História Quebra de Acordo - Capítulo 1


Escrita por: e kazuno

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Choi Siwon, Heechul, Kim Jongwoon, Park Jungsu, Yesung
Tags Heechul, Sichul, Siwon, Super Fiction, Super Junior
Visualizações 34
Palavras 2.455
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Magia, Sci-Fi, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AI MEU DEUS QUE EU TO NO SUPERFICTION! Eu bem que disse que ia encher a tag sichul de fic e vou mesmo (ò-ó)9 Mas, deixando as brincadeira de lado, espero que gostem dessa estória que, apesar de curtinha, foi escrita com muito carinho <3 Quebra de Acordo se passa no universo de Shadowhunters, mais precisamente a série de TV, e espero que vocês gostem! Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único



“Magnus Bane e Alexander Lightwood vão se casar.”

Era só isso que o submundo comentava ultimamente, e enquanto muitos estavam felizes com tal acontecimento, não era exatamente assim que Choi Siwon se sentia. Desde que fora remanejado da Coreia para Nova Iorque, algumas coisas tinham acontecido e dentre elas, estava um encontro nada feliz com um dos warlocks logo em seu primeiro dia na nova cidade. Siwon era um caçador de sombras — um dos melhores, aliás — e apreciava muito todos aqueles que lhe acolheram em seu novo lar, mas ter de aturar Kim Heechul era algo que ele não queria nem de longe.

Diferente do Choi, Heechul vivia na América há séculos e claramente, sendo um dos amigos mais chegados de Bane, confirmara sua presença na união matrimonial do feiticeiro com o caçador de sombras. Contrariando a repulsa que Siwon sentia de si, o Kim guardava boas memórias do nephilim.

Poucos sabiam, mas Siwon e Heechul mantiveram um curto relacionamento, nada sério, mas isso não mudava o fato de ter acontecido. O único problema foi o coração mole do caçador de sombras, que cometeu o erro terrível de se apaixonar, quando estava claro que o feiticeiro era livre demais para se prender a um único alguém. A cartada final para o fim daquilo que tinham foi, justamente, quando o mais novo decidiu que iria dizer tudo o que sentia, sendo surpreendido com o mais velho bebendo acompanhado de um ex namorado no próprio apartamento.

Mesmo Heechul lhe garantindo que aquilo não significava nada e que não o estava traindo, Siwon não quis saber. Ambos acabaram saindo magoados daquilo; o Choi por sentir-se traído e o Kim por não ter o mínimo da confiança do outro. Daquele dia em diante, nunca mais conseguiram manter uma conversa sem meia dúzia de xingamentos no meio.

Geralmente os dois evitavam estar no mesmo ambiente, mas com o casamento, ficava difícil prosseguir com aquele acordo silencioso de manter distância.

— Está pronto? Temos que ir. — O caçador de sombras encarou o próprio reflexo por uma última vez, antes de se virar para a porta e ver Jungsu ali, devidamente arrumado, lhe encarando com um sorriso amigável. Por sorte, não havia sido o único caçador de sombras remanejado para o estrangeiro.

— Claro. Vamos — respondeu com um sorriso curto, ensaiado, coisa que não passou despercebida pelo amigo.

— Está assim por causa dele? Achei que tivesse superado.

— Fale baixo, não é todo mundo que sabe do que aconteceu entre mim e aquele... warlock — resmungou desgostoso com o assunto. Odiava falar sobre Heechul, sempre lhe trazia à tona as lembranças que daria tudo para esquecer.

— Sabe muito bem que eu acho que no fundo você ainda-

— Não ouse terminar essa frase, Park. Não. Ouse. — Seu olhar era sério. Jungsu apenas deu de ombros, suspirando cansado. Siwon nunca, jamais, admitiria ainda sentir qualquer coisa pelo feiticeiro. Um cabeça dura sem precedentes, na opinião do parabatai.

— Não está mais aqui quem falou — disse por fim, caminhando para fora do Instituto e adentrando num dos carros disponibilizados pelo próprio Magnus Bane para transportar os convidados shadowhunters. Era realmente um cara excêntrico.

O caminho prosseguiu silencioso. Siwon não conseguia parar de pensar em como seria ver o homem que amou, depois de tanto tempo. Fazia quase um ano desde a última vez que o vira, não sabia o que esperar.

