1. Spirit Fanfics >
  2. Que chefe, meus amigos! (Imagine) >
  3. One Shot!

História Que chefe, meus amigos! (Imagine) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Gente! Estou postando essa one shot do Namjoon. Minha primeira e, também, meu primeiro hot! (Kkkkkkkk' rindo de nervoso).
Espero que gostem e Boa leitura!

Capítulo 1 - One Shot!


Fanfic / Fanfiction Que chefe, meus amigos! (Imagine) - Capítulo 1 - One Shot!


-S/n! Entre! – Ouvi a Voz de meu chefe, por dentre da sua sala. O mesmo havia me chamado para fazer o fechamento das finanças do mês.


Eu trajava uma roupa simples. Calça social preta e uma blusa social branca. Estava com o meu crachá de identificação pendurado em meu pescoço. Meus cabelos longos cacheados estavam presos, num rabo de cavalo alto, e eu usava uma maquiagem bem básica.


E ele? Ele estava com o seu clássico, mas irresistível, terno. Calça social preta, blusa branca, paletó e uma gravata vermelha. Magnífico, como sempre!


Entrei e sentei-me na cadeira à sua frente, entregando-lhe uma pasta preta, com os papéis referentes ao tal fechamento.


Vi o maior olhar, atentamente, cada letrinha daqueles papéis, e isso estava me deixando nervosa. Ao mesmo tempo, que me permiti observar suas ações. Adorava ver aquele homem concentrado.


-Tudo certo Sr. Kim? – Perguntei, assim que o vi fechar a pasta.

-Perfeito, como sempre, S/n!

-Mais alguma coisa?

-Sim! – Ele me olhou sério. Aquilo me assustou.

-O-oque foi Sr. Kim? E-Eu fiz algo de errado?

-Sim! Como você consegue?

-O que?

-Ser tão má!

-Má? Não entendi!

-Sim! Má! – Aonde ele estava querendo chegar com essa conversa? – Todos os dias, S/n! Eu não aguento mais!

-Senhor! Aonde quer chegar? – Ele se levantou e caminhou, lentamente, até ficar atrás de mim. Senti um frio na barriga e meu íntimo contrair. Esse homem me mata!

-Você passando por mim, com essas roupas apertadas, realçando suas curvas maravilhosas! – Senti suas mãos pousarem sobre meus ombros, tensos com a situação, e levar seus lábios carnudos, rentes ao meu ouvido. - Me faz querer te foder bem gostoso, aqui nessa mesa! – Suas uúltimas palavras saíram como um sussurro. E, se eu não estava antes, com certeza, estava molhada agora.


Namjoon me levantou e pôs-me à sua frente, passando suas mãos em volta de minha cintura, me puxando para si, com força, fazendo nossos corpos se chocarem com brutalidade.


Suas mãos, agora, desceram até minha bunda, que logo foi, muito bem acariciada. Me fazendo arfar. Vi o maior rir de minha situação.


-Namjoon… - Falei de um jeito manhoso. Estava necessitada! – Não sabe, há quanto tempo, eu desejo você!

-Você me deseja, S/n? – Ele, ainda estava com aquele sorriso estampado em seu rosto. – Pois se prepare. Porque, hoje, você será minha!

.

.

.

.

.

.

.

Ttrrrrrrrrrrrr!

.

.

.

.

Ouço o barulho do despertador tocar. Indicando minha hora de acordar para o trabalho.


-Não acredito que sonhei com ele de novo! Vou enlouquecer nessa situação!


Sentei na cama e passei as mãos sobre meus cabelos. Estava suada e ofegante. Notei, também, que estava chorando e não disse por onde.


•••


Bom! Me chamo S/n e tenho 22 anos.


Quero contextualizar vocês sobre a minha triste situação.


Eu moro na Coreia há 4 anos, quando vim para tentar ter uma vida melhor em um país que sempre quis conhecer. Sair do Brasil sempre foi minha grande ambição. E eu consegui.


Assim que me mudei, comecei a trabalhar na My Space. Sou secretaria do ser humano mais gostoso da face da terra...


Kim Namjoon!


Aquele cabelo platinado, aquele olhar penetrante, o jeito como ele fica quando está cansado do trabalho, com aquele corpo maravilhoso escorado em sua cadeira aconchegante de couro fino, com seu terno extremamente sexy e sua gravata afrouxada. E nem preciso dizer nada sobre aquele sorriso maravilhoso. Que confesso, ter visto poucas vezes. Mas essas poucas vezes, foram o suficiente pra fazer eu me satisfazer ,à noite, com meus dedos, me imaginando quicar naquele pedaço de mal caminho.


