1. Spirit Fanfics >
  2. Quarentena (NaruHina) >
  3. Único.

História Quarentena (NaruHina) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, mozamigos!
Então, deveria estar postando capítulo novo das fanfics em andamento mas com essa quarentena e esse isolamento, tive essa ideiazinha e achei que seria legal desenvolver e postar para você.
Se ficou bom? Não sei! Mas, pelo menos, dá pra passar um tempinho durante essa quarentena.
Inclusive, espero que vocês todxs estejam bem, e desejo que tudo melhore logo! Não esqueçam de ficar em casa, quem puder, e de sempre fazer as higienizações recomendadas.

Bom, sobre a fanfic ela se passa no universo cânon, e um ano depois dos acontecimento do The Last.
Espero que gostem e aproveitem. Até as notas finais!



Sem mais delongas...

Capítulo 1 - Único.


Pulava entre as árvores o mais rápido que podia. Já podia ver de longe as luzes da Vila à sua frente, afinal a noite já caía. Sentiu o coração aquecer. Num momento crítico como aquele, o que mais queria era poder estar em casa, e ajudar na sua Vila o quanto pudesse. Era poder saber que seus amigos estariam bem e, principalmente, saber que Hinata estava bem. Só de pensar na imagem pequena da Hyuuga seu estômago revirava, mas era um reviramento bom. Era uma ansiedade imensa. 

- Acho que podemos diminuir o passo, não é? A vila já está bem próxima. - a voz de Sai o acordou dos seus pensamentos. O encarou sem expressão. Não queria ser grosso com Sai mas naquele momento a última coisa que queria era ir devagar. Exatamente porque estavam perto é que deveriam ir ainda mais rápido. 

- Desculpe, Sai, mas não é prudente ficarmos mais tanto tempo fora. Acho que é melhor mantermos o ritmo. - Sakura respondeu o moreno, o que aliviou o coração de Naruto por não ter que falar nada para ele. Sai apenas assentiu e seguiram o caminho, por vezes Naruto acabava indo rápido demais e deixando seus colegas de time para trás um pouco, e então parava um pouco para aguardá-los. 

- Está com pressa, hein Naruto?! - Sai o questionava com um sorrisinho de canto, e Naruto bufou. Não estava muito para papo naquele momento. A situação era crítica, e ele só queria ter certeza de que estava tudo bem em casa, que estava tudo bem com sua Hime. Apenas deu de ombros, e Sai pareceu ter entendido que ele não estava muito para papo, pois se calou. O resto da viagem foi silenciosa, o que agradou Naruto. Pouco tempo depois estavam nos portões da Vila, e Naruto enfim pôde sorrir. 

- Vou entregar o relatório da missão para o Hokage-sama. Vocês dois podem ir descansar e fazer a higienização que nos foi recomendada. - Saiu falou calmamente, se despedindo dos colegas de time. Naruto sorriu feliz e Sakura apenas acenou. 

- Cuide-se você também, Sai-kun! - Sakura gritou para o amigo, que apenas a olhou por cima do ombro e assentiu rapidamente, antes de seguir caminho para o prédio do Hokage. 

- Bom, Sakura-chan, eu também já vou indo, ok? Estou com um pouco de pressa. - Naruto falou com um sorriso sem graça e coçando a nuca. Sakura sorriu. Sabia que aquela pressa deveria ter a ver com a Hyuuga. Sentiu uma pontada de inveja naquele momento. Devia ser bom ter alguém para quem voltar, ou ter alguém que se preocupasse em como ela estava ou deixava de estar. Se despediu do loiro suspirando e seguiu caminho para sua casa. 

Naruto correu apressadamente para sua casa. Pensou, inicialmente, em ir direto para o clã Hyuuga e pedir informações de Hinata. Mas acabara de voltar de uma missão de duas semanas, precisava de roupas limpas, e precisava fazer a higienização correta recomendada. Afinal, de nada adiantava se preocupar tanto com a saúde da Hyuuga e ser a pessoa a lhe passar algum tipo de doença. Enquanto corria percebeu que o tempo havia esfriado em Konoha. Logo mais estaria nevando, mas o frio já castigava a Vila. Avistou de longe o seu apartamento e sorriu feliz. Além disso, percebia que as ruas já estavam vazias, o que deveria ser o medo das pessoas em relação àquela doença nova e desconhecida. Se limparia rapidamente e iria até os Hyuuga saber da sua namorada. Mesmo que não pudesse falar diretamente com ela, queria ter certeza de que ela estava bem. Chegou na frente do prédio e subiu as escadas até o primeiro andar, onde morava. Começou a tirar as chaves do bolso e qual não fui sua surpresa quando levantou os olhos e encontrou sua Hinata ali, na porta do seu apartamento abraçada com as pernas e dormindo. Não conseguia compreender o que tinha acontecido, porque ela estava ali. Só sentiu uma dor imensa no peito ao ver sua Hime naquele frio, naquela situação. E pior, exposta à essa doença que ninguém sabia ainda o que era. 