Do outro lado da cidade, o warlock trocava pela vigésima vez de roupa. Sua mente estava quase cansada de pensar em “qual Siwon gostaria mais” e “qual Siwon odiaria mais”. Ser um feiticeiro tinha lá suas vantagens, mas nenhuma de suas habilidades lhe isentava dos próprios sentimentos, e, naquele momento, estava terrivelmente nervoso com a certeza de vê-lo novamente — certeza, porque havia ido até Alexander pessoalmente conferir se o shadowhunter coreano compareceria ao casamento.

A verdade é que não havia superado. Jamais conseguiu e nem ao menos se esforçou para tal. No fundo, ainda tinha esperança de reatar com o Choi, afinal o término do relacionamento aconteceu devido a um mal entendido. Heechul nunca traiu Siwon. Nunca.

O caminho para o coração de um homem poderia ser terrivelmente difícil, ainda mais de um que vivera tantos anos; entretanto, o caçador de sombras havia conseguido chegar até lá e o conquistar, e por esse motivo, o Kim não conseguia desistir.

Se ao menos o nephilim lhe escutasse...

Chacoalhou a cabeça, buscando se livrar dos próprios pensamentos e se dispôs a analisar criticamente cada peça de roupa que estava em seu corpo. Calças escuras e apertadas, camisa púrpura folgada e de botões abertos — revelando as clavículas marcadas — a gargantilha de couro rente ao pescoço. Tudo contrastava tão perfeitamente com a pele clara e os cabelos alaranjados.

O warlock sorriu ao se dar por satisfeito com o traje. Finalmente estava pronto pra fazer o caçador de sombras sentir vontade de arrancar os próprios fios de cabelo.

Diferente daqueles com sangue de anjo, o local do casamento estava a apenas um portal de distância.

 

[...]

 

Siwon não vira Heechul durante a cerimônia toda — não que o estivesse procurando, pfff — apenas o encontrando na festa horas depois. Sentiu a garganta secar e as pernas tremerem. Mesmo sendo um homem feito, estava agindo como um adolescente idiota e odiava isso, mas negar que o warlock estava estupidamente lindo não era bem uma opção.

— Caramba, ele se arrumou para matar. — Jungsu constatou, após ver o feiticeiro na direção em que seu parabatai não parava de encarar.

— Ele é um indecente, isso sim. — Seu tom era mau humorado. Desviou o olhar antes que fosse pego no flagra por aquele que menos desejava. Jungsu riu, desacreditado.

— Choi Siwon, você está morrendo de ciúmes daquele warlock!

— Não seja idiota, Jungsu. Não sinto coisa alguma por esse feiticeiro promíscuo e traidor. — Suas palavras saíam amargas.

— Não tenta mentir pra mim, somos parabatai, lembra? — O outro suspirou, derrotado. De que adiantava mentir sobre uma coisa que Jungsu sabia melhor do que ninguém? Siwon passou a mão por todo o rosto, como se buscasse forças. Estava realmente cansado de fingir que não se importava.

— E o que você sugere que eu faça? Não posso simplesmente chegar nele e dizer “Heechul, você está gostoso pra caralho e isso me deixa louco”. — Viu o outro dar de ombros.

— Na verdade...

— Não.

— Você devia mesmo ir falar com ele.

— Não! Não vou fazer isso. Nem agora e nem nunca. — Jungsu suspirou. Siwon conseguia ser irredutível quando queria e ninguém podia detê-lo.

— Você vai se arrepender disso. É tão óbvio que ainda goste dele. — Desviou o olhar enquanto dava alguns goles no copo de bebida que havia acabado de pegar com um garçom.

— Jungsu, pelo anjo, cale a boca, sim? — O Park deu de ombros, encerrando aquele assunto para não irritar o outro de verdade.

Siwon olhou em volta, sendo surpreendido ao ver que Heechul lhe encarava de volta. Quis desviar, mas não conseguiu. Ele estava tão bonito.

Do outro lado do salão, o warlock tentava a todo custo não se mostrar nervoso com o fato de estar no mesmo ambiente que o shadowhunter depois de tanto tempo sem vê-lo. Esperava estar fazendo um bom trabalho, entretanto, ao receber o olhar que dava de volta, foi como se o mundo tivesse parado de girar só para que os dois pudessem permanecer naquele momento.

