História Quando Você Foi Embora - ChangLix (OneShot) - Capítulo 1


Escrita por: e Bia_ChangBin

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Lee Felix, Seo Chang-bin
Tags Borboleta, Changbin, Changlix, Felix, Fluffy, One-shot, Romance, Stray Kids, Yaoi
Visualizações 117
Palavras 2.002
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Científica, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem desse OneShot que eu fiz com todo carinho para vocês!
Boa leitura!♡

Capítulo 1 - Capítulo Único


   Tempos Antigos

Mais uma manhã que Felix observava as borboletas que voavam sobre seu jardim, as mesmas tinham todos os tipos de cores e formas, ele achava todas elas lindas.

Felix sempre amou borboletas, desde pequeno, ele sempre conviveu com elas. Quando pequeno, sua família se mudou para o interior da Austrália, seu pai era Lepidopterologista, ele tinha o objetivo de estudar as mais variadas borboletas que se encontravam naquele local afastado.

O maior sonho de seu pai era encontrar a Silvery Blue, uma das borboletas mais raras do mundo. Ele a procurou por muitos anos de sua vida, sempre fazia viagens para tentar achar sua tão desejada borboleta Silvery Blue, pena que em uma de suas viagens ele pegou uma doença e logo que voltou para casa, não conseguiu se tratar e faleceu, ninguém nunca soube qual era sua doença.

Quando Felix completou 17 anos, voltou para cidade grande em busca de um emprego, ele faria de tudo para cumprir a missão de seu pai e encontrar a 'tão preciosa borboleta. Ele não sabia como, Mais ele iria encontra-la.

        Tempos Atuais

Felix terminava de limpar o balcão daquele estabelecimento, ele tinha começado a trabalhar em um café que tinha no centro da cidade, o lugar não era muito movimentado, Mas tinha clientes o suficiente para que ele ganhasse um bom salário.

- Lee! - Chamou o velho senhor que era o dono do café, logo tendo a atenção do loiro para si - Limpe aquela mesa do canto, por favor - Viu Felix assentir e entrou para sua pequena sala.

O garoto terminando de limpar aquele extenso balcão, foi em direção a mesa arredondada que ficava no canto do café vendo apenas alguns pratinhos, xícaras, e um jornal.

Ele terminou de limpar a mesa e pegou o jornal, ele não lia jornal, Mais naquele dia lhe deu uma imensa vontade de ver o conteúdo daquelas folhas compridas. Ele passou o olhar por várias páginas até que viu uma que lhe chamou muito a atenção pelo título.

"Coreia Do Sul Irá Inaugurar Santuário Para Espécies Raras De Borboletas"

     Ele leu a matéria inteira, lia cada palavra atentamente, ele não podia acreditar, era o lugar certo, no momento certo.

     Felix sempre sonhou em ir para a Coreia do Sul fazer faculdade de Fotografia, Ele sempre via as fotos mais profissionais sendo tiradas lá, e isso despertou nele um interesse gigantesco na cultura. Mas ele abandonou essa ideia depois que se mudaram para o interior, tudo era novo, ele se apaixonou pelas borboletas e esqueceu sua câmera fotográfica.

        Mas agora todo o seu desejo de ir para o país tinha voltado, e com muito mais força. Ele tinha ficado entusiasmado com a ideia de que lá, ele poderia encontrar a Silvery Blue.

     Terminou suas tarefas do trabalho e saiu correndo até sua casa. Adentrando em seu apartamento, nem se importou em tirar os sapatos ou trocar de roupa, ele foi direto para seu Notebook procurar passagens para Coreia do Sul.

        O evento não estava tão perto, Mas ele queria garantir que estaria presente, afinal, a exposição das borboletas seria pública, todos iriam poder vê-las.

     Ele encontrou uma passagem disponível para um mês antes, era até barata, Mas ele teria que pedir um adiantamento para seu chefe. Foi nesse momento que ele sentiu que cada centavo que ele economizou estava valendo a pena.

    No dia seguinte, ele fez como o planejado, pediu um adiantamento para seu chefe, que concedeu seu pedido de bom grado, o homem que sempre soube do sonho de Felix estava super entusiasmado com a ideia que seu querido filho - não de sangue, mas de coração - iria realizar seu sonho.

