História Queima de Arquivos - Taekook - Capítulo 1


Escrita por: e AlquimistaSofia

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Bts, Criminal Fic, Gay, Jungkook Killer, Jungkook Omega, Killer Bunny, Lemon, Namjin, Taehyung, Taehyung Top, Vkook, Yaoi, Yoomin
Visualizações 318
Palavras 1.745
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drabble, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Musical (Songfic), Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pink - Olá xuxus. Eu e a @AlquimistaSofia estamos aqui mais uma vez para trazer uma bela fanfic Taekook.

Quero dizer a vocês que eu e a Sofia gostamos de criar histórias diferente, estamos criando um ABO diferente do que os demais. Sabemos que encontramos por aí várias fanfics com o mesmo andamento e com as mesmas regras e aquele blá blá blá todo.

Todo mundo sabe que betas não pode ser marcado por alfas, mas aqui na nossa história não vai ter essa coisa não. Os betas vão ser marcados pelos alfas.

Outra coisa, o personagem do Jungkook é baixinho o tamanho original mais ou menos do Jimin. Nosso universo ABO será criado de um modo diferente, pedimos a vocês que não critiquem, porque nós sabemos que vocês estão acostumada a ler o mesmo tipo de História, o mesmo andamento do ABO.

Mas aqui no Spirit Fanfics não tem essa regra fazemos jeito que a gente quiser. Não é?

Então lhes desejo uma boa leitura.

Sofia: Gabriela e suas bíblias nas notas -_- enfim, ela já disse tudo, e eu vou dizer só uma coisa: Se nos matarem, sem fic. E enfim, mais uma coisa: TEM FOGO NA BABILÔNIA BICHO!!!!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Queima de Arquivos - Taekook - Capítulo 1 - Prólogo

•Busan• - 01/09/ 1997

•Sexta-feira• - 23:45PM 

Após correr apressado, entrou e subiu as escadas da casa em alta velocidade, entrando em seu quarto, encontrando sua esposa deitada com seu filho nos braços. Ela levou um susto ao ver a porta sendo aberta com brutalidade e desespero pelo marido que, a olhou aflito.

— Querida? Vamos, temos que sair daqui. — falou para a esposa, preocupado e perturbado. 

A mulher com um bebê nos braços, sabia que seu olhar para ela naquele momento era do mais puro medo.

Ela se levantou preocupada da cama.

— O que houve? — ela perguntou tensa ao ver o medo nos olhos do Alfa.

— Estão atrás de mim. Descobriram tudo.

— Eles quem? Jaewon,  está me assustando.

— Venha! —  saiu do quarto a puxando pelo braço esquerdo, enquanto o outro segurava seu filhote.

Desceram as escadas chegando até a sala apressados. Um tiro foi disparado atravessando a janela e quebrando um vaso japonês vermelho, que estava em uma estante próximo a escada.  A Ômega gritou e se escondeu atrás do marido.

— Preste atenção — virou a olhando. Ela estava chorando, e ele estava quase no limite de fazer o mesmo. — Quero que suba e se esconda, esconda nosso filho. — olhou para a criança que dormia tranquila nos braços da mãe.

— Mas, e você? — estava preocupada,  uma lágrima escorreu de seu rosto.

Jaewon olhou pelo vidro da janela, se deparando com as silhuetas de homens se aproximando da casa. Estavam armados, e o cercando. Já não tinha mais escapatória,  era tarde de mais.  Mas, seu medo foi elevado ao sentir o cheiro do Alfa ficar mais forte, indicando que se aproximava. Seus olhos se arregalaram, com sua boa audição foi possível ouvir o som do carro se estacionar do lado de fora e, o som dos Sapatos caríssimos do homem pisando com firmeza no chão e caminhar a passos lentos em direção a casa.

— Querida, escute: eu te amo mais que tudo nessa terra. Por favor,  não deixa nada acontecer ao nosso filho. —  a olhou nos olhos, ela estava com medo, medo do que poderia acontecer, e também por seu marido, graças á marca que os fazia compartilhar de uma parte dos sentimentos.  Da forma que ele falava e se despedia, a assustava.

— Eu também te amo. — ela disse e ele a beijou. O gosto de adeus e medo era acentuado.

—  Suba e se esconda.— outro tiro foi deparado, só que desta vez acertando um quadro de madeira da sala. — Vai logo!

