História Quarto dos fundos - Capítulo 30


Escrita por: e nandajv

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Visualizações 126
Palavras 2.597
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


mais um capítulo pronto espero que gostem, comentem dizendo o que acharam e em breve responderei os comentários do capitulo anterior

Capítulo 30 - Bebida


 ***Yasmin***


Eu não acredito que a filha da puta da Luíza preferiu mostra a buceta dela ao mundo, do que almoça comigo, não tenho nada contra ao emprego dela mas precisava me rejeita na frente da Sendy? Eu estou muito chateada com ela.
Peguei minha motocicleta e pilotei em alta velocidade até o meu refúgio, ainda era de dia então dava pra enchegar bem a mata tomo todo cuidado do mundo eu sai da moto e a empurrei até o local desejado, esperei estacionei a moto perto da casa e entrei dentro da casa abrir a geladeira e sorri ao vê que ela estava abastecida meu pai esteve aqui com toda certeza, ele é o único que sabe do meu refúgio!Nem meus amigos sabem aonde fica, apenas o meu pai e eu pretendo fica aqui por dois dias.
                         (...)
Almocei abrir uma cerveja e sentei na cadeira, perto da floresta e fiquei olhando as borboletas voando, meu celular tocou e era meu pai.

                         Ligação On

Eu:Papai... — Digo suspirando ao atender a ligação e vê que era o papai me ligando.

Pai: Posso sabe aonde você estar? A Luíza me ligou e pela voz ela estava preocupada, vocês brigaram? —Perguntou preocupado.

Eu: Eu estou bem, fique tranquilo e sim, eu briguei com a Luíza a gente discutimos mas eu estou bem papai! —Digo e ouço a respiração funda dele.

Pai: E aonde você estar? —Perguntou.

Eu: Estou na casa que encontramos, só não conta pra Luíza... Eu quero ficar sozinha. —Digo.

Pai: Tudo bem se cuida meu amo. — Diz e eu finalizo a ligação.

                    Ligação Of

Finalizei a ligação me levantei da cadeira e peguei outra cerveja, abrir a mesma e tomei a cerveja estava geladinha do jeito que eu gosto.
Assim que terminei de beber a cerveja preocurei no armário se tinha vodka ou Whisky e pra minha felicidade achei uma garrafa fechada de whisky e comecei a beber a mesma até acaba.

— Eu nasci pra ser trouxa mesma... Não é possível, eu fui atrás da minha garota para chama ela pra almoço e ela decide me da um fora mais frente da mulher que eu odeio... A Luíza é uma filha da puta. — Digo alto e bebo mais uma dose de Wisky e ouço barulho e vozes de adolescentes vindo do lado de fora da casa e quando me aproximo da porta era uma professora de escola com seus alunos juntamente com os pais fazendo um passeio na floresta e com toda certeza eles quiseram vê a casa mal assombrada, assim que os piralhos me viram se assustaram e olharam um pro outro e viram que eu ainda não estava bêbada.

—O PROFESSORA TEM COMO A SENHORA PARA DE GRITA... ESTOU TENTANDO TE UMA TARDE BOA HOJE. —Digo ao grito e ela me olha e continua gritando feito louca até que um piralho se aproxima de mim juntamente com uma mulher loira que por pura conhecidencia é minha mãe.

— O que você estar fazendo aqui Irmã? — Perguntou meu querido irmão e minha mãezinha querida me olha e cruza os braço.

— Bebendo? sério Yasmin? —Perguntou nervosa e logo o respondi irritada.

— Acho que meus pais estão em casa Domenica. —Digo ironicamente e meu irmão pede pra mim se acalma.

— Se acalma Yas a mamãe só estar preocupa, mas porque você estar na casa abandonada? —Perguntou o pequeno curioso olhando pra brecha da porta aberta.

— Essa casa realmente era abandonada mas meu pai comprou a propriedade e agora a casa é dos Almeida campos. — Digo e ele abre a boca e logo balança a cabeça dizendo que entendeu.

— Podemos conversar filha? —Perguntou minha mãe mas eu neguei.

