1. Spirit Fanfics >
  2. Queen of Rain >
  3. "Celebration"

História Queen of Rain - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


DEMOROU MAS SAIU! Tenho certeza que muitos estavam pensando que não ia sair nada, né? Pois é, eu prometi que ia sair um capítulo a cada dia e cá estou eu cumprindo com minha promessa.

O capítulo de hoje só tem as meninas, mas também tem participação especial do Motley Crue, Jon Bon Jovi e Richie Sambora.

Boa leitura a todos :)

Capítulo 23 - "Celebration"


Fanfic / Fanfiction Queen of Rain - Capítulo 23 - "Celebration"

25/06/1987

Era uma quinta feira, e as meninas foram chamadas na gravadora para uma reunião. Fazia pouco tempo que elas tinham ido lá, sempre pra ensaiar quando tinha algum show previsto — o que estava acontecendo com uma boa frequência, pois a venda do álbum delas estava a cada dia aumentando. E algumas pessoas até reconheciam elas nas ruas (geralmente adolescentes).

Assim que chegaram, a recepcionista as indicou o décimo sexto andar (onde era a sala de reuniões da gravadora). E quando as integrantes chegaram lá, já foram se sentando aproveitando que David e Simon também já tinham chegado.

— Então, temos uma novidade. — Simon anunciou, elas concordaram com a cabeça.

— Pera, antes de vocês falarem, posso fazer uma observação sobre o último show? — Ava perguntou levantou a mão pra falar.

Assim como Simon, David também sentiu um frio na barriga e uma completa tensão só de imaginar que aquela garota pudesse ter descoberto o que aconteceu naquela noite, e que o empresário não estava doente coisa nenhuma... e sim no show da outra banda que ele empresaria também...

— Diga. — Simon tentou ser o mais natural possível, tentando esconder seu nervosismo.

— Você não foi no último show e o Andrew que comandou a porra toda lá no show. — A loira começou a falar, Simon ficou tão nervoso que começou a mexer no nó de sua gravata. — E eu queria saber se ele pode comparecer sempre ficando no seu lugar.

— Por quê? — Simon não estava menos nervoso em ouvir isso, ele temia que elas estivessem o testando e adiando pra no fim gritarem algo como “PORQUE VOCÊ É UM FILHO DA PUTA QUE FOI PRO SHOW DOS TAIS DE GUNS N’ ROSES E NÃO COMPARECEU NO NOSSO”.

— Por curtimos mais ele. Ele não fica enchendo o saco da produção, consegue dar ordens sem ser prepotente, e achamos que você como empresário é muito bom... mas como chefe técnico não está lá essas coisas. — Carol foi direta, e o homem engravatado se sentiu quase aliviado por ser esse o motivo.

— Portanto que ele não cobre um salário por isso... — Simon deu de ombros.

— Claro que não. A parte que você ganharia indo para os shows fica pra ele. — Tiffany respondeu como se fosse óbvio.

— Ouçam, não estou de acordo com isso. — O homem falou firme, e se manteve na postura perante aquele assunto.

— E nós não estamos de acordo em ter você enchendo a cabeça dos nossos técnicos de som na hora do show. No último show não aconteceu nenhum erro, e um dos shows que você foi o chefe, ficamos com pouca fumaça no palco e o jogo de luzes não foi lá essas coisas. — Ava rebateu, não estando nem um pouco satisfeita que o empresário não aceitasse logo de primeira. — Fora que está no nosso direito escolher um técnico para os shows. Seu trabalho é só arrumar eventos, entrevistas, casas de shows, boates e etc.

— Tem que ter outro motivo pra quererem tanto o Andrew. — Simon pensou alto e bufou, não estava acreditando que elas estavam o dispensando.

— Não interessa, caralho! Só queremos e pronto, porra! — Carol falou como se fosse óbvio, já tinha se irritado.

— Ok! Fiquem com ele então. — Simon negou com a cabeça ainda desacreditado, mas não ia ter jeito de mudar a cabeça delas. — Única coisa que tenho a dizer é que em alguns shows eu vou ter que comparecer, por exemplo, o próximo que irão fazer na semana que vem.

— Aonde? — Emma perguntou se curvando pra frente e apoiando os cotovelos na mesa por pura curiosidade.

— É o show que vai determinar muita coisa na carreira de vocês. — David finalmente falou algo, e fez uma pausa gostando de receber todos os olhares nele. — Será um show gravado na MTV, onde vocês vão cantar todas as músicas do álbum novo e vai estar passando ao vivo na emissora.