Nesse momento, eu estava passando pela entrada do meu prédio, indo de encontro ao uber, que havia chamado, assim que acabei de me arrumar. 


Eu vestia uma blusa social branca, com uma saia rodada de camurça preta, que ficava uns três dedos acima do joelho, uma mochila rosa pastel, com um chaveiro de coruja marrom, bem felpudo e meus saltos, também, pretos. Estava com os cabelos soltos, com uma finalização mais voltada para a definição, fazendo meus cachos ficarem bem fechadinhos e perfeitos, como eu gosto.


Minha maquiagem era simples. Um delineador de gatinho preto, uma base, corretivo, pó, blush e , por último, mas não menos importante, um batom vermelho. Bem vermelho mesmo, Matte.


-Bom dia, Sr. Lee! – Disse, para o porteiro, assim que passei por ele, logo entrando no carro.

-Bom dia, Srta. S/s! – O mesmo acenou para mim, com um sorriso simpático. Retribui.


•••


Abri a porta do carro, saindo do mesmo e olhando para o enorme prédio, aonde eu trabalhava. Já me preparando para o dia cheio de trabalho.


Abri minha mochila e peguei meu crachá, o colocando em volta de meu pescoço, enquanto adentrava o prédio, batendo meu ponto. Cumprimentei o recepcionista, bem simpático, por sinal, pegando a chave de minha sala e fui direto ao elevador. Que não tardou a chegar.


Meu andar era o 12°, o último. Trabalhava em uma sala ao lado do meu chefe.


Entrei no elevador, apertando o botão do meu andar de destino.


Sai, quando a porta se abriu e logo fui de encontro à sala de meu chefe, para avisar sobre minha chegada e perguntar-lhe se não precisava de algo.


-Entre! – Ouvi, logo após bater na porta.

-Bom dia Sr. Kim! Vim anunciar minha chegada. O senhor está precisando de algo? – Falei bem simpática, com um sorriso no rosto.

-Não, S/n! Apenas o de sempre. Revisão diária dos meu compromissos e um café com açúcar, por favor! – Assinando papéis ele estava, e assinando os papéis ficou. Nem sequer olhou na minha cara e, muito menos, respondeu ao meu bom dia.


Essa era a triste realidade, sobre a qual eu falei pra vocês antes. Sonho todas as noites com ele, uma paixão unilateral. E ele? Nem me olha!


-Sim Sr. Kim! Volto em um instante.


Guardei a mochila em minha sala, peguei minha agenda com os compromissos do Sr. Kim e desci até o refeitório da empresa, pegando, assim, um café com duas colheres de chá de açúcar, como meu chefe gosta.


Subi, e voltei para a sua sala e, dessa vez, o maior parou para me olhar, enquanto eu citava seus compromisso para o dia de hoje.


•••


-Ah! E não se esqueça do aniversário da sua irmã mais nova. Sua mãe me pediu para que te lembrasse, senhor!

-Obrigada, S/n! – Ele estava escorado em sua cadeira, com seu braço direito apoiado no braço da mesma.

-Mas alguma coisa, Senhor?

-Sim! – Neste exato momento, essa situação me lembrou do sonho que tive esta noite, com ele. Tremi na base, minhas queridas. tremi bonito!

-O-oque? – Droga de voz, que decidiu falhar agora.

-Ligue para o Sr. Choi e remarque a reunião de hoje, para semana que vem. – Porra, Namjoon! Não acredito que tremi à toa!

-Sim, Senhor! – Minhas pernas estavam bambas e eu poderia cair se me mexesse. Eu estava em pé na porta. E já me virava para sair do local.

-Ah! S/n! – Vi meu chefe tossir e desviar o seu olhar, que antes estava sobre os meus…seios? O olhei, confusa. - Sua…sua…blusa… – Ele olhou novamente, e apontou para minha blusa. 


NAO ACREDITO!!


Três botões da minha blusa estavam abertos, deixando meu sutiã rendado, preto, levemente à mostra.


Não sabia aonde enfiar minha cara. Que vergonha, meu deus!


-Me desculpe, Senhor!


Coloquei as mãos sobre meu colo, fechando a blusa e sai correndo até minha sala. Fechando-a e me apoiando sobre a porta.


Abotoei a mesma e passei o dorso da mão esquerda sobre minha testa suada.


-Acho melhor eu trabalhar! – Suspirei e me sentei na cadeira.


