1. Spirit Fanfics >
  2. Quebrável-Taegguk >
  3. Chapter four

História Quebrável-Taegguk - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Chapter four


  Taehyung tremia no ar frio, suas roupas estavam ensopadas em água gelada e ele tentou o melhor pra se tornar ainda menor, para manter seu calor pra si mesmo, mas sem muita utilidade.

O ar estava frio como gelo, arrepios visíveis em sua pele e o pequeno moreno não queria nada além de dormir, mas ele também não tinham permissão. Seu castigo não havia terminado, ele ainda estava em tratamento. E ele odiava cada segundo disso.

Após a pequena sessão de teaser, ele foi acompanhado, mais como arrastado, de volta ao seu quarto, mais como uma cela, antes de ser ensopado em água gelada por um guarda sorridente e diabólico. Então o empurrou de volta a sua cela com pingos de cabelo.

Houve um tempo de resistência, gritando com os guardas e desafiando-os. A última vez que ele fez isso foi cerca de 500 dias antes, ele estava quase espancado até a morte, eles atingiram em qualquer lugar, exceto em seu rosto, já que Minho não gostava de ver nenhuma mancha nesse 'belo rosto' e os guardas que o espancavam. Foram demitidos. Talvez mortos também, Taehyung não sabia e certamente não se importava.

Porque agora, eles encontraram outras maneiras de torturá-lo.

"Sem dormir, Taehyung!", uma voz mecânica alta soou, fazendo o pobre garoto abrir os olhos, suas pálpebras estavam tão pesadas, ele estava tão frio e com tanta fome...eles apenas esperaram que ele desse uma pausa... eles tentaram por 1097-não, 1098 dias...

E Taehyung ainda estava lutando. Ainda não desistiu. Um pequeno sorriso cansado se espalhou por seus lábios rachados enquanto ele continuava tremendo, puxando os joelhos para mais perto do peito e apoiando a cabeça pequena nos mesmos.

"Taehyuuung", o moreno estalou sua língua irritado, mas olhou para o cara na frente das barras de sua cela, acenando fracamente antes de deixar a mão no colo.

"Ainda acordado, grandão". Taehyung sussurrou, a voz tão fraca, que era quase inaudível.

Seus olhos se fecharam, mas outro som alto o fez abrir os olhos. Taehyung deveria estar acostumado a isso, ele estava vivendo neste inferno a praticamente 3 anos, os guardas e médicos tentando quebrar o último pedaço de sua sanidade, consumindo cada vez mais sua energia.

Ás vezes, ele não conseguia acompanhar toda essa loucura, sendo torturado, recebendo visitas de Minho, olhos assustadores e repugnantes movendo-se sobre se pequeno corpo, toda a sua família morta e ele ficou quebrado e sozinho.

Não que ele tenha sido estuprado...mas os olhares foram suficientes para fazê-lo tremer de medo. Outro som mecânico alto ecoou, Taehyung se encolheu e fechou seus olhos com dor. Pequenos pontos pretos apareceram na frente dele quando os abriu novamente e começou a soluçar pouco antes de morder o lábio, impedindo que os sons saíssem.

"Estou acordado, ok! Deixe-me pelo menos tremer em paz!", Taehyung gritou, fazendo o guarda na frente da cela rir. O garoto era um paciente de coração mole, tomando suas punições e terapias silenciosamente para que suas que suas explosões fossem raras.

Ninguém levou a sério o gatinho fofo de qualquer maneira enquanto ele estava com raiva, apenas rindo dele antes do endurecimento de sua punição, desfrutando de seus pequenos gritos e choramingos.

"Você é fofo quando está com raiva. Mesmo quando você está encharcado e parece uma bagunça, você ainda é lindo", comentou uma voz nova e Taehyung levantou fracamente a cabeça, choramingando de dor quando sua mente girou por seus movimentos duros.

"Hey Minho...Você voltou cedo...",   Taehyung disse casualmente, apoiando a cabeça nos joelhos enquanto Minho o observava com um sorriso falso.

"Acho que senti sua falta", Minho sorriu, observou seu futuro noivo que ainda mantinha a aparência angelical.