Calmamente se agachou até ficar na sua altura. Hinata dormia calmamente e não deixou de pensar como ela era linda até mesmo dormindo na porta de alguém. Ia tocar em seu rosto mas se lembrou de que era melhor evitar isso. Até o fato de estar perto dela já era muito perigoso. 

- Hina… - ele chamou num sussurro e a viu se mexer um pouco e abrir um sorriso tímido, mas sem acordar. “Deve estar achando que está sonhando”, ele pensou, e não pôde evitar um sorriso. - Hina, acorda, vem! - dessa vez chamou um pouco mais alto na esperança da perolada acordar, mas nada. Respirou fundo. Não queria assustá-la mas parecia que não teria outra alternativa. - HINA! - dessa vez foi um grito e teve sucesso ao acordar a namorada, que se levantou em pulo, provavelmente assustada. Naruto gargalhou. Não por maldade com a garota, mas sim porque a cena tinha sido muito engraçada e porque, apesar de qualquer coisa, Hinata conseguia ser linda até assustada. 

- N-naruto-kun? - Hinata se recuperava do susto e esfregava os olhos, bem típico de uma pessoa que acabou de acordar. Depois de cerca de um minuto é que se deu conta de que realmente era seu loiro sorridente quem estava ali na sua frente. - Naruto-kun! - ela falou mais convicta e então correu para abraçá-lo. O loiro inicialmente se assustou com o desespero da garota, mas depois cedeu ao abraço da menor. Era sempre maravilhoso abraçar Hinata. Seu corpo era pequeno e macio, suas mão apesar de pequenas eram quentes e gentis, e o cheiro… Ah, nada poderia descrever o cheiro que a sua namorada tinha, por isso decidiu que existia um novo cheiro na sua vida: cheiro de Hinata. Foi se deixando levar pela situação, quando lembrou-se de quão errada aquela situação era. 

- Hina, não! - a morena afastou-se do namorado confusa, não entendia o motivo dele afastá-la. Ele logo percebeu que a situação ficou um pouco confusa e tratou de se explicar. - Eu acabei de chegar de missão, Hina. É perigoso te tocar, sem saber se estou bem. - a morena sorriu. 

- Está tudo bem, Naruto-kun. Eu não me importo. - ela sorriu doce. 

- Mas eu me importo, Hina. Não quero que você fique doente por minha culpa. - ele falou e franziu a testa, o que a morena sabia que significava que o namorado realmente estava preocupado. Respirou fundo. 

- Naruto-kun, você teve contato com alguém que estava infectado? - perguntou séria e o encarando. 

- Não que eu saiba. Na vila onde eu estava não havia chegado nenhum caso ainda, mas eu viajei bastante tempo para chegar aqui, ok, Hina? É melhor não arriscarmos. - o loiro deu um passo para trás, na tentativa de ficar mais distante da morena. Ela cruzou os braços e fez biquinho, o que o loiro considerava irresistível. Deu um sorriso largo. - Vem, vamos entrar. Está muito frio aqui fora e você precisa me explicar direitinho o que estava fazendo dormindo na minha porta uma hora dessas. - disse sorrindo e piscando, fazendo a morena corar. Ela assentiu e, dito isso, ambos entraram no apartamento. 

--

Naruto pediu que Hinata esperasse na sala enquanto ele iria tomar banho e colocaer roupas limpas, e a morena assentiu. Enquanto estava sentada no sofá da sala, percebeu que talvez o loiro estivesse com fome, e decidiu ir preparar alguma coisa para que ele jantasse. Começou a revirar os armários do apartamento na tentativa de encontrar opções, mas só achou lámen. Riu, não podia esperar outra coisa do namorado. Já havia um ano desde que Naruto a salvara na lua e eles engataram um namoro, mas pouquíssimas foram as vezes em que Hinata esteve no apartamento de Naruto. Mesmo assim, todas foram bem rápidas, só quando ele precisava passar para pegar algo que havia esquecido. Começou a preparar o lámen, e nem se deu conta quando o namorado entrou na sala a procurando e a encontrou na cozinha, preparando a sua janta. Naruto não anunciou de imediato a sua chegada, ficou ali admirando sua namorada maravilhosa, que mesmo cortando alguns legumes fazia tudo com tanta delicadeza e cuidado. Ficou pensando no quão atenciosa ela era, e como era sortudo por ter alguém que se preocupava em cuidar dele, mesmo ele sendo o lesado que era. Percebeu que ela não se dera conta da sua presença no cômodo e sorriu pensando que ela estava tão entretida em deixar tudo perfeito para ele, que tinha se desligado do mundo ao seu redor. 

Pigarreou, na tentativa de chamar a atenção da Hyuuga, e essa deu um sobresalto ao perceber a presença do namorado ali, e levou a mão até o peito. O Uzumaki gargalhou. Jamais cansaria de ver como Hinata se assustava facilmente, e do quanto ela ficava linda daquela forma. 