•••


Olhei no relógio do computador e vi que já eram 18:55.


Comecei a finalizar minhas tarefas. E nem notei que uma chuva forte começou a cair. Desliguei o computador e olhei para a janela.


-Droga de chuva!


Recebi uma mensagem no WhatsApp. Era meu melhor amigo, Matheus. Ele veio para a Coreia comigo, mas seu sonho era ser desenhista. Então, ele conseguiu um emprego para ser animador de mangá de uma empresa aqui de Seoul.


//Mensagem On//

Matheus: Maluca! Já saiu do trabalho?

S/n: Ainda não! Mas já estou saindo.

Matheus: Me espera, então, que eu to chegando!

Bora comer besteira e beber soju na minha casa. Amanhã te levo pro trampo.

S/n: Caralho, Matheus! Era tudo o que eu precisava agora! Tô te esperando na entrada do prédio.

Matheus: Blzinha!

//Mensagem Off//


Dei um leve sorriso enquanto trancava a porta da minha sala e chamava o elevador.


Ouvi Namjoon sair de sua sala e repetir meu ato.


Merda!


Ele, agora, estava ao meu lado, esperando o elevador. E eu estava mais vermelha que um pimentão. Não conseguia nem olhar para o maior.


-Já estava indo embora sem me avisar, S/n? – Filho da puta! O que esse homem quer, Jesus?! Me destruir?

-Ah! D-d-desculpe, Sr. Kim! – Abaixei minha cabeça.

-Está tudo bem, S/n! Relaxa! – Sorriu. – S/n! – Ainda estava de cabeça baixa. – Olha pra mim! – Ele pediu é assim, o fiz. – Não te disse, mas, você está muito bonita hoje!


Ouvir tais palavras me fizeram travar. Tanto que o elevador chegou e eu nem me mexi. Namjoon entrou e segurou a porta.


-Você vai ficar aí? – O maior me olhou confuso. E eu, rapidamente, voltei a realidade e entrei no elevador. Ficando ao lado de meu chefe. – Está tudo bem? Você parece distraída hoje, S/n!

-Ah, Sr kim! Eu estou bem! – Meu nervosismo era visível de Júpiter! Eu só queria me enfiar em um buraco e sumir. – Desculpe se minha distração atrapalhou meu desempenho hoje!

-Pare de se desculpar, S/n… - Namjoon foi interrompido pelo som de notificação do meu celular. Abri o aplicativo e era Matheus, avisando que já havia chegado. – Namorado? – podia jurar que meu chefe parecia bem interessado. Mas acho que já estou delirando, com essa minha paixonite e isso é coisa mesmo, da minha cabeça.

-Como se eu tivesse, Senhor! – Dei um leve sorriso nasal e virei meu rosto para o lado oposto de meu chefe. – Na verdade, eu nunca tive.

-Nunca namorou? – Ele eestava surpreso com minhas palavras. E eu voltei meu olhar para o mesmo.

-Me envolvi com alguns caras no passado, mas nunca tive um relacionamento sério com nenhum deles.


A porta do elevador se abriu.


- Bom, Sr. Kim! Até amanhã!

- Até amanhã! - Vi o mesmo acenar e sorrir para mim. AI MEU CORAÇÃO!


Fui direto à entrada do prédio. Mas antes, passei na recepção para devolver a chave da minha sala.


-S/n! Como você está, pequena? - Matheus me abraça, assim que eu saio do prédio.


Eu estou ótima! E como está sendo no seu emprego como animador?

-Um sonho, amiga!


Ele me abraça. E, como sempre fazermos, ele segura minha cintura, com uma de suas mãos, e me leva até o lado do passageiro, de seu carro, abrindo, assim, a porta, para que eu entrasse. Logo em seguida, ele entra e senta no banco do motorista.


Assim que entro e coloco minha mochila em meu colo, percebo que meu chaveiro de coruja não estava mais nela. Deve ter caído na minha sala.


•••


Chegamos na casa de Matheus e eu, logo fui tomar banho, trocando de roupa. Eu levava duas mudas de roupa na mochila, em caso de emergência. Uma para o trabalho e outra mais confortável, para dormir.


Passamos a noite bebendo, comendo e contando sobre nossas vidas. E eu o atualizei sobre o meu amor unilateral pelo meu chefe.


•••


Eu estava arrumada saindo do carro de Matheus, em frente ao meu trabalho. Estava uns 20 minutos adiantada, para o meu expediente.


