História Quédate. - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Francisco "Isco" Suárez, Marcelo Vieira, Marco Asensio
Personagens Personagens Originais
Tags Alarcon, Isco, Madrid, Real
Visualizações 544
Palavras 2.558
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi bebês. Tô atrasada, perdão :)

Primeiramente; eu amo essa foto pq o Marcelo tá com cara de quem vai aprontar HAHAHA eu amo ele. Demais. Eh isto.


Desculpa os erros e boa leitura! ❤

Capítulo 14 - Catorce.


Fanfic / Fanfiction Quédate. - Capítulo 14 - Catorce.

Alguns dias depois...

Eu estava no sofá do meu apartamento, com Júnior ao meu lado, enquanto nós dois assistíamos o jogo do Real fora de casa. O jogo já estava chegando ao fim, Sergio Ramos havia acabado de ser expulso pelo segundo cartão amarelo e o Real empatava, o que era realmente bem ruim. Nove minutos depois, a partida acabou ainda empatado em zero a zero.

— Será que o papai tá triste? — Júnior perguntou.

— Ele deve estar chateado, amor. Mas isso é normal — Eu disse, vendo-o subir em meu colo.

— Eu tenho uma idéia pra deixar ele feliz — Ele disse sorrindo sapeca.

— Então me fala, vamos ver se é tão boa quanto a minha — Eu disse.

— Você também tem uma? — Ele arregalou os olhinhos castanhos, me fazendo sorrir graciosa.

— Eu tenho — Eu disse o apertando em meus braços e deixando beijos em sua bochecha.

— A gente podia fazer um bolo pra ele, Malu. Um bolo bem gostoso — Júnior disse rindo dos meus beijos.

— Então nós tivemos a mesma idéia. Daqui a pouco ele chega e nós podemos fazer uma surpresa — Eu sugeri, vendo ele assentir sorrindo — Bolo de quê, uh?

Eu desliguei a televisão e nos levantamos, indo para a cozinha.

— Não sei, Malu. Eu tô enjoado de bolo de chocolate — Ele disse.

— Já sei! Pode ser de cenoura — Eu disse, vendo-o fazer caretas.

— Eca! Mas cenoura é ruim — Júnior disse com a careta permanente.

— Pra falar a verdade, eu também não gosto muito — Eu fiz a mesma careta que ele, o ouvindo rir — Mas o bolo é uma delícia.

— Eu nunca comi — Ele disse, enquanto eu me virava para pegar o leite na geladeira.

— É mais comum no Brasil. Mas eu posso te garantir que você vai amar. Além do mais, leva calda de chocolate por cima — Eu disse, vendo ele sorrir agora.

— Então eu quero! — Ele disse empolgado.

Eu ri, terminando de pegar outras coisas que precisavam para o bolo e com a ajuda dele, nós começamos a preparar a receita. Júnior me ajudava nas medidas, enquanto eu fazia todo o resto. E como sempre, ele se sujava todo de farinha. Em pouco tempo, a massa já estava no forno e eu derretia o chocolate para a calda. Nesse momento, eu ouvi o meu celular tocando.

— Vida, pega ali o celular da tia, por favor — Eu pedi.

Júnior pegou o celular em cima do balcão e voltou a comer sua barra de chocolate sentadinho.

— Ei — Eu sorri ao atender o espanhol.

— Oi, babe. Tudo bem? — Ele perguntou, parecia exausto.

— Eu estou ótima — Eu disse, ainda mexendo o chocolate — E você? Eu vi o jogo.

— Está tudo bem, mi amor. Mas o clima nem tanto, semana que vem é a final do Mundial e parece que não estamos tão bem — Isco disse.

— Foi um jogo difícil, Isco. Não se cobre tanto... — Eu disse, ouvindo o seu suspiro.

— Eu preciso de você e do meu bebê — Ele disse dramaticamente, então eu ri — Eu chego em duas horas.

— Vai vir direto pra cá? — Perguntei.

— Sem dúvidas, babe. Eu só precisava ouvir sua voz e saber se você estava bem — Ele disse e eu sorri com isso — Até depois? — Perguntou.

— Até depois, amor — Eu disse sorrindo, em seguida nós desligamos.

Deixei o celular em cima do balcão novamente, quando já havia terminado de derreter o chocolate. Deixei o mesmo esfriando, enquanto o bolo terminava de assar.

— Bem, enquanto isso fica pronto, o senhor vai pro banho. Vamos — Eu disse pegando Júnior no colo.

— Ah, Malu! Eu estava terminando o chocolate — Ele disse, me fazendo rir com o redor de sua boca totalmente sujo.

— Mas, meu amor, se você comer muito vai passar mal. Amanhã você termina, ok? — Eu murmurei beijando a sua bochecha.

— Tudo bem — Ele concordou e eu saía com ele da cozinha — E o papai?

— O papai disse que está bem e que logo chega aqui — Eu disse — Ele disse que quer muito ficar com você.

— Eu tô com saudades dele — Júnior disse.

— Ele também, daqui a pouco ele chega — Eu disse, entrando com ele no banheiro.

Enquanto Júnior conseguia se despir sozinho, eu ligava o chuveiro com a água quentinha pra ele. Logo depois, ele entrou debaixo da água e eu saí rapidamente do banheiro para pegar a sua roupa na pequena mochila dele. Rapidamente voltei pro banheiro e o ajudei com o resto do banho, enquanto ele me ensinava a cantar alguma música que aprendeu em um desenho animado. Depois que ele já estava seco, com sua roupa e suas chupetas, deitou no sofá da sala.

Eu voltei para a cozinha e tirei o bolo, esperando alguns minutos para esfriar. Depois disso, eu desenformei em um prato de bolo e derramei a calda por cima. Estava bem bonito, na verdade. Eu sorri satisfeita. Amava quando eu fazia o que amava com perfeição. O cheiro também estava ótimo, o que fazia meu estômago roncar levemente.

Decidi chamar Júnior para fazer um pequeno lanche antes que ele pudesse ir dormir, mas já era tarde demais. O pequeno provavelmente já estava em seu décimo sono em cima do meu sofá. Eu ri levemente, percebendo o quanto eu realmente o amava e amava estar com ele. Peguei-o com cuidado no meu colo, o levando para o quarto de hóspedes – que ele praticamente podia falar que era dele.

Quando voltei pra sala, acabei me sentando no sofá para assistir qualquer coisa que passava, mas quando eu menos percebi, estava acordado com a campainha tocando. Eu passei a mão nos olhos, tentando eliminar o sono forte que eu sentia. Me levantei, quase me arrastando até a porta e a abri, vendo Isco com uma expressão divertida.

— Oi — Eu sorri leve.

— Oi — Ele sorriu também.

Isco segurou meu rosto com as suas mãos levemente frias e selou os nossos lábios várias vezes. Eu ri leve me afastando ele e o puxando para entrar, fechando a porta em seguida.

— Que saudades eu senti — Ele disse me abraçando forte — E o Júnior?

— Dormiu tem alguns minutos — Eu disse presa em seu abraço e perdida em seu perfume.

— Ele está bem? — Isco perguntou franzindo o cenho.

— Sim, amor. Ele só estava cansado — Eu disse o olhando e vendo-o sorrir.

— É bom ouvir você me chamando assim — Ele disse, deixando outros beijos nos meus lábios.

Eu me afastei dele, pegando em sua mão gigante em comparação a minha, então o puxei em direção ao quarto onde Júnior estava. Fiz sinal de silêncio, enquanto eu e ele nos aproximavámos da cama. Isco deixou um leve beijo na testa do pequeno, sorrindo em seguida fazendo alguns carinhos no rosto de Júnior. Eu sorri com isso. Em seguida, saímos do quarto novamente.

— Lu... — Isco suspirou, me puxando para sentar no sofá ao seu lado, me abraçando de forma protetora — Eu tenho um pedido pra te fazer. Na verdade, acho que você não tem muita opção.

— Ah é, Francisco? — Eu ergui as sobrancelhas, olhando o seu sorriso divertido — E o que seria esse pedido? Ou mandato.

— Eu quero que você vá com o Júnior, acompanhar a mim e o Real no Mundial no Emirados Árabes — Ele disse, me fazendo arregalar os olhos.

— Está brincando comigo? — Eu perguntei, ouvindo ele rir leve.

— Não, babe. Eu quero muito que você e ele estejam lá. Principalmente se formos campões — Ele disse.

— Isso é incrível — Eu disse sorrindo — Isco...

— Por favor, amor. Vem comigo — Ele pediu, deixando um beijo na ponta do meu nariz.

— Ok — Eu murmurei sem resistir aos seus olhos castanhos.

— Isso! — Ele comemorou, me fazendo rir — Acho que vai me trazer sorte.

— Não se ilude, Alárcon. Eu só vou pela saudade do futebol brasileiro — Eu brinquei, vendo seu olhar incrédulo.

— Você está indo na intenção de ver quem, Maria? — Ele perguntou.

— O Luan. Ou talvez o Arthur. Você sabia que na próxima temporada o Arthur vem pro Barcelona? Vai ser mais fácil agora — Eu disse, vendo ele cerrar os olhos.

— Eu não acredito que estou ouvindo isso — Isco negou com a cabeça, enquanto eu prendia a risada — Não quero você comemorando se a gente ganhar deles, ouviu? Que traíra. Arthur, quem é esse cara?

— Um dos melhores meias do Brasil, meu bem. É por isso que vai vir pra Espanha — Eu disse.

Ele bufou negando com a cabeça, me mostrando que realmente não estava gostando daquilo. Eu precisei gargalhar.

— Amor, é brincadeira — Eu disse me virando pra ele — Eu vou pro Emirados Árabes ver você e torcer pelo meu time. Eu não ligo para os jogadores do Grêmio.

Isco me olhou, ainda parecendo indignado e com a sua expressão ainda séria. Ele ficava totalmente lindo daquele jeito, com os lábios retos e as sobrancelhas mostrando que ele estava bravo, mesmo que fosse levemente. Eu ri, selando meus lábios nos seus, e quando o olhei de novo, ele sorria.

— Não é legal me deixar com ciúmes desses caras, Maria — Ele disse, deixando sua mão em meu rosto.

— Você é muito ciumento, Francisco — Eu disse sorrindo, recebendo um selinho em troca — Júnior insistiu que você estava triste e nós fizemos um bolo. Você quer? — Eu perguntei, deixando minha cabeça em seu peito.

— Sim, por favor — Ele disse, então nos levantamos.

••••

— A Cla ainda vai demorar muito pra chegar? — Eu perguntei, me jogando ao lado do Marcelo.

— Não, morena — Ele disse, aproveitando para me abraçar — Ela só foi na casa do Caio pegar os meninos. E você, por que não está com o Isco?

— Ele ainda está com os pais, deixei que eles tivessem um momento família — Eu disse, deitando meu rosto no ombro do cabeludo.

— Eu aposto que ele te considera da família — Marcelo murmurou — Como foi conhecer os pais dele?

— Foi bem legal. A mãe dele foi um amor comigo — Eu sorri satisfeita — Falando nisso, advinha quem vai pro Emirados Árabes em uma semana?

— Eu, o Cris, o Casemiro, o Isco... — Marcelo fez uma contagem, me fazendo revirar os olhos.

— E eu, cabeça oca — Eu disse, vendo ele rir.

— Você vai pelo Isco ou pelo Arthur? Aliás, o Francisco sabe que você gosta do Arthur? — O moreno perguntou sorrindo divertido.

— Talvez — Eu murmurei dando os ombros.

— Eu vou contar pra ele — Marcelo disse soltando uma risada debochada no final.

— Você quer acabar com o meu namoro? — Eu perguntei, vendo-o rir.

— Não. Eu só quero dar uma lição nesse espanholzinho por roubar você de mim — Ele disse.

— Fala sério, nego. Meu coração é todo seu — Eu disse, pegando o seu celular.

Peguei na mão dele, colocando seu dedo no leitor digital e desbloqueando a tela do seu celular. Enquanto agora Marcelo voltava a focar em sua partida de FIFA, eu entrava no seu WhatsApp. Não abri as mensagens que tinha ali, apenas fui na câmera do status e tirei uma foto nossa, com ele distraído. Deixei a legenda apenas com uma manete de videogame e um coração preto, postando a foto em seguida.

— Morena?! — Marcelo murmurou largando sua manete, então eu larguei o celular também.

— Oi — Eu disse me virando pra ele.

— Já tem um mês e meio que você está aqui. Como está se sentindo? — Ele perguntou — Sabe, eu nunca te vi sorrindo tanto como você está ultimamente, morena. Sua alegria tem sido contagiante. Esse brilho nos seus olhos, não eram tão visíveis quando estava no Rio.

— Celo, vir pra cá foi a melhor escolha que eu fiz na minha vida. Eu nunca estive tão feliz como estou agora. De verdade, essa é a melhor fase da minha vida. Eu não me sinto ignorada aqui, realmente me querem por perto, e é isso que faz diferença pra mim. Eu só tenho que agradecer a você e a Cla.

— Você sabe que não precisa agradecer, Maria. Você faz parte da nossa família, e eu faço de tudo pra ver a minha família feliz — Ele disse — Além do mais, você sabe que não precisa pensar duas vezes para contar comigo em tudo.

— Obrigada. Você é o melhor irmão do mundo — Eu disse lhe abraçando — Me adota.

— Deus me livre, o Liam e o Enzo já esgotam a minha energia. Obrigado, mas o Isco fica com você — Ele murmurou sorrindo divertido, então eu gargalhei.

— Ridículo. Eu sempre soube que você queria me empurrar pra cima do Isco — Eu cruzei os braços.

Antes que ele pudesse dizer algo, a porta foi aberta. Primeiramente Enzo e Liam entraram correndo pela casa, brincando de alguma coisa. Atrás deles, a Cla entrou com as mochilas.

— Ei — Eu murmurei longo indo até ela e lhe abraçando forte.

— Morena! — Ela sorriu me abraçando de volta — Que bom ver você.

— Deixa eu te ajudar — Eu disse pegando a mochila do Enzo — E vocês, não vão falar comigo?

Enzo riu leve, vindo em minha direção e me abraçando forte, deixando um beijo longo na minha bochecha. Liam veio logo atrás, pulando no meu colo e me abraçando forte.

— Meu Deus que saudade desses abraços gostosos — Eu disse apertando a bochecha dos dois — Como vai lá no Real?

— Bem! Eu tenho um jogo depois de amanhã, e aí faremos pausa para o natal e ano novo. Mas o técnico disse que estou melhor do que nunca — Enzo disse orgulhoso de si mesmo.

— Muito bem! Parabéns, Enzoboy — Eu disse sorrindo e passando a mão em seus cachos — Eu vi alguns vídeos, têm feito uns golaços em.

— Eu treino bastante, Malu — Ele disse sorrindo.

— Continue assim — Eu beijei sua bochecha pela última vez.

Em seguida eu me levantei, indo com Clarice até o quarto dos meninos deixar a mochila deles. A morena suspirou e se jogou na cama de Liam, me fazendo rir leve.

— Cla... Isco me chamou para ver a final do Mundial semana que vem — Eu disse, sentando ao lado da morena.

— Ótimo! Eu já ia chamar você mesmo. Vamos juntas então — Ela sorriu — Mas parece que tem algo te incomodando.

— Eu não tô com um bom pressentimento — Eu disse baixinho.

— Aí credo, Maria. Nada de errado vai acontecer. Vai ficar tudo bem — Ela disse — E você vai ver o Arthur, uh?!

— Mais uma... — Eu disse rindo alto — Eu vou ir ver meu namorado e torcer pelo meu time, Clarice.

— Eu shippo você com o Isco, juro. Mas você sempre foi apaixonada nesse menino — Ela disse se levantando.

— Eu era. Agora o meu coração pertence a um espanhol — Eu disse, vendo ela sorrir.

— Que coisa mais linda! — Clarice falou — Já almoçou? Por que eu não. Vamos.

Eu ri, acompanhando Clarice até a cozinha, onde conversamos sobre mais vários assuntos.

Mas o leve pressentimento ruim sobre voar para o Emirados Árabes ainda estava presente em mim. E eu esperava mesmo que não fosse nada demais.


Notas Finais


O que será que vai acontecer em? 👀 Hihi. Já disse e repito: MARCELO MELHOR PESSOA AAAAAAA ❤

Muito muito obrigada pelos últimos comentários e favoritos amores da minha vidinha. Isso me deixa muito inspirada. E me desculpa por não postar ontem, a derrota ridícula do Flamengo me irritou afz. Em fim né... O campeonato não acabou, vamos recuperar essa liderança :)

NÃO ESQUEÇAM DE COMENTAR AQUI. Amanhã tem capítulo novoooooo, dessa vez eu prometo hahaha. Então comentem e até amanhã nenês. Eu amo vocês :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...