História Quase irmãos (Park Jimin) - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Hot, Incesto, Jimin, Políamor, Tae, Yoongi
Visualizações 96
Palavras 3.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Steampunk, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Escrevi esse humilde capitulo como agradecimento pelos 100 favoritos nessa história que gosto tanto de escrever
Pensei, pensei e pensei. Até cogitei escrever um hot com Jimin, mas queria que fosse um capitulo diferente e especial.
Então quase todo capitulo é narrado pelo JungKook
Espero que gostem, mas aviso antes de tudo que não está totalmente revisado, foi escrito na empolgação, então me desculpem por qualquer erro.
To postando cedo porquê mais uma vez não vou poder postar no final de semana. Beijões e boa leitura

Capítulo 27 - Dois é melhor que Um


Fanfic / Fanfiction Quase irmãos (Park Jimin) - Capítulo 27 - Dois é melhor que Um

Os dias do final de semana passaram rapidamente, fui no bendito casamento com Jimin, mas nada demais aconteceu, eu ainda estava evitando contatos sexuais com ele. Ele ficou extremamente surpreso quando eu o recusei, afinal, eu sempre estaria disponível para ele e, em grande parte do tempo, era eu quem o procurava

Eu deveria estar desanimada com o tanto de confusão que minha vida tinha nesse momento, mas estava meio animada com a volta das aulas, finalmente estava no terceiro ano e Tae estaria comigo também. Era um novo ano escolar, eu voltaria a dar o máximo de mim, sempre tirei notas boas, mas nesse ano entraria até em algum grupo de estudos se fosse preciso

– E aí, Taetae, empolgado com a escola nova?

– Ah, quem gosta de ser o novato? E se eu virar saco de pancada de algum valentão?

– Meu melhor amigo é um valentão, ninguém vai chegar perto de você – disse dando um beijo em sua bochecha

Enquanto tomávamos café e conversávamos sobre coisas aleatórias, Sun desceu as escadas toda sorridente

– Então crianças, estão prontas? Vou levar vocês na escola hoje – bati palminhas de felicidade, adoro caronas

Tae se sentou no banco carona na frente e eu fui atrás. Fomos o caminho todo sorrindo e cantando, eu já nem me lembrava mais das coisas ruins na minha vida. Meu pai e eu estávamos nos dando bem novamente e, eu não falei do meu pai biológico com ninguém nos últimos dias das férias. Tudo estava em perfeita ordem, eu posso até dizer que estou feliz.

Ao chegar na escola, Jungkook estava parado no portão da escola como sempre fazia, ele me esperava chegar todos os dias, o porquê dele chegar tão cedo na escola eu não fazia ideia

– Gostosa – disse vindo em minha direção e me abraçando forte – senti saudades dessa boquinha linda – me deu um selinho demorado

Fiquei meio sem jeito por Tae estar bem atrás de mim, olhando tudo

– Oi neném, esse é o Taetae – disse apontando para o garoto atrás de mim

–Ei cara, Gabi falou bem de você – Kookie não demonstrou nenhum pingo de falsidade, mas eu sabia que ele tinha sentido ciúmes de Tae

– Ah, ela não me falou muito de você – disse Tae debochado

– Ela é tímida – disse envolvendo seus braços em meu pescoço. Uma situação extremamente constrangedora.

– Podemos olhar qual vai ser nossa sala esse ano? – Perguntei tentando quebrar a tensão do momento

Achamos o quadro de avisos e como previmos, estávamos todos na mesma sala. Enquanto Tae lia atentamente todos os avisos, como bom nerd que era, Kook me chamou para um canto para que pudéssemos matar a saudade das nossas pegações.

[...]