E hoje, eu estava com um vestido colado amarelo, curto, de alcinha e os mesmos saltos de ontem, assim como minha maquiagem e meu cabelo.


Matheus saiu do carro e me abraçou.


-Tchau, pequena!

-Tchau, friend!


Repeti toda a minha rotina de trabalho.


Acabo de revisar os compromissos do dia, do meu chefe. Ele parecia mais estressado do que nunca. O que será que aconteceu com ele?


-O senhor está bem? – Pergunto, preocupada.

-Estou ótimo! – Seu tom de voz era bem seco. E ele, como de costume, nem se deu ao trabalho de parar de assinar seus papéis e olhar para mim. Nem mesmo quando eu revisei seus compromissos de hoje.


Se é assim que vai me tratar. Então é assim que vai ser, daqui pra frente!


-Se precisar de mim, sabe aonde me encontrar, Senhor!


Fui direto para minha sala.


•••


Hoje Namjoon quase não falou comigo. Até para as coisas necessárias, ele estava se esquivando. Parecia estar fugindo de mim.


Suspirei pesado e me escorei em minha cadeira, enquanto esperava meu computador desligar. O dia foi cansativo, e ter que resolver tudo sozinha, sem Namjoon me dar atenção, fez tudo ficar ainda mias difícil.


Peguei minhas coisas, e quando ia fechar minha sala, recebo um telefonema do meu chefe, me pedindo para ir até a sua sala.

"O que será que ele quer agora?"


Tranquei minha sala e fui de encontro a dele. Bati na porta.


-Entre! – Obedeci.

-Sim, senhor! – Estava de pé, à sua frente. E ele estava naquela clássica posição. Escorado em sua cadeira.

-Como foi o andamento hoje?

-Foi bem tranquilo…


Me sentei na cadeira á sua frente e, assim, fui explicando sobre todo o andamento da empresa durante o dia.


-Otimo, S/n!

-Mas alguma coisa, Senhor?


Namjoon se levantou, colocando suas mãos no bolso de sua calça social. Vi o mesmo retirar algo de seu lá. E colocá-lo em cima da mesa.


-Você deixou cair, ontem. - Era o meu chaveiro da sorte. Como ele achou?

- Ah! Obrigada! - Peguei o mesmo, guardando em minha mochila.

-S/n! Você me disse que não tinha namorado. – Seu semblante era sério.

-E não tenho! – Ouvi o maior suspirar, irritado.

-Então, pode me dizer quem era aquele cara que estava com você ontem? – Seu tom de voz era seco. E ele olhava para a janela.

-Cara? Que cara? – Ele olhou, no fundo dos meus olhos e pude sentir meu estômago revirar. Eu devo estar delirando mesmo, meu chefe com ciúmes. É isso? – Ah! O Matheus? – Provoquei. Precisava saber qual era a dele!

-Não me interesso em saber o nome. - seus olhos passaram por mim, rapidamente, e voltaram para a janela.

-E por que se interessa pela minha vida pessoal? – Nesse momento eu me levantei e olhei bem para ele.

-Porque não gostei de te ver com outro, S/n! – Ele desvia o olhar e eu chego para frente, apoiando meus braços na mesa.

- E, por quê? – Arqueei uma sobrancelha. - O senhor é meu chefe. Não deve se meter nos meus assuntos particulares!

- Porque…- Ouvi um longo suspiro do meu chefe, que caminhou até ficar atrás de mim. Ele passou seus braços em volta de minha cintura, me virando para si. E só,  esse simples toque, foi suficiente para me fazer sentir um frio na barriga. – Eu gosto de você!


O que? Como assim, subúrbio! Meu chefe gosta de mim?! Isso é um sonho, não é possível!


Eu queria gritar de emoção. Mas eu só conseguia ficar parada.


-Chefe! – Ele volta sua atenção para mim. – Desde quando?

-Acho que… desde que você entrou aqui. – Ele sorriu, meio sem jeito. Eu também estava nervosa.

-Respondendo a sua pergunta. “Aquele Cara" -Gesticulo as aspas com as mãos. – É meu melhor amigo. Nunca tivemos nada.

-Sabe, S/n! Desde que que você entrou nesta empresa, eu sinto uma vontade enorme de te foder aqui, em cima dessa mesa! – Sussurou, rente ao meu ouvido. E sim, meus amigos, eu fiquei toda molhada!

-Sr. Kim…

- Pra você, é Namjoon. - Ele me puxa com brutalidade, fazendo nosso corpos se chocaram com força! – Quero ouvir você gemendo meu nome, bem alto! – Arfei.