— Heechul? — Ouvir seu nome o fez desviar a atenção, percebendo que quem lhe chamava era justamente o motivo do rompimento com o Choi.

— Yesung. — Sorriu para manter as aparências. — Quanto tempo...

— Sim. Como está? Faz tempo que não nos falamos. — Seu tom revelava alguma intenção oculta. Talvez Siwon tivesse razão ao deduzir todas aquelas coisas. — Venha me visitar qualquer dia, vou adorar te receber. — O vampiro sorriu lascivo.

— Temo que nossa amizade deva continuarapenas como uma amizade, meu caro. — Deu uns tapinhas amigáveis no ombro alheio. Yesung sorriu maldoso, observando além de onde Heechul estava. — Agora, se me dá licença.

— Suponho que esteja me evitando por causa do shadowhunter. — O warlock travou no mesmo lugar, voltando sua atenção para o vampiro de imediato. — Soube que terminaram. — O deboche em seu tom era perceptível. — Não me diga que ainda não superou. Ou pior, que ainda está apaixonado por ele!

— Basta! — cortou-o — Minha vida amorosa não lhe diz respeito. — Seus olhos fervilhavam de raiva. — Passar bem. — E saiu de perto do vampiro, conseguindo ouvir sua gargalhada ao fundo.

Andou sem saber para onde estava indo, entrando no primeiro lugar onde pudesse se trancar que encontrou. Deveria abrir um portal e ir embora? Não deveria fazer tamanha desfeita com Magnus, o considerava tanto e ainda nem o havia parabenizado por sua união com Alexander. Era isso, falaria com o casal e voltaria para casa. Preferia pensar em Siwon de longe do que trombar com ele e iniciar mais uma discussão. Não queria brigar com o mais novo. Nunca mais.

Usou a magia que possuía para abrir a porta, surpreendendo-se ao ver, com a mão prestes a enlaçar a maçaneta, Siwon.

Os olhares se encontraram e depois dobraram de tamanho. Para ambos, ver o outro ali era uma surpresa e tanto.

— Wonnie? Quero dizer… Siwon — constatou, um tanto perturbado por ver seu amado ali, depois de tanto tempo e ainda sem iniciarem uma discussão. Realmente algo raro de se acontecer.

— Olá. Já faz um tempo, não? — O tom ameno acelerou o coração do outro. — Antes que me pergunte, Jungsu me convenceu a vir até aqui depois de…

— Deixe-me adivinhar, runa para aguçar a audição?

— É. — Riu um tanto sem graça. Ao menos agora sabia que, pelo tom da conversa, realmente havia entendido errado. — Você estava de saída?

— Não, eu… não vou a lugar algum, não mesmo, eu... — Piscou algumas vezes, abraçando o próprio corpo, completamente nervoso e sem saber exatamente onde colocar as mãos ou o que dizer. Aquilo parecia uma reconciliação. Queria que fosse.

— Podemos… conversar? — O Choi indagou, olhando diretamente para o warlock.

— Claro! Hm, podemos, sim. — Soltou os braços rente ao corpo e depois indicou o cômodo como livre. Siwon sorriu e fechou a porta atrás de si.

O silêncio reinou durante bons minutos. Heechul olhava atentamente para cada movimento do caçador de sombras, se perguntando se seria muito invasivo ir até o outro e lhe tomar nos braços, como tantas vezes anteriormente.  Queria tanto beijá-lo, abraçá-lo e senti-lo como seu novamente.

— Naquela noite — Siwon cortou o silêncio e calou os pensamentos do feiticeiro —, o que ele estava fazendo na sua casa? — Perguntou, referindo-se ao vampiro loiro.

— Somos amigos, Siwon. Mas, apenas isso — frisou. — Yesung não tentou nada comigo naquele dia porque eu fiz questão de deixar claro que não estava disponível. Ele respeitou isso, mas você chegou bem na hora e entendeu tudo errado. — Seu rosto se contorcia em uma expressão quase desesperada. — Eu não te traí. Nunca o fiz. — Sentia o coração doer dentro do peito ao lembrar do rosto de seu amado, revolto em desconfiança e decepção. Queria jamais ter visto aqueles olhos lhe encarando daquela forma dolorosa.

