História Que vença o melhor (Vkook) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Yugyeom
Visualizações 239
Palavras 3.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii Vkook shippers

Boa leitura!

Capítulo 12 - Festa do Yoongi


Fanfic / Fanfiction Que vença o melhor (Vkook) - Capítulo 12 - Festa do Yoongi


Andei cautelosamente até Jenni e parei à sua frente.

— O que você está fazendo aqui? E como entrou!? — indiquei.

— Calma amorzinho — levantou ficando rente a mim enquanto ajeitava minha gravata — Chang me disse que você se negou a gravar o nosso filme, é por causa daquele adolescente medíocre que anda com você?

— Ele não é um adolescente medíocre — falei retirando as mãos dela de mim — E os motivos para eu não querer gravar o filme são vários e nem um lhe convém.

— Ah, mas você vai gravar sim. Chang e eu queremos você. O Yoongi acabou de atuar naquele filme do início do ano, então temos quer inovar.

— A vida é minha, eu que devo escolher o que quero. Era isso que tinha a me dizer? Ótimo, agora já pode sair e me deixar em paz — falei a ignorando enquanto andava até a cozinha.

— Não era só isso — falou puxando-me pelo pulso e atacando meus lábios, obviamente recuei com nojo e ódio dessa garota — Eu quero você para mim Taetae e eu não vou deixar aquele garoto estragar o que nós dois construímos.

— Não construímos absolutamente nada, você sabe muito bem que o que rolou entre nós dois não passou de um mero ''casinho a dois''. Eu fui bem claro ao dizer que não existe mais nada entre nós dois, então, por favor não me procure mais — falei a empurrando delicadamente até a porta, pois mesmo tendo ranço dela eu ainda era um homem e ela uma mulher, não poderia simplesmente enxota-la dali a pontapés.

— Quer saber? Talvez eu deva alertar aquele pobre garoto, dizer a ele que você só está o usando, porque é exatamente isso que você faz, você me usou até se cansar e agora está se aproveitando dele por ser um brinquedinho novo!

— Eu não usei você, esqueceu que quem começou tudo isso foi você e não eu? — lembrei do dia em que ela passou a me seduzir demasiadamente até que eu não contive e me rendi aos braços dela, mas desde aquele dia eu soube que era só uma atração sexual e que um dia ela teria um fim, realmente isso aconteceu e Jenni estava ciente disso, no entanto continuava a insistir em mim.

— Só lhe digo uma coisa: Você ainda será meu, eu vou fazer de tudo para conseguir você, nem que para isso eu precise eliminar o Jungkook do meu caminho — bufou de raiva ao dizer o nome de Jungkook.

— Se você fizer qualquer coisa contra ele, eu juro que...

— Que o quê? Vai me matar é? Bom, você está avisado, passar bem Kim Taehyung — disse se retirando, deixando-me, finalmente, livre da sua presença.

Deitei na cama com uma horrível dor de cabeça, realmente não sabia mais o que fazer, pois temia que por minha causa Jungkook se ferisse. Graças a mim Chang e Jenni sentiam ódio dele e queriam o eliminar do caminho para que eu ficasse vulnerável aos dois.

Mas as dúvidas martelavam minha cabeça, eu não suportaria simplesmente o abandonar, deixá-lo sozinho e vulnerável às maldades do mundo do pornô, mesmo não sabendo se Jungkook sentia algo por mim ou não eu sentia que ele sofreria caso eu saísse da vida dele, o que não seria diferente para mim. A cada dia eu dependia mais dele como se eu fosse um viciado em drogas ou café. Sabe quando você necessita de algo e não consegue viver um dia sem? Assim que eu me sinto diante de Jungkook, eu necessito dele assim como ele precisa de mim. Não que ele não consiga cuidar da própria vida e não querendo me gabar, mas eu já livrei ele de muitas coisas, estou sempre disposto a protegê-lo, mas e agora? Agora que ele mais precisa de mim, devido Jenni e o Chang, eu deveria abandoná-lo? Eu tinha receio de que se eu continuasse a me encontrar com Jungkook ele poderia sofrer com as consequências, mas se eu o deixasse quem o livraria dos perigos do mundo e das pessoas que buscam se aproveitar de jovens ingênuos?