A semana passou rapidamente, apesar de ser a primeira semana de aula, eu já estava cheia de exercícios para fazer, Tae e Kook não estavam se dando nada bem, estavam sempre brigando pela minha atenção, pareciam duas crianças mimadas. Apesar disso, minha vida estava normal, eu até parecia uma adolescente comum, tinha conseguido controlar meu vício por sexo e não tinha ficado com nenhum dos meus meninos a semana inteira. Toda essa tranquilidade acabou naquela maldita sexta feira, quando Kook aproveitou que estávamos no portão da saída da escola, num momento em que Tae estava no banheiro e me puxou para conversar

– Gostei dele, Gabi – disse olhando pra mim

– De quem? Tae? – Perguntei confusa, ele apenas assentiu – Não pareceu, vocês ficaram trocando farpas desde que se conheceram.

– Ah, só quis provocar a criança – me deu um selinho, seguido de um beijo mais profundo, apertando minha bunda – Lembra de um item da nossa lista?

–Tem tanta coisa naquela lista, dá pra ser mais especifico?

– Ménage. Quero com ele

– Desde quando você se interessa por garotos?

– Ah, não é isso. Eu me interesso é pela putaria – deu um sorriso malicioso – Além do mais, você sempre me dá uma canseira, imagina se eu tivesse que transar com mais uma menina ao mesmo tempo. Ia ser a morte do meu pau

– Não sei, kooooookie. Tae é um garotinho fofo, não sei se vai topar isso

– Mas você tem que tentar. É nosso acordo – maldito acordo

– Tá, vou falar com ele. Mas isso não é certeza que vai rolar, ok?

– Okok, mas quero ouvir você falando com ele

– Ai meu jesus, primeira semana de aula e você já me vem com essa bomba

Um silêncio se fez entre nós, enquanto eu pensava o que poderia fazer para sair de fininho daquela situação

– Eu topo – ouvi uma voz rouca falar atrás de mim, gelei ao reconhecer aquela voz maravilhosa

Jungkook sorria, provavelmente ele já havia percebido a presença do garoto antes e continuou a falar mesmo assim. Tae estava com a cabeça meio abaixada, parecia sem jeito. Eu não fazia ideia do porque ele ter topado essa loucura, ele tinha acabado de perder a virgindade. Tinha ficado meio taradinho, mas não achei que aceitaria transar à três

–Tae, vamos conversar ali um pouquinho? – Disse o puxando pelo braço – Você não precisa fazer isso, Jungkook é maluco e tarado

– Eu também, você também. O que tem de errado nisso?

– Você realmente transaria comigo, com outro cara fazendo o mesmo?

–Sim – disse sério.

Revirei os olhos e percebi que não tinha como fazê-lo mudar de ideia, e kook nunca desistiria dessa loucura. Olhei para os dois meninos apontei para cada um deles

–Ninguém vai me comer por trás – eles apenas acenaram que sim

Não acredito que topei em fazer isso, a primeira semana de aula começou animada. Até que fiquei bem empolgada de pensar em ter dois homens gostosos a minha disposição. Mas a consciência chegava a doer um pouco em me imaginar quebrando um tabu desses

A quem eu quero enganar, já fiz coisa pior, transar com dois caras que eu gosto não deve ser um pecado tão grande assim, ou seria?

– Podemos ir lá pra casa amanhã – disse kookie ansioso

– Nada disso, sua mãe aparece lá de surpresa e vai descobrir que eu não presto

– A gente, a gente pode ir lá em casa, igual daquela vez – disse Tae com uma carinha de sem vergonha

– Pera – o mais velho parecia surpreso – vocês? Vocês já fizeram?

– A noite toda – Tae estava extremamente orgulhoso, eu não sabia onde enfiar a cara

– Olha, então a gente vai pra sua casa – disse querendo acabar com o assunto de uma vez – vamos embora logo, não quero mais falar disso

Então voltamos para casa, a maior parte do caminho de ônibus foi em silencio, as vezes Tae tentava falar alguma coisa mas eu apenas dava um sorrisinho e voltava a pensar. Não vou mentir e dizer que estava me sentindo obrigada por causa de um acordo ou algo do tipo, na verdade eu estava bem excitada. Mas também estava meio sem jeito, eu gostava dos dois, não sabia se era certo misturar as coisas, fora que não fazia ideia de como as coisas ficariam com o Jimin, nós dois não ficávamos juntos a semanas, mas estávamos nos dando bem, lentamente estávamos fazendo as pazes.

