História Quase irmãos (Park Jimin) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Hot, Incesto, Jimin, Políamor, Tae, Yoongi
Visualizações 403
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Steampunk, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Achei que não ia postar hoje, coitada de mim. Espero que gostem desse hotzinho

Capítulo 5 - O segredinho de Jimin


Fanfic / Fanfiction Quase irmãos (Park Jimin) - Capítulo 5 - O segredinho de Jimin

No capitulo anterior...
“Agora ele me paga” pensei maliciosamente.

—Quer?—Falei me debruçando em sua perna

—Hã?—perguntou assustado

—O sanduíche, acorda—falei estalando meus dedos, notando que ele olhava para meus seios

—Ah, não. Obrigado.

Assistimos a um filme, conversamos um pouco, ele me olhava cheio de malícia e isso me deixava excitada, mas não iria avançar nele naquele momento, só queria provocar, afinal, ele havia trazido aquelazinha para casa e eu estava puta. Depois de um tempo em silêncio me deitei e coloquei meus pés em cima de seu colo, ele se ajeitou desconfortavelmente, fechei os olhos e fingi dormir, passados alguns minutos, comecei a mexer os pés em sua coxa, senti ele segurar meu pé, mas ao invés de tirá-los de lá, apertou contra seu membro já duro, pude ouvir um gemido baixo, ele suspirou e logo me soltou, como se tivesse arrependido. Nessa hora me levantei coçando os olhos, deixando a alça da camisola descer um pouco

—Vou pro meu quarto—me levantei e subi as escadas, ouvi ele desligar a televisão e subir as escadas também. Eu entrei no meu quarto, ele entrou no dele.

(...)

Fiquei pensando sobre como Jimin estava duro quando eu o toquei, aquilo me excitou de uma maneira que eu não poderia explicar, desci minhas mãos lentamente até minha intimidade, massageando meu clitoris, comecei a gemer baixinho, eu já estava completamente molhada. Levei minha mão até minha boca e chupei dois dedos, logo em seguida os penetrei na minha vagina, agora meus gemidos estavam altos, pensar que Jimin pudesse ouvir aquilo, me fez gemer ainda mais alto. Apoiei minhas mãos na parede que dividia com o quarto de Jimin, ficando de quatro e continuei me masturbando, eu delirava de prazer e sem querer deixei escapar um “Min”, tampei minha boca para garantir que não acontecesse novamente, mas continuei sem me importar muito, logo gozei e me deitei. Comecei a ouvir os sons de gemidos abafados do meu irmão em seu quarto, eu tinha certeza que era uma homenagem a mim.

—Dessa vez você não me escapa—disse me levantando, retirei minha calcinha e fui até o quarto de Jimin, a porta estava fechada, mas não trancada. Entrei e Jimin estava deitado em sua cama batendo uma— Oi Min, precisa de ajuda?

—Bi—disse ele se assustando e se cobrindo—Sai daqui, por favor.

—Ou o que?—falei afrontosamente

—Ou eu não vou aguentar —Disse vindo em minha direção e agarrando meus cabelos— e vou te foder —chupou e mordeu meu pescoço

—Fode—disse em um suspiro, segurando seu membro exposto e duro—Acho que a gente pode pular as preliminares né?

—Quieta, você me provocou esse tempo todo—dizia lambendo minha orelha—Vai ser do meu jeito agora—essas palavras fizeram cada centímetro do meu corpo reagir de prazer.

Ele me jogou em sua cama com certa violência e colocou seu corpo em cima do meu, ele retirou minha camisola rasgando-a, eu já estava sem calcinha, então fiquei completamente nua, entregue a ele, ele massageava meus seios, me dava chupões por toda extensão do meu pescoço, eu rebolava meu corpo contra o dele, sentia seu pau roçando em mim

—De quatro—ele disse autoritário, se ajoelhando na cama

—Me beija primeiro—ele então deu um tapa estralado em minha coxa

—De quatro, baby— deu uma mordida no meu lábio inferior, seguida de uma lambida, então entendi o joguinho que ele queria jogar, me virei e empinei minha bunda, então senti outro tapa, gemi, não de dor e sim de prazer—Boa garota, minha garota

Começou a lamber meu clitoris e ao sentir sua língua quente encostar em mim, soltei um gemido alto. Ele sabia exatamente o que estava fazendo e me levou a loucura rapidamente, ele suspendeu as lambidas e deu um tapa em meu clitoris, a sensação foi maravilhosa, então penetrou dois dedos em mim, com certa agressividade, ele me fodia com seus dedos com velocidade e sem cuidado algum.

—Aw daddy, mais- mais r-rápi-do—falei entre gemidos, ele atendeu, logo eu cheguei ao meu orgasmo. Ele se sentou na beirada da cama me puxando

—Me chupa, vai. Quero foder sua boca—Era estranho ouvir Jimin falar daquela maneira, mas eu estava adorando. Me ajoelhei no chão e comecei lamber a cabecinha de seu pênis, minha língua logo percorreu toda extensão de seu membro. Ele então retirou sua camisa e agarrou meus cabelos, formando um rabo de cavalo mal feito, começou então a ditar os movimentos de vai e vem, eu olhava seu rosto e ele estava em êxtase, gemia alto, enquanto fodia minha boca com força, então ele segurou minha cabeça, forçando seu membro contra minha garganta, segurou minha cabeça ali durante alguns segundos e logo soltou, me fazendo engasgar pela falta de ar, senti suas veias ficando cada vez mais pulsantes e logo ele gozou na minha boca, como boa “baby girl” que sou, engoli tudo.

—Vem cá, me puxou para seu colo—Fui até seu colo, deixando uma perna de cada lado de seu quadril e sentei em seu pau, ele chupava meu seio e apertava minha bunda com força, vez ou outra me dava tapas, o que me fazia gemer ainda mais, ele gemia no meu ouvido e dizia todo tipo de coisas sujas.

—Você é tão gostosa, rebola pra mim—sua voz saía como um grunhido

—Tá bom assim, Min?—Eu rebolava e quicava com vontade, finalmente o tinha dentro de mim e era delirante, ele segurava minha cintura e acelerava os movimentos, percebi que ele perdeu a paciência de não estar dominando a situação então me virou, se colocando em cima de mim, ficando completamente no controle novamente, levou uma de minhas pernas até seu ombro e voltou a meter com força, ele olhava diretamente nos meus olhos, seus olhos estavam negros

—Aw Min—gemi segurando seu quadril o fazendo ir mais rápido, eu já estava quase lá

—Goza pra mim—ele disse segurando meu pescoço, me sufocando um pouco, isso me deixou mais excitada e logo gozei, um orgasmo como nunca tinha tido antes—Boa garota—ele deu mais algumas estocadas, retirou seu membro de dentro de mim e gozou na minha coxa, finalmente me deu um beijo, quente e intenso —ainda com a mão em meu pescoço— eu poderia gozar novamente só com aquele beijo, logo nossos lábios se separaram e ele se deitou exausto ao meu lado. Ele estava de olhos fechados e ofegante

—Isso foi bom pra caralho—falei rindo. Ele apenas deu um risinho de lado e se virou pra mim, ainda de olhos fechados, e pousou sua mão em minha cintura. Logo dormimos

Nunca imaginei que meu irmãozinho teria esses fetiches, aquela carinha de bom moço me enganou de verdade. Uma surpresa boa, devo dizer.

 


 


Notas Finais


Ficou bom?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...