História Quatro Estações e Doces Haicais - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Haicais, Jeykook, Marck Amino, Namjin, Vhope, Yoonmin
Visualizações 9
Palavras 2.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Magia, Poesias, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem voltou /o/

Hiatus acabou e só irei parar de atualizar quando a fic for finalizada u.u

Deixarei o motivo de eu ter iniciado o hiatus nas notas finais e.e

Sejam bem-vindos e boa leitura :)

Capítulo 6 - Verão - Notícia


Fanfic / Fanfiction Quatro Estações e Doces Haicais - Capítulo 6 - Verão - Notícia

 Sinto uma forte claridade abraçar minha face,  abro os olhos vagarosamente e sorrio ao ver o raio de luz natural invadindo todo o ambiente o melhor de rudo, a silhueta de Jimin no centro da janela, a claridade o faz parecer um anjo que zela pelo meu sono.

- Bom dia flor do dia - O Park se aproxima com uma bandeja em mãos com uma jarra de suco e sanduíches - Não sabia como te acordar então abri a cortina - Diz ao se tar-se ao meu lado colocando a bandeja em meu colo.

- Bom dia - Recebo o toque de seus lábios, ah, seria pedir demais ser acordado assim todos os dias? - Me acha tão frágil quanto uma flor? - Finjo estar ofendido com a comparação.

- A mais frágil não, a mais linda com certeza - Coloca o suco no copo enquanto me posiciono devidamente para comer.

- Assim ficarei mal acostumado - Sorrio ao morder o sanduíche, que está muito bom por sinal.

- Obrigado por cuidar de mim ontem, acordei tão bem, graças a você e suas mãos de fada - Entrega o suco em minha mão bagunça meus cabelos.

- Me chamou de frágil mais uma vez - O olho fazendo um bico nos lábios e tenho um beijo roubado, assanhado.

- Devo te elogiar menos então? - Pergunta mais para si mesmo com a mão no queixo.

- Apenas se atreva ... tenho um sanduíche e não tenho medo de usar - Lanço um olhar ameaçador para ele que não segura o riso.

- Você não assusta nem um coelho - Lhe dou um beliscão pelo comentário e o pequeno pega seu celular que começou a apitar em seu bolso me olhando em seguida - Tem algum compromisso esta noite? - Pergunta o Park.

- Creio que não, algum motivo especial? - pergunto ao terminar meu maravilhoso café da manhã.

- Só queria marcar algo para fazermos junto com a turma, ir ao cinema talvez, ou em uma festa - Explica o Park.

- Acho ótimo, nunca fui à uma festa de verdade ... - Concordo com a ideia, seria legal ir à uma festa com os meninos.

Levanto e trago comigo a bandeja indo em direção à cozinha, lavando a louça e limpando a bagunça que Jimin fez, se ele faz tudo isso para um café da manhã, nem quero imaginar o furacão que cria para fazer um almoço. Ao terminar com tudo, volto para o quarto e procuro por meu celular e assim que o encontro, envio uma mensagem para meus pais avisando que talvez eu durma fora novamente.

Para eles isso é como a glória, sempre falavam em como precisava sair e não me trancar em nosso jardim deixando o resto de lado. Jimin veio para somar, minha vida já era boa mesmo ficando trancado em casa, pois lá tenho tudo o que preciso e é meu ponto de inspiração e sua chegada me fez abrir mais espaço para então, me dar tal liberdade em sair, socializar e claro, me deu uma nova família, os meninos.

Olho para a janela e o sol convidativo me faz ir até ela, a visão daqui é bonita, realmente bonita. O céu limpo com leves camadas brancas, o jeito como o sol ilumina as ruas e o vento que bate fazendo as cortinas se agitarem, as pessoas indo de um lado para o outro, um belo dia para ser apreciado. Por breves segundos me sinto em meu jardim, ouvindo o som dos pássaros cantando e as folhas das árvores balançando, sinto o perfume das flores da estufa de minha mãe, doce e com uma pitada de cheiro de terra molhada.

- Pensando em algo? - Ouço a voz de Jimin e suas mãos rodearam minha cintura, um cheiro doce e suave se mistura ao ar e me viro ficando de frente para o Park fungando seus cabelos, de onde vem o doce perfume.

- Só estava apreciando o dia - Deposito um beijo em sua testa e me dirijo ao banheiro, é incrível como Jimin tem o poder de me contagiar com sua boa áurea, o sorriso formado em meus lábios não quer se desfazer.

Tomo um breve banho e me enrolo na toalha ao sair do banheiro. Jimin está se arrumando em frente ao espelho colocando alguns acessórios como brincos, anéis e pulseiras, realmente combina com sua áurea despojada.

- Ok, para onde pretende me raptar agora? - Pergunto e vejo o seu olhar focar em mim pelo espelho.

