.

-Tenho certeza.


Notas Finais


Obrigada gente <3
Espero que tenha ficado bom. E estou pensando seriamente em fazer um bônus com um hentai kkkk bem... posso tentar.
Até mais! Beijão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...