— Não, agora eu estou ocupada demais bebendo! Quem sabe um dia mamãzinha. — Digo ironicamente, dou um beijo no rosto o meu irmão e torno a entra na casa e fecho a porta.
Bebo mas uma garrafa de cerveja, e logo depois volto a beber Wisky e assim que termino de beber a garrafa toda acabo apagando encima da cama.
                          (...)

                     ***Luíza***

Assim que a Yasmin saiu e pilotou aquela moto feito louca eu me preocupei bastante, tornei a entra na revista e a Sendy me chama pra sua sala, entro fecho a porta e antes de eu me assenta ela começa com seus sermões.

 — Luiza aqui é seu local de trabalho, e você ainda é casada comigo quero  que respeite isso até o dia do nosso divórcio,sei que tem um caso com sua irmã mas não quero que ninguém saiba disso até nós nos divorciamos e assim que você assinar as papelada do divórcio assinará também a sua carta de demissão, eu ainda te amo Luíza e por mais que eu lute você ainda mexe comigo, portanto quando assinar o divórcio assinará também a sua carta deixando a minha revista. — Diz e eu tento a converce a deixa eu trabalhar na revista.


— Sendy você não pode fazer isso comigo, eu sempre me esforcei muito...Eu juro que a Yasmin não vai aparecer mais aqui. — Digo e ela apenas olha o meu desespero e não fala nada.

— Luíza você é uma excelente profissional mas não vai dar, pra trabalhar com minha ex mulher. — Diz olhando pra mim. — E não prometa algo que não vai cumprir com toda certeza aquela criatura que você tem um caso incesto com toda certeza vai vim aqui novamente, e eu não quero ser má educada de novo. — Diz se levantando da cadeira. — Agora vá trabalhar e depois almoce comprei o seu almoço sua comia favorita e estar quentinha mas antes tira as fotos que falta. — Diz e quando eu me levanto da cadeira e fala sobre as langeri. — Só não coloca a calcinha com muita renda por favor. — Diz olhando pra mim e logo rebato.

— Você não manda em mim Sendy. —Digo olhando em seus olhos e ela rebate de volta.

— Você é minha mulher Luíza, ainda não te dei o divórcio. — Diz mas eu saio de sua sala para não me estressar com ela.
Caminho até o cenário montado ponho a langeri vinho e tiro as fotos, mas nenhuma estava saindo boa eu estava preocupada com a Yasmin.

— Luíza você precisa se concentra, o que te preocupa? —Perguntou o fotógrafo.

— Eu briguei com uma pessoa e não paro de pensa nisso. — Digo e ele me incentiva a liga pra ela.

— Liga pra essa pessoa antes que você tenha um infarto. — Diz olhando pra mim e eu pego meu celular e ligo pra Yasmin que não atendia  minha ligação, liguei duas vezes e nada então decidi liga pro papai que rapidamente me atendeu.

                        Ligação On

Eu: Papai... A Yasmin estar em casa? —Perguntei.

Pai: Não filha, a Yasmin não estar em casa, porque? Você parece preocupada. — Perguntou mas eu não podia fala mais nada.

Eu: Eu liguei pra ela, mas ela não atende minha ligação.

Pai: Ela deve estar com os amigos dela.

Eu: Tudo bem, só liguei pra ela pra verifica se ela estar bem.

Pai:Tudo bem papai.

                     Ligação Of

Finalizei a ligação, respirei fundo e voltei ao meu trabalho e finalmente as fotos saíram perfeita, assim que caminhei para sala do almoço e vi a Cassia discutindo com a Sendy mas não me interessava sabe o motivo da discussão delas, entrei na sala me assentei e minha comia estava quentinha, comi a comida escovei os dentes e terminei meu expediente ás 19h, mas a Sendy pediu pra mim fica mais duas horas ajudando ela e eu cedi já que estava morrendo de medo de perder o meu emprego.
Depois de longas horas de trabalho, eu vou pra casa assim que chego estaciono meu carro na garagem, e vou pro quarto da Yasmin e nada dela a casa estava  vazia e só a Joana estava em casa e ela estava com raiva de mim, depois que ela soube tudo que eu fiz pra conseguir chegar aonde estou ela ficou assim.
Fui para meu quarto, arrumei minhas coisas dentro da mala, peguei a chave do meu apartamento e subi mais dois andar acima da do meus pais.
Entrei no apartamento e admirei a beleza dele, os móveis eram perfeitos, tudo no apartamento era lindo; fui para o quarto coloquei as roupas dentro do armário, tomei um banho quente bem logo e depois  de tudo feito eu liguei pra Yasmin que atendeu completamente bêbada.