Namjoon acabou com o espaço que havia entre nós, começando um beijo necessitado e nem um pouco calmo. Suas mãos passeavam por todo meu corpo, lentamente. Apreciando cada detalhe do mesmo. E eu estava com uma mão em sua nuca, acariciando seus cabelos e a outra mão, apertava seu braço.


Meu chefe, então, segurou em minhas coxas, me erguendo. E eu entrelaço minhas pernas em volta de sua cintura, sem quebrar o beijo, que permanecia afoito. Ele me prensa na parede e, em seguida, aperta minha bunda, com suas mãos, enormes. Arfei, por entre o beijo.


Estava louca de tesão por aquele homem. Não via a hora de sentar naquela piroca. Então, tratei de tirar seu paletó e afrouxar sua gravata. O maior entendeu o recado e me ajudou a tirar sua blusa. E eu pude admirar aquele corpo divino!


A falta de ar se fez presente, nos fazendo parar o beijo. Namjoon não perdeu tempo, me colocando sentada na sua mesa e jogando os papéis, que antes estavam lá, no chão. Ele, então, começa a beijar meu pescoço e levantou meu vestido. Assim que percebo, me inclino, para que o mesmo tenha mais facilidade em tirá-lo. Não demorou muito, para ele tomar o mesmo destino de sua blusa. O maior parou alguns instantes para observar meu corpo, com uma lingerie de renda, preta.


-Nossa! Isso tudo é pra mim? –  Ele lança um sorriso safado. Sua voz baixa e rouca, fazia meu interior implorar por ele.


Puxei o Maior e voltei a beijá-lo. Fazendo nossas intimidades se chocarem, por baixo de nossas roupas. As mãos dele passaram a acariciar meus seios, por cima do sutiã. Eu estava tentando conter meus gemidos, que insistiam em quere sair.


-Nao, linda! Não tente segurá-los. – Naomjoon sussurrava, enquanto olhava, fixamente para mim e abria o feicho do meu sutiã. Deslizando as alças por meus braços e o jogando no chão. - Quero ouví-los!


Seus toques, agora, eram direto em minha pele macia. Pendi minha cabeça para trás e gemi baixo, quando senti a boca do maior tocar em meus seios, brincando com os mesmos. Ele alterava entre suas mãos e sua boca. E eu passeava, com minhas mãos, por suas costas nuas, deixando alguns arranhões pelo caminho. Aquilo era maravilhoso!


Namjoon parou com seus movimentos e segurou em minhas coxas, com força, me puxando para mais perto. Fazendo nossas intimidades, novamente, se chocaram. Nós dois gememos, assim que comecei a movimentar meus quadris, rebolando sobre seu membro.


-Não me provoque, garota! – Ele fala, passando sua mão direita na minha nuca, dando um leve puxão em meus cabelos. Gemi, em resposta.


Passei minhas mãos por todo o seu tronco, até chegar a barra de sua calça. Abri a mesma e apertei seu mebro, por baixo de sua cueca box preta.


-Ahh, S/n… - Gemeu em resposta ao meu toque.


Tirei sua cueca e empurrei, com cuidado, o maior, fazendo-o sentar na cadeira que havia atrás dele. Desço da mesa e me ajoelho na sua frente. Ficando cara-a-cara com seu membro, já duro Ele parecia tão ansioso quanto eu, nesta situação.


-Vou cuidar muito bem do seu amiguinho! - Ouvi o maior suspirar.


Segurei, delicadamente, em sua base, com minha mão direita, fazendo movimentos lentos, para cima e para baixo. Aumentei a velocidade9 logo, o abocanhei. Fazendo meu chefe soltar um gemido mais alto e arrastado.


Assim que olhei, fixamente, nos olhos de Namjoon, enquanto chupava seu membro delicioso, vi o maior pender a cabeça para trás e fechar os olhos, enquanto soltava mais um gemido. Aquela visão era maravilhosa! Namjoon, com seus olhos fechados e sua boca entreaberta. Sua respiração descompassada, só me instigava a ir mais rápido.


Com uma de suas mãos Namjoon fez um rabo de cavalo desajeitado em meus cabelos, ditando meus movimentos e aumentando a velocidade, me fazendo engolir todo o seu membro. Literalmente, fodendo minha boquinha.


-Sua boca é maravilhosa. Mas agora, está na minha vez de brincar!


