História Quédate... - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Alfredo, Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo Balsano, Nina, Personagens Originais, Simón
Tags Gastina, Luna, Lutteo, Matteo, Simbar
Visualizações 127
Palavras 1.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo VIII


Fanfic / Fanfiction Quédate... - Capítulo 8 - Capítulo VIII

Os três entraram no estabelecimento e Matteo colocou Sol no chão. Luna olhava admirada tudo em sua volta. Nada mudou. Pensou a mesma olhando para a cafeteria. Um sorriso inesperado brotou em seus lábios assim como nos de Matteo e Sol.

A mesma notou que algumas pessoas levavam algo para o palco que ainda permanecia no centro do local e franziu a testa levemente.

-Open — disse Matteo antes que a morena perguntasse.

-O que é esse... Open? — perguntou Sol olhando para seu pai.

-Um evento em que as pessoas do Roller cantam em cima daquele palco — disse Matteo olhando para a pequena.

-Vocês dois já participaram? — perguntou Sol trazendo a mãe de volta de suas lembranças mais profundas. Luna e Matteo se entreolharam por alguns segundos e sorriram olhando para Sol.

-Muitas e muitas vezes — disse Luna. — Seu pai uma vez me levou para o palco sem eu nem ao menos saber a letra da música que iríamos cantar — A mesma diz olhando para Matteo que riu pelo nariz.

-Ela cantou bem, pai? — Sol pergunta olhando para o mesmo.

-Muito bem — Matteo diz olhando para Luna. A mesma sorriu e olhou em volta.

Seus olhos pousaram em uma mesa em frente ao palco onde um homem e uma mulher estavam sentados.

-Emilia? — Luna diz ainda olhando para a mulher sentada que a olhou. A boca da loira abriu em uma expressão de espanto e logo olhou para o homem em uma frente sussurrando algo fazendo o mesmo também olhar para Luna. A morena reconheceu ser Benicio. Os dois se levantaram e foram até a morena que ainda os olhava surpresa.

-Oi, Luna — disse a mesma. A morena piscou várias vezes.

-Oi — disse os olhando. — A... a quanto tempo.

-Quem são, mãe? — perguntou Sol. Luna a olhou.

-Mãe ? — perguntou Emilia olhando para Luna que a olhou.

-Essa é uma amiga nossa — disse Luna olhando para a sua filha, mas logo voltou olhar para Emilia que mantinha uma expressão de surpresa em sua face. — Emilia, Sol. Sol, Emilia — Luna as apresenta. Os olhos de Emilia descem até a pequena e a da um pequeno sorriso logo depois olhando para Matteo.

-É... filha de... vocês? — perguntou Emilia olhando hora Matteo hora Luna.

-Sim — disse Matteo. Os olhos de Emilia pousaram em Luna.

-Quando...

-Emilia — Luna a interrompe. —, agora não, OK? — disse a morena olhando de esguelha para sua filha logo para a loira em sua frente.

-Claro — disse a mesma em um suspiro e olhou para Sol. — Foi um prazer de conhecer — disse ela com um sorriso que foi retribuído por Sol.

-Amor, vamos — disse Benicio ainda ao lado da loira. Emilia o olhou e assentiu.

-Foi um prazer revê-la, Luna — disse a mesma olhando para a morena.

-Digo o mesmo, Emilia — disse Luna lhe dando um pequeno sorriso que a loira retribui.

Os dois saíram pela porta atrás de Luna, Matteo e Sol. A morena respirou fundo e olhou para Matteo.

-Quem era ela? — perguntou Sol olhando para a mãe.

-Uma amiga de muito tempo — disse Luna.

-É por causa dela que vocês não estão juntos? — perguntou a pequena olhando hora para Matteo e hora para Luna. Os dois se entreolham e a morena olhou para Sol.

-Não. Eu e o seu pai não estamos juntos porque... — A mesma olha para Matteo em busca de ajuda, mas então percebeu que Matteo estava com o mesmo olhar.

-Porque não era para ser — disse Matteo olhando para Sol que o olhou. Mas Luna manteve seus olhos em Matteo.

Era isso que ele pensava? Pensou a mesma. Que, simplesmente não era para ser? Sua cabeça voltou para terra quando ouviu uma voz bem familiar ecoar pela local;

-Não, as caixas vão ali — disse Simón. Luna olhou em volta e viu o mesmo com uma prancheta em mãos atrás do balcão da cafeteria dando ordens à um homem um pouco mais velho que o mesmo que também a resultava familiar. O moreno levantou a visão e olhou para os três logo após, dando um grande sorriso.

