História Quase um Cinderelo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Sehun, Suho
Tags Baekyeol, Chanbaek, Comedia Romantica, Lostgrl
Visualizações 1.068
Palavras 2.141
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Pessoa está como, morta, sumida, oi, cadê a becca? hehehe perdoooooooooa eu
Sentiram minha falta? Não? ok então sauash
Enfim, eu tô com uma fic muitooooooooooo fluffy, uma tentativa de comédia romântica com contos de fadas e um chan muito iti malia que bebê ><
Quem lê minhas fics sabe que eu amo um Chan bobão e é isso que veremos bastante aqui, ok? ok!
A fic está pronta, o que significa capítulo toda semana!! AAAAEEE
São 7 capítulos de pura fofura :)) Tento postar toda quinta ou sexta <3333333
Por enquanto é isso aaaaaaaaa
Boa leitura, e me perdoem, não está betado ><

Capítulo 1 - Era uma vez...


 

Eu poderia começar esta narrativa com “era uma vez, em uma escola no meio de um bairro classe média, um menino que sempre foi muito maltratado pelos populares do colégio”; porém, bem, seria uma mentira parcial, pois só uma pessoa implicava comigo.

Talvez eu goste de contos de fadas mais do que seria comum entre garotos do segundo ano no ensino médio, o que posso fazer?

Sinto-me preso nesta versão moderna de “Cinderela”, onde Kyungsoo, meu melhor amigo, é a fada madrinha, sempre tem os melhores conselhos para mim; Jongin, meu segundo melhor amigo, é um daqueles ratinhos fofos, que está disposto a fazer qualquer coisa para me ver feliz.

Sehun é um dos garotos mais populares do colégio, com seu bando todo, é claro. Ele definitivamente é meu príncipe encantado, sabe? Aquele que nem tem ideia da minha existência. Mesmo que às vezes apareça na sala do conselho estudantil, onde eu sou vice-presidente e Junmyeon é presidente, para marcar reuniões para o grupo de teatro.

Ele faz parte do clube, mas sempre fica no backstage, dificilmente aparece nas peças, dizem que ele gosta de desenhar os figurinos. Mas a madrasta má é, sim, o centro das atenções. Claro, sempre existe a vilã, mas no caso é um um vilão bem emburrado e sarcástico, chamado Byun Baekhyun, melhor amigo de Sehun; sem falar nas duas irmãs malvadas, Luhan e Minseok. Todos são do mesmo bando.

Na verdade Lu e Minnie são legais às vezes, os dois fazem parte do coral e têm vozes incríveis, mas não muda o fato de que vivem nas asas do “sou o rei da escola” Byun.

Sehun é bem mais bonito e popular, na minha opinião.

É difícil essa minha vida de observá-lo de longe, e ter sempre Baekhyun em meu caminho quando tento me aproximar.

Não que eu espere alguma coisa concreta, mas Sehun, esse mês, lembrou do meu nome quando foi na sala do conselho e eu marquei a reunião para o pessoal do seu clube. A peça aconteceu semana passada, então, antes disso, eles precisavam de vários encontros de provas de figurino, aprovação do orçamento da escola para o cenário… Adorava essas épocas de peça, pois constantemente tinha que ir no teatro também, e muitas vezes via Sehun com seu caderno, desenhando.

Foi a peça de outono, é menor e geralmente curtinha, de volta às aulas, e depois eles têm a do final do ano letivo.

O próximo grande evento da nossa escola é o baile de inverno, acontece daqui a menos de um mês, e geralmente o pessoal do teatro organiza também. Baekhyun adora se colocar na frente dos eventos, ser o dono de tudo.

Reizinho do mal.

— Hey, pare de babar. — Kyungsoo deu uma cotovelada na minha costela, e choraminguei ao olhar para o lado.

Jongin estava sentado de frente para nós dois, e duas mesas atrás estava ele, era possível ver Sehun inclinado para frente, rindo com os amigos. Geralmente é calado, mas às vezes solta umas piadas e gargalhadas com seu bando. Gosto de olhá-lo no intervalo, vê-lo roubar as batatas fritas de Luhan, e Minseok batendo no braço do mais novo, defendendo a comida do namorado. Gosto de ver como eles parecem unidos, mesmo tendo que suportar aquele sorrisinho pequeno e de lado —  nem um pouco atraente, é claro — de Baekhyun, que fica franzindo o nariz de forma bonitinha sempre que ri dos amigos também.

— Hey, Chan! — Junmeyon parou na minha frente, ao lado de Jongin, sentando-se na nossa mesa.

Não era sempre que sentava aqui, já que muitas vezes ficava com o pessoal de outra sala.

— Fala, Jun.

— Eu sei que hoje não é dia de conselho, mas pode passar lá na sala no final da aula? É uma reunião bem rapidinha.

Por queeeeeê? — quis saber, jogando os braços sobre a mesa e deitando o rosto para olhá-lo de baixo. — Qual é, essa semana foi exaustiva com todas aquelas reclamações dos clubes e verbas para o baile.