— O QUE?! — Tiffany foi a primeira a reagir.

— UM SHOW GRAVADO MTV?! — Jesse levantou de sua cadeira olhando os dois executivos, que só concordaram com a cabeça.

— AAAAAAAHHHHHH!!!! — Jesse, Tiffany e Emma gritaram em uníssono.

— Puta merda... — Ava paralisou olhando o nada só imaginando o tamanho da proporção que esse show ia ter.

— Não vão ser só o pessoal do show nos vendo... vai ter gente em casa assistindo ao mesmo tempo também... — Carol também estava paralisada com os olhos arregalados olhando o nada.

— SIIIM!!! — Jesse concordou com o que a morena disse, mas com muita euforia.

— Puta que pariu... — A morena guitarrista se curvou na mesa apoiando sua cabeça por entre os braços.

— MANO!!! VAMOS FAZER SHOW AO VIVO NA MTV! — Emma não parava de pular que nem louca pela sala de reuniões.

Depois das comemorações delas, elas só tiveram que assinar alguns papéis por conta de direitos de imagem e coisas parecidas. Em seguida, foram para o estúdio ensaiar — pois com essa live na MTV, elas iam precisar estar com todas as músicas perfeitamente ensaiadas para que não houvesse nenhum erro no meio do show.

— Vamos comemorar no rainbow hoje? — Jesse perguntou, quando elas fizeram uma pausa de uma música pra outra.

— Pode ser... vai ser bom pra relaxar a mente, faz tempo que não vamos lá. — Emma concordou com a cabeça.

— VAMOS! Bom que eu posso chamar o Jon! — Tiffany respondeu toda animada.

— Ai, sempre tem que ter alguém pra estragar a noite. — Ava disse com ironia, e fez careta.

— VAI SE FODER, AVA! Faz tempo que não vejo meu bebezinho! — Tiffany lançou um olhar mortal pra loira.

— Aé? — Carol falou com sarcasmo, todas as outras riram enquanto a ruiva mostrava o dedo do meio pra irmã.

O ‘aé?’ era uma piada interna entre elas, que queria dizer ‘foda-se’.

— Sendo assim vou chamar o Tommy. — Disse Jesse, após todo o riso cessar.

— Você sabe que quando chama um do Motley, os outros vão junto que nem formiga atrás de doce, né? — Carol perguntou com certo tédio, mas mantinha sua expressão séria.

— Idai? Melhor ainda. — A baterista respondeu como se fosse óbvio.

— Daí que eu não quero ver o Nikki. Não estou com paciência pra ele.

— Por que não terminam logo? — Ava franziu o cenho olhando a morena guitarrista.

— Porque ele se diz apaixonado e amando. Eu detesto isso, mas ainda gosto do sexo com ele... estou esperando enjoar disso também, então eu termino. — A morena respondeu como se fosse a coisa mais normal do mundo.

— Que insensível, Carolina. — Emma respondeu de primeira, fazendo uma careta de desgosto. — Por que não termina de uma vez? Pra que usar a pessoa?

— Ele me usa também. — Ela respondeu com naturalidade. — Ele me trai em turnês e nas festas do Motley, eu só não arrumo confusão com essas merdas porque sexo pra mim não significa nada.

— Então pra que ainda está com ele? — Tiffany perguntou impaciente.

— Porque eu ainda não enjoei do sexo com ele. — Ela também demonstrou impaciência com aquele assunto. — Não temos mais nada além disso. Eu gostava mais dele quando ficávamos sozinhos e conversávamos sobre mil e uma coisas, agora só nos encontramos em grupo e ele não é o mesmo quando está com mais gente.

— Bom, pelo menos vocês dois não brigam por infidelidade... — Ava pegou sua garrafinha de água e bebeu um gole olhando diretamente pra ruiva vocalista.

— Me esqueçam, caralho! Sabem que eu odeio essa palhaçada de vocês de ficar se metendo na minha vida! — Tiffany exclamou após notar os olhares das outras quatro.

Elas resolveram ignorar isso, e voltaram a ensaiar. Ficaram até de noite na gravadora, e depois foram pra casa se arrumar. Tiffany ligou para Jon o avisando, e Jesse para o Tommy.

Não demoraram muito se arrumando, até porque era o Rainbow. Elas viviam indo naquele bar, então não tinha tanta necessidade de se arrumar muito pra nada. Chegaram no bar por volta das 23h da noite e os meninos ainda não tinham chegado.