Ela assentiu e subiu as escadas apressada o deixando pra trás.

A porta da entrada principal foi arromba com violência, permitindo que homens bem trajados como atiradores de elite, entrassem armando com fuzis nas mãos, apontados para Jaewon que, teve as mão levantadas em sinal de rendimento. Ele não tinha saída. 

Logo viu um jovem Alfa de cabelos platinados, trajando um "Desmond Merrion" na cor azul marinho, adentrar calmamente na casa na companhia do esposo jovem, que vestia a mesma marca do terno caríssimo do marido na cor rosa bebê.  

— Olá, Jeon Jaewon, como vai? Sei que já está tarde para uma visita, mas não pude deixar de vir. — um sorriso puxado se formou em seus lábios ao encarar o outro Alfa em sua frente. O olhar era frio e calculista, comparado com o de desespero e medo do outro. — Mas, não posso deixar o que você fez sair impune.

Jaewon encarava bem o garoto em sua frente. Mesmo sendo apenas um jovem de 19 anos, Kim Namjoon, era um dos Alfas mais respeitados pelas classes. Sendo líder e herdeiro de uma facção criminosa e bem organizada, muitos temiam cruzar o caminho do jovem.

Mas por que o Kim estava ali? Jeon Jaewon é (era) um dos Alfas de confiança do jovem Kim, e tinha a responsabilidade de movimentar todo o dinheiro para o conta do mesmo, mas um dos contadores haviam percebido que 5% do dólar estava em falta, e todas as suspeitas haviam apontado para Jaewon, o culpado pela tentativa de roubo de Namjoon.

— Hum.. É só você por aqui? Onde está sua esposa? — perguntou e este se manteve calado. — Não vai dizer? — o olhou debochado e o outro apenas se manteve em silêncio. 

Namjoon olhou para o jovem esposo que, apenas estalou os dedos dando ordem para que os homens fossem a procura da mulher. E assim fizeram.

Os capangas do Kim subiram as escadas. A encontram no quarto e de baixo da cama, a tiraram dali trazendo a Ômega que gritava presa pelos homens que a puxavam pelos cabelos. A jogaram sobre os pés do Alfa que a olhou, se sentindo horrível pelo olhar confuso e assustado da Ômega. Ele apenas moveu os lábios em um pedido mudo de "desculpas".

— Não machuque ela, Namjoon! Ela não tem nada á ver com essa história! — Gritou ao ser segurado pelos braços pelos homens do Kim, ouvindo a mulher gritar ao também ser puxada.

O Kim apenas caminhou até o Jeon lhe dando o soco no rosto com força, cortando os lábios do mesmo.

— Me desculpe por isso, Jeon, mas, pensou que só você será punido pelo que fez? — diz segurando em seu queixo o fazendo lhe olhar nos olhos, a fúria queimando passivamente no fundo das orbes castanhas claras. — COMO TEVE CORAGEM DE ME ROUBAR, SEU DESGRAÇADO! — Gritou furioso, aquele fogo ardendo no fundo dos olhos do outro alfa. — Eu confiava em você. Terá sua punição por isso, sei que sua esposa não tem nada a ver com o que você fez, mas mesmo assim, ela não iria sobreviver, já que ela é marcada por você. — O Kim olhou para a mulher que chorava, Jaewon não soube distinguir pena ou nojo nos olhos do jovem alfa. — Matem eles.

— Não, Namjoon! Me perdoe, por favor!

— Sinto muito. — deu sinal com a mão e logo os homens atiraram, acertando Jaewon e sua esposa na região do tórax,  os matando.

Foi silencioso, Jaewon não teve tempo de gritar mais e nem sua mulher. Por causa da marca que ela possuía, a morte por tiro era muito mais do que um assassinato. Era uma sentença de pena, como abater um cão doente para que sofra menos.

Namjoon era um criminoso, mas também, não era o mais perverso ao ponto de os fuzilar. Além de quê, avisaria a vizinhança.

— Tudo feito senhor.— um dois homens afirmou.

— Vamos embora.— falou ao observar os corpos inertes no chão. Estalou a língua no céu da boca, aquilo teria sido desnecessário.— Venha Jin.

— Espere Namjoon,  você ouviu isso? — o olhou, mexendo a cabeça para os lados, nervoso. O mais velho sentiu sua agitação, Seokjin mordia os lábios e olhava ao redor, como se tentasse ouvir algo.