Fui desperto dos meus pensamentos quando ouvi o som do meu celular indicando uma nova mensagem, levantei e o peguei sobre a cômoda, sorri ao ver que era Jungkook.

Jungkook: Boa noite

Foto.

Abri a foto e não contive um sorriso enorme e apaixonado ao vê-lo vestido com o pijama de coelhinho que eu o dei, era uma foto de perfil, onde ele vestia a touca do pijama que possuía duas orelhas de coelho, Jungkook estava realmente fofo.

Taehyung: Eu disse para vestir somente para mim!

Jungkook: Mas é para você, por isso mandei a foto.

Taehyung: Okay, okay, não vou discutir com você. Estou indo para o banho e depois vou me deitar também, estou cansado. Boa noite Biscoitinho, ah e você está muito fofo com essa touca!

Jungkook: Está indo para o banho, é?

Taehyung: Sim, por quê?

Jungkook: Já que eu mandei uma foto minha recém tirada, por quê você não faz o mesmo?

Taehyung: Você está muito pervertido ultimamente, não acha?

Jungkook: É que o coelhinho quer ver uma foto da sua cenoura!

Ri soprado lendo aquela mensagem perversa dele, Jungkook estava diferente, não sei dizer se isso era bom ou ruim, mas até que eu estava gostando.

Taehyung: Na Internet tem muitas fotos assim...

Jungkook: Aish, mas eu queria uma só para mim, uma foto exclusiva que somente eu teria.

Senti meu coração acelerar com tais palavras, resolvi mandar a foto a ele, afinal, eu fazia tudo o que ele quisesse.

Taehyung: Foto

Mandei uma foto que tirei no espelho do banheiro, onde eu estava somente de boxer, eu sei que não era exatamente isso que ele queria, mas Jungkook estava saidinho de mais e ele precisava aprender a controlar seus hormônios.

Jungkook: Lindo!

Foi a única coisa que ele mandou, sorri soprado largando o celular e entrando no box, voltando para meus pensamentos que insistiam em perseguirem-me.

Assim que me vesti e sequei os cabelos fui até a cozinha comer algo, enquanto agora pensava em outra coisa, amanhã era o grande dia em que eu finalmente abriria o jogo do Chang, contando ao meu advogado tudo o que ele fizera e continua fazendo com os atores, por um momento até me senti mais seguro e aliviado quanto ao meu futuro com Jungkook, pois sem o Chang e a empresa eu só precisaria me preocupar com Jenni.

Escovei os dentes e me atirei na cama, pegando o celular para ativar o despertador.

"Duas mensagens não lidas de Jungkook."

Imediatamente abri as mensagens, mesmo pensando que ele provavelmente já estava dormindo eu resolvi lê-las e respondê-las.

Jungkook: Agora o Yugyeom está aqui, então vou parar de falar com você porque se não ele pode ver nossas mensagens. Boa noite Tae.

Taehyung: Como assim o Yugyeom está aí? No seu quarto? Na sua cama!? Com você vestido com meu pijama de coelhinho!?

Fiquei esperando ele responder, mas ele não estava mais online há um tempo, desliguei a tela e me deitei. Queria dormir mas não conseguia, só ficava imaginando Jungkook dormindo com aquele amigo dele, eu estava com ciúmes, nunca imaginei que algum dia eu sentiria isso por alguém. Ouvi o tilintar do meu celular, era uma ligação de Jungkook.

— O que você quer me ligando a essa hora? Eu estava tentando dormir e acho que você deveria fazer o mesmo.

