1. Spirit Fanfics >
  2. Que tipo de máscara você usava? >
  3. Capítulo Único: Que máscara você usava?

História Que tipo de máscara você usava? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bem, todos nós temos problemas, conflitos e traumas próprios. Não finja uma máscara, se liberte e peço ajuda, a pessoas que te ama e que fariam de tudo para ajudá-la (o).

Não sofra sozinho, a pessoa do seu lado também sofre e tem problemas como você.

Capítulo 1 - Capítulo Único: Que máscara você usava?


Fanfic / Fanfiction Que tipo de máscara você usava? - Capítulo 1 - Capítulo Único: Que máscara você usava?

Eu quero gritar, gritar, gritar.

Gritar o mais alto que eu puder, eu quero me libertar.

Eu quero libertar minha voz, eu quero libertar minha alma.

Eu quero libertar meus pensamentos, libertar minhas emoções, eu quero dizer o que tem que ser dito. Mas sinto que nada consigo, as pessoas me prendem, me impedem, me controlam, eu não tenho o controle de nada.

Eu queria pedir socorro, mas simplesmente não consigo dizer, meus pensamentos me atormentam quase todos os dias, tenho inimigos em minha cabeça e cada dia que passa, um por um me esfaqueia.

Sinto meu sangue ferver, meu corpo queimar, meu coração saltitar e meus olhos revirar. Eu sinto angústia, sinto meu peito doer e meus olhos lacrimejarem. Sou uma menina, garota, mulher frágil. Sou alguém reprimida, sozinha e ignorada, e ninguém parece simplesmente perceber, estou morrendo aos poucos, já sinto a solidão invadir meu corpo. A tristeza aos poucos se torna minha amiga, ela foi minha única campainha  durante todos esses anos de guerra. Sinto medo desse mundo, somente as pessoas más vivem nele, os bons morrem aos poucos. Travo uma guerra comigo mesmo, estou perdendo, mas eu não quero morrer, quero sobrevir, quero lutar, quero ter o meu lugar, eu quero existir, eu quero ser eu mesma. Eu quero...

- O que você tanto escreve aí? - pergunta Jungkook, meu único e melhor amigo, seus olhos escuros focavam em meu caderno em minhas mãos.

- Meus pensamentos. - digo, enquanto guardava meu caderno de volta na mochila. Não querendo dar brecha nenhuma.

- Que tipo de pensamentos? - ele ergue a sombrancelha para cima, me encarando fixamente com aquele sorriso sapeca nos lábios.

- Sobre mim, pensamentos de garota, Jungkook. - eu não era de mentir para meu amigo, odiava não dizer o que eu realmente sentia, mas eu não queria o preocupar. Ele era a pessoa que eu mais amava, e eu não suportaria a idéia de seu olhar se transformar em pena. - Não se preocupe bobinho. - dou um selinho rápido em sua bochecha e rapidamente vejo seu rosto ganhar um coloração avermelhada, tão fofo.

- P-por que fez isso? - ele diz tocando suas bochechas, parecia uma criança, tão inocente.

- Não gostou? - ergo a sombrancelha, Jungkook facilmente ficava tímido, sempre tão quieto, um menino dócil e gentil. Eu tinha muita sorte de tê-lo como meu amigo.

- S-sim, você podia fazer isso mais vezes. - fico surpresa pela sua ousadia, mas feliz em ouvi-lo dizer. Sei muito bem dos sentimentos do mais novo, sei que ele nutri um sentimento por mim desde o sétimo ano, exatamente quando nos conhecemos. Mas eu jamais poderia corresponde-lo de volta, eu sentia que eu nunca seria o suficiente, eu não merecia tê-lo e eu não queria lhe perder comigo.

- Bobo. - sorrio carinhosamente, adorava a forma de como Jungkook aquecia meu coração mesmo com pequenos gestos e ações. Jungkook era o meu conforto e minha tranquilidade.

- Eu um dia quero me casar com você! - o mais novo dizia contente, com um sorriso grande no rosto. Ouvir aquelas palavras me doíam mais que tudo, por que você imaginaria um vida comigo? O que você vê em mim, Jungkook? Não sou nada além de alguém cheios de problemas e dramas profundos.

