1. Spirit Fanfics >
  2. Quase impossível >
  3. Finalmente

História Quase impossível - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oii, tudo bem? Peço desculpa por qualquer erro, eu tive que escrever esse capítulo por etapas e eu tava muito empolgada escrevendo. kkkkk
Enfim, espero que gostem e boa leitura. <3

Capítulo 9 - Finalmente


Fanfic / Fanfiction Quase impossível - Capítulo 9 - Finalmente

POV Bruno

Ajeito a minha casa rapidamente e tomo banho, quero tá cheirosinho pra minha loira. 

 

Estou esperando ela, meu coração tá acelerado e minhas mãos suando. Fazia tanto tempo que eu não ficava nervoso assim por uma mulher. Eu ainda não me conformo com o fato daquela deusa der trela pra mim, sério, acho que a prova de que isso realmente tá acontecendo é só quando eu vê-la nua só pra mim novamente. 

 

Escuto a porta bater e abro rapidamente, vejo que a loira está com tanta vontade quanto eu. Logo a levanto pelas coxas a sentando-a em cima da minha mesa e começo a descer os beijos pelo seu pescoço, quando rapidamente ela retira sua camisa exibindo seus seios perfeitos sustentados por um sutiã de renda. Retiro com uma mão rapidamente enquanto a outra utilizo para apalpar aquele corpo escultural. Ela logo retira minha camiseta e arranha as minhas costas levemente, o que faz com que meu pau já fique extremamente duro, essa mulher é fora do normal. 

 

Pego-a em meu colo pelas coxas e levo até a cama. Enquanto ela retira seu short, eu já retiro minha calça e deito-me sobre ela, roçando nossos membros, sem retirar as peças íntimas. 

 

-Vou continuar de onde parei, né... -Ela prende seus cabelos e beija minha barriga, descendo e retira a cueca, exibindo meu pau que está estourando de duro. Ela começa a mamar e eu logo começo a gemer, os lábios dela eram macios e aquele boquete era a melhor sensação que eu já tinha sentido em toda minha vida. Começo a puxar seus cabelos, acompanhando o seu movimento. 

 

-Loira... você é... anh... sensacional. -Puxo seu cabelo, fazendo-a olhar para mim e volto a beija-la. Deito seu corpo em meu lado e continuo beijando todo seu rosto e seu colo, logo afasto a calcinha dela para o lado e enfio dois dedos, onde já consigo sentir que sua buceta já está completamente encharcada de tesão. Permaneço com o movimento enquanto ouço-a gemer durante o beijo. 

 

Ela se vira de quatro, eu viro um tapa onde já fica a marca de todos os meus dedos e ela se contrai. Eu retiro sua calcinha e dou novamente outro tapa, dessa vez do outro lado. Começo a meter enfiando de uma vez e bem rápido, os gemidos nossos combinavam e era o beat mais gostoso que eu já escutei. Enquanto eu metia fiquei pensando, caralho, olha o tamanho do rabo dessa mina. Essas curvas são perfeitas, o cheiro dela é perfeito, eu to no paraíso comendo essa filha da puta. 

 

-Caralho mano, você fode gostoso demais. -Ela grita entre os gemidos. -Eu vou gozar. -Ela geme ainda mais alto. 

 

A viro de frente para mim, deixando seus seios para cima e começo a enforca-la. 

 

-Então goza gostoso pra mim, filha da puta. -Eu viro um tapa em seu rosto e ela sorri safada pra mim, desgraçada. 

 

-Você quer por trás? -Eu fico completamente em choque. 

 

-É sério, loira? -Ela balança a cabeça positivamente e vira aquela raba gigante em direção ao meu pau. 

 

Nos encaixamos perfeitamente tanto na buceta, quanto no cu.Ela era quente, ela era safada, ela era uma dama na rua e na cama virava uma vagabunda, ela era a junção de tudo mais perfeito que eu já vi. 

Intercalei entre o cu e a buceta por várias vezes, nossos gemidos dominavam o som da minha casa e eu me segurava tanto pra não gozar. Pensei em um cachorro atropelado, numa vovózinha tomando banho, mas nada conseguia fazer diminuir o tesão que eu sentia por aquela mulher. 

 

-AHNNN -Ela geme ainda mais alto e escorre inteira, deixando minha cama completamente molhada, consigo ver que ela gozou e tenho a liberdade de gozar também. 