- Desculpe, Hime, não queria te assustar. É que você estava tão entretida que nem me viu chegar. - Hinata o encarou corada. Percebeu que a Hyuuga o analisava, e não entendia muito bem o porquê. Hinata, por outro lado, sentia que iria desmaiar a qualquer momento. Se segurava com força na barra do balcão. Naruto estava com uma toalha nas mãos, provavelmente havia usado para enxugar os cabelos, já que estes estavam úmidos, com alguns poucos fios que ainda pingavam, e estes pingos caíam no seu abdômen desnudo, que era perfeitamente delineado. Nem forte, nem magro, apenas bem definido, e bem bronzeado. Usava apenas uma calça moletom, e tinha no rosto aquele sorriso ridiculamente lindo, que fazia Hinata querer desmaiar o tempo todo. Nunca tinha visto Naruto daquela maneira, e apesar da vergonha que sentia desejava poder vê-lo assim muitas outras vezes. 

- T-t-udo bem, N-naruto-k-kun… Eu que estava distraída mesmo. - tentou dar um sorriso mas ainda estava completamente sem graça. Naruto ainda não havia entendido o porquê de tanto nervosismo da Hyuuga, mas decidiu ignorar. Já estava acostumado com aquele jeito tímido da sua namorada e, na verdade, gostava até bastante dele. - Sente-se, Naruto-kun, a comida já está quase pronta. - a morena parecia ter se acalmado mais, e o Uzumaki decidiu agir normalmente. Jogou a toalha em uma cadeira que estava próxima a eles, e sentou-se na mesa. 

- Eu fico imensamente agradecido, Hina, mas não precisava se preocupar em preparar nada para mim. - Naruto falava sem graça enquanto coçava a nuca. Hinata lhe deu um sorriso doce enquanto servia o lámen na mesa. 

- Não tem nada de mais, Naruto-kun. Apenas imaginei que depois de uma viagem longa assim você deveria estar faminto. 

- Bom… você acertou, Hina! Estou quase dando uma mordida nessa mesa. - gargalhou besta como sempre. Hinata riu junto com o namorado, estava com saudade desse alto astral dele. Naruto olhou para a mesa e viu que ela havia posto apenas um prato. Ergueu uma sobrancelha. - Você não vai comer? - a morena ruborizou. 

- N-não, Naruto-kun. Fiz para você, pode comer a vontade. - a verdade é que ela estava morrendo de fome, estava ali sentada na porta desde cedo esperando a chegada do amado, mas sabia que ele estava cansado e havia acabado de chegar de uma missão, precisava mais daquele alimento do que ela. Naruto a encarou sério. Não sabia quanto tempo a perolada havia ficado ali lhe esperando, mas imaginava que devia sentir fome. Levantou-se da mesa, deixando uma Hinata confusa o seguindo com o olhar, foi até um dos armários e pegou um prato, que colocou na frente da namorada. 

- Vamos, coma. Tem o suficiente para nós dois. - viu que a menina ia abrir a boca para falar algo, mas a impediu. - Não, sem mas. Vamos, coma. - Hinata ficou um tempo o encarando, e por fim cedeu. Comeram sorridentes com Naruto falando muito sobre a missão, como sempre. Mas isso não incomodava Hinata, na verdade era tudo o que ela mais queria, ficar ali passando todo o tempo possível observando o seu amado. Por fim, terminaram e Naruto tirou a mesa deixando a louça na pia, com Naruto informando que lavaria no dia seguinte. Depois chamou Hinata até a sala, pois disse que queria conversar com ela. 

--

Hinata sentou-se reta no sofá, sabia o que o loiro iria lhe perguntar e a resposta nem era nada de mais, mas apesar de estarem um ano juntos ainda tinha vergonha de dizer ao loiro como se sentia em relação a ele. Naruto sentou-se ao seu lado e percebeu que a garota estava tensa, então a abraçou de lado, esquecendo momentaneamente as recomendações médicas e sanitárias. 

- Então, Hina, pode me explicar melhor sobre o que está acontecendo? Ouvimos falar rapidamente sobre a doença, na vila em que estávamos, que estava matando várias pessoas em pouquíssimo tempo, mas não sabiam nos explicar direito do que se tratava. Só me preocupei em vir o mais rápido possível e ver se você estava bem. - Hinata sorriu. Seu coração ainda palpitava toda vez que pensava que Naruto se preocupava com ela. 

- Bom, Naruto-kun, basicamente é um vírus novo que se originou em uma das vilas próximas de Konoha. Ainda não se sabe muito sobre ele, mas aparentemente as formas de contágio podem ser pelo ar, ou pelo toque. Ainda não acharam curas, mas Tsunade-sama já foi convocada pelos cinco Kages, e partiu para a pequena vila onde o vírus se originou, na esperança de auxiliar no desenvolvimento de uma vacina. - Naruto encarava a namorada seriamente. Aquilo era terrível. 

- Nossa, que péssimo. 

