História Quatro Estações e Doces Haicais - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Haicais, Jeykook, Marck Amino, Namjin, Vhope, Yoonmin
Visualizações 6
Palavras 2.244
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Magia, Poesias, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem voltou /o/

Hiatus acabou e só irei parar de atualizar quando a fic for finalizada u.u

Deixarei o motivo de eu ter iniciado o hiatus nas notad finais e.e

Sejam bem-vindos e boa leitura :)

Capítulo 6 - Verão - Notícia


Fanfic / Fanfiction Quatro Estações e Doces Haicais - Capítulo 6 - Verão - Notícia

 Sinto uma forte claridade abraçar minha face,  abro os olhos vagarosamente e sorrio ao ver o raio de luz natural invadindo todo o ambiente o melhor de rudo, a silhueta de Jimin no centro da janela, a claridade o faz parecer um anjo que zela pelo meu sono.

- Bom dia flor do dia - O Park se aproxima com uma bandeja em mãos com uma jarra de suco e sanduíches - Não sabia como te acordar então abri a cortina - Diz ao se tar-se ao meu lado colocando a bandeja em meu colo.

- Bom dia - Recebo o toque de seus lábios, ah, seria pedir demais ser acordado assim todos os dias? - Me acha tão frágil quanto uma flor? - Finjo estar ofendido com a comparação.

- A mais frágil não, a mais linda com certeza - Coloca o suco no copo enquanto me posiciono devidamente para comer.

- Assim ficarei mal acostumado - Sorrio ao morder o sanduíche, que está muito bom por sinal.

- Obrigado por cuidar de mim ontem, acordei tão bem, graças a você e suas mãos de fada - Entrega o suco em minha mão bagunça meus cabelos.

- Me chamou de frágil mais uma vez - O olho fazendo um bico nos lábios e tenho um beijo roubado, assanhado.

- Devo te elogiar menos então? - Pergunta mais para si mesmo com a mão no queixo.

- Apenas se atreva ... tenho um sanduíche e não tenho medo de usar - Lanço um olhar ameaçador para ele que não segura o riso.

- Você não assusta nem um coelho - Lhe dou um beliscão pelo comentário e o pequeno pega seu celular que começou a apitar em seu bolso me olhando em seguida - Tem algum compromisso esta noite? - Pergunta o Park.

- Creio que não, algum motivo especial? - pergunto ao terminar meu maravilhoso café da manhã.

- Só queria marcar algo para fazermos junto com a turma, ir ao cinema talvez, ou em uma festa - Explica o Park.

- Acho ótimo, nunca fui à uma festa de verdade ... - Concordo com a ideia, seria legal ir à uma festa com os meninos.

Levanto e trago comigo a bandeja indo em direção à cozinha, lavando a louça e limpando a bagunça que Jimin fez, se ele faz tudo isso para um café da manhã, nem quero imaginar o furacão que cria para fazer um almoço. Ao terminar com tudo, volto para o quarto e procuro por meu celular e assim que o encontro, envio uma mensagem para meus pais avisando que talvez eu durma fora novamente.

Para eles isso é como a glória, sempre falavam em como precisava sair e não me trancar em nosso jardim deixando o resto de lado. Jimin veio para somar, minha vida já era boa mesmo ficando trancado em casa, pois lá tenho tudo o que preciso e é meu ponto de inspiração; e sua chegada me fez abrir mais espaço para então, me dar tal liberdade em sair, socializar e claro, me deu uma nova família, os meninos.

Olho para a janela e o sol convidativo me faz ir até ela, a visão daqui é bonita, realmente bonita. O céu limpo com leves camadas brancas, o jeito como o sol ilumina as ruas e o vento que bate fazendo as cortinas se agitarem, as pessoas indo de um lado para o outro, um belo dia para ser apreciado. Por breves segundos me sinto em meu jardim, ouvindo o som dos pássaros cantando e as folhas das árvores balançando, sinto o perfume das flores da estufa de minha mãe, doce e com uma pitada de cheiro de terra molhada.

- Pensando em algo? - Ouço a voz de Jimin e suas mãos rodearam minha cintura, um cheiro doce e suave se mistura ao ar e me viro ficando de frente para o Park fungando seus cabelos, de onde vem o doce perfume.

- Só estava apreciando o dia - Deposito um beijo em sua testa e me dirijo ao banheiro, é incrível como Jimin tem o poder de me contagiar com sua boa áurea, o sorriso formado em meus lábios não quer se desfazer.

Tomo um breve banho e me enrolo na toalha ao sair do banheiro. Jimin está se arrumando em frente ao espelho colocando alguns acessórios como brincos, anéis e pulseiras, realmente combina com sua áurea despojada.

- Ok, para onde pretende me raptar agora? - Pergunto e vejo o seu olhar focar em mim pelo espelho.