— Me perdoe, Heechul. Eu… eu devia ter te escutado, mas me deixei cegar completamente e preferi acabar tudo o que tínhamos sem te deixar explicar. A culpa do nosso rompimento é toda minha. — Siwon tinha o rosto contorcido em arrependimento e culpa, algo que o warlock não suportava ver. Assim, contrariando todos os avisos de sua própria consciência sobre o quanto estava invadindo o espaço alheio, o abraçou.

— Shh, shh. Nada disso foi culpa sua, Woonie. Não se culpe, por favor. — O shadowhunter se afastou minimamente e encarou o feiticeiro de perto após tanto tempo. Sentia tanta falta dos traços daquele rosto bonito.

Ambos se olharam durante vários segundos que pareceram eternos antes de se aproximarem cada vez mais, diminuindo a distância e aproximando as bocas que tinham tantas saudades uma da outra. Pareceu natural quando o contato finalmente aconteceu e foi ainda mais quando as línguas se encontraram, naquele reconhecimento imediato.

Quando o ósculo finalizou, outro foi iniciado, sendo seguido de outro e mais outro. E mais outro, e mais outro. Selares múltiplos foram compartilhados antes de sorrirem e abrirem os olhos. Tantas coisas compartilhadas no silêncio daquele olhar.

— Senti sua falta. — Siwon foi o primeiro a falar. — Falta dos seus beijos — confidenciou, rindo juntos. Tocou o rosto do feiticeiro, fazendo um carinho ali. Heechul nem parecia ter centenas de anos, corando daquele jeito.

— Eu também senti sua falta. — Subiu as mãos pelo peitoral forte. — E das suas runas. — Olhou para uma das Marcas que apontava no pescoço alheio, subindo sua mão até estar ali, também fazendo um carinho no local. Ambos trocaram risadas contidas, Heechul enlaçando o pescoço do shadowhunter enquanto este abraçava sua cintura.

— Que tal matar as saudades delas? — perguntou, com aquele sorriso de lado que acabava com cada resquício de sanidade que poderia existir no warlock.

— Claro. — Foi tudo o que disse antes de pular no colo do maior e enlaçar suas pernas no tronco alheio. Sorriu antes de se inclinar para um beijo enquanto desabotoava a camisa social que o outro usava.

O restante podia esperar.

*

— Esperando alguém? Seu parabatai? — Jungsu virou na sacada em que estava, vendo o vampiro que confundira Siwon lhe sorrindo à luz da lua.

— Isso, por acaso, te interessa? Que eu saiba, não é da sua conta, vampiro. — Viu o outro rir com desdém.

— Muitas coisas me interessam, mas aquele warlock e seu namorado shadowhunter não são mais uma delas. — Garantiu, lhe encarando cheio de malícia. — Entretanto…

— Nem ouse. — Jungsu apontou, vendo o outro erguer as mãos em rendição, mas sem tirar o sorriso arteiro do rosto. — Mas se você prometer se comportar, posso pensar em te passar meu número.

— Prometo andar na linha, shadowhunter. — Sorriu, recebendo o um gesto parecido de volta.

— Acho bom, vampiro. — O sorriso continuou no rosto enquanto pegava o celular que lhe era estendido e permaneceu ali, ao que digitava o próprio número e o salvava na agenda alheia.

*

— Temos que cumprimentar Magnus e Alec — Siwon comentou, quando estavam abraçados na cama. Heechul levantou o olhar, ainda com a cabeça encostada em seu peito e sorriu.

— Acho que eles podem esperar mais um pouquinho — disse em tom travesso, voltando a se colocar sentado no colo alheio de forma rápida, num passe de mágica.

— Wow, segundo round? — O caçador de sombras perguntou com um sorriso de lado. O preferido do warlock.

— Senti muitas saudades. — Foi o que disse antes de tomar os lábios de Siwon em um beijo apaixonado.

O submundo poderia esperar um pouco mais.





Notas Finais


Ai gente, não resisto esses dois! Morro de amores mesmo e nem nego kkkkkkk SICHUL MUITO AMORES DA MINHA VIDA SIM Já quero escrever mais fics nesse universo porque shadowhuntes é tudo de bom, os livros e a série <3 É isso meu povo! Espero que tenham gostado :3 Beijinhos e até a próxima õ/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...