— Vão querer pedir? — Uma garçonete chegou para atende-las assim que as mesmas se sentaram em seus lugares na mesa.

— Eu vou, mas eu preciso primeiro saber seu nome, meu amor. — Carol olhou para a mulher com um sorriso malicioso.

— Margot. — Ela respondeu com um sorriso largo, se divertindo com a guitarrista claramente dando em cima dela.

A mulher era loira com olhos azuis, seios fartos, uma cintura fina e tinha um sorriso lindo. A guitarrista solo não sabia se a garçonete era bissexual ou coisa assim, mas não ia deixar de demonstrar seu interesse.

— E quantos anos você tem, honey? — A loira baixista também não ia esconder sua vontade de pegar a garçonete.

— 24. — Ela respondeu um pouco tímida.

— Muito bom... — Ava parou olhando o nada.

— Elas só perguntaram isso pra ver se vai ser crime elas te beijarem ou coisa parecida. — Emma esclareceu pra mulher, que riu da situação enquanto Carol e Ava olhavam pra ela com expressões sérias.

— É serio?! Olha que eu beijo em. — Margot ficou vermelha quando falou.

— Pode escolher, meu amor. Mas se quiser ficar com as duas também não tem problema nenhum. — Carol deu de ombros fazendo careta, e Ava só olhou pra garota esperando a resposta.

— A morena. — A garota respondeu e a guitarrista levantou de prontidão pra ir beija-la.

Carolina nem deixou a menina falar absolutamente nada, e foi coisa de segundos pra mão direita da guitarrista estar na nuca da garota, a mão esquerda na cintura e os lábios grudados nos da garçonete. Jesse, Emma e Ava assistiram ao beijo como se fosse cena de filme.

— Nossa, elas têm uma sincronia, né? — Disse Emma, observando as duas durante o beijo.

— Ah, ela tem cara de que beija bem. — Jesse acrescentou. — Eita, olha a mão boba.

— Carol é fanática por bundas! Incrível. — Ava negou com a cabeça.

A guitarrista desceu a mão direita pelas costas da loira garçonete até as nádegas da mesma dando um tapa estalado seguido de um aperto. Emma até fez uma careta negando com a cabeça enquanto ria.

— Ai... eu vou ficar com vontade. — A ruiva respondeu rindo.

— OPAA!!! CHEGAMOS NO MELHOR MOMENTO!!! — Uma voz ecoou pelo bar, era Tommy com os outros integrantes do Motley.

— QUE BELEZA EM! — Vince gritou chegando também. Carol parou o beijo com a loira na mesma hora.

Tiffany revirou os olhos com a chegada deles, chamando atenção de todos do bar, enquanto eles entravam e iam se sentar à mesa com elas. Nikki foi o único que parou com a maior cara de cu no meio do corredor, enquanto via a namorada falar alguma coisa com a garçonete loira.

Carol não se importou com o olhar do baixista do Motley Crue, apenas se sentou em seu lugar anterior como se nem tivesse feito nada. Nikki sentou na ponta do banco em ‘U’ da mesa e lançou um olhar mortal a morena não escondendo seu ódio.

Tommy e Vince chegaram praticamente descontraindo tudo, e fizeram os pedidos de comidas e bebidas. Nikki ficou calado o tempo todo, até Jon chegar junto de Richie e se juntarem a todos praticamente se espremendo pra caber todos nos bancos. Tiffany encheu o saco para que Jon sentasse ao lado dela, então Carol trocou de lugar e ficou ao lado de Nikki agora na ponta do banco.

— Por que você estava beijando aquela garota, Carolina? — O baixista perguntou pra morena alta, enquanto ela revirava os olhos só de saber que iriam discutir.

— Porque eu quis. — Ela respondeu diretamente, ignorando as conversas dos outros da mesa.

— Por que você faz essas merdas, cara? — Nikki negou com a cabeça e bebeu um gole de Jack Daniels.

— Não é merda, Nikki. Eu só não vou deixar de fazer o que eu quero por conta de namoro... fora que já deu a muito tempo. Só você não aceita essa merda. — Ela respondeu como se fosse a coisa mais normal do mundo.

— Não aceito porque eu te amo. — Ele respondeu de primeira. — Você que não vê isso.

— Ta, cara, mas eu não vou deixar de pegar ninguém por isso. Você pega um monte de gente em turnê e eu não falo porra nenhuma. — Ela já estava começando a se irritar com aquela conversa.

— Eu não pego ninguém. — Respondeu, e desviou o olhar na mesma hora.

