1. Spirit Fanfics >
  2. Quebrável-Taegguk >
  3. Chapter one

História Quebrável-Taegguk - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Chapter one


Solta

Solta

Solta

Gota após gota corria pela velha janela empoieirada, criando uma longa linha limpa e sem manchas na escuridão, algo esperançoso. No entanto, eles abruptamente chegaram ao fim, sua vida terminou exatamente como começou. Curto, com apenas um propósito. Morrendo.

O pó preto que cobria a janela estava tentando descansar, resistir contra a limpeza da água. Estava quase observando os glóbulos brancos combatendo um vírus, a água que curava, a chuva tentando limpar a janela da poeira.

Um garoto pequeno observava o espetáculo silenciosamente,seus grandes olhos fixos nas gotas e ele não conseguia parar de se concentrar em como eles corriam pela janela,desaparecendo,morrendo se você pudesse dizer, novos ocupando o lugar dos velhos, apenas para encontrarem a morte da mesma maneira que a substituíram, e assim com o cenário se repetindo, repetidamente.

O garoto,um pequeno moreno, ficou em seu lugar perto dessa dita janela antiga, dedos bronzeados compridos pressionados contra o vidro frio e empoeirado, enquanto ele observava tão silencioso quanto a própria noite,chuva caindo sobre a chuva, seguindo seu caminho.Olhos brilhantes e inocentes.

Esses olhos eram coloridos em uma cor marrom. Mas essa não era uma maneira de descrevê-los. Eles não eram um marrom simples, não, estavam brilhando em espectro de cores. De um marrom avelã em flor, a um marrom chocolate suave,a um marrom escuro implacável e profundo como a madeira escura,provocando o espectador a examiná-lo mais de perto,atraíndo a se perder nesses olhos. Esses olhos de perder o fôlego, uma galáxia cintilante capturada nas orbes, pertenciam a Kim Taehyung.

Um garoto jovem, simpático e animado, que descansava a cabeça nos joelhos,o lábio inferior, como sempre, capturado entre os dentes brancos. Seu suéter pendia de seu corpo magro como lombos, o que não era surpresa, já que o corpo do garoto era formado como uma folha delicada, fraca demais para lutar mesmo contra um vento forte ou até uma brisa.

Seus longos cachos estavam pintados de marrom, chocolate, solo e café, caindo em uma franja fofa e encaracolada na testa, seu cabelo comprido quase cobrindo aqueles olhos atraentes que ele podia chamar de seu.

No momento, esses olhos estavam fixos na janela, como sempre quando era essa hora do dia. O sol estava prestes a se pôr e era a hora favorita do dia de Taehyung, bem como a hora do nascer do sol, mas ele estava sempre dormindo esse período, então sua mente estava concentrada em, pelo menos, ver o sol cair na noite.

Oh,o pôr do sol...

Quanto Taehyung adorou desta vez.

Todas as cores que o mundo tinha a oferecer mostrariam durante esse período específico, pintando o mundo com as cores do sol moribundo que estava prestes a se pôr no dia seguinte, totalmente recuperado de sua morte, brilhando tão intensamente durante o dia, presenteando luz para o mundo até a hora de desaparecer. E o sol fez, em cores espetaculares que poderiam respirar se você estivesse ciente da beleza desses momentos preciosos.

Taehyung estava ciente desses momentos ele armazenou, os manteve carinhosamente em seu coração. Trancar esses belos momentos como se fosse a coisa mais preciosa a se lembrar. Taehyung sabia como saborear a beleza, ele era um artista. Ele sabia como os raios se espalhavam pela superfície da terra, enchendo o mundo com sua luz dourada até que se desvanecesse em rosa, rosa suave, vermelho, roxo e veludo

Até que nada restou além da memória.

Não até o novo dia começar.

Deixava o pequeno moreno sem palavras, toda vez que ele estava assistindo esse belo momento. Ele queria saboreá-lo, prendê-lo em uma tela, preenchendo o branco inocente com as deslumbrantes cores de tirar o fôlego, mas ele também não queria.

Como ele ousa, querendo capturar algo tão inocente, tão puro? Quem era ele para querer algo tão egoísta pra sí mesmo? E, especialmente, a maneira como a chuva brilha quando o sol os atingem,uma luz que estava morrendo, ainda trazendo algo mais com sua luz para a vida, iluminando-a, enfatizando-a.

 As gotas pareciam pequenos diamantes e, novamente, Taehyung queria esticar a mão para agarrar aquelas belezas preciosas, mas ao mesmo tempo, ele sabia que se o fizesse, elas teriam ido embora no segundo que as tocasse.

Bonito, mas intocável. Igual a ele.

Taehyung não pôde senão encarar as ocorrências naturais que se desenrolavam à sua frente, provocando-o a segura-lás, mas ele ainda não era capaz. E então ele estava condenado a assistir ao espetáculo, todas as vezes, todos os dias.

Sem um pincel na mão, cores para quase capturar as que o pôr do sol pintou, uma tela na frente dele para pelo menos salvar algumas dessas cores de tirar o fôlego. Engraçado,como ele poderia saborear esses momentos exatamente quando estava fora do alcance dele.

Um suspiro suave, quase inaudível, escapou da da garganta de Taehyung, seu corpo pequeno se enrolou enquanto sua mão deslizava do vidro, deixando as pontas dos dedos macias , escuras e sujas de poeira, mas ele não se importou. Parecia que ele estava tendo tinta nos dedos novamente, ele  sentia falta desses momentos.

Os tempos que ele estava livre.

Taehyung olhou por cima dos ombros, grandes olhos de corça procurando por algo na penumbra, ossos frágeis da bochecha expostos ao sol que desaparecia, um nariz fofo, lábios como pétalas cor de rosa intocadas se abrindo antes que uma língua rosada e macia saísse umedecendo-as, deixando uma fina camada de saliva cair sobre eles. Seu olhar cansado caiu sobre as barras de ferro que o mantinham longe de sua liberdade, ele podia ouvir gritos, os gritos que ele tentava bloquear tão mal, gritos de agonia, gemidos dor, soluços de desespero, e implorando.

Implorando para acabar com tudo.Sussurros para sair e brincar. Mas Taehyung já estava entorpecido com todos esse sons, os sons de presos. Invencível ao terror exibido em todas essas vozes.

De repente, um frio trêmulo se abateu sobre seu pequeno corpo ele choramingou,puxando o suéter macio para mais perto dele. Tentando capturar o pouco calor que seu corpo enfraquecido ainda recebia.

O pôr do sol se foi e agora, os demônios saíam para brincar.

E eles sempre quiseram brincar com Taehyung.

"Ei,Kim,Sua visita está aqui para você! "

Kim Taehyung abriu um sorriso suave e quebrado. 

                         ~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...