Pelo menos eu vou transar

 

Jungkook POV

 

As horas demoraram uma eternidade para passar, a passagem de sexta para sábado pareceu muito mais a passagem de um mês do que um dia. Mas finalmente era sábado, combinei de buscar os dois em casa, Gabi disse que falaria em casa que tínhamos muitos exercícios para fazer – o que realmente tínhamos – só que escolhemos não os fazer naquele dia, Tae disse que ajudaria com as coisas depois.

Se me perguntarem porque escolhi o garoto, não faço ideia, mas acredito que é porque ele trata Gabriela tão bem quanto eu, ele tem um cuidado com ela e acho que ela merece ter uma experiência legal, tenho certeza de que, se fosse com uma garota ela não gostaria tanto. Até me senti meio culpado de usar nosso acordo como desculpa para fazê-la aceitar transar com nós dois, mas sei que ela deve estar tão empolgada quanto eu, nós somos iguais.

Quando cheguei na porta da casa deles, eles já me esperavam parados no portão, Gabriela estava linda com um vestidinho florido curto, com um decote filho da puta – não há ninguém no mundo tão sexy quanto ela. Tae estava de calça jeans, suas mãos se encontravam no bolso, parecia estar ansioso. Os dois estraram no banco carona, a pedido meu, queria vê-los se esquentando. Apesar de estarem tímidos, Gabi já começou beijando o garoto, e olhava para mim pelo retrovisor com uma cara de safada. Pouco a pouco Tae começou a passar a mão direita na coxa dela, por algum motivo, assistir eles dois juntos, era excitante demais. Me concentrei o máximo para não tirar a atenção da estrada e chegar em segurança no endereço que Tae havia passado.

– Tá gostando de assistir, Kookie? – Perguntou Gabi se aproximando do banco do motorista e apertando meu pau de leve

– Preciso responder? – Perguntei em tom de deboche, já que ela podia perceber claramente minha ereção. Ela apenas sorriu e voltou a beijar o rapaz

Ela é tão maravilhosa que as vezes me arrependo de ter feito um trato maldito de sermos apenas amigos de foda. Sei que agora é tarde demais para voltar atrás e nunca ficaremos juntos como um casal, pelo menos podemos nos aproveitar enquanto ela não fica com realmente gosta. Porque eu estou exatamente onde queria estar

Ao lado dela

Chegamos na casa do Tae e, quando entramos perguntei pelo banheiro, Tae me direcionou até um que ficava em seu quarto, onde os dois ficariam me esperando. Quando voltei, os dois se beijavam incessantemente deitados na cama, Gabriela já estava apenas de calcinha e sutiã, ambos pretos – minha cor favorita – eu fiquei parado enquanto observava, devo admitir que tive um pouco de ciúmes, toda a atenção dela estava voltada para ele, mas isso logo passou quando ela se levantou, saindo de cima dele e veio me beijar, um beijo intenso, como todos os nossos anteriores, mas dessa vez ele tinha ainda mais luxuria

– Você me paga, seu filho da puta – disse sorrindo ao separar o beijo

Logo ela se virou para Tae, que agora estava em pé, apenas de cueca, ela começou a beija-lo e colocou uma de suas mãos por dentro desta começando uma masturbação lenta e rítmica. Eu a abracei por trás e afastei os cabelos de seu pescoço, comecei a beija-la ali e dar chupões, do jeito que ela gosta. Com minha destra comecei a massagear sua intimidade por cima da calcinha, ela começou a gemer baixinho e a retribuir o carinho, com a mão livre começou a massagear meu pau, bem lentamente, quase que me torturando. Mas o ritmo começou a mudar quando Tae arrancou seu sutiã e começou a chupar seus seios com vigor, suas mãos começaram a ficar mais ágeis e rápidas, arrancando gemidos de nós dois, não demorou muito para que ela gozasse nos meus dedos, soltou então o que era o som que eu mais gostava de ouvir

Seu gemido durante um orgasmo.

