História Quarto dos fundos - Capítulo 29


Escrita por: e nandajv

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Visualizações 127
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente mais um capítulo pronto espero que gostem comentem dizendo o que acharam.

Capítulo 29 - Almoça comigo


***Yasmin***

A bebida alcoólica não é algo gostoso de se beber mas eu amo beber até fica bem louca. Meu pai vive dizendo que vou perder vários empregos quando eu começa a trabalhar e eu até concordo com ele, serei uma médica muito louca mas pra minha felicidade eu vou ser ginecologista!até a pouco tempo eu estava indecisa em relação a isso, pensei por várias vezes ser pediatra mas cuida de bucetas é a minha especialidade.

Meu amigos estavam completamente mortos e com toda certeza o motivo era a cachaça, a professora explicava o conteúdo dado e meus meninos lindos dormia em cima de seus caderno.

— DIEGO E RODRIGO. — Gritou a professora Gisele e eles despertaram no susto me fazendo da uma gargalhada.

— Oi quem morreu? —Perguntou Diego e a professora se aproximou de nossa carteira.

— Pelo visto passou a madrugada na farra... Yasmin com toda certeza estava junto mas diferente de vocês ela ainda estar acordada. —Diz a professora olhando pro Diego que coçava os olhos.

—Acordada ela estar agora sóbria isso a senhor não pode afirma. — Diz Rodrigo atrás de mim e eu bato no braço dele.

— Ok chega de conversa... E meninos acordem. — Diz a professora e eles se sentam corretamente na cadeira.
A professora começa dar a aula dela e eu não consegui me controla e olhei pra pernas dela.

—  Para de olha pra professora como se ela fosse um pedaço de carne Yasmin... —Sussurrou Rodrigo no meu ouvido e o Diego deu risada.

— Você é comprometida sua cretina. — Diz Diego e a professora olha no meus olhos e quando ela senta e cruza as pernas meus olhos se focam em suas pernas com esperava que ela deixe eu vê a cor de sua calcinha, mas ela não deixou.

— Olhar não arranca pedaço e eu não vou trair a Luíza. — Afirmo ainda olhando pra professora.

— Para de olha pra professora com essa vontade sua de macho alfa de come bucetas... Você parece até um homenzinho que quando vê um rabo de saia fica todo felizinho. — Diz Diego e eu revirou os olhos olhando pra ele séria.
—  Se controla  heim não se comporta como um macho escroto em busca de xana, você já tem uma. — Disse Diego olhando pra mim e eu revirei os olhos e parei de olha pra professora.

— Ela só é atraente...E para de tenta me controla. — Digo irritada e copio a matéria.
                         (...)
A Aula finalmente termina, saímos da Universidade  juntos e nos encontramos com a Julie do lado de fora da universidade.

— Oi gente... Pretendo fazer uma noite só nossa no meu apartamento que tal? —Perguntou Julie e eu concordei.

— Se tiver cachaça eu estou dentro. — Digo abraçando ela.

— Eu também. — Fala Rodrigo.

— Que bom não aguento mais fica olhando pra cara da Vitória, uma noite nossa vai fazer eu esquece um pouco da minha irmã maligna. — Diz Diego lembrando da Vitória.

— Yasmin trate de leva a Luíza. — Diz Julie eu concordo.

— Pode deixa...Eu vou adora leva minha namorada e também vou adorar transar com ela no seu banheiro. — Digo e ela olha pra mim séria  reprovando minha idéia.

— Yasmin você só pensa nessa sua buceta loira né? caralho se ela soube que você já transou com metade de suas peguetes no meu banheiro ela vai surta e pior vai fica chateada comigo. — Diz Julie reprovando minha idéia e me olhando séria.

— Julie e sua mania de reprova tudo que eu digo. — Falo digo olhando pra ela que revira os olhos pra mim, e quando ela ia falar a Débora aparece dentro do seu carro buzinando.

— Chegou a grudenta. —Diz Julie olhando pra Débora e eu me despeso dos meus amigos me aproximo da Débora e entro dentro do seu carro, dei um beijo em seu rosto e ela estava com o rosto um pouco machucado.

— O que aconteceu com seu rosto? — Perguntei pra ela e toquei em seu rosto fazendo ela olha pra mim.

— Foi o meu irmão, mas eu estou bem. — Diz dando um beijo no canto da minha boca, ela ficou corada em seguida. — Desculpa... Eu...É difícil pra mim ainda assimilar que você  estar com outra que no caso é sua irmã. — Diz Débora olhando pra mim com lágrimas nos olhos. — Eu sinto sua falta. — Sussurra sem olha pra mim.

—  Eu sei! Mas olha Débora, eu sou sua amiga e quero que entende, que sempre estarei aqui, não como antes mas estarei com você sempre, te dando todo amo e carinho do mundo como sua amiga. — Digo tocando em seu rosto e ela me abraça novamente.