- Sim, parece que entre a pequena vila que se originou, a Vila da Pedra e da Chuva, já foram três mil mortos. Aparentemente aqui em Konoha ninguém apresentou os sintomas da doença, mas todos estão com medo. - ela tinha um olhar triste, o que não passou despercebido pelo namorado. Era horrível quando aconteciam coisas que não podiam ser resolvidas por eles enquanto ninjas. Mas então lembrou-se do porquê chamar a namorada até ali.

- Mas me diga, Hina… - ele viu a respiração dela falhar, e sorriu por dentro, não queria que ela pensasse que ele ria dela. - Por que você estava na minha porta uma hora dessas da noite? - a morena ruborizou. 

- Eu… eu… - ela ficava mais vermelha a cada momento. 

- Pode falar, Hina. Eu não vou ficar chateado com você. - disse fazendo um carinho na sua bochecha macia. 

- Bom… É que o Hokage-sama decretou uma quarentena de pelo menos um mês, sabe? Para evitar propagação do vírus, já que há entrada e saída de pessoas de várias locais o tempo todo aqui na Vila. Só estão trabalhando normalmente os ninjas médicos e o Esquadrão ANBU, e os ninjas que são mandados pra missões, ocasionalmente. - ela fez uma pausa longa, respirando fundo. 

- Sim… - ele a incentivou a continuar com um olhar carinhoso, que acalmou um pouco mais a perolada. 

- Bom… Você ficou fora duas semanas… E se eu ficasse mais 30 dias sem te ver, eu… - a garota estava ruborizada e batia os dedos indicadores, o que naruto não a via fazer muito tempo. - Eu só queria ter certeza que você estava bem… Te dar um abraço… - agora ela estava realmente um pimentão, olhava para baixo e não podia ver o imenso sorriso que Naruto mantinha no rosto. Ele levantou o seu rosto, na direção do seu e ela pôde ver a felicidade nos seus olhos. 

- Obrigada, Hina. Você é perfeita! Aliás, perfeita é pouco! Se arriscando num momento como esse, só pra poder se certificar que eu estava bem. Eu amo você demais! - a Hyuuga estava com os olhos marejados. Era sempre uma festa dentro de si quando o loiro se declarava para ela daquela maneira. Não teve tempo de respondê-lo, pois o loiro a beijou suavemente mas com muita paixão. Sentiu as mãos grandes e quentes do Uzumaki na sua cintura e toda a sua pele se arrepiou. Naruto, por sua vez, aproveitava os lábios macios da Hyuuga. E o sabor do beijo dela… Se Hinata tinha um cheiro próprio, o seu gosto doce era só seu também. Por isso decidiu que quando achasse uma coisa docemente deliciosa, diria que era “doce como Hinata”. Separaram-se por falta de ar, e ficaram um tempo com a testa colada e se encarando, e volta e meia davam pequenos selinhos afetuosos. 

- Naruto-kun… - Hinata sussurou baixinho, e o loiro sorriu de lado e fechou os olhos, para ouvir a voz melodiosa da sua namorada. - Eu preciso ir, está tarde. - de supetão Naruto abriu os olhos. Não queria ter que se afastar da namorada, não agora. 

- Fica aqui, Hina. - viu a morena arregalar os olhos e corar, o que o fez sorrir. - Olha, já tá bem tarde pra você voltar para seu clã. Você mesma disse. 

- Mas Naruto-kun… o meu pai. Ele não faz ideia de que eu saí. E se ele imaginar que eu dormi aqui com você… - ela falava meio desesperada, e o loiro segurou as duas mãos dela e depositou um beijo na ponta do seu nariz, para acalmá-la, ela o encarou. 

- Hina, amanhã cedo eu te levo, e explico tudo ao Sr. Hyuuga. 

- N-naruto-kun… Eu não sei… Eu e você… É… - Naruto percebeu a coloração vermelha no rosto da menina e se amaldiçoou por fazer aquele pedido como um pervertido!

- Oe, Hina, calma! Olha, eu só quero passar mais tempo aqui com você, tá? Eu vou dormir no sofá, e você pode dormir na minha cama. E amanhã cedo eu te levo e converso com seu pai explicando tudo. Além do mais, é uma quarentena. Se te pegam na rua uma hora dessa, vai ter problemas com o Kakashi-sensei. - Hinata pareceu se acalmar um pouco mais, mas permanecia em dúvida. - Via, Hina, por favor! Não confia em mim? - olhou sério para ela com olhos suplicantes, aos quais a morena há anos não sabia resistir. Respirou fundo. 

- Está bem, Naruto-kun. Eu durmo com você hoje. - o loiro hiperativo levantou do sofá num pulo e gritando, puxou sua namorada e a girou no ar, selando, ao final, os seus lábios. 