      Depois de terminar seu expediente, Felix correu até sua casa para comprar as passagens, pois seu chefe já havia colocado o dinheiro em sua conta, ele procurou umas das mais baratas, não queria gastar dinheiro com aquela viagem.

      Depois de procurar muito, Felix achou uma que não era tão cara, era perfeita! Ele estava nervoso, sempre que fica nervoso, ele faz tudo com toda a sua calma e concentração, como se estivesse jogando xadrez.

        Ele conseguiu comprar a passagem e passou o resto da noite comemorando a maior conquista que ele já teve em sua vida, Depois de tanto pular acabou por dormir ali mesmo.

      Sua viagem seria em duas semanas, durante esse período ele continuou seu trabalho normalmente, também fez alguns trabalhos extra para conseguir um pouco mais de dinheiro. 

[...]


    Logo o dia de sua viagem havia chegado e ele já havia preparado tudo uma semana antes, ele se aprontou e foi até o café se despedir de seu chefe, acabou que os dois choraram e ficaram alguns minutos abraços.

     Felix chegou no aeroporto animado, sorria para todos as pessoas a sua volta, ele sabia que sentiria falta da Austrália, mas seu sonho junto de seu pai sempre foi mais importante.

      Depois de algumas horas, um som ecoou pelo local avisando que seu voo iria decolar em um minuto, ele se apressou e foi para sua fila de embarque, passando por um enorme túnel que o levaria ao avião.

     A viagem ocorreu bem, as vezes ele ouvia algumas garotas falando o quanto estavam felizes em ir para a Coreia do Sul, e que agora, estariam mais perto de seus ídolos.

     Ele acabou dormindo e só acordou. quando o avião já estava chegando, por conta da turbulência, ele ficou assustado, afinal, nunca tinha andando de avião, mas quando pousaram ele se sentiu mais seguro do que na Austrália.

    Ele se hospedou em um pequeno apartamento, ele ficaria pouco tempo lá, então não se importou com o local.

    Como ele tinha dinheiro para se sustentar lá e não precisaria trabalhar, ele dedicou suas semanas para aprender pelo menos o básico do coreano, afinal, ele precisaria se comunicar com as pessoas. 


        [...]


       O dia da Inauguração havia chegado, e Felix se encontrava desesperado pois não achava suas chaves, ele não poderia sair sem suas chaves. Depôs de procurar pelo apartamento inteiro, a achou entre uma das almofadas de seu sofá.

       Saiu apressado até o local que seria o evento, pegou um táxi e logo chegou em seu destino. Ele chegou no horário certo, eles tinham acabado de abrir os grandes portões do lugar.

       Quando entrou, sentiu uma sensação inexplicável, era um misto de felicidade, e um tipo de liberdade que ele nunca havia sentido antes, com certeza seria o melhor dia de sua vida.

Haviam várias pessoas lá, desde idosos, até pequenas crianças que brincavam com as borboletas que voavam por ali.

      Felix optou por procurar a Silvery Blue no local onde ficavam as borboletas empalhadas. Entrou por um extenso corredor que tinha vários vidros com as mais raras borboletas por trás dos mesmos, e ficou encantando com as borboletas que virá lá, ele nunca iria ver uma daquelas em seu pequeno jardim.

     Ele olhava atento para os vidros, quando esbarrou em alguém e acabou caindo no chão junto com a pessoa, por sorte não tinham muitas pessoas por ali, e as que estavam, era em um lugar mais afastado.

     Felix murmurou um "Aish" baixinho, colocando a mão na cabeça na tentativa falha de tentar amenizar a dor que estava sentindo. A pessoa que tinha esbarrado em si nada fez, apenas ficou estático na frente de Felix, sem pronunciar uma palavra sequer.

     Felix estranhando, levantou o olhar que foi em encontro ao do menino de roupas pretas e olhos profundos. Agora ele estava estático, não sabia o que fazer, ele só sabia olhar para o garoto que o olhava na mesma intensidade.

    Passou um enorme Flashback por sua cabeça no momento em que o garoto abriu um sorriso de canto para o mesmo.

"Felix corria atrás de uma borboleta nova que havia encontrado em seu jardim, quando viu um carro parar em frente a sua casa, ele chamou sua mãe que foi ver do que se tratava.


      Saíram duas pessoas de dentro do carro, um homem, e um menino que parecia ser um pouco mais novo que Felix.