— Yugyeom estava aqui porque queria pegar um cobertor emprestado e aí começamos a conversar sobre a festa. Eu liguei porque queria ouvir sua voz.

— Você não tem sono não?

— Eu não consigo dormir, Tae eu estou com medo que o Yug descubra tudo sobre mim...

— Relaxa, ele não vai descobrir nada, a não ser que ele assista pornôs gays.

— Ele é hetero.

— Hum, bom saber, muito bom! Tanto para você quanto para mim. Vou dormir agora porque amanhã tenho uma reunião importante agendada. Boa noite Biscoitinho, esquece os problemas e descansa um pouco okay?

— Okay... Tae?

— Sim?

— Eu... eu te... ah, eu gosto muito de você. Obrigado por tudo.

Eu percebi que ele estava nervoso e suas palavras saíram embargadas, como se ele tivesse algo a mais para dizer.

— Você não precisa me agradecer por nada Jungkookie... Vou desligar agora, beijo meu Biscoitinho favorito.

Encerrei a chamada e logo adormeci, tendo um sonho com Jeon Jungkook, onde não precisávamos nos preocupar com nenhum problema.

[...]

Acordei cedo agradecendo por já ser sexta, o que significa que eu teria dois dias para dormir até mais tarde. Tomei um banho afim de expulsar o sono e a preguiça de meu corpo e depois de tomar o café da manhã a arrumar-me rumei para o escritório de advocacia. Cheguei e fui direto à sala de Jackson.

Jackson fora meu colega de classe quando mais novos, depois ele se mudou para Seoul afim de estudar direito, e por ordem do destino acabamos nos encontrando há dois anos, logo após eu chegar na cidade e ingressar na indústria pornográfica.

— Taehyung! O que lhe traz aqui? — Jackson falou surpreso e feliz ao abrir a porta e deparar-se comigo.

— Como vai? — perguntei o cumprimentando — Eu tenho um caso muito sério para tratar com você. Espero que possa me ajudar.

— Claro! Entre, pode se sentar e me contar o que houve.

Entramos e nos acomodados, Jackson em sua mesa de trabalho e eu na cadeira à frente. Ele organizou os papéis e arquivos no computador para começar a escrever o que eu estava prestes a dizer.

— É uma longa história... A empresa pela qual trabalho vem abusando dos atores, digo, horas excessivas de trabalho, remédios estimulantes que deixam os atores em péssimos estados e até utiliza-se da agressão, caso necessário — comecei a falar.

— Taehyung, isso é muito sério — Jackson falou mudando seu semblante — Como nunca me disse isso antes!?

— Eu tinha medo, pois Chang ameaça a todos e às suas famílias.

— Isso é horrível Taehyung. . — respondeu incrédulo por descobrir tais fatos sobre a empresa.

— E não para por aí, Chang também manipula jovens para que estes entrem para esse mundo do pornô. Ele utiliza-se de propagandas falsas para atrai-los, quando estes chegam na empresa Chang os convence de assinar o contrato sem ao menos lerem do que se trata.

— Então quer dizer que a maioria não queria estar lá?

— Sim, e até mesmo os que entram por livre e espontânea vontade querem se ver livre de lá, mas com as seguidas ameaças todos têm medo.

— Olha Taehyung, isso realmente é grave, mas eu ainda não posso fazer nada a respeito pois preciso de provas para incriminá-lo.

— E como você pretende conseguir tais provas? — perguntei receoso.

— Simples, mandarei um detetive jovem e atraente para a empresa do Chang. Conhece Mark Tuan?

— Você já falou dele, eu acho... — respondi pensativo.

— Pois bem, Mark é lindo — falou de um modo como se estivesse apaixonado por este garoto — Além disso ele é um dos meus melhores detetives. O plano é o seguinte, ele vai se infiltrar na empresa ao se passar por um jovem atrás do sonho de ser ator, já dentro da empresa ele irá filmar, fotografar e fazer anotações sobre tudo que se passa lá dentro. Assim que eu tiver tudo em mãos eu vou até a delegacia e Chang será preso imediatamente!