--

Hinata foi tomar banho, já que ela tinha ficado um bom tempo ali no chão da entrada do apartamento. Naruto havia entregado a ela uma cueca nova que ele ainda não tinha utilizado e uma de suas camisas, para que a morena ficasse mais a vontade. Usar aquelas roupas na frente do garoto não era a ideia de a vontade de Hinata, mas ela já tinha mesmo concordado em ficar ali, e aquilo era o melhor que tinha. Vestiu as roupas e saiu do banheiro, havia prendido os cabelos em um coque mal feito, para não molhá-los e decidiu deixar daquela forma mesmo, para ficar ainda mais “a vontade”. Encontrou Naruto arrumando a cama para ela, e quando se deu conta da presença da namorada se virou rapidamente com um sorriso, que logo se transformou em outra coisa.  Hinata estava confusa. Não sabia o que significava aquela expressão do namorado. Será que ele tinha achado que ela estava feia naquela roupa? De qualquer forma, era muito intenso o seu olhar, e ela já estava ruborizada. 

Naruto estava embabascado. Óbvio que sabia que sua namorada era linda, mas nunca a tinha visto daquela maneira. A sua cueca havia subido e ficado bem curta, pois as pernas torneadas que sua namorada insistia em esconder, lhe deram esse presente. A blusa que ele havia emprestado ficou um pouco abaixo da barriga. Era uma blusa antiga de quando ainda era criança, que ele julgou que ficaria bem nela. E como ficou! Respirou fundo e engoliu seco. Precisava parar com aqueles pensamentos libertinosos que estava tendo com Hinata. Não que nunca tenha pensado assim antes. Era humano, oras. Mas sempre respeitou Hinata e o tempo dela, bem como sua timidez. Tinha medo de que a morena decidisse sair correndo no meio da noite de volta para o seu clã, se descobrisse os pensamentos pervertidos que passavam na sua cabeça naquele momento. 

Ficaram conversando no sofá até altas horas, falando sobre tudo e sobre nada, e volta e meia trocavam alguns beijos, os quais Naruto precisava usar toda a sua concentração para não avançar cada vez mais. “Nem para controlar a Kurama foi tão difícil assim me concentrar, Kami!”, era o que o garoto pensava durante mais uma sessão de beijos com a namorada. Hinata também não estava tão diferente. Desde que vira o loiro apenas de calça moletom, tinha que se lembrar de manter a sanidade mental e não fazer nenhuma besteira, afinal ela e Naruto nunca tinham ficado tanto tempo assim íntimos. Os beijos pareciam cada vez mais quentes e a menina já conseguia sentir um incômodo na região pélvica. Afastou-se dele pela falta de ar, mas agradecendo, porque não sabia se teria o autocontrole de se afastar voluntariamente.

- Ér… Eu acho melhor ir dormir. Já está um pouco tarde. - Hinata falou olhando para Naruto, que apenas assentiu. Não conseguia falar, ainda não havia se recuperado do último beijo. Hinata se levantou seguindo para o quarto e observou o loiro todo espremido no pequeno espaço do sofá. Olhou para a cama que estava e viu que era grande o suficiente para os dois. Suspirou. “Não há mal nenhum em dividirmos a mesma cama, não é?”, a morena pensou enquanto ia até a sala buscar o seu namorado. Naruto de pronto aceitou a ideia da Hyuuga, não só porque o sofá era extremamente desconfortável, mas sim porque teria a chance de, pelo menos, dormir ao lado do corpinho quente da sua amada. 

Deitaram-se os dois encarando o teto. Sono era a última coisa que sentiam naquele momento. Naruto decidiu chegar um pouco mais perto de Hinata, ainda de lado, o que fez com que a menina acelerasse sua respiração. Mas se acalmou ao ver que ele apenas havia ido lhe dar um beijo na bochecha. 

- Você não se importa se eu ficar aqui perto, não é Hina? É que é a primeira vez que vamos dormir juntos, estou feliz. 

- Claro que não, Naruto-kun. - e dizendo isso o abraçou.  Naruto, então, apoiou a cabeça no braço direito e puxou a morena na sua direção, pela cintura. Ela se surpreendeu, mas não demonstrou. Gostou de ficar daquela forma com ele. Ele a beijou, desde o princípio cheio de paixão. Sentir o corpo de Hinata tão perto do seu o fez perder um pouco a razão, e sabia que não deveria fazer aquilo. Se afastou abruptamente, se lembrando que devia respeitar o tempo e o espaço da namorada. 

- Desculpa, Hinata. Eu não devia ter feito isso, desculpa.

- Não devia por que, Naruto-kun? - Naruto a encarou surpreso, não esperava que ela perguntasse isso. Na verdade, esperava uma Hinata completamente tímida. A garota esrava corada, era fato, mas não parecia nem um pouco zangada com ele. 

- P-p-porque você é tímida, Hina. E eu cheguei assim… - Hinata o calou com um beijo. E um beijo quente, diga-se de passagem. E então Naruto mandou toda a sua sanidade pro espaço. A beijou apaixonadamente de volta, e apertava com vontade a cintura fina da sua namorada. Hinata não sabia exatamente onde deveria posicionar a sua mão, então fez carinho na nuca do namorado com as pontas das unhas. Naruto desceu as mãos e apertou a coxa de Hinata, que se arrepiou com o toque e o loiro sorriu ao perceber isso. 