— O que? — olhou para o esposo, suspirando.  Seokjin havia escutado choros vindo do segundo andar, seus instintos diziam para subir as escadas, e foi isso que ele fez. — Jin, espera, onde vai? — bufou descontente. — Vigiem a porta e se livre dos corpos — ordenou para os homens e subiu as escadas indo atrás de Seokjin.

O de cabelos loiros entrou no quarto do falecido casal e buscou novamente pelo choro,  até que ouviu novamente o mesmo vindo de dentro do guarda-roupas.

Seokjin o abriu e viu que ali havia um pequeno cesto. O abriu com delicadeza e viu que ali estava um bebê, sozinho e chorando desesperado, provavelmente pelo barulho dos tiros. Ele sorriu terno e o pegou com cuidado.

— Um bebê? — Namjoon o olhou entediado, revirando os olhos.

— Olha só,  ele não é lindo? — Sorriu para o Alfa, parecia alheio á toda a situação de minutos antes.

— É, é  bonitinho,  agora deixa ele aí e vamos embora. — o Alfa bufou impaciente. 

— Não, não podemos.  Ele não tem pais, ele é órfão, você acabou de matar os pais dele! — o olhou de certa forma exasperado, mesmo sabendo que aquilo foi o justo. Seus instintos sempre falaram mais forte do que ele. — Eu não sabia que o Jeon tinha um filho, ele é tão fofinho — sorriu para o bebê que estava confortável em seus braços. O bebê já não mais chorava, parecia calmo com Seokjin o segurando daquela forma.

O Alfa suspirou pesado, bagunçando seus cabelos com impaciência. A polícia logo chegaria, precisava tirar todos e Seokjin dali.

— Namjoon Alfa? — o olhou manhoso, fazendo o mesmo suspirar. Sabia bem o que viria agora. — Não podemos deixar ele aqui, ele só parece ter um mês de vida. Podemos adota-lo?

— O que?! — o olhou incrédulo. — Nem pensar, ficou doido, Jin?!

— Namjoon,  eu sou um Beta, nunca poderei ter filhos com você! Então por favor, vamos adotá-lo, não podemos o deixar aqui sozinho. — Seokjin abraçou o pequeno sem muita força, olhando tanto triste quanto suplicante para Namjoon.

— Jin, você não é uma mulher,  ele precisa de leite materno e você não produz leite,  como vai alimenta-lo? — Namjoon tentou em vão tirar aquilo da cabeça do Beta, mesmo sabendo que era uma batalha quase perdida.

— Eu darei um jeito, posso contratar uma Ômega que esteja amamentando,  até ele desmamar. — Seokjin mordeu o lábio, com medo de Namjoon recusar. —  Por favor Alfa, podemos levá-lo?

O mais velho bufou. Era nesses momentos que odiava amar tanto aquele Beta.

— Tudo bem, podemos ficar com esse pirralho. — disse á contragosto, e Seokjin o abraçou contente, beijando seu rosto. Escondeu o sorriso. — Eu não deveria adotar filhos de ladrões, e muito menos na minha idade, mas ok. Ele será uma grande utilidade no futuro. Venha, vamos sair daqui.

O Beta assentiu e logo desceram as escadas entrando no Mercedes Black que os esperava para voltarem para Ulsan. Jin olhou para a criança em seus braços e sorriu. O pequeno abriu brevemente seus grandes olhos negros, e deixou Seokjin hipnotizado, até mesmo Namjoon, que escondeu isso olhando pela janela.

— Bom, e qual será o nome dele? — Namjoon o olhou debochado, como se dissesse que Seokjin estava brincando de ser pai.

— Bem,  será Jungkook. — ditou decidido, ignorando a brincadeira do Alfa.

— Jungkook? — Perguntou sorrindo fraco para o loiro.

— Sim, é um nome lindo. — o garoto indagou como se dasafiasse Namjoon á discordar.

— Jungkook.. hum.. gostei. Nada mal.  

Foi sincero, e mesmo que não gostasse ele nunca poderia discutir com Seokjin.


Notas Finais


Pink:
Então, esse foi o prólogo esperamos que tenham gostado do prólogo. Breve estaremos postando os outros capítulos.

Até mais.

Sofia: Vô dizer nada, só esperar a bomba.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...