- Namjoonlândia - Responde em meio aos risos deixando seus dentes a mostra.

- Adoro o seu sorriso, me lembra o sol, você deveria sorrir sempre - O Abraço pela cintura e beijo sua nuca o fazendo arrepiar-se levemente.

- Por que o sol? - Pergunta tentando se desvencilhar dos meus ataques de carinho.

- Porque é iluminador, algo que precisa ser apreciado - O olho pelo espelho e vejo seu reflexo sorrir até seus olhos fecharem completamente.

- Você e suas palavras bonitas ... - Revira os olhos e agarra meu nariz com dois dedos o apertando levemente - Me solta - Ameaça ao apertar meu nariz.

- Nunca! Prometo jamais soltar você - Ouço sua risada e seus dedos me apertam ainda mais me obrigando a o soltar - Tá bom tá bom - O solto e ponho a mão no nariz que agora está igual uma pimenta malagueta.

Volto para o banheiro para me vestir, saindo apenas para arrumar o cabelo e enfim, estar pronto para sair.

Saímos juntos e caminhamos até o metrô. Após entrarmos no trem e conseguirmos um lugar para sentar, sinto meu celular vibrar e vejo que se trata de uma mensagem de Taehyung.

• Hey mini-hyung, preciso conversar com você.•

O respondo e guardo o celular, percebo mais a frente um casal de idosos sentados de mãos dadas, Jimin me olha como se estivesse se perguntando o mesmo que eu e então seguro em sua mão também e aí percebo um jovem com uma câmera, posso jurar que o vi direcioná-la em nossa direção. Ao chegar em nossa estação, decidimos comprar algo para comer já que Nam e Jin comem por todos nós. Ao entrarmos na conveniência, vejo o mesmo jovem do trem passar com sua câmera pendurada no pescoço.

- Jimin? - O cutuco na cintura chamando sua atenção.

- O que há, criança? - Pergunta ao colocar um pote de iogurte na cesta.

- Aquele garoto do trem que havia falado, o vi passar agora mesmo e parecia procurar algo ... pode ser apenas uma coincidência, mas tenho a impressão de que está nos seguindo - Jimin sorri da minha pequena teoria e pega a cesta de minhas mãos.

- Ele só está passando meu bem, pura coincidência - Sorrio ao vê-lo tentar pegar algo na parte alta da prateleira, vou por trás de seu corpo e pego o que ele tentava alcançar.

- Não lembro de ter pedido sua ajuda, estava quase alcançando - Não seguro o riso ao ver o bico que forma em seu rosto.

- Sei que estava baixinho, sei que estava ... - Bagunço seu cabelo e corro até o caixa ao ver sua cara emburrada.

- Ora baixinho, vou te mostrar o baixinho já já - O ouço resmungar e sinto meu sangue gelar ao sentir sua mão em minha nuca, me viro pronto para pedir clemência e sorrio de nervoso ao perceber que está apenas ajeitando a gola da minha camisa.

- Estava torto - Diz ao abotoar o primeiro botão - Ninguém precisa ver tanto ... - Me seguro para não rir novamente, pagando pela pequena compra e carregando a sacola ao sair da conveniência. 

- Então quer dizer que o sr. Park também está propício a sentir ciúmes - Recebo um beliscão no braço e consigo ver todas as constelações que conheço em volta da minha cabeça.

- Calado, não quero ouvir um a - Diz autoritário ao segurar em minha mão.

- AAA - Grito na rua e sua mão trata de tapar minha boca e abafar minha voz.

- Qual seu nível de maturidade?

- O mesmo do seu - Seu riso atrai alguns olhares curiosos e me pego hipnotizado por seu sorriso e me pergunto o quão sortudo eu sou por ter Jimin ao meu lado.

Ao passarmos em frente à uma pequena loja de artesanato, Jimin pede para darmos uma olhada e assim que entramos, nos deparamos com um senhor com uma expressão fechada e ao nos ver adentrar em sua loja de mãos dadas, seu olhar segue qualquer de nossos movimentos.

Jimin se encanta com os objetos nas prateleiras e parece se deixar hipnotizar pelos bonecos de argila. Observo cada obra trabalhada ali até me aproximar do pequeno balcão onde se encontra o provável dono da loja.

- Bom dia - O cumprimento e para a minha surpresa ele abre um sorriso gentil e acolhedor.

- Bom dia meu jovem - Sua voz rouca denuncia sua idade avançada, já que sua pele camufla muito bem - Gostou de algo? Ou está querendo presentear seu namorado? - Sorrio com sua pergunta, mas ele está certo, devo comprar algo para dar a Jimin.

- Exatamente, só não sei o que comprar pra' ele - Digo em um tom derrotado e o senhor olha para tudo o que há ao seu alcance de visão e parece pensar por um breve momento.