- Namjoonlândia - Responde em meio aos risos deixando seus dentes a mostra.

- Adoro o seu sorriso, me lembra o sol, você deveria sorrir sempre - O Abraço pela cintura e beijo sua nuca o fazendo arrepiar-se levemente.

- Por que o sol? - Pergunta tentando se desvencilhar dos meus ataques de carinho.

- Porque é iluminador, algo que precisa ser apreciado - O olho pelo espelho e vejo seu reflexo sorrir até seus olhos fecharem completamente.

- Você e suas palavras bonitas ... - Revira os olhos e agarra meu nariz com dois dedos o apertando levemente - Me solta - Ameaça ao apertar meu nariz.

- Nunca! Prometo jamais soltar você - Ouço sua risada e seus dedos me apertam ainda mais me obrigando a o soltar - Tá bom tá bom - O solto e ponho a mão no nariz que agora está igual uma pimenta malagueta.

Volto para o banheiro para me vestir, saindo apenas para arrumar o cabelo e enfim, estar pronto para sair.

Saímos juntos e caminhamos até o metrô. Após entrarmos no trem e conseguirmos um lugar para sentar, sinto meu celular vibrar e vejo que se trata de uma mensagem de Taehyung.

• Hey mini-hyung, preciso conversar com você.

O respondo e guardo o celular, percebo mais a frente um casal de idosos sentados de mãos dadas, Jimin me olha como se estivesse se perguntando o mesmo que eu e então seguro em sua mão também e aí percebo um jovem com uma câmera, posso jurar que o vi direcioná-la em nossa direção. Ao chegar em nossa estação, decidimos comprar algo para comer já que Nam e Jin comem por todos nós. Ao entrarmos na conveniência, vejo o mesmo jovem do trem passar com sua câmera pendurada no pescoço.

- Jimin? - O cutuco na cintura chamando sua atenção.

- O que há, criança? - Pergunta ao colocar um pote de iogurte na cesta.

- Aquele garoto do trem que havia falado, o vi passar agora mesmo e parecia procurar algo ... pode ser apenas uma coincidência, mas tenho a impressão de que está nos seguindo - Jimin sorri da minha pequena teoria e pega a cesta de minhas mãos.

- Ele só está passando meu bem, pura coincidência - Sorrio ao vê-lo tentar pegar algo na parte alta da prateleira, vou por trás de seu corpo e pego o que ele tentava alcançar.

- Não lembro de ter pedido sua ajuda, estava quase alcançando - Não seguro o riso ao ver o bico que forma em seu rosto.

- Sei que estava baixinho, sei que estava ... - Bagunço seu cabelo e corro até o caixa ao ver sua cara emburrada.

- Ora baixinho, vou te mostrar o baixinho já já - O ouço resmungar e sinto meu sangue gelar ao sentir sua mão em minha nuca, me viro pronto para pedir clemência e sorrio de nervoso ao perceber que está apenas ajeitando a gola da minha camisa.

- Estava torto - Diz ao abotoar o primeiro botão - Ninguém precisa ver tanto ... - Me seguro para não rir novamente.

- Então quer dizer que o sr. Park também está propício a sentir ciúmes - Recebo um beliscão no braço e consigo ver todas as constelações que conheço em volta da minha cabeça.

- Calado, não quero ouvir um a - Diz autoritário ao segurar em minha mão.

- AAA - Grito na rua e sua mão trata de tapar minha boca e abafar minha voz.

- Qual seu nível de maturidade?

- O mesmo do seu - Seu riso atrai alguns olhares curiosos e me pego hipnotizado por seu sorriso e me pergunto o quão sortudo eu sou por ter Jimin ao meu lado.

Ao passarmos em frente à uma pequena loja de artesanato, Jimin pede para darmos uma olhada e assim que entramos, nos deparamos com um senhor com uma expressão fechada e ao nos ver adentrar em sua loja de mãos dadas, seu olhar segue qualquer de nossos movimentos.

Jimin se encanta com os objetos nas prateleiras e parece se deixar hipnotizar pelos bonecos de argila. Observo cada obra trabalhada ali até me aproximar do pequeno balcão onde se encontra o provável dono da loja.

- Bom dia - O cumprimento e para a minha surpresa ele abre um sorriso gentil e acolhedor.

- Bom dia meu jovem - Sua voz rouca denuncia sua idade avançada, já que sua pele camufla muito bem - Gostou de algo? Ou está querendo presentear seu namorado? - Sorrio com sua pergunta, mas ele está certo, devo comprar algo para dar a Jimin.

- Exatamente, só não sei o que comprar pra' ele - Digo em um tom derrotado e o senhor olha para tudo o que há ao seu alcance de visão e parece pensar por um breve momento.