— Eu prometo que você vai ficar fora das planilhas de orçamento até o baile, se me ajudar. — o mais velho sugeriu, e isso me animou.

Sou muito bom aluno, principalmente em matemática, então ajudo bastante na hora de dividir o dinheiro que recebemos da escola entre os clubes e para os eventos extras.

— Mesmo?

Se você me ajudar.

— O que quer? — estreitei os olhos, mas Junmyeon não disse nada, só me passou algumas moedas, arrastando-as sobre a mesa.

— Vai saber mais tarde. Tome aqui, compre um refrigerante para mim e um chocolate para você. — tentou me comprar. E deu certo, é claro.

— Não sou seu empregado! — exclamei, mas falei já me levantando.

— Céus, você é tão óbvio. — Kyungsoo suspirou e eu o ignorei, seguindo até as máquinas no fim do refeitório, bem atrás da mesa de Sehun, onde poderia vê-lo de pertinho.

Suspirei ao colocar as moedas na máquina, peguei uma Coca para Junmyeon e um Twix para mim, mas, veja bem, acabei olhando com cara de bobão para Sehun, que estava conversando com Luhan sobre alguma coisa aparentemente séria, já que olhava sobre os ombros constantemente para algo que eu não tinha ideia o que era.

— Hey, Park! — a voz irritante de Baekhyun me despertou, quase pulei com o susto e senti meu rosto quente por ser pego no flagra. — O que faz aí com essa cara de idiota? A mesa dos perdedores não é para lá? — ele apontou para onde estava sentado anteriormente.

— Baekkie, pare com isso. — Sehun sussurrou para o menor, que só lhe lançou um olhar entediado.

Aproveitei que os dois começaram uma pequena discussão de amigos — daquelas que brigamos com sorrisos nos rostos — e dei no pé, me afundando novamente ao lado de Kyungsoo que suspirou ao me ver cobrir o rosto com as mãos.

Ele deve ter observado, de camarote, minha humilhação.

— Patético. —  meu amigo falou, de forma super motivacional.

É, meus caros, o colegial é quase um conto de fadas.

 

(...)

 

Estava jogado em uma das mesas na sala do conselho estudantil, não havia ninguém, o que é um pouco estranho, pois pensei que teríamos uma reunião de emergência. Não demorou para Junmyeon aparecer na sala, mas arregalei os olhos ao perceber a pessoa ao seu lado.

— Jun? Cadê todo mundo?

— Quero falar só com você, Chan.

Cruzei os braços na defensiva, vendo Baekhyun apoiar-se no batente da porta, como se fosse um rei ali também. Ele já conta com a coroa no baile de inverno, tenho certeza.

E não é como se ele não fosse vencer.

— Diga.

— Na verdade, eu tenho um pedido. — ele começou, parecendo um pouco receoso ao andar de um lado para o outro. Continuei calado, alternando o olhar do meu amigo até Baekhyun, quem mantinha o maldito sorriso sarcástico, e nem um pouco bonito, colado na cara.

— Vamos logo com isso, Junmyeon, tenho mais o que fazer. — o menor reclamou.

— Eu sei, eu sei… — o mais velho suspirou, então me olhou. — Eu preciso de alguém do conselho para ajudar o comitê do baile, e pensei que, talvez, você pudesse…

— Não.

— Qual é, Chan, nem me deixou terminar.

— Eu terei que ficar todo dia até sei lá que horas aqui para ajudar a organizar um baile que eu nem tenho a intenção de aparecer, Jun, eu tenho que estudar!

— Está com medo do que, Park? De babar sempre que ver Sehun? — Baekhyun implicou, me deixando corado e ainda mais irritado.

— Viu? Como você espera que eu ature isso?

— São só três semanas até o baile, e não vai ficar todo dia! Eu preciso de alguém de confiança e que não caia na carinha fofa de Baekhyun quando for pedir mais orçamento para a festa! Só precisa controlar os gastos dele, ok? Só isso! Eu vou te dar um orçamento, e você anota tudo que ele comprar e coloca um freio quando achar que algo é demais.

— Como se ele fosse conseguir. — o Byun riu baixinho.

— Baekhyun, precisa se controlar, no baile de encerramento ano passado você pediu dinheiro extra duas vezes! Sei que consegue convencer o diretor com essa baboseira de que o baile une os alunos, mas esse ano toda a verba foi reduzida, temos que economizar.

— Besteira! — cantarolou, fazendo Junmyeon suspirar e me olhar, quase implorando ao dizer:

— Viu? Chanyeol, eu preciso de você! Eu vou estar ocupado demais com as provas que logo estão chegando, eu ajudo os professores a fazer cópias e os alunos que estão com dificuldades nas matérias, não posso fazer isso, e você é o vice-presidente do clube.

Bufei irritado.