Naruto parou de beijar Hinata, e passou a beijar seu pescoço. A morena cedia cada vez mais espaço, jogando a cabeça para trás, e agora acariciava os braços fortes do seu namorado. Rapidamente jogou a morena e ficou por cima dela, a encarando. Ela tinha um sorriso pequeno nos lábios e um rubor na face, mas nada ali indicava que ela estava arrependida do que estava fazendo. Voltou a beijá-la, e foi correspondido com um aperto na sua coxa, que ele adorou. Hinata parou de beijá-lo e começou a chupar e dar leves mordias no seu lóbulo, o que fez Naruto soltar um gemido, e seu pau latejar dentro da calça. Voltou a beijar o pescoço da namorada  e ia descendo. Queria beijar o seu colo, mas não tinha certeza de como ela se sentiria com isso. Tomou toda coragem e segurou na barra da blusa, se afastou um pouco dela e a encarou. 

- Posso? - olhou para a blusa, para que ela entendesse. Hinata estava tímida e com medo, mas queria sim. Queria ser vista por Naruto, uma forma que só ele poderia ver. Anuiu positivamente, e em um movimento rápido a blusa já estava no chão ao lado da cama. 

Hinata estava extremamente corada, e havia fechado os olhos. Por isso, não pôde ver a contemplação que Naruto fazia a seu corpo. Não somente aos seus seios, que Naruto havia achado incrivelmente lindos, redondinhos e pontudos. Mas ás suas curvas que formavam sua cinturinha, e a sua barriguinha lisinha. Apenas abriu os olhos rapidamente quando sentiu a boca de Naruto em seus seios, dando-lhe pequenos beijos. Logo depois, ele abocanhou o seio esquerdo da garota e passou a chupá-lo, o que fez a menina, em um momento de reflexo, arranhar as costas do rapaz de prazer, o que o fez soltar um gemido de satisfação enquanto abocanhava o seio da garota. No mamilo direito ele fazia movimento circulares com os dois dedos, e depois fez o contrário com cada um. Hinata gemia baixinho, por vezes mordia o lábio inferior e tinha que se controlar para não morder tão forte a ponto de machucá-lo. Naruto voltou a apertar a coxa da garota, mas dessa vez na parte interna, e ao sentir a proximidade da mão do namorado da sua intimidade, Hinata sentiu-se extremamente molhada. Ela o queria, não tinha mais para onde fugir. 

Naruto passou a mão por cima da cueca que a menina usava, e a viu espremer o corpo e ficar com a boca aberta, e aquela visão, principalmente com o rosto rosado da garota o fez ficar ainda mais excitado. Estava pronto para puxar a peça de roupa para baixo quando foi parado pela namorada. 

- Espera! - ele a olhou confuso. Então ela não queria? - Eu já tirei uma peça de roupa? Não acha que é a sua vez agora? - falou com a sobrancelha arqueada, e um sorriso travesso, embora o rubor permanecesse nas suas bochechas.

- Mas, Hina, eu já estava sem camisa. - Naruto disse sorrindo. Gostou desse lado da namorada. 

- Não importa. Eu tirei uma peça, agora você tira uma peça. - ela ordenou e assim ele o fez, levantou da cama e tirou a calça moletom, ficando apenas com a cueca boxer que usava por baixo. Hinata analisou milimetricamente cada parte do seu namorado. Já achava ele perfeito com toda a roupa que ele usava, achou ele um deus grego quando o viu só de moletom, agora de cueca achava que não existia nada mais perfeito. Ele nu ela faria o que? Morreria, tinha certeza. Naruto deu um sorriso safado ao perceber o olhar desejoso da namorada sobre si. Ficou feliz, queria a satisfazer tanto quanto ela o satisfazia. Voltou para cima dela e voltou a beijar enquanto acariciava os seus seios. 

Intercalava os beijos entre os lábios e o pescoço da garota, e volta e meia sentia ela puxando, involuntariamente, o corpo dele para si, o que demonstrava que ela o queria. Deixou ela ficar bem a vontade e, então, sem aviso prévio, puxou a cueca que a garota usava. Pronto, ali estava. A garota que era perfeita em todos os sentidos, agora ele a via por completo e só podia reafirmar que ela era perfeita. O pau de Naruto pulsava tendo aquela visão, e só ouviu o grito de susto e vergonha de Hinata, que escondia o rosto com as mãos. Ele riu e beijou as mãos dela, tirando de cima do rosto. 

- Você é perfeita. - ele falou baixinho no seu ouvido, e sentiu o corpo embaixo de si se arrepiar. 

- N-naruto-kun… - Hinata sussurrou.

- Você é a mulher mais linda e gostosa que eu já vi, Hinata. - a garota ruborizou mas não pôde deixar de abrir um sorriso largo ao ouvir aquilo. - E eu quero te fazer minha. Só minha. 