— Você é ótimo Jack! Espero que dê tudo certo... Obrigada por isso — falei levantando e lhe dando um abraço — Agora vou indo pois já está tarde, até logo.

— Até Taehyung — respondeu sorrindo e acenando.

[...]

JUNGKOOK

Já era sábado e eu estava me arrumando para a festa, realmente não sabia o que vestir, pois não fazia ideia de que tipo de festa seria. Como só possuo calças, blusas e moletons e nada de ternos ou algo mais sofisticado acabei por vestir uma calça preta e justa, com alguns rasgos nos joelhos e uma camisa branca com o tênis mais social que encontrei. Passei perfume, ajeitei os fios de meu cabelo e depois desci para a sala, onde Yugyeom encontrava-se estirado no sofá assistindo animes.

— Uau, você está gatinho ein — falou ao me ver.

— Estou normal — respondi sentando-me ao lado dele para esperar pelo Taehyung.

— Com esse perfume e essa beleza toda você vai acabar conquistando o coração de alguém — Yugyeom advertiu.

Apenas ri soprado por ele não saber de nada da minha vida amorosa, porque talvez, mas só talvez, eu já tivesse conquistado o coração de alguém.

— Você vai ficar sentado aí ou vai ir pra essa tal festa!?

— Estou esperando o Taehyung, ele disse que iria vir me buscar.

— Hum, você está bem próximo dessa Taehyung né, até me sinto trocado...

— Você sabe que eu te amo Yug — falei o abraçando, mas logo o larguei porque a campainha estava tocando.

Abri a porta me deparando com Taehyung vestindo seus típicos ternos, mas parece que hoje ele estava mais lindo, afinal, ele parecia cada dia mais lindo. Sorri comprimindo os lábios.

— Tchau Yug — falei enquanto fechava a porta.

— Vê se não fica bêbado porque não estou afim de limpar o vômito do meu amigo — ouvi ele gritando.

Assim que a porta fechou-se fui surpreendido por Taehyung que me pegou pela cintura virando-me de frente para si, colocou-me contra a parede e iniciou um ósculo calmo e carinhoso.

— Senti saudades — falou dando-me um selinho.

— Eu também senti.

Entramos no elevador e percebi que Taehyung não parava de olhar para mim, trilhando seus olhos desde meu cabelo até meus pés.

— Eu realmente não tinha outra roupa que combinasse com a ocasião, não sabia o que vestir...

— Você está lindo Biscoitinho — interrompeu-me e em seguida entrelaçou sua mão à minha assim que a porta do elevador se abriu.

Andamos assim até o carro dele, eu olhava para nossas mãos unidas e engolia em seco, aquilo mexia comigo, a gente até parecia um... casal.

[...]

Chegamos na casa de Yoongi e eu fiquei surpreso com o tamanho, iluminação, cores e tudo o mais que constituía aquele esplêndido lugar. Descemos do carro e andamos lado a lado até estarmos em frente à porta.

— Boa noite Kim Taehyung e Jeon Jungkook — o homem, provavelmente recepcionista, disse reverenciando a nós dois — Podem seguir para aquela escada, a festa se passa no terraço.

Subimos as escadas enquanto eu observava a cada detalhe que constituía aquela mansão, e não podia esquecer de observar as pessoas que pagavam pela casa, todos jovens e provavelmente já atores pornô. Alguns pareciam meros adolescentes que estavam ali apenas para se divertirem assim como eu, já outros estavam fazendo outras coisas que julgo ser nojento e desapropriado de se fazer em público.

— Por que você não tem uma mansão dessas? — perguntei a Taehyung assim que chegamos no terraço.