     O menino saiu correndo, indo ao encontro de Felix sorrindo, "você quer brincar comigo?" perguntou o garotinho, Felix assentiu e logo eles estavam correndo atrás da mesma borboleta que Felix estava seguindo sozinho a poucos minutos.

Aquele homem - que Felix descobriu mais tarde que era pai do garotinho - iria se hospedar por alguns dias em sua casa, pois seu carro havia quebrado e eles só conseguiram parar em frente a casa da Sra. Lee.

       Durante os dias em que eles ficaram lá, Felix não se sentiu mais sozinho, ele sempre quis ter um irmão, mais sua mão preferiu que ele fosse filho único, com o pequeno garoto ele se sentia bem, ele começou - Mesmo com pouco tempo da chegada do garoto - a alimentar um ótimo sentimento dentro de si, e ele sabia disso, mesmo não querendo assumir.

        Felix havia contado seu desejo de encontrar a Silvery Blue para o menino, que pareceu muito interessado no assunto, e era esses mínimos detalhes que faziam o sentimento de Felix crescer.
Mas logo os dias foram passando, e junto com eles vinham a partida do garoto da vida de Felix.

      No dia antes do garoto ir embora, eles brincaram muito, fizeram diversas coisas, desde de correr no Jardim, até se esconder de seus familiares na macieira que havia ali.

      E foi ali, que Felix tomou coragem e falou tudo o que sentia para o garoto, mesmo que os dois ainda não entendessem direito como funcionava aquilo.

        E foi ali, que Felix descobriu que o garotinho também se sentia da mesma forma que ele.

       E foi ali... escondidos, eles se deram a liberdade de dar um breve e tímido selar, eles acharam estranho, mas ao mesmo tempo, ambos gostaram de sentir os lábios um do outro.

   E foi ali que eles fizeram uma promessa.

     "Nós nunca iremos esquecer um do outro, e quando ficarmos grandinhos nós vamos nos encontrar novamente, não é, Binnie?" Perguntou o loiro com medo que seu pequeno não concordasse.

     O garoto assentiu freneticamente, sorrindo. Depois de se olharem, eles deram mais uma bitoquinha só para não se esquecerem.

E no dia seguinte... Ele foi embora"



       - B-Binnie? - Felix estava desacreditado, não podia ser ele.

       - Lix...- Ele respondeu abrindo um sorriso ainda maior.

      - Oque você está fazendo aqui? Por que veio? - Felix estava confuso, ele não sabia que ChangBin gostava de borboletas assim como ele.

     - Eu vim procurar a Silvery Blue... para você - Foi apenas essa frase que precisou ser pronunciada para fazer uma grossa e salgada lágrima cair sobre a pele clara de Felix.

        Felix por impulso se jogou nos braços do garoto que o segurou dando inicio a um abraço cheio de sentimentos, sentimentos que foram guardados por anos, até aquele momento. Os dois estavam chorando, Felix nunca achou que encontraria ChangBin novamente.

       - Nós podemos fazer aquilo de novo... sabe? - ChangBin perguntou para Felix que não entendeu de imediato, mas depois de pensar um pouco entendeu sobre o que o Seo estava falando, sorriu ao perceber que seu menino ainda continuava tímido.

        E sem pensar duas vezes, Felix selou os lábios de ChangBin, um beijo calmo, onde podia ser sentido o gosto salgado de suas lágrimas se juntando com o doce de suas bocas, uma sensação que foi maravilhosa para ambos.

      Quando faltou ar em seus pulmões, eles separaram o beijo calmamente, ficando apenas aconchegados no abraço um do outro.


        Naquele corredor escuro, onde apenas se encontravam borboletas sem vida, ChangBin e Felix puderam ver, uma pequena luz que acabou por se formar entre os dois, e de lá, saiu uma pequena Silvery Blue, com asas mais finas que um papel, brilhantes, como se nelas estivessem sido colocados pequenos diamantes.

       E ali eles souberam, que aquele pequeno ato foi para mostrar que mesmo distantes por muitos anos, o amor que eles sentiam era mais puro e brilhante do que as pequenas asas da borboleta que sumiu na escuridão do corredor...










Notas Finais


E aí? Ficou bom?
Espero que sim! É meu primeiro OneShot, mas eu trabalhei duro!
Obrigada♡
Fighting!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...