                       Ligação On

Yasmin:O que você quer? —Perguntou bêbada.

Eu: É sério Yasmin? sério mesmo que você estar bêbada? A gente só tivemos uma discussão boba e você recorreu a bebida. —Digo nervosa.

Yasmin:  Discussão boba? Você me deu um fora perto da sua ex mulher! Poxa Luíza eu só queria almoçar com você, mas como sempre preferiu a droga desse seu emprego. — Diz embolado mas eu entendi cada palavra.

Eu: Pelo visto você continua infantil, e eu achando que você estava madura. —Digo estressada.

Yasmin: Eu não sou infantil, eu tenho direito de fica chateada custava almoça comigo? custava? —pergunta chorando e eu respiro fundo.

Eu: Custava sim! Ainda custa, pois se você ir  novamente no meu local de trabalho eu vou perder meu emprego antecipadamente. —Digo ainda nervosa e ela para de chorar e sorri ironicamente.

Yasmin: E eu trouxa pensando em oficializar nosso namoro...Esse seu emprego vale mas do que o nosso amo? — Perguntou em um tom de voz elevado e eu não a respondi, não acredito que estou sem resposta pra isso.

Yasmin: Ficou muda...Isso que dizer apenas uma coisa, eu continuo sendo sua comidinha. — Diz em um tom de ironia.

Eu: Não exagerar Yasmin. —Digo quase em um sussurro e ela rebate.

 Yasmin: Luíza Tchau, quando quiser transar me ligue só sirvo pra te dar prazer. — Diz sendo infantil e desliga o celular na minha cara.

                    Ligação Of

Coloco o celular na cama e deito na mesma, a Yasmin continua a mesma de sempre! Mimada, imatura e egoísta, ela só estar pensando nela depois a egoísta na história sou eu, mas quem estar agindo feito uma criança mimada é ela.
Nós só tivemos uma briguinha boba e ela estar chateada comigo por causa disso, e ainda teve a audácia de pergunta se meu emprego era mais importante que o nosso amo,eu nunca tive dúvida do amo que sinto pela Yasmin mas coloca meu emprego no meio disso tudo era demais pra mim.
Eu dei a minha vida pra ter o trabalho dos sonhos, e graças a Sendy eu sou reconhecida nacionalmente e internacionalmente, tudo que sou e tudo que eu conseguir foi com muito suor, e perde tudo por causa de um amo talvez não vale a pena,eu amo Yasmin mas se acontece hoje o que aconteceu quando éramos adolescentes eu novamente iria deixa-la e viveria o meu sonho.
                   (...)
Tentei dormi mas por causa da preocupação com a Yasmin eu mal fechei os olhos, e eu já estava atrassada para o trabalho!Tomei um banho as pressas, coloquei minha roupa rapidamente e peguei minhas coisas fui até a casa dos meus pais a procura da Yasmin e nada dela,meu pai sabia aonde ela estava ele sempre fica preocupado com os sumiços da Yasmin e hoje ele estava tranquilo demais pro meu gosto, olhei pra ele o encarando, mas nada ele diz e eu também não perguntei  apenas me despedir deles e fui para o estacionamento, desativei o alarme do meu carro entrei, e fui trabalhar cheguei da revista a secretaria da Sendy olha pra mim e diz que hoje eu ia posa pra uma marca de Jens e que amanhã eu iria viaja com a Sendy para posar pra marca de biquíni junto com uma modelo chamada de Milena que era da revista rival.
 Olhei as papelada e a viajem era pra Miami e eu ficaria uma semana fora.

— A Samantha já te deu o comunicado? —Perguntou Sendy caminhado até a mim.