Sabia que não tinha escapatória, ano passado foi uma loucura por causa do baile de final do ano, com Baekhyun falando que diretor liberou um cheque extra e todos nós tentando recalcular as despesas de fim de ano para os outros eventos. Maldito Byun.

Encarei o menor como se todos os meus problemas fossem culpa dele, mas o garoto só sorriu mais ainda, levantando uma sobrancelha na minha direção. Nunca fui a um baile, pois me imaginei indo com meu príncipe encantado, bem, com meu namorado, na verdade. E como esse milagre ainda não aconteceu, me resigno a ficar em casa com um pote de sorvete vendo versões atuais dos contos de fada, como aquele da Cinderela com a Hilary Duff.

— Eu não vou ficar na quadra cortando corações! —  disse logo, e Junmyeon se animou. Só que, claro, Baekhyun cortou-o.

— Não serão corações, serão estrelas, e vai sim ajudar na ornamentação, não quero um peso morto na minha equipe.

— Não sou da sua equipe, estou fazendo isso só para ajudar Junmyeon e o orçamento dos outros clubes, que se depender de você, desaparece.

— Estou provendo uma noite maravilhosa para todos os alunos, não vi ninguém reclamar das festas que eu organizei.

— Eu estou reclamando agora.

— Você não conta, nunca foi em nenhuma.

— Não perderia meu tempo com isso, tenho coisas melhores para fazer. — disse, mesmo estranhando o fato do Byun ter percebido que não fui a nenhum baile.

— Como o quê? Ficar chorando por filmes de cachorro?

— Isso só aconteceu uma vez!

— Você realmente chora em filmes de cachorro? Park, você é hilário. — Baekhyun começou a gargalhar, eu senti todo meu rosto esquentar com aquilo.

Sou um idiota por sempre cair nas provocações dele, o Byun estava curvando, puxando o ar com força tentando se recuperar do ataque de riso.

Eu só queria morrer.

Olhei para Junmyeon, ele fez uma careta, tirando um Twix do bolso e me entregando como recompensa por fazer aquilo.

Todos sabem que eu amo caramelo e chocolate.

Suspirei, pegando minha mochila e o doce da mão de Junmyeon, passei por Baekhyun que estava arrumando o cabelo e ainda com os olhos brilhantes devido ao seu ataque de riso.

Ele segurou meu braço e o olhei de forma cortante, mas isso não afastou, pois ele apenas me entregou seu celular.

— Coloque seu número aí, Chanyeol, amanhã quero ir no centro da cidade comprar alguns materiais.

— Amanhã é sábado!

— E você vai fazer o quê? Chorar por filmes de menininhas com câncer?

Quase disse que apenas pessoas muito cruéis não choravam em filmes assim, mas provavelmente Baekhyun só iria rir ainda mais, então puxei seu celular com força, digitando meu número, antes de sair pisando duro.

Andei para casa ainda sem acreditar que precisaria fazer aquilo. Por sorte, o Byun deve ter ido encontrar seus amigos, moramos em ruas perto, então geralmente andamos na mesma direção. Eu com fones de ouvido, ele às vezes conversando no celular, outras olhando as coisas ao redor, mas nunca conversamos.

Recebi uma mensagem, era um alerta do banco com um valor altíssimo sendo depositado na minha conta.

Mandei mensagem para Junmyeon.

“Você depositou o dinheiro antes mesmo de conversar comigo?”  

 

“Eu sabia que você iria aceitar! E olha, pode comprar uns doces com parte dele, sabe como é, aturar Baekhyun é parte do trabalho para o baile.”

 

Acabei rindo.

Claro que eu iria aceitar, eu adoro Junmyeon, ele é meu amigo e se tem uma coisa que eu sou, é fiel as minhas amizades. Não posso suportar traições e mentiras, então suspirei ao responder:

 

“Vou fazer isso mesmo, por danos psicológicos.”

 

Estava prestes a bloquear o celular, quando uma mensagem de um número desconhecido surgiu.

 

“Me encontre amanhã, onze horas na esquina da sua rua, não se atrase.”

 

Não estava assinada, mas só poderia ser dele, o rei malvado da nossa escola. Não me dignei a responder, apenas parei na padaria perto de casa e comprei uma torta com o cartão, usando o dinheiro do baile.

Percebi naquele momento que toda vez em que Baekhyun precisasse comprar algo, eu teria que ir junto, pois o dinheiro estava comigo. Então virei para a moça do balcão e pedi duas fatias de torta, quem sabe eu não morro engasgado com um pedaço de morango e não preciso passar as próximas três semanas aturando Byun Baekhyun.

 


Notas Finais


Então????// Gostaram?? Me digam o que acharam desse Chan com a cabeça no mundo da lua e esse Baek meio arrogante? aaaaaaaaaaaaaa

O meu twt: https://twitter.com/Byun_Re/
E sobre o meu livro, ainda tenho algumas cópias, ok? falem no twitter comigo sobre ele!

Beijos e até semana que vem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...