- Tenho algo que com toda certeza ele irá gostar - O vejo subir no balcão ao se abaixar e voltar uma caixinha num tom vinho e observo a caixa após ele a depositar em minha frente - Vai, pode abrir - E assim o faço.

- Uau, que lindo - Admiro atentamente o lindo cordão em minhas mãos, acompanhado de uma pedra circular avermelhada e muito bem trabalhada, envolta por um suporte fino e dourado e ao ver o preço me engasgo com a própria respiração.

- Sinto muito mas não tenho como pagar por isso, não agora ... - devolvo o cordão para a caixa e a fecho em seguida.

- E quem falou em pagar? - Pergunta gentil senhor e fico sem entender nada, apenas o observo embrulhar a caixa e a colocar novamente em minha frente.

- Pegue, é um presente - Encaro o senhor a caixa sem conseguir pensar em nada e ele apenas começa a rir do meu espanto.

- Meu jovem, sei perceber quando há um casal cujo um é perfeito para o outro e no momento em que vocês passaram por essa porta senti algo tão bom emanando de vocês então me dei a liberdade de lhe dar esse presente - Fico apenas com um sorriso de orelha a orelha ao ouvir isso vindo da boca de um ... estranho.

- Mu-muito obrigado, iremos cuidar muito bem do presente - O agradeço e ao ouvirmos os passos de um possível baixinho se aproximando, guardo o embrulho para que não veja - A propósito, qual o seu nome? - Pergunto e o senhor me dá um cartão da loja.

- Só me prometa uma coisa - O olho com toda a atenção do mundo enquanto Jimin apenas nos observa - Cuide muito bem de quem está ao seu lado - Seguro a mão de Jimin novamente e o mesmo fica sem entender nada.

- Eu prometo, irei cuidar muito bem dele - Beijo a costa da mão de Jimin que sorri, um sorriso que denuncia que está boiando sobre o que está acontecendo.

Passa como se fosse

Um rastro de perfume raro,

Inalo, aspiro e respiro num total desgarro.

A perfeita simetria

Desenhada em seu corpo, na alma

Tudo me sacia.

A direção, a indução,

A imaginação, a realidade demasiada ...

... ao seu lado, tudo se torna uma linda fantasia.

- Foi um prazer, Yoogi - Paraliso ao ouvir meu nome ser pronunciado, como ele sabe meu nome? Deixo isso pra outra hora ao o ver piscar.

- Foi um prazer, vovô - O reverenciamos antes de sair da loja, Jimin não dosa as perguntas sobre como o senhor sabia meu nome ... e sobre isso, também quero saber. Após andar por duas quadras a mais, finalmente chegamos na casa do Nam, que é muito bonita por sinal. Jimin aperta a campainha e logo a porta é aberta por TaeTae.

- Ainda bem que chegaram, Nam e Jin tem algo para falar mas só estão esperando vocês para falarem - Tae nos puxa abruptamente para e nos arrasta casa a dentro.

Ao chegar na sala vejo que já estão todos lá, Hope, Kook, Nam e Jin. Cumprimento todos e sento com Jimin ao meu lado, porém Tae se joga em nosso meio nos separando, uma criança mesmo.

- Já estamos todos aqui então VÊ SE TRATA DE FALAR LOGO ANTES QUE EU TENHA UM ATAQUE DO CORAÇÃO - Hope berra espantando até mesmo Tae, mas também estamos todos curioso.

- Tudo bem, vamos dizer ... melhor, Jin irá dizer - Nam é o primeiro a se pronunciar enquanto Jin continua com um semblante sério. 

- Tá legal, nem eu estou aguentando toda essa tenção - Kook parece já estar impaciente assim como Hope. 

Jin se levanta acompanhado de Nam, ambos de mãos dadas e ainda com o semblante fechado, sinceramente estou preocupado, apesar de estar sentindo uma áurea adorável vindo dos dois.

- Nam queria guardar segredo por mais alguns dias mas achei melhor contar logo para vocês ... - Jin faz uma pausa dramática, o silêncio toma conta do ambiente e então Jin abre um enorme sorriso.

- Nam me pediu em casamento e eu, ah, eu aceitei - Todos nos entreolhamos e finalmente a ficha cai, Nam e jin irão ...

- QUÊÊ? 


               -Continua-


Notas Finais


Bom, acho que devo essa explicação aos poucos que acompanham a fic hauhs ... O que me levou a por o perfil em hiatus foi por causa dos estudos, então decidi deixar as estórias de lado para me dedicar estudar, visando no meu objetivo de entrar na faculdade.

Mas para nossa alegria, não irei mais deixar de atualizar /o/

E é isso meus bolinhos, nos vemos no próximo capítulo u.u

Bjs do Marck-chin aqui :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...