— Porque eu não gosto de me ver como um ator rico e famoso, eu não preciso de bens materias para ser feliz... — respondeu sorrindo e passando o braço ao redor de minha cintura.

Andamos assim até Yoongi que nos cumprimentou sorridente e um pouco alterado.

— Prazer conhecer você Jungkook! Espero que se divirta.

Fomos até a pista de dança onde estava tudo igual a uma balada, as pessoas dançavam, bebiam, algumas se pegavam, mas nada comparado ao o que vimos nos corredores.

Eu estava com vergonha de dançar no meio de todas aquelas pessoas, eu sempre fui muito tímido e me preocupo muito com o que pensarão de mim, pois gosto de causar boas primeiras impressões. Também estava com medo de que Taehyung me deixasse sozinho para ir conversar com os outros atores que eram seus amigos.

Mas ao invés de me abandonar Taehyung aproximou-se ainda mais e de um modo peculiar, pensei que ele não faria nada comigo enquanto estivéssemos em público, porém ele fez ao parar atrás de mim e segurar minha cintura, dançando colado a mim. Apesar de ficar corado de vergonha logo comecei a mexer o corpo, pois me sentia mais seguro nos braços de Taehyung e também olhando aos arredores percebi que não estávamos sozinhos, digo, havia mulheres dançando e beijando outras mulheres e também homens com outros homens, até mesmo Yoongi dançava agarrado a um cara.

— Está gostando da festa? — Taehyung susurou em meu ouvido, beijando meu pescoço logo em seguida.

Virei o rosto para trás e assenti sorrindo. Uma música sensual começou a tocar e Taehyung começou a esfregar-se em minha bunda enquanto apertava minha cintura. Eu disse que não queria ver ninguém se comendo no meio da festa, mas quem já estava quase fazendo isso era eu mesmo. Rebolei contra a virilha de Taehyung, pendendo a cabeça para trás, deitando-me no ombro dele.

— Eu amo seu cheiro — Taehyung susurou com a voz rouca enquanto passava o nariz e os lábios em meu pescoço.

Dançamos por mais um tempo até que ficamos cansados, saímos da pista e nos sentamos em uma poltrona, junto daquele cara que dançava com Yoongi.

— E aí Jimin — Taehyung cumprimentou o garoto.

— Quanto tempo Taetae! Quem é ele? — perguntou olhando para mim mordendo o lábio inferior e piscando.

— Jungkook, Jeon Jungkook — falou colocando as mãos em meus ombros — Mas pode tirar os olhos dele, você já tem o Yoongi e eu acho que vocês deveriam se respeitarem mais.

— Aish, ele que fica só me trocando pelo Hoseok — falou revirando os olhos.

— Tae... eu preciso ir ao banheiro, já volto — falei me retirando dali.

Cheguei no corredor escuro que levava até o banheiro, acabei esbarrando em alguém, assim que a garota olhou para mim pude ver que se tratava de Jenni.

— Oi Jungkook — falou sorrindo — Veio com o Taehyung?

— Isso não é da sua conta — falei tentando sair dali, porém ela segurou meu pulso e olhou em meus olhos.

— Jungkook, eu só quero lhe alertar de uma coisa: o Taehyung só está te usando, assim como fez comigo, ele não gosta de você e nunca vai gostar, muito menos amar. O objetivo dele é apenas transar com você, que para ele é um brinquedinho novo, aposto que agora que você deixou ele sozinho ele irá aproveitar a oportunidade para pegar outro ou outra.

— Ele não faria isso.

— Você pode não acreditar, mas ontem à noite Taehyung me telefonou dizendo o quanto queria me ver, me beijar... ele disse que sente falta de transar comigo porque você não é tão experiente e não dá prazer a ele.

— Isso não é verdade... — falei tentando conter as lágrimas que insistiam em escorrer dos meus olhos.