- Eu quero, Naruto-kun. Eu quero ser sua por completo. - Naruto sorriu com aquilo e a beijou profundamente. Levou o dedo indicador até a sua intimidade, e percebeu que estava molhada. Isso era bom. 

Sentiu o corpo da garota estremecer com o toque do seu dedo, e foi a estocando aos pouquinhos com o dedo, para que ela se acostumasse com a sensação. Hinata pensava que se com um dedo aquilo já era bom daquela maneira, imagina com o que ainda estava dentro da cueca. Foi aí que se deu conta de que, novamente, apenas ela estava nua. Ele ainda guardava o prêmio para si. 

- Não vai tirar a cueca, Naruto-kun? - ela dizia de olhos fechados, aproveitando a sensação que os dedos dele a proporcionavam. Naruto sorriu. Estava amando aquela Hinata que era assim só para ele. 

- Você quer que eu tire, Hina? - ele sussurrou no seu ouvido. - Se eu tirar, não sei se vou conseguir voltar atrás. - a mente de Hinata explodiu só de pensar naquilo. 

- T-tira, por favor. - e dando-lhe um último selinho, Naruto se afastou e tirou a boxer. Hinata levantou a cabeça se apoiando nos cotovelos, e ficando embabascada com o que via na sua frente. O pênis de Naruto não era imenso, mas era maior do que ela esperava. Podia ver as veias nele, e sempre teve curiosidade de ver como era um homem nu. E ali estava o mais perfeito deles na sua frente, e era todo dela. Ele sorriu ficando por cima dela mas ainda um pouco afastado. Fazia movimentos leves de vai-e-vem enquanto a observava, e Hinata sentiu uma imensa vontade de tocá-lo. 

- N-n-naruto-kun… Eu posso?- ela o olhou tímida e ele parecia não entender ao que ela se referia, e só então percebeu que ela queria masturbá-lo. Sorriu. Pegou as mãos pequeninas da namorada e levou até si. Só de tocá-lo, sem nem fazer nenhum movimento, ele já estremeceu. Aos poucos ela foi se movimentando, devagar, e ele já jogava a cabeça para trás. Ela então foi indo mais rápido e ele precisou afastá-la.

- Se você continuar, eu não vou aguentar. - Hinata não entendeu muito bem o que aquilo queria dizer, apenas assentiu. Deitou novamente na cama e voltaram-se a se beijar e a se tocarem por todo o corpo. 

Naruto já não aguentava mais. Toda aquela proximidade só o comprovava de que ele precisava sentir Hinata. Posicionou-se, então na entrada dela e a encarou. Ela sorria para ele. Calma e plena. 

- Você tem certeza? - ela colocou as duas mãos no rosto dele, levantou o tronco e lhe deu um selinho. 

- Eu te amo, Naruto-kun. Eu tenho certeza. - ele sorriu. 

- Provavelmente vá doer.

- É, eu sei. Mas vale a pena. - eles sorriram e Naruto então começou a introduzir. Sentiu a barreira que o impedia de fazê-la totalmente dele, e ao forçar viu o rosto de Hinata se contorcer em dor. Forçou mais um pouquinho, e viu que ela soltava alguns gemidos de dor. 

- Hina, me abrace. - ela o olhou confusa. - Confie em mim, só me abrace. - e assim ela o fez. Quando ela o abraçou, ele forçou tudo de vez, rompendo o hímen da menina e fazendo-a, finalmente, mulher. Algumas lágrimas caíam dos olhos de Hinata, mas eram involuntárias, não havia sido tanto assim a dor. - Viu? Eu vou sempre te proteger. Ela sorriu assentindo. 

Naruto ficou um tempo parado e começou a se movimentar devagar. Sentia algumas contrações do corpo de Hinata, o que o deixava com muito tesão. Aos poucos a morena ia se acostumando e até se movimentava um pouco embaixo do namorado. Ao perceber isso, Naruto foi aumentando os movimentos e dando estocadas mais fundas e rápidas. Logo não havia mais controle e ele a penetrava com toda a vontade que estava guardada dentro de si. Hinata estava entorpecida. Aquela sensação não era igual a nada a que ela já tinha provado, e tinha certeza que se não fosse por Kurama, agora as costas do seu namorado estaria totalmente em carne viva de tanto que ela o arranhava com tamanho prazer. Ele a estocava cada vez mais rápido, e ela sentiu seu corpo amolecer e uma sensação diferente e única lhe tocar no pé da barriga, era maravilhoso, ela não sabia o que estava acontecendo com suas pernas, mas rezava para que Naruto não parasse agora. E ele não parou, quando começou a sentir que as paredes vaginais estavam se contraindo, foi indo cada vez mais rápido até que juntos, os dois urraram de prazer com o primeiro orgasmo juntos das suas vidas. O primeiro de muitos. 

Caíram cansados e suados na cama, e Naruto puxou Hinata para seu peito. A Hyuuga ainda tentava processar no seu cérebro que coisa maravilhosa havia acabado de fazer. Naruto sorria. Respiravam ofegantes, e Naruto depositou um beijo no topo da cabeça de Hinata. Foi sentido o corpo dela ficar pesado sobre o seu, e percebeu que sua Hime estava pegando no sono. 