- Tenho algo que com toda certeza ele irá gostar - O vejo sumir no balcão ao se abaixar e voltar com uma caixinha num tom vinho em mãos e observo a caixa após ele a depositar em minha frente - Vai, pode abrir - E assim o faço.

- Uau, que lindo - Admiro atentamente o lindo cordão em minhas mãos, acompanhado de uma pedra circular avermelhada e muito bem trabalhada, envolta por um suporte fino e dourado e ao ver o preço me engasgo com a própria respiração.

- Sinto muito mas não tenho como pagar por isso, não agora ... - devolvo o cordão para a caixa e a fecho em seguida.

- E quem falou em pagar? - Pergunta gentil senhor e fico sem entender nada, apenas o observo embrulhar a caixa e a colocar novamente em minha frente.

- Pegue, é um presente - Encaro o senhor a caixa sem conseguir pensar em nada e ele apenas começa a rir do meu espanto.

- Meu jovem, sei perceber quando há um casal cujo um é perfeito para o outro e no momento em que vocês passaram por essa porta senti algo tão bom emanando de vocês que então me dei a liberdade de lhe dar esse presente - Fico apenas com um sorriso de orelha a orelha ao ouvir isso vindo da boca de um ... estranho.

- Mu-muito obrigado, iremos cuidar muito bem do presente - O agradeço e ao ouvirmos os passos de um possível baixinho se aproximando, guardo o embrulho para que não veja - A propósito, qual o seu nome? - Pergunto e o senhor me dá um cartão da loja.

- Só me prometa uma coisa - O olho com toda a atenção do mundo enquanto Jimin apenas nos observa - Cuide muito bem de quem está ao seu lado - Seguro a mão de Jimin novamente e o mesmo fica sem entender nada.

- Eu prometo, irei cuidar muito bem dele - Beijo a costa da mão de Jimin que sorri, um sorriso que denuncia que está boiando sobre o que está acontecendo, mas que está amando receber tal mimo.

Passa como se fosse

Um rastro de perfume raro,

Inalo, aspiro e respiro num total desgarro.

A perfeita simetria

Desenhada em seu corpo, na alma

Tudo me sacia.

A direção, a indução,

A imaginação, a realidade demasiada ...

... ao seu lado, tudo se torna uma linda fantasia.

- Foi um prazer, Yoongi - Paraliso ao ouvir meu nome ser pronunciado, como ele sabe meu nome? Deixo isso pra outra hora ao o ver piscar.

- Foi um prazer, vovô - O reverenciamos antes de sair da loja, Jimin não dosa as perguntas sobre como o senhor sabia meu nome ... e sobre isso, também quero saber. Após andar por duas quadras a mais, finalmente chegamos na casa do Nam, que é muito bonita por sinal. Jimin aperta a campainha e logo a porta é aberta por TaeTae.

- Ainda bem que chegaram, Nam e Jin tem algo para falar mas só estão esperando vocês para falarem - Tae nos puxa abruptamente pela porta e nos arrasta casa a dentro.

Ao chegar na sala vejo que já estão todos lá, Hope, Kook, Nam e Jin. Cumprimento todos e sento com Jimin ao meu lado, porém Tae se joga em nosso meio nos separando, uma criança mesmo.

- Já estamos todos aqui então VÊ SE TRATA DE FALAR LOGO ANTES QUE EU TENHA UM ATAQUE DO CORAÇÃO - Hope berra espantando até mesmo Tae, mas também estamos todos curiosos.

- Tudo bem, vamos dizer ... melhor, Jin irá dizer - Nam é o primeiro a se pronunciar enquanto Jin continua com um semblante sério. 

- Tá legal, nem eu estou aguentando toda essa tenção - Kook parece já estar impaciente assim como Hope. 

Jin se levanta acompanhado de Nam, ambos de mãos dadas e ainda com o semblante fechado, sinceramente estou preocupado, apesar de estar sentindo uma áurea adorável vindo dos dois.

- Nam queria guardar segredo por mais alguns dias mas achei melhor contar logo para vocês ... - Jin faz uma pausa dramática, o silêncio toma conta do ambiente e então Jin abre um enorme sorriso.

- Nam me pediu em casamento e eu, ah, eu aceitei - Todos nos entreolhamos e finalmente a ficha cai, Nam e jin irão ...

- QUÊÊ? 


               -Continua-


Notas Finais


Bom, acho que devo essa explicação aos poucos que acompanham a fic hauhs ... O que me levou a por o perfil em hiatus foi por causa dos estudos, então decidi deixar as estórias de lado para me dedicar a estudar, visando no meu objetivo de entrar na faculdade.

Mas para nossa alegria, não irei deixar de atualizar, vai demorar? Sim!
Mas que vai chegar, isso é certo /o/

E é isso meus bolinhos, nos veremos no próximo capítulo u.u

Bjs do Marck-chin aqui :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...