— Deu sim. — afirmo.

— Já comprei nossa passagem  e nosso voou sai 04h,assim que terminar a sessão Jeans será liberada para fazer sua malas então da o seu melhor. — Diz olhando pra mim me entregando a minha passagem e eu a coloco na bolsa.
Troquei de roupa, coloquei o Jens e posei pra foto, a todo o momento eu trocava de roupa e todas as fotos ficaram boas,terminei de posar pra fotos e fui pra casa fazer a minhas malas, terminei de arruma-las e fui na casa dos meus pais e a Joana estava sentada no sofá e eu perguntei aos  empregados aonde estava a Yasmin.

— Aonde estar a Yasmin? — Perguntei pra vanice mas ela não sabia.

—Sei não senhora. — Respondeu.

— Isso você deveria saber, você que a machucou! A yasmin não apareceu aqui em casa ainda, e fudendo com outra ela não estar, a babaca da Yasmin gosta de você de verdade.— Diz Joana olhando pra mim. — Não sei como ela não pegou uma doença sexualmente transmissíveis ainda, já que você transou com vários homens e mulheres pra conseguir um benefícios. — Diz Joana na minha cara e eu acabo dando um tapa em seu rosto, eu não gosto  quando me tratem como uma pessoa sem valor.

— Fica quieta. — Digo nervosa e ela sorri olhando pra mim e logo  rebate.

—Fica quieta porque? estar com medo da mamãe sabe que a filha dela é uma prostituta encubada? — Diz me deixando mais estressada  e dessa vez eu apenas viro as costas e sai da casa dos meus pais e vou para o meu partamento, tento ligar pra Yasmin mas só chamar e ninguém atende, depois de uns minutos ela finalmente atende a ligação.

                    Ligação On

Yasmin: Foi despedida e estar me ligandoo pra dizer que a culpa é minha. — Diz ironicamente.

Eu: Não Yasmin, eu só liguei pra imforma que vou  viajar a trabalho amanhã. — Digo  e ela fica muda na linha.

Eu: Yasmin você estar ai?

Yasmin:Vai viajar pra onde? —Perguntou calma.

Eu: Miami. — Respondi e ouvi sua respiração fundo.

Yasmin: Vai ficar por quanto tempo? — Perguntou.

Eu: Uma semana. —Digo.

Yasmin:É bastante coisa Luíza...

Eu: Eu sei, mas eu preciso trabalhar,Yasmin é minha profissão. —Digo e ela não diz nada.

Eu:  Yasmin...


Yasmin: Boa viagem. —Diz finalizando a ligação na minha cara.


                 ***Yasmin***

Acordei com bastante dor de cabeça, caminhei pela mata por bastante tempo pra pode pensa e me deparei um uma menina ferida na perna e um menino tentando ajudar ela.
Me aproximei dos jovens e era dois adolescentes de quatorze anos, conversei com o garoto que me informou que a menina tinha caído e acabou quebrando a perna deixando os ossos da perna dela um pouco exposto,peguei a garota no colo ela era leve como o papel.
Caminhei com ela até a casa, coloquei ela deitada na cama e por sorte eu tinha algumas linhas e agulha de sutura, coloquei o osso dela no lugar suturei e coloquei atadura, e pedi pra fica de repouso por oito dias e eles olharam um pra cara do outro e negaram, expliquei pra ela o que aconteceria no caso dela não repousa e eles pediram pra fica na casa até as ferida tive melhor e eu deixo, mas fico com eles por precaução pois pode haver um imprevisto e a menina estar ferida.
Depois de eu te conversa, e ajudando a menina, logo em seguida a Luíza  dizendo que vai viajar pra Miami a trabalho, ela nem tocou no assunto de uma despedida e quando  ela toca na profissão dela decidir não cobrar uma despedida e também não daria já que estou cuidando de uma menina com a perna ferida.
Eu apenas finalizei a ligação, e pedi pro namorado dela ter baste cuidado com perninha dela e fui pegar uma garrafa de cerveja na geladeira pra esquecer os problemas.


Notas Finais


Obrigada por lerem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...