- Boa noite, Hina. Durma bem. E obrigada por permitir a mim te fazer mulher. Te amo. - deu mais um sorriso e fechou os olhos. Hinata havia escutado tudo. Aquela era a melhor noite da sua vida. 

--

Os primeiros raios solares tocaram no rosto da Hyuuga, que se espreguiçou e não se deu conta ainda de onde estava. Sentiu um vento estranho no seu corpo e concluiu que estava sem roupas. Só então abriu os olhos e se deu conta do que havia feito na noite passada. Olhou para o relógio na cabeceira: 10:02 A.M. Deu um grito desesperada e acordou o loiro que dormia calmamente ao seu lado. 

- Hina! O que foi? Alguém entrou aqui? - o loiro encarava os lados procurando um alguém que não existia. 

- N-n-não…

- Ufa! Que susto! - passou as mãos pelo cabelo. - E então, Hina, por que você gritou assim? - encarou a namorada e só então percebeu que lágrimas corriam pela sua face. Se desesperou. Será que ela tinha se arrependido da noite anterior? Segurou seu rosto com as duas mãos. - Hina, me fala, o que aconteceu? 

- N-naruto-kun, olha a hora… - Naruto correu os olhos pela cômoda e os arregalou ao se dar conta do horário. Coçou a cabeça sorrindo sem graça. - Meu pai vai me matar, Naruto-kun. Ele pode me desonrar. Eu… Eu… - e começou a chorar. Naruto a abraçou e beijou o topo da cabeça da pequena. 

- Calma, Hime, eu já disse que vou explicar tudo ao seu pai, não disse? Não se preocupe, eu vou tomar responsabilidade por toda a situação. 

- Naruto-kun! Não precisa. Podemos assumir juntos a responsabilidade. - a garota o encarou. 

- Não, eu quero. Até porque eu vou pedir a seu pai que passe toda a quarentena aqui comigo. - Hinata arregalou os olhos.

- N-naruto-kun… Eu adoraria, mas… meu pai jamais permitiria isso. - ela falou decepcionada. 

- Pois eu acho que vai. - ele disse sorrindo confiante. 

- E por que tanta certeza? - ela falou com a sobrancelha arqueada. 

- Por causa do que vou dizer, ou melhor, pedir a ele. Vai mostrar que sou um cara sério e responsável. Tô certo! - ele deu o seu melhor sorriso a Hinata, que por um momento até acreditou naquilo também. 

- E o que seria isso, Naruto-kun?

- Ah, eu vou pedir a sua mão ao seu pai em casamento. - ele disse como quem não queria nada, arrumando o travesseiro e se encostando na cabeceira da cama. - Isso, claro, se você disser agora que aceita. - Hinata arregalou os olhos. Não podia acreditar no que estava ouvindo. Seria aquela alguma brincadeira de mal gosto do loiro? Ela não o perdoaria. Brincar assim com os seus sonhos!

- C-c-casar? Do que você tá falando, Naruto-kun? - Naruto, sorrindo, se aproxima dela e sela os seus lábios. 

- A noite passada foi a melhor da minha vida, Hinata. E eu não quero ter que esperar anos para poder repeti-la. Nem ter que ficar namorando escondido com você. Ontem você se tornou minha mulher, Hinata. E eu sou seu. Só seu. Eu quero começar agora o resto das nossas vidas. E então? O que você me diz? Você quer se tornar a Sra. Uzumaki Hinata? - ele sorria e as suas safiras pareciam brilhar como nunca. Hinata ainda estava parada na sua frente, sem conseguir acreditar como uma noite podia ter mudado tanto a sua vida. Começou a sorrir, e estava tão feliz. 

- SIMMM!!! - gritava. - Mil vezes sim, Naruto-kun. Você é tudo que eu quero para mim.- e então selaram o momento com um beijo quente e apaixonado. 

Naruto mal podia acreditar. No meio de tanto caos, uma coisa boa lhe acontecia. Uma coisa boa não, a melhor coisa. No meio de tanto medo e tanta incerteza, a figura de Hinata era a certeza de que tudo ficaria bem, e que não importasse o que acontecesse, ela estaria lá por ele. E agora era a vez dele provar que sempre estaria lá por ela. Agora, e para todo sempre.

 


Notas Finais


E aí, galerinha, deu pra curtir?
Gostaria de ressaltar que eu apenas usei a questão da doença e da quarentena como inspiração, não quis focar na questão do doença e nem trazer similaridades com o próprio Corona. O momento já é bem triste, não precisamos trazer essa tristeza também para a fanfic. Vamos curtir hahaha
Enfim, é minha primeira one-shot, espero que tenha dado pro gasto. Espero vocês na "Onde mora o coração" e "Wildest dreams". Beijão da tia. Lavem as mãos! Por hoje, é isto.



love always,
B.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...