— Se você pensa que Taehyung faz coisas bonitas por você porque te ama você está muito enganado, ele jamais irá pedir você em namoro e muito menos dizer um "eu te amo" — disse essas últimas palavras e saiu seguindo para o terraço.

Me tranquei no banheiro e olhei-me no espelho. " muito menos dizer um eu te amo", lembrei. Mas ele já disse isso para mim por pensar que eu não estava ouvindo. Mesmo assim tive medo de que o que Jenni dissera era verdade.

Sai do banheiro e segui para o terraço, andei em direção ao sofá em que Taehyung e Jimin estavam, porém deparei-me com uma cena que destruiu meu coração, não pude conter as lágrimas e o vazio que se fez dentro de mim ao ver Jenni sentada no colo de Taehyung o beijando e o pior de tudo é que ele cedia aos toques dela. Andei alguns passos à frente e parei próximo a eles.

— T-Taehyung? — chamei.

Taehyung abriu os olhos rapidamente como se estivesse acordando de um transe, empurrou Jenni de seu colo e levantou-se vindo até mim.

— Olha Jungkook, não é isso que você está pensando, eu... eu realmente não sei o que aconteceu aqui, por favor me perdoa — falou confuso colocando a mão na cabeça.

— Não precisa se desculpar, eu que fui tolo por pensar que você se importasse comigo, que sentisse algo a mais por mim... — fechei os olhos com força para conter as lagrimas — Na verdade nunca existiu nada entre nós dois, não é? Eu sempre fui apenas o seu 'brinquedinho sexual...

— Jungkook... não diga isso — falou tocando o meu rosto.

— Tira a mão de mim e faça o favor de nunca mais me procurar.

Sai correndo em meio às pessoas para poder sair dali, só queria ir para casa e ficar sozinho. Até então Taehyung era meu único alicerce que me mantinha em pé diante do mundo, sem ele eu me sentia fraco, incompleto, vazio e desprotegido, como se eu fosse desabar a qualquer momento. Jenni tinha razão, Taehyung estava apenas me usando.

Peguei um táxi e segui para meu apartamento, pensando o quão tolo eu fui por me apaixonar e por amar Kim Taehyung. O pior de tudo é que eu não poderia simplesmente fugir dele, na empresa eu teria que lidar com a presença dele e para piorar teríamos que continuar a atuar juntos. Minha vida estava se tornando um pesadelo pior a cada dia.

Cheguei no meu apartamento aos prantos e bati na porta, Yugyeom abriu um pouco apreensivo.

— Jungkook!? O que houve? Por que voltou tão cedo e por que está chorando? — perguntou abraçando-me é puxando-me para entrar.

— Eu vi a pessoa que eu amo combro outra... — falei indo para o meu quarto — Por favor, me deixe sozinho.

Yugyeom ficou confuso, mas assentiu com uma expressão de consolo. Fui para o meu quarto e joguei-me na cama, senti meu celular vibrando pela vigésima vez em meu bolso, o peguei e percebi que se tratava de Taehyung me telefonando. Encerrei a chamada e coloquei o aparelho no silencioso.

YUGYEOM

Eu fiquei na sala terminando de assistir meu anime enquanto deixava Jungkook ter o tempo dele sozinho, quando mais novo eu já tive uma crush e a vi beijando outro menino, então eu sabia perfeitamente como Jungkook se sentia.

Comecei a arrumar a sala para depois ir me deitar quando escuto a campainha tocar, confesso que fiquei com medo porque quem é que viria aqui a essa hora da noite!?


Notas Finais


Quem será que está tocando a campainha?

Gente, não fiquem com raiva do Taehyung, vocês entenderão tudo no próximo capítulo que eu prometo que será fofo e bonito!
Quanto à Jenni: estão liberados para matá-la hahaha
Ah e eu queria dizer que não é pra ser a Jennie do Black Pink, porque eu não gosto de escrever coisas ruins sobre os k-idols como se eles fossem um vilão.

Até o próximo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...