 

-Você acabou comigo. -Ela se joga ao meu lado, bem ofegante. 

 

-Eu to todo suado. A loira me fez cansar, hein. -Passo a mão na minha barriga e vejo que está toda molhada. 

 

-Olha... Eu não sou nem uma santa, mas poucas vezes alguém fez eu sentir tanto prazer quanto você me fez hoje. -Ela começa a fazer carinho na minha barriga com a ponta dos dedos. 

 

-A loira é cheia de energia, eu sou magrelo e fumante, achei que meu coração fosse parar. -Rimos. 

 

-Se parasse, eu ia te reanimar rapidinho. -Ela se senta em meu colo, bem em cima do meu pau. 

 

-Nossa, ele ainda tá duro? -Eu aceno com a cabeça. -Depois eu que sou cheia de energia. -Rimos. 

 

-Olha pro seu corpo, como que eu vou me controlar? Ainda to achando que você perdeu uma aposta e tá pagando, ou ficando comigo por dó. A loirona é muita areia pro meu caminhãozinho. -Aperto suas coxas. 

 

-Então faz duas viagens, bobo. -Ela me da um selinho e se levanta, começando a procurar suas roupas. 

 

-Pra levar você, eu roubo até um avião. -Me levanto e vou atrás. -Se bem, que acho que o avião já é você. -Paro e a olho com cara de safado, ela sorri. 

 

-Você não fica pra trás não, viu. Olha, nunca fiquei com um magrelo mas to começando a pensar em investir nesse porte físico. -Ela zomba de mim e coloca seu sutiã. 

 

-Todos são ruins, só eu faço direito. Fica aqui comigo. -Seguro-a pela cintura e a beijo. 

 

-Faz assim não, eu to carente, é capaz de eu ficar mesmo. -Ela me beija dessa vez. 

 

-Então fica. -Toc toc, a porta nos interrompe. 

 

-Nossa, essa porta sua sempre bate em hora errada, né? Credo. -Nós rimos. 

 

-Mas eu não estou esperando ninguém, que estranho.. -Começo a ficar preocupado com quem pode ser. 

 

-Você não vai atender? -Ela questiona enquanto fecha os botões da sua camisa. 

 

-Eu vou vestir alguma coisa, eu ainda to pelado. -Aponto pro meu pau de fora. 

 

-Então eu abro. -Ela se vira e puxa a porta.

 

Mano, era a Kelly. O que ela tá fazendo aqui? Fica os três nesse silêncio constrangedor, eu pelado, a Lis só de camisa e a

 

Kelly parada na porta com cara de bunda segurando um enorme pote de tampa vermelha. 

 

-O.. Oi, Bruno, eu fiz panqueca e você gosta muito então.. eu trouxe algumas pra você. Não sabia que estava com visita. -

 

Ela estica os braços e aponta o pote em minha direção. 

 

-Ixi, esse B.O. não é meu não, viu? Não me mete nessas coisas, é o segundo constrangimento em três dias. -A loira se vira pra mim zangada, pega suas coisas e vai em direção a porta, eu a seguro pelo braço. 

 

-Loira, fica aqui. Eu posso explicar. -Eu continuo segurando. 

 

-Bruno, me solta. -Ela me olha brava. 

 

-Essa é a Kelly, ela mora aqui no morro. Nós somos amigos e só isso, não vai embora. -Eu continuo segurando. 

 

-Só amigos. Exatamente. -Kelly coloca o pote no chão e vai embora chorando. 

 

-Bruno, eu te conheço a três dias e eu já passei por isso duas vezes. Eu sei que você tem pica de mel, mas ai ficar brigando com mulher por causa de homem, eu jamais irei me sujeitar. 

 

-Não quero que você brigue por causa de ninguém. Kelly é minha amiga aqui do morro, mas as vezes a gente acabava ficando, nada sério demais, eu não quero me envolver com nenhuma mulher além da minha filha. Eu to solteiro a 6 anos, você acha mesmo que eu vou bancar o galanteador pegando 2 ao mesmo tempo? Sei que você me conhece a três dias, mas eu sempre tentei transpassar verdade pra você, loira. Eu sou honesto e eu sou correto. Se você acredita em mim, fica aqui e vamos conversar, mas se você tem 1% de dúvida de qualquer coisa que eu tenha dito, pode ir. -Finalizo e solto seu braço.

 

Permanecemos em silêncio por alguns segundos. 


Notas Finais


Obrigada por ler. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...