- Temos apenas quinze anos, não diga besteiras. - as vezes o mais novo tinhas pensamentos tão estranhos.

- Eu sei, quando formos adultos, quero me casar com você. - ele agarra as minhas mãos e juntas com as suas, sempre tão quentes e grandes. Ele me encarava fixamente com um sorriso tímido no rosto. Quando foi que você se tornou tão ousado?

- Não diga besteiras. - retiro minhas mãos das suas. - Por que isso de repente? O que se passa pela sua cabeça Jungkook? - pergunto calmamente.

- Não é de repente, e não é besteira. Eu gosto de você, você sabe disso. - Vejo uma expressão de incômodo em seu rosto, você dizia com tanta facilidade. Queria ter sua coragem.

- Gosto, gosto como meu amigo, não pense em coisas impossíveis comigo. - não queria machucar-lo, e nem a mim mesma.

- Nada é impossível, se for pela pessoa que amo. - tão persiste.

- Ama? - lhe encaro seriamente, me ama? Como você podem amar alguém como eu?

Eu também te amo.

- S-sim, amo. Você não? - para por favor, para.

- Se dizer que sim você esqueceria essa assunto?

- Se você falasse que sim, eu jamais poderia esquecer esse assunto.

- O que você quer de mim menino perfeito?

- Eu estou longe de ser perfeito, Katherine. Sou alguém tão cheio de problemas que você também não poderia imaginar.

- Vamos Jungkook, a aula já irá começar.

•••

Se eu soubesse o peso de minhas palavras naquela época, daria de tudo para mudar. Eu apenas pensava em mim mesma, e na desgraça da minha vida, se eu tivesse olhando pela menos um pouco para você, teria percebido o quanto você sofria em silêncio. Quantos sorrisos você me deu e quantas lágrimas você me escondeu? Me perdoe por tê-lo magoado, acho que fui egoísta também.

Você sofria tanto quanto eu, e mesmo assim você ainda coloca um sorriso no rosto, você simplesmente era um falso mesmo, fingia esse tempo todo uma felicidade que não existia. Se você ao menos tivesse me contando, eu poderia estar ao seu lado. Você mentiu, e isso é imperdoável, eu não suportava a idéia das pessoas fingirem o que elas não sentiam, e você sabia disso. Lágrimas saiam de meus olhos e as lembranças voltavam quase que instantaneamente. Mas afinal, quem era eu para dizer isso,  eu estaria sendo hipócrita demais. Eu também guardava e fingia quase o tempo todo, apenas para que você não me olhasse com aquele olhar de pena. Acho que, ambos fingiam um para outro, fingido um sorriso que não existia.

Eu queria dizer que finalmente me libertei daquele mal, queria dizer que minha alma estava mais leve, queria dizer que eu finalmente pude gritar e chorar para o mundo, queria dizer que finalmente eu tinha me sentido livre. Meus gritos foram ouvidos depois de tantos anos, eu consegui me libertar daquele homem, daquele homem que só me fazia mal e dor. Eu me libertei dele, eu me libertei, ele nunca mais ira me tocar, nunca mais. Acho que você ficaria feliz, você sempre notou, você sempre percebeu o jeito que ele me olhava, eu só queria que meus pais tivessem percebido mais cedo, isso poderia ter evitado o sofrimento que até hoje eles sentem, como eles iriam perceber? Aquele homem quer dizia ser uma pessoa boa, se revelou um lobo em pele de cordeiro.

Você estaria me abraçando e dizendo que estaria tudo bem, que nunca iria sair de meu lado e que para sempre estaria comigo. Hoje eu me pergunto se todas aquelas palavras era da boca pra fora ou simplesmente um momento de fraqueza seu. Eu choro novamente, meus olhos doíam e meu peito se apertava. Eu sentia aquele dor novamente que há muito tempo eu não sentia, o peso da minha alma.

Que tipo de máscara você usava? Você usava para se esconder de mim? Usava para esconder além de seus sentimentos? Me diga, me diga!

Eu sinto sua falta, eu sinto tanto que me doí.

No final, nos dois usávamos máscaras.

Sim, eu aceito casar com você.


Notas Finais


Tchauzinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...