"Abra a porta!", Minho ordenou e o guarda rapidamente obedeceu, abrindo a porta, Minho entrou com confiança no pequeno quarto escuro.

  Taehyung estava sentado em sua cama novamente, as costas ossudas dobradas, então sua cabeça ainda estava apoiada nos joelhos, parecia doloroso, mas o garoto não conseguia sentir esse tipo de dor agora.

"Como uma folha quebrada...que triste, minha flor", Minho riu, mas franziu as sombrancelhas quando viu que Taehyung não estava respondendo.

"Nenhuma observação inteligente?", o perguntou surpreso, mas depois notou que Taehyung chorava.

"Eu odeio você!", Taehyung soluçou, encharcando os joelhos já molhados com ainda mais líquido. Mas ele não se importava que o choro fosse idiota e inútil, porque precisava de ainda mais energia. Energia que ele não tinha mais.

"Eu não posso mais fazer isso...", Taehyung sussurrou, ele queria desistir, dormir,pelo menos outra coisa do que deixar tudo isso acontecer com ele.

Minho sentou-se ao lado dele, acariciando as costas frágeis do garoto. Sentindo todos os ossos de sua coluna.

-Veja como eles te tratam aqui, querido. Você apenas tem que me dizer que você é meu e eu vou te tirar daqui neste instante. Então, qual a resposta, minha flor? 

As palavras deixaram Taehyung zangado, tão furioso que ele conseguiu levantar a cabeça para encarar Minho por isso. Aqui estava ele, chorando e se separando, mas Minho só queria possuí-lo, ele não se importava nem um pouco com seus sentimentos. Taehyung não era nem a alma gêmea do próprio, mas o homem estava tão obcecado por ele, afastando-o de sua chance de encontrar sua alma gêmea.

"Eu nunca serei seu!", Taehyung sibilou furiosamente, mas se arrependeu profundamente de suas palavras porque sua cabeça começou a latejar com o comentário zangado que ele não deveria ter feito. Minho apenas riu divertido, pegando o queixo do garoto na mão, levantado seu rosto frágil, observando os olhos zangados de filhote de cachorro o olhando.

"Oh Tae, não é como se você tivesse uma escolha. Você só vai se machucar mais...Estou tentando ajudá-lo,meu querido", as palavras zombaram ainda mais de Taehyung, ele se sentiu tão impotente, tão preso e ficou tão bravo com o fato de estar à mercê de Minho.

"A culpa é sua por eu estar aqui! Você me deixa trancado aqui! Eu sou apenas um prisioneiro seu...eles me forçam a ficar aqui, e me torturam por sua causa!", Taehyung gritou com ele e choramingou, quando Minho derepente o virou. O mesmo agarrou seus pulsos pequenos e ossudos, puxando-os por cima da cabeça e os ossos do garoto estralaram pelo movimento doloroso.

"E de quem é a culpa? Você está sendo uma prostituta teimosa agora. Muitas pessoas gostariam de estar no seu lugar. Você será meu, flor. Apenas concorde e eu vou acabar com tudo.", Minho rosnou para o moreno fraco abaixo dele.

Taehyung apenas cerrou os dentes para o mesmo antes de virar a cabeça, as maçãs do rosto afiadas em exibição total. " Arranje uma nova prostituta com a qual você possa brincar. Prefiro ficar aqui o resto da minha vida a me entregar para um bastardo feito você!", Taehyung exclamou.

Smack!

A delicada cabeça do garoto bateu grosseiramente contra o colchão fino e uma vermelha e ardente marca apareceu em sua pele macia. O moreno ofegou, lágrimas formigando em seus olhos e ele chorou pouco antes de Minho o agarrar pela garganta.

"Isso não vai acontecer, você vai ser meu!", o homem rosnou, adicionando pressão ao aperto. "Você vai quebrar, querido. Farei que você sinta essa dor, até que você esteja me implorando para levá-lo comigo. Estarei esperando por esse momento, mi flor", Minho ronronou as últimas palavras antes de beijar a bochecha tensa de Taehyung.

"Aproveite sua estadia, lindo."

O homem o soltou, e o garoto ofegou ar, enrolando-se e chorando silenciosamente quando Minho saiu.

Deixando o sozinho em sua miséria.

                          ~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...