— Obrigada...Obrigada Yasmin. — Sussurrou enquanto me abraça forte. — Eu vim aqui só pra vê você. — Falou tocando em minhas mãos e sorrindo pra mim.
Ficamos conversando por alguns minutos e logo após sai do seu carro e ela deu partida no mesmo,  fui pro estacionamento dos alunos na universidade e subi encima da minha motocicleta e dei partida na mesma até a revista da Sendy pra convida a Luíza pra almoçar.
Pilotei a minha moto até o local que a minha namorada trabalhar e assim que chego entro e dou de cara com um lugar cheio de funcionários, e com uma mulher gritando com o pessoal quando a mesma se virou era a Sendy assim que ela me vê, a mesma se aproxima de mim e chama os seguranças.

— Deveria respeita o local que sua amante trabalhar. — Diz Sendy com raiva de mim e dessa vez eu sorri.

— Acho que alguém aqui ficou estressadinha. — Digo sorrindo.

— Seguranças... Põem essa mulher para fora da minha revista. — Diz e quando os seguranças me seguraram a Luíza apareceu e pediu pra eles me solta.

—Solta ela... — Diz  Luíza se aproximado de mim e os mesmo me soltou. — Porque você estar fazendo isso Sendy? Precisava chama os segurança pra ela? —Perguntou e a Sendy a olhou e logo a respondeu.

— Aqui é seu local de trabalho se quiser ver sua amante que seja fora daqui, e outra se ela não sair daqui agora vou assinar a sua carta de demissão. — Diz e a Luíza fechou ainda mais a cara, e dessa dez ela também estava preocupada com seu trabalho.

— Yasmin vamos conversa lá fora? —Perguntou Luíza e eu apenas olhei pro seu rosto.

— Luíza eu só vim te chama pra almoçar, vai querer ir? —Pergunto e a mesma olha pra Sendy e me responde no mesmo momento.

— Não estou com fome, a gente pode conversa lá fora? —Perguntou novamente e eu concordei com sua proposta.
Saindo da revista da Sendy formos para o lado de fora da mesma e lá a Luíza segurou em meu braço com força.

— Tá louca Yasmin? Quer que eu perca o emprego? A Sendy estar pegando no meu pé agora, tudo é motivo dela reclama, ou de fala algo que não convém. — Diz estressada e eu não entendo o motivo de tanto estresse.

— Isso é medo de perder o emprego ou  medo dela arruinar com sua carreira? —Perguntei olhando pela que bufou olhando pra mim e logo me soltou, andou em círculos, passou a mão na cabeça e tornou a me olhar estressada.

— Não vem no meu trabalho de novo. — Diz colocando o dedo na minha cara mas ela estava preocupada.

— O que estar te preocupado? —Perguntei olhando pra ela que abaixou a mão.

— Nada, eu só no quero você aqui, a Sendy tem muito poder e muita influência Yasmin eu não posso arruinar o que eu construir por causa dos seus caprichos entende? — Perguntou e eu dei um sorriso irônico.

— Caprichos? Isso é piada né? Você só pode estar brincando comigo. — Digo e ela olhou em meus olhos ainda séria.

— Não, eu estou falando muito sério! Yasmin eu só não quero que você venha até aqui só isso. — Diz e ri ironicamente pra não chora de raiva.

— Eu só vim te fazer um convite pra um almoço, e não pra provoca a vadia da Sendy. — Digo e ela balança a cabeça com negação.

— Se você não quisesse provoca a Sendy não viria, eu também quero almoçar com você mas não dar Yasmin em casa e gente janta juntas. — Diz olhando pra mim e eu a puxo pra mais perto segurando em sua cintura.

— Em casa você vai jantar sozinha...Vou da uma saída não sei se estou pronta pra me relacionar com alguém que privilegia mais a carreira do que a mim. — Digo olhando pra mim e logo  rebateu me chaando de infantil.

— Você estar sendo infantil Yasmin. — Diz e eu dei uma gargalhada irônica.

— Infantil? sério Lúiza?Quer sabe vai se fuder. — Digo olhando em seus olhos  eu viro as costa pra sair ela me puxa pelo braço.

— Eu só estou dando valor ao meu trabalho Yasmin tenta entender isso! Sei que fará o mesmo com o seu quando tive um. — Diz olhando pra mim e eu me solto do seu braço revoltada, subo na minha moto e dou partida  na mesma dirigindo em alta velocidade, eu estava estressada e tudo que eu queria era o meu refúgio então fui pra casa que eu havia encontrando abondonada quando eu tinha quinze anos na mata para me refugiar, antes que eu cometa uma loucura.


Notas Finais


Obrigado por lerem se tiver algum erro em breve será corrigido


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...