-Padrinho — disse Sol sorrindo indo até o mesmo. Luna e Matteo foram logo atrás da mesma.

-Oi, meu anjinho — disse Simón a pegando nos braços e colocando a prancheta sobre a bancada. — Um tour ? — pergunta o mesmo olhando para a pequena em seus braços.

-Sim — disse a mesma. — A gente só conheceu o Roller por enquanto, mas eu gostei daqui. É bonito — disse a pequena olhando em volta.

-Isso porque ainda não viu a pista — disse Luna. Sol a olhou com suas íris verdes claro brilhando. Luna e Matteo riram pelo nariz e se olharam.

-O que a gente tá esperando? — perguntou Sol os olhando. A pequena depositou um beijo na bochecha de Simón que a colocou no chão e correu até seus pais o puxando pela mão na direção da porta que levava até a pista. Os dois riram.

-Até mais tarde, Simón — disse Luna o olhando e recebendo em resposta um aceno de cabeça de seu amigo. A mesma olhou para Sol e foi sem hesitar até a porta que levava a pista.

Novamente naquele dia, Luna sentiu seu coração falhar uma batida. A mesma contemplava cada detalhe da pista como fez da primeira vez que esteve ali. Sol não era diferente, admirava cada detalhe da pista com sua boquinha aberta em um gesto de admiração e seus olhos percorriam toda a pista. Matteo, olhava as duas com um sorriso em seus lábios.

-Está tudo igual — disse Luna ainda olhando em volta. A mesma olhou para Matteo que já olhava sorrindo e sorriu. — Tudo.

-Eu posso patinar? — perguntou Sol. Os dois a olharam.

-Bem, eu não sei. Talvez fosse melhor você ir praticando — disse Luna a olhando.

-Se eu cair... — Sol disse olhando para as pessoas patinando na pista.

-Vou te ajudar a levantar — disseram Luna e Matteo em uníssono. Os dois se olharam e sorriram.

-Vamos estar sempre do seu lado, filha — disse Matteo ajudando Sol a colocar os patins recém comprados.

Depois de conheceram a pista e tomar uma vitamina na cafeteria do Roller , os três foram à uma loja ali perto e compraram um par de patins para a pequena. Depois de muita insistência da parte de Matteo o mesmo pagou os patins e os mesmo foram para o parque.

-E se você cair... — disse Luna, mas foi interrompida por Matteo.

-Menina Delivery , ela tem o meu sangue. Óbvio que não vai cair — disse o moreno olhando para a mesma que negou com a cabeça e revirou os olhos.

-O senhor nunca caiu, pai? — perguntou a pequena ficando de pé com a ajuda dos pais.

-Nunca — disse Matteo, seus olhos fixos em Sol. — O segredo é manter os joelhos flexionados e se concentrar em sua frente. — A pequena olhou para baixo. — Ei, não olhe para baixo — disse o mesmo sorrindo. Sol o olhou e retribuiu o sorriso. — Olhe para mim ou para sua mãe, OK? — disse o mesmo sorrindo. Sol assentiu.

Com a ajuda dos dois, a pequena conseguiu. Sol dava vários gritinhos de comemoração que arrancaram risos de Luna e Matteo. Ainda de patins, os mesmos foram até uma sorveteria e compraram três sorvetes. Um de chocolate e dois de morango. Quando terminaram de os tomar, Sol tirou os patins e os guardou em uma bolsa na qual eles viam guardados.

-Meus pés estão doendo — disse a pequena ainda sentada no banco.

-Essa é uma das desvantagens dos patins — disse Luna.

-Disse quem nunca saía da pista — disse Matteo sorrindo.

-A mamãe ficava muito tempo lá? — perguntou a mesma sorrindo. Matteo riu pelo nariz e olhou para Sol.

-Ela poderia passar um dia lá dentro. — Luna sorriu.

-Isso é verdade. — A morena solta um suspiro. — A patinação era a minha paixão — disse Luna em um sussurro.

-Porquê parou? — perguntou Sol a olhando. Luna deu de ombros.

-A vida de adulto tomou conta de mim.

-Então eu não quero ser adulta — disse Sol. — Essa pode ser a primeira vez que eu patino, mas eu amei. — Os dois sorriram.

-Como seu pai disse; está no seu sangue — disse Luna olhando para Matteo que a olhou em seguida dando um pequeno sorriso sem mostrar os dentes.


Notas Finais


olha so quem reapareceu...👀

Euzinhaaa!🙆‍♀️ capítulo novo saindo do forno agorinha minha gente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...