Depois de um tempo ela retirou sua última peça e se ajoelhou, ficamos de frente para ela e ela começou uma masturbação deliciosa, enquanto chupava um, usava as mãos no outro. Era estranhamente excitante. Sem aguentar mais, me movi até suas costas, ajoelhei atrás dela e comecei a apertar seus seios enquanto beijava seu pescoço, meu estimulo fez com que ela começasse a masturbar Tae com mais rapidez, o garoto já estava se tremendo, prestes a gozar e assim o fez, Gabi engoliu tudinho e sorriu para o garoto.

– Vamos pra cama, hm? – Sugeri. Nenhum dos dois discordou, Tae se sentou recostando as costas na cabeceira da cama e Gabi se ajeitou entre suas pernas, com a bunda pro alto, bem do jeito que eu queria

Comecei a chupar sua bocetinha molhada e ela começou a gemer com o pau de Tae na boca, aquilo era demais para mim, meu pau parecia que explodiria a qualquer momento, então quando menos esperei ouvi a voz manhosa dela

– Kookie, me fode. Me fode com força

– Não precisa nem dizer duas vezes, minha gostosa – lentamente enfiei meu pau em sua cavidade quentinha e úmida, a sensação foi perfeita, ambos demos gemidos altos, que poderiam ser ouvidos pelos vizinhos.

Gabi sempre perde um pouco do controle quando está sentindo prazer, então nesse momento ela não conseguia manter a concentração em chupar o pau do outro garoto, esse apenas se punhetava sozinho enquanto observava

– Tá gostando de assistir, garoto? – Perguntei provocando.

Ele não respondeu, apenas fechou os olhos e jogou a cabeça pra trás enquanto gemia

– M-mais rá-pido – gritou Gabi enquanto puxava a cabeça de Tae para dar-lhe um beijo

Essa filha da puta sabe como fazer um homem ficar maluco, seus gemidos se intensificaram e ela gozou, nunca havia visto ela gozar daquele jeito, seu liquido molhou a cama inteira

– Falei que você ia gostar, sua safada gostosa – ela não me respondeu, mas revirou os olhos e retirou meu pau de dentro dela, sem eu ao menos ter gozado

Ela engatinhou até Tae e fez o garoto deitar de barriga para cima na cama, e sentou-se lentamente em seu pau

– Termina na punhetinha aí – disse sorrindo de um jeito maldoso

– Desgraçada – dei uns tapas em sua bunda, que rebolava em cima do pau do outro cara. Ela apenas gemeu mais ainda com meus tapas

Eu fiz o inimaginável, levei meus lábios até seu cuzinho, ignorando seus gemidos de reclamação, comecei a lamber e chupar enquanto a dedilhava ali. Em questão de segundos ela nem se importava mais e já estava toda empinadinha pra mim, minha mão livre não saia do meu pau que já estava latejante, eu gozaria a qualquer momento

– Posso? – perguntei

“não custa tentar né?”

– Ai caralho, tá bom. MAS VAI DEVAGAR – disse séria

. Gabi sempre foi e é muito liberal, mas nunca havia me deixado fazer anal com ela. Alguma coisa sobre manter o último resquício de pureza dela. Coisas de Gabriela

– Vamos riscar dois itens da lista hoje – Não conseguia conter o riso, era a realização de um sonho

– Cala a boca se não, não deixo mais

Não precisou falar mais nada, meu pau já estava todo babado, mas acho que ainda não seria o suficiente para lubrifica-la, por sorte eu sou prevenido – e esperançoso – e havia levado lubrificante, passei em toda extensão do meu pau, nesse momento eu estava tão empolgado que nem ouvia mais os gemidos dos dois, que nesse momento estavam altos e poderia até mesmo chamar aquilo de gritaria, o incomodo de ouvir Tae gemer o nome da minha garota já não era tão relevante

– Empina pra mim – ao dizer isso, levei minha mão até suas costas e fiz com que ela deitasse no peito de Tae

Meti ali lentamente, ela deu um gemido manhoso de dor, mas não impediu que eu continuasse tentando, enquanto isso Tae continuava entrando e saindo de dentro dela.