Meu chefe parou os movimentos, me fazendo sentar, novamente, na mesa, após tirar minha calcinha, me deixando completamente nua. Sua mão direita foi de encontro a minha intimidade e seus dedos começaram a massagear o local.


Senti dois dedos penetratem minha entrada, me fazendo soltar um gemido manhoso e arranhar os braços do maior. Seus movimentos eram lentos. Ele estava me provocando. Não acredito!


- Namjoon… - Minha voz saiu como um gemido. E eu rebolava contra seus dedos.

-O que você quer, gatinha? – Ele aproximou seu rosto de meu ouvido E sua voz saiu baixa. Me fazendo apertar seus dedos.

-Quero sentir sua boca me chupando, bem gostoso! – Corei e vi o maior sorrir de um jeito provocativo.

-Então pede “por favor!” – Ele quer me ver implorar.

-Nam…por favor…

-Por favor, o que? – Ele acelerou os movimentos, com os dedos, me fazendo soltar, mais um, gemido.

-Me chupe, Namjoon… - Entrelacei meus braços em volta de seu pescoço e dei-lhe um beijo afoito. – Por favor!

-Claro! – Aquele sorrisinho não saía de seu rosto, o que me deixava mais excitada. Cada ação desse homem me enlouquecia.


Ele, então, pôs-se cara-a-cara com minha intimidade encharcada. Senti o calor de seu corpo e arrepiei com a sensação. Meu chefe começa, dando um beijo no local e apoiando suas mãos sobre minhas coxas. Enfim, ele começou seu magnífico trabalho. Chupando meu clitóris com vontade.


Segurei em seus cabelos, com as duas mãos, à procura de mais contato. Estava quase chegando em meu ápice. Não aguentando mais, quando senti os dedos do maior me penetratem, novamente. Me desmanchei nos mesmos e Namjoon os chupo, sentindo meu gosto.


- Ah, querida. Você é tão gostosa! – Ele acariciou meu rosto, jogando meu cabelo para o lado, expondo meu pescoço e deixando um chupão no local. - Levante-se. - Seu tom de voz era autoritário.


Obedeci meu querido chefe, que me virou de costas e me debruçou sobre a mesa. Tratei de empinar bem minha bunda, me expondo para ele.


Virei meu rosto para observar Namjoon, que colocava seu preservativo, logo, vindo em minha direção. Pincelando seu membro em minha entrada.


Sinto seu membro entrar com tudo, sem dó! Gememos.


Seus movimentos começaram lentos, mas, logo,  se intensificaram, ganhando mais velocidade.


O som de nossos corpos se chocando era gostoso de se ouvir. Eu gemia o nome de Namjoon, loucamente. Enquanto o maior gemia e citava palavras sujas. E hora ou outra, eu rebolava sobre seu membro.


Senti um tapa, forte, ser desferido em minha bunda. Gemi em resposta. Estava amando tudo isso!


-Você gosta, neh, safada?! – Ele deu outro tapa. – Gosta de apanhar? - segurou em meus cabelos, continuando as estocadas.


Paramos, e Namjoon sentou na cadeira, me colocando em seu colo. Desci, lentamente, por toda extensão de seu mastro. Meu chefinho segurou em minha cintura, me ajudando nos movimentos que comecei a fazer.


E meu sonho foi realizado. Com minhas mãos apoiadas em seus ombros, eu quicava naquela piroca com vontade!


Senti meu limite se aproximar e minha buceta começou a apertar o “amigão” do Nam. Fazendo nosso ápice chegar ao mesmo tempo.


☆ Gozamos! ☆


Encostei minha cabeça em seu ombro. Estávamos ofegante e suados, tentando controlar nossa respiração.


- Isso foi incrível! – Meu chefe disse, enquanto acariciava meus cabelos.

-Foi sim! – Sorri. Não acredito que acabei de tramsar com meu chefe.

-S/n! – O olhei. – Eu falei sério, quando disse que gosto de você.

-E eu sempre gostei de você! - Ele me beija de um jeito doce. Mas nos separamos pela falta de ar.

-Quero que vá para minha casa hoje! – Ele me olha.

- Por quê? – Até parece, que eu já não sei, não é mesmo?!

- Como, por quê? Não se faça de inocente! – Olhei para o mesmo com uma cara de sonsa. – Quero um segundo round!




Notas Finais


Então, e isso. Meus amores!
Desculpe qualquer erro.
Pensei em fazer um bônus com a visão de Namjoon. Mas não sei se ficaria legal.
Se quiserem outro imagine com outro membro me avisem.
Beijos da tia Kim! ❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...