— Arham. — Ela assentiu com a cabeça com a expressão mais sarcástica possível, depois desviou o olhar para o resto da mesa.

O clima entre Tiffany e Jon estava tranquilo, até ele falar algo que fez ela lembrar na hora de algo que foi dito em sua entrevista na MTV com Ant e Dec.

— Você é a melhor namorada do mundo... — Disse o vocalista do Bon Jovi, sua mão direita na nuca dela e o mesmo a roubou um selinho a encarando com um olhar apaixonado.

— Por falar em namorada... — Ela tirou a mão dele de sua nuca e se ajeitou no banco olhando no fundo dos olhos dele. — Por que disse na sua entrevista na MTV que estava solteiro?

— Ora... — Ele pareceu surpreso com isso e ao mesmo tempo desconfortável, se ajeitou no banco desviando o olhar do dela. — Eu... não queria ficar te expondo desse jeito.

— Ah sei... expondo nosso namoro? Sendo que eu também sou famosa e não vai ser exposição como expor uma anônima. — Ela respondeu na hora e cruzou os braços, estava começando a ficar vermelha de raiva.

— Tiffany... entenda... eu te amo, mas eu não gosto de expor minha vida pessoal em rede nacional. Ainda mais que isso ia dar o maior bafafá pro seu lado. Coisa que eu acho que você não ia curtir, ia causar a maior repercussão e... não acho que você esteja tão acostumada com tanta fama assim. — Ele falou fazendo careta, ela arregalou os olhos e abriu a boca em um quase ‘o’.

— COMO É QUE É?! — Todo mundo do bar olhou pra mesa deles, principalmente todos que já estavam na mesa. — VAI TOMAR NO SEU CU, JON! VAI SE FODER! NÃO ESTOU ACOSTUMADA COM O QUÊ?! A FALAREM MEU NOME NA TELEVISÃO COMO VIVEM FALANDO O SEU?! PODE TER CERTEZA QUE NÃO ESTOU AINDA, MAS NÃO VAI DEMORAR PRA MINHA BANDA ESTOURAR E EU SER TÃO RECONHECIDA QUANTO A PORRA DO BON JOVI!

— Tiffany... para de gritar. — Ele praticamente afundou no banco não querendo que todos olhassem pra eles enquanto discutiam.

— NÃO PARO NÃO! TA COM VERGONHA AGORA?! INCRÍVEL QUE VOCÊ NÃO TEM VERGONHA DE FALAR MERDA, MAS DE TODO MUNDO TE OLHAR VOCÊ TEM?! NÃO ERA VOCÊ MESMO QUE DISSE ESTAR ACOSTUMADO COM OS HOLOFOTES NA SUA CARA SENHOR FAMOSO DO CARALHO?! — Ela levantou do banco e saiu passando por cima de todo mundo pra sair da mesa. — VAI TOMAR NO CU, JON! VAI TOMAR NO CU!

O loiro obviamente não deixou que ela fosse sozinha, acabou indo atrás e os dois saíram do bar. Pelo resto da noite, não foram vistos mais.

— Tomara que terminem! — Ava cruzou os dedos e olhou pro teto do bar como se fizesse uma prece a Deus.

— Amém. — Carol respondeu erguendo sua garrafa de Jack Daniels em completa concordância.

— Aí... já estão sabendo do que aconteceu com a Hell House? — Tommy perguntou só pra tentar descontrair, as quatro garotas olharam pra ele com atenção.

— O que? — Jesse perguntou tirando a palavra da boca de todos.

— Marvin foi preso, a boatos até que foi morto na prisão. — Vince completou.

— Não. — Richie levantou o dedo como forma de alerta. — A boatos de que ele foi pra cadeira elétrica e morreu... não que mataram ele na prisão.

— Da no mesmo. — O loiro vocalista deu de ombros.

— Mas como assim? Quem denunciou? — Ava juntou as sobrancelhas.

— Ninguém sabe... mas tem uma banda de rock morando lá agora. — Nikki entrou no assunto, mesmo que ainda puto com a guitarrista solo, ele adorava uma fofoca.

— E não foram eles que denunciaram? — Emma perguntou como se fosse óbvio.

— Muito difícil. Um deles também é traficante. — Mick respondeu negando com a cabeça. — E ele vende pra muita gente famosa... já vendeu até pro Steven Tyler.

— Nossa, preciso conhecer esse cara. — Emma comentou rindo, mas recebeu olhar das outras três integrantes. — Que foi?! É pra ele me apresentar ao Tyler!

— Rum... fica de gracinha mesmo. — Jesse respondeu séria. — Mas como que esses caras estão morando naquele lugar? Lá era praticamente um lixão tirando o andar de cima que era restrito pelo Marvin.

— A casa foi reformada. — Mick respondeu. — Mas com certeza não foram eles que fizeram a reforma.

— É mesmo, nem parece mais a velha Hell House de tão foda que está a casa agora. — Tommy assentiu com a cabeça pra fazer ênfase no que dizia.

— E como vocês tem certeza que não foram eles que reformaram? — Ava perguntou na mesma hora.

— São uma banda de garagem. Não tinham nem lugar pra cair mortos; agora que conseguiram uma gravadora pelo que eu fiquei sabendo... eu acho que pode ter sido a gravadora. — Nikki respondeu e Jesse arqueou uma sobrancelha.

— E uma gravadora pode fazer isso? — Ela pensou alto.

— Pode... se tiverem uma casa pra oferecer a banda e a banda não tiver lugar pra ficar... Esses executivos donos de gravadoras tem poder dentro da polícia, no mínimo o cara comprou a casa antes de ir a leilão. — Richie explicou enquanto gesticulava com as mãos.

— E isso é bom pra gravadora... Dependendo da banda, eles tem os integrantes na mão pra expulsarem da casa a qualquer merda que fizerem que não seja de acordo com o álbum que pediram. — Mick completou e bebeu um gole de seu whisky.  

— Então é mais fácil eles oferecerem uma casa pra bandas de gente babaca só pra tentar controla-los? — Carol franziu o cenho.

— Mais ou menos isso. Eles podem oferecer pra qualquer banda, a princípio é só pra tirar eles da rua... porque banda morta é dinheiro morto. — Mick falou como se fosse óbvio. — Depois eles pegam cada integrante e faz deles marionetes.

— Eu duvido muito que consigam isso com aquela banda. — Tommy riu fraco e negou com a cabeça.

— Por quê? — Emma juntou as sobrancelhas.

— Eles não tinham nada. Agora tem até gravadora... mas ninguém queria pegar aquela banda. São um bando de loucos. Tipo a gente no início do sucesso. — Nikki respondeu com naturalidade.

— Como se vocês tivessem mudado. — Jesse riu fraco negando com a cabeça também.

— Não mudamos, mas éramos muito piores no começo. E eles são assim agora. — Vince afirmou e elas concordaram.

— Bom, se foi a gravadora e os executivos que fizeram isso tudo por eles nós nunca saberemos. Eu também conheço a banda, e eu não tenho muita paciência pra nenhum deles. — Richie começou, todos o encaram com expressões de dúvida. — Estão sempre na defensiva e respondem com ódio. Eu odeio isso, e não tenho paciência. O único que salva é o traficante... mas ele também não responderia uma pergunta do tipo ‘como vocês conseguiram a casa?’.

— Parece até perfil de banda pequena de rock. Todos são assim. Só fazem merda, e querem arrumar briga com qualquer um que olhar torto. — Ava concluiu, eles concordaram.

— Menos vocês. — Tommy afirmou rindo.

— Eu sou de uma banda pequena com classe, não preciso arrumar confusão pra chamar atenção. — Jesse deu de ombros e bebeu um gole de vodka direto da garrafa.

— Quer saber mesmo o que chama atenção em vocês? — Vince olhou pra loira, todos olharam pra ele e o mesmo só desviou o olhar dos olhos dela para os seios dela.

— Ainda bem que não está de decote, Jesse... — Emma respondeu rindo alto com a cara do vocalista.

— Bom, ele não mentiu. É isso mesmo que chama atenção em vocês. — Richie completou. — Primeiramente, pelo menos... depois o som. Porque vocês realmente são boas pra caralho.

— Ata, disfarça mesmo o que tu disse. — Ava riu do guitarrista.

A noite deles foi boa, apesar das discussões no começo. Carol e Nikki acabaram transando dentro do carro delas, Jesse ficou com raiva de Tommy ter pego Margot (a garçonete novata) e acabou pegando o Vince pra fazer raiva. Ava provocou Richie até o mesmo ceder ir ao banheiro com ela e eles foderem lá mesmo. Já Tiffany e Jon se resolveram no meio da rua com ele falando besteiras pra conquistar o coração dela novamente.

(...)


Notas Finais


Curtiram? Comentem pra eu saber. Até amanhã :)

Roupa das meninas no Rainbow: https://br.pinterest.com/QueenOfRain_/23-celebration-roupas/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...