 Até que o menino aguenta o tranco, estou impressionado.

Devagar, eu finalmente consegui penetrar aquele cuzinho apertado, e foi uma das melhores sensações que já senti

– Porra – gritei ao sentir o aperto contra meu pau – sua gostosa

– Até- até que... isso é bom – disse com certa dificuldade – Taetae, mais rápido

Mantivemos um vai e vem sincronizado por uns bons minutos, eu não aguentava mais segurar, precisava gozar urgentemente, mas não faria isso antes do Tae, nunca que perderia pra ele, apesar dele já ter gozado, era questão de honra ser o último.

– Caralho – Finalmente Tae disse algo, juntamente com suas palavras, um gemido rouco, vi os músculos faciais do rapaz se contraírem e logo relaxarem

Eu não aguentei muito mais que isso também, e logo gozei dentro do seu cuzinho apertado

– Deita ai – disse mais como uma ordem, e assim ela o fez – vem cá garoto – ele também não me desobedeceu

Empurrei a cabeça do mais novo contra a intimidade de Gabi, essa gemeu baixinho ao sentir a língua dele entrar em contato com sua bocetinha já toda melada. Deixei ele ali e me aproximei do rosto da minha amada, comecei um beijo suave, beijo esse que a fez estranhar tamanha delicadeza vinda de mim, mas logo agarrei seus seios e voltei a beija-la com tesão. Nos beijamos por alguns minutos até que ela mordeu meu lábio inferior com força e soltou um gemido alto, estava gozando mais uma vez aquela safada.

Novamente ela gozou intensamente e seu líquido terminou de molhar a cama. Ela ficou estirada na cama enquanto eu a enchia de selinhos, Tae beijava suas coxas e logo subiu e começou a beijar seu pescoço. Como eu esperava, ele era carinhoso com ela e apesar dos ciúmes, não acho que poderia ter sido com alguém melhor. Enquanto a beijávamos, Gabriela acabou pegando no sono ali mesmo, toda molhada, suja de gozo, suada e descabelada

– Eu morri e tô no céu? – Perguntou ainda de olhos fechados depois de ter despertado do seu breve cochilo (desmaio)

– O último lugar que a gente vai é pro céu, desculpe te informar – disse rindo, Tae soltou uma gargalhada

– Se eu tivesse forças, juro que te dava uns tapas

– Gostou, bebê? – Perguntei segurando seu rosto, ela apenas assentiu e me deu um selinho. Nesse momento Tae ia se retirando de fininho – Vai onde garoto?

– É, ali. No banheiro – disse sem jeito – tô sobrando aqui

– Claro que não tá, você é meu protegido agora. Vou te ensinar tudo que aprendi em anos de putaria

– Ah não, Kookie – Gabriela cobriu o rosto – Não aguento dois de você. Mas volta pra cá Tae, agora começa a sessão de carinho. Todo mundo gosta de ficar abraçadinho quanto tá cansado

Sorri ao ver o menino pular de volta na cama e abraçar Gabriela pela cintura, ela se virou de frente para mim e envolveu seus braços no meu pescoço. Nós nos olhamos um tempo e é engraçado como as vezes parece que ela é apaixonada por mim, como eu sou por ela, mesmo eu sabendo que não é bem assim.

– Eu amo vocês – disse me deixando surpreso, quando ia falar mais alguma coisa, vi que ela havia caído no sono, igualmente ao garoto ao seu lado.

– Eu te amo – disse fechando os olhos, acabei adormecendo também


Notas Finais


Desculpe pelo fato da comemoração de 100 favoritos não ser com o Jimin, mas há tempos tenho tentado escrever um menage entre esses três ai.
O imagine é do Jimin, mas